1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

A década perdida da Microsoft

Discussão em 'Windows Desktop e Surface' iniciada por Metro, 28 de Julho de 2012. (Respostas: 28; Visualizações: 5399)

  1. Metro

    Metro Benevolent Dictator For Life
    Staff Member

    Um artigo recente do Kurt Eichenwald para a Vanity Fair tem este título e é uma excelente leitura. Também podem ver a entrevista do autor sobre este artigo com o fantástico Charlie Rose é também um bom follow up.

    O problema destes artigos é que parece que as empresas fazem tudo mal. E se olhássemos só para o título parece que a Microsoft estaria provavelmente na falência. Dito isto, é interessante perceber como é que a maior empresa do mundo à uns anos atrás foi perdendo terreno e está hoje em alguns campos atrás da concorrência. À alguns meses estive numa conferência na sede da Microsoft onde falaram o Bill Buxton e o Arnie Lund. Com o Arnie fiquei a falar no final. Várias questões que não cabem aqui mas o ponto importante é a resposta á questão. E se o Windows 8 falha? Se falham no campo dos tablets que é neste momento um mercado que continua a crescer. Digamos que a resposta foi nós não iremos falhar.

    Um ponto importante e que é comum a todas as empresas é que à medida que aumentam e procuram entrar em novos caminhos nem sempre tudo corre bem. Vemos isso transversalmente a todas as empresas. Além disso há outro aspecto relevante que é a longevidade. A Microsoft nasceu em 1975. No mundo da tecnologia tudo muda muito rapidamente será que devemos esperar que as empresas não mudem? Nos últimos anos vimos nascer e morrer redes sociais, produtos,empresas, etc.

    A Microsoft não corre esse risco mas acabará por ter apenas algumas áreas onde continuará a ter sucesso?

    Por fim, o timming do artigo é interessante por preceder o lançamento do Windows 8 este ano. E o Windows 8 é um lançamento muito arriscado. As alterações muito significativas em termos de funcionalidade tornam-no um lançamento muito arriscado num mercado em que a concorrência está bem armada e há um enorme grau de satisfação.

    Pego novamente num slide da apresentação do Arnie Lund que foi o ponto de partida para a conversa com ele e que ilustra bem o problema actual para a Microsoft que não existia à vários anos atrás.

    [​IMG]

    A estética é um critério mais recente do que os restantes aspectos. Mas eu pegava na parte da satisfação que leva á utilização. Quando digo que o o problema actual não existia antes é porque à alguns anos atrás as opções não eram brilhantes. O Windows Mobile reinou praticamente sozinho. No mundo dos computadores a Apple tinha imensos problemas e a opção era Linux que não era acessível a muita gente. Actualmente, nos desktops temos o Windows 7 que é o maior inimigo da Microsoft tal como foi o Internet Explorer 6 no passado. Linux está melhor e mais simples e à alguns anos atrás ninguém se lembraria que poderia haver um Chrome OS que actualmente não tem expressão mas que pode mudar. A satisfação existe no iOS e no Android e os preços em particular neste último há para todos os gostos. Ou seja, a satisfação já existe e aqui reside a questão de na última década a Microsoft não ter mantido a hegemonia que permitisse estar hoje muito melhor colocada em particular no mercado móvel onde incluo os telemóveis e tablets. O radicalismo do Metro UI temo que seja demasiado para uma enorme franja de utilizadores do Windows.

    Entretanto depois de escrever isto vi a resposta a parte do artigo: http://www.businessinsider.com/microsoft-responds-to-its-lost-decade-2012-7
     
  2. José Alberto

    José Alberto Power Member

    Bastava ouvir os consumidores em relação ao Windows 8 e tinham mais alguns anos pela frente não só de sucessos como de crescimento.

    Mas eles é que sabem...
     
  3. Mk Pt

    Mk Pt Power Member

    O windows 8 poderá não ser um grande sucesso, é uma aposta arriscada sim, mas a Microsoft já deu um belo passo - preço de 'super' saldo pelo menos no início face ao que era costume - para que leve a quem tem algum interesse a investir no novo SO porque, afinal, não é assim tão caro.
    Depois há a questão de perto da quase totalidade de novos computadores já virem com o novo windows instalado, que vai criar hábito ao novo SO - as pessoas podem ter algumas reticências no ínicio mas com o tempo habituam-se e como é 'novo' e é 'o futuro' acabam por trocar alguma má impressão inicial por sensação de algo diferente e mais moderno.

    Com isto não quero dizer que seja um sucesso garantido. Mas não deve sofrer do 'mal estar' que o Vista sofreu.

    O Vista apontava para maior estabilidade e segurança que o Windows anterior, mas a verdade é que era um sistema 'pesado', em boa parte das máquinas que os consumidores já tinham requeria upgrade de hardware para funcionar convenientemente - e o que procurava implementar não se destacou face ao anterior o suficiente para justificar sequer a compra do próprio SO [que não era muito barato], quanto mais upgrades de hardware para ter a máquina fluída.

    As 'dificuldades' do 8 são semelhantes no capítulo de substituir um SO bem aceite, mas do que já foi visto não comete o erro de tornar-se mais pesado/mais lento para acrescentar novidade pouco visíveis.
    Vai alterar a forma como o SO é utilizado, para tentar aproximação entre os vários dispositivos, mas no geral em termos de performance não pode ser criticado pois até apresenta melhorias aí.

    Vamos ver como vai resultar.

    Pessoalmente, sou capaz de aderir ao 8 numa das máquinas, mas ainda é algo a 'estudar'.
    O problema nem deve ser a UI, é mais de compatibilidades de software mais antigo - sou 'revivalista' nos jogos e de vez em quando gosto de jogos antigos, alguns destes já foi dificil meter a correr no 7 [tipo dungeon keeper 2], não sei como isto vai correr no 8 mas imagino que seja mais difícil /impossível - quando com o W7 já tenho um SO rapido e perfeitamente funcional assim como o software que tenho.
    E esta, talvez mais que o novo UI, será também a maior dificuldade do 8 - as pessoas já têm no W7 um bom SO, rápido, estável, seguro, e software perfeitamente funcional nele...
     
    Última edição: 28 de Julho de 2012
  4. José Alberto

    José Alberto Power Member

    Eu em principio vou fazer upgrade ao 8 mas conheço muita gente que a) não vai mudar porque não gosta e b) nunca ouviu falar do 8 e quando o conhecerem vão achar aquilo um filme de terror!

    Mas não acredito que o user Metro tenha criado esta thread para falar do W8 mas sim para falar da MSFT no geral. Por isso, as minhas desculpas.
     
  5. SubCode

    SubCode Banido

    O Windows 8 é um lançamento arriscado para nós, PC lovers. Para os utilizadores comuns (que são a maioria) o Windows 8 vai ser um mimo. Tudo a comprar portáteis com capacidade touch e a abrir o Word/Excel ou o Facebook com o dedo indicador num menú bonito e redesenhado (metro). É este o futuro, nós é que somos outro tipo de utilizadores, mas estamos em minoria. O computador pessoal como o conhecemos está a mudar.
     
  6. J_NUK_A

    J_NUK_A El Patinador
    Staff Member

    Peço-vos que não tornem este tópico num segundo tópico do Windows 8.
     
  7. Metro

    Metro Benevolent Dictator For Life
    Staff Member

    A ideia não é olhar apenas para o Windows 8. Nenhum de nós tem uma bola de cristal e as coisas podem correr bem. Eu tenho dúvidas mas se fosse o totobola para já apostava numa tripla.

    Há muitos outros pontos:

    - O Bing tem dado prejuízo mas sem entrar nessa guerra têm a Google com a faca e o queijo na mão. A parceria com o facebook pode trazer coisas positivas.
    - O hardware da microsoft é bom. Os periféricos são bons e a XBOX é também um sucesso. Podem tentar replicar isso e aparentemente é o que estão a fazer com o Surface mas como tem sido dito no tópico próprio os parceiros não devem estar deslumbrados com a microsoft a ser mais um concorrente. E se falham vai ser mais prejuízos e tempo perdido.
    - O Windows 8 pode demorar a arrancar e tendo tudo o que é portátil com ele pré-instalado vai ser uma fonte de rendimento seguro. Mas podem perder utilizadores do office. O Office não permite dar muito gratuitamente e ai a google mais uma vez lucra com isso.
    - O Office 365 não conheço dados de utilização mas até quando é que muitas empresas vão manter o Office?

    Em resumo, apesar dos bons resultados os alicerces parecem estar atrasados e isso pode custar muito caro este ano e nos seguintes.
     
  8. PanterA

    PanterA Power Member

    Se se confirmar que não dá para meter a interface como antes (exemplo: taskbar), a mim não me apanham lá de certeza. Sinceramente, complicaram uma coisa que literalmente era o ponto de partida de um Windows.

    Mas pronto, até pode ser que num futuro próximo pense nele, mas neste momento, nem estou muito expectante com a sua saída.
     
  9. timber

    timber Zwame Advisor

    Também li esse artigo mas acho-o com algumas imprecisões. Mas mais que isso o que realmente discordo dele é achar que a MS teve um período de grande génio que desapareceu coma saída do Bill Gates (que na prática ainda esteve vários anos a contar do suposto "declínio").

    Ora eu sou da opinião que a MS apesar de ter tido diversos produtos sólidos e hegemónicos ao longo do tempo nunca vez nada de génio nem de especialmente inovador, o que a MS teve foram sempre boas práticas de negócio, muitas vezes ilegais.

    Em termos genéricos sempre que se afastam do binómio Windows+Office corre mal. O drama actual deles é que a utilização informática está-se a tornar demasiado diversa para o modelo deles. Mesmo assim ainda estamos a vários anos do PC ser ultrapassado (apesar de estar quase estagnado).
     
  10. bseixas

    bseixas Power Member

    Não li o artigo mas lendo o título e se este reflecte o conteúdo, olhando para a Microsoft no global não posso concordar que tenha sido uma década perdida.

    O Windows 7 foi o melhor OS Microsoft que utilizei até hoje, a Xbox 360 é hoje uma plataforma de jogos sólida no mercado e só no mercado móvel acho que podiam ter feito mais, melhor e acima de tudo mais cedo, agora se o mercado mostra de alguma forma um declínio no domínio Windows é também porque a concorrência não anda a dormir e mostra alternativas válidas (só é pena Linux não o ser ainda mais junto do consumidor) e não por falta de qualidade no sistema operativo muito pelo contrário, assim como hoje temos smartphones/tablets a juntar aos desktop/laptops.

    Mesmo em serviços como email, messenger ou skydrive não me parece que o que disponibilizam esteja assim tão distante em termos qualitativos dos outros, agora resta saber como irá ser com o Windows 8 em várias frentes e não só no desktop (onde não tenho problemas alguns em usá-lo e se tiver oportunidade de adquirir uma licença nos mesmos moldes do Windows 7 nem pensarei duas vezes).

    Mas pela tendência que de certeza que cada vez mais passará por smartphones/tablets talvez a questão do timing lhes possa vir a sair caro e só neste aspecto poderia concordar com o título neste momento, já que a concorrência me parece estar num patamar acima.
     
  11. Bullit

    Bullit Power Member

    O problema é a obsessão com o crescimento de dois dígitos. Ora o mundo tem um número finito de pessoas e no Ocidente em vários países até está a diminuir a população. Ou seja será natural vermos a palavra "estagnação" e muitas vezes isso não será sequer má notícia, uma vez que uma bolha seria pior como se viu e vê noutras áreas.
    Ora eu vejo nos media a falarem do fim do PC quando um crescimento fraca ou nulo quer dizer que se vendem centenas de milhões todos os anos.
     
  12. jeff22

    jeff22 Power Member

  13. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    O problema da Microsoft é de fundo, é falta de identidade comum de grupo coeso de tecnologia. Toda a gente quer fazer algo bom ali mas todos puxam para o seu lado ou trabalham fechados num cubículo sem terem noção de como as peças se juntam no fim; muitas vezes não juntam. Eles contratam estudantes com as melhores médias e não têm medo de comprar as empresas melhor colocadas por exemplo o Skype; ou os moneyhats públicos à Nokia a precisar de dinheiro para usarem o sistema operativo deles; mas sem uma estratégia mais complexa toda a gente viu que não iam a lado nenhum.

    Falta um plano por detrás de tudo; é como ter um touro cego numa arena a correr atrás de tudo; na incapacidade de prever ou ler a corrente do mercado tentam apostar em tudo e não conseguem aplicar os recursos que têm onde são mais precisos. A Apple é bastante mais limitada em grupo de trabalho ao ponto de iOS e MacOS X serem sistemas concorrentes dentro da empresa; porque os dois não podem ter prioridade máxima em simultâneo; do Leopard para o Snow Leopard foi tanto tempo porque eles estavam demasiado ocupados com o iOS, e os ultimos lançamentos do iOS não têm trazido muito porque eles estão a gastar os recursos todos no OS caseiro. E no entanto a coerencia é de fazer inveja a um produto Microsoft.

    Já que já estou a falar do OS, faltam duas coisas na abordagem deles ao design do mesmo, a primeira é um director de software planning capaz; foram buscar o Ozzie para remendar o desastre em que estavam com o Vista e não souberam ir buscar outro quando ele se demitiu em grande parte por discordancias e falta de backing do Steve Ballmer (nem quero falar desse sujeito senão não saio daqui hoje); porque o ballmer não acredita em planning:

    Fonte: http://articles.businessinsider.com...22_1_steve-ballmer-windows-live-microsoft-isv

    A Microsoft nunca teve um visionario à frente, Bill Gates nunca o foi, mas teve sorte de estar numa epoca em que a evolução expectável era linear (mais e melhor), e não como é hoje, que passa muito mais por robustez, coerência e as features que fazem sentido, bem executadas; a prova é que o maior desastre de planeamento da microsoft ainda foi com o Bill Gates a sair de cena, o Vista. No passado o facto de serem um pouco mais experimentativos do que são hoje, coisas como fazer o windows NT originalmente em multiplataforma com processadores MIPS e PowerPC em mente, apesar de não ter durado muito tempo, eram sinais de abertura que em anos recentes lhes custou inércia a responder ao iPhone e iPad. É surreal eles não terem uma port ARM a correr há anos; e por outro lado o código fonte não estava limpo ao ponto de ser uma port fácil de fazer; porque a capacidade multiplataforma do OS se perdeu depois do NT4.

    Também levou a que todos os OS recentes deles sofram de feature creeping e de impersonações de soluções oferecidas por outros sistemas operativos excepto que desfiguradas. Um bom exemplo é o Aeroglass, o objectivo na origem era copiar o Core OpenGL do MacOS X que serviu para acelerar a user interface do OS; o windows XP ainda minimizava e maximizava janelas por CPU levando a atrasos se o CPU tivesse em full load, o MacOS para acelerar a resposta implementou as janelas como texturas; minimizar e maximizar assim torna-se instantâneo porque é um call feito à gráfica (que costuma ter recursos livres em ambiente OS), não ao CPU. Pelo meio e como era de borla introduziram uns efeitos (o suck, o scale e o genie effects, não todos inicialmente) e mantém-se até hoje esses 3; porque a ideia não é eye candy, é fluidez.

    A microsoft? deve ter largado uma duzia de programadores que perderam a cabeça, o resultado era uma aceleração de interface pesada que só servia para taxar o GPU. Não é que as pessoas que o fizeram sejam incompetentes; se deixarem qualquer um de nós demasiado tempo a fazer a mesma coisa ela nunca está pronta e vamos estar sempre a adicionar-lhe coisas (falo por mim, sou criativo; às vezes é mais dificil decidir o que não deve estar no produto final do que o que lá deve estar); mas com isto tudo perde-se o propósito final do produto. E isto sucedeu com o sistema operativo todo.

    E já que estamos a falar disto; o Vista tinha as propriedades do desktop na interface nova e as propriedades da taskbar à moda antiga; isso é o trabalho de várias equipas de software segregadas (aliás, desconjuntadas) e a falta de planeamento de fazer algo coerente no final.

    Por outro lado falha-lhes também (por falta de bom software planning) a capacidade de identificar as vantagens da interface que têm; a transição para o 8, com a anulação da existencia do start menu e a inclusão do menu lupa no lado direito a só aparecer quando o rato passa por cima são coisas graves de terem sequer chegado a consumer evaluation. A apple teve de fazer a dock e o sherlock/spotlight precisamente porque o start menu do windows 95 tinha uma vantagem competitiva de acesso às aplicações e eram demasiado casmurros para o copiarem por isso tiveram de procurar outras soluções. A microsoft mandar isso pela janela por uma solução nada intuitiva não é estúpido, é suicidio, mas mostra bem a confusão que para ali vai e a inexistencia de um gajo como nós, que consegue ver a coisa de fora como nós vemos; um titanic.


    O outro problema de fundo é a falta de um plano B e a inexistencia de uma estratégia de convergencia, só para o caso (claro o Ballmer nega a possibilidade de dispostivos pós-PC era); se ela existisse esta traquitana da linguagem de programação do Windows RT (Windows Runtime/Metro) não seria uma transição massiva de ultima hora... mal feita, mas sim um processo; a apple fez a transição de carbon para o cocoa em várias gerações do sistema operativo e foi descontinuando coisas como o ambiente macOS 9 e o Rosetta ao longo do caminho, uma roadmap bem construida decide o que é o futuro e o que não é e o passado é deprecated, pouco a pouco para não segurar o sistema operativo para trás; isto potencia venda de software mais recente a quem o vende. Lixa 1% dos consumidores, mas é necessário (note-se: eu estou em snow leopard porque é o ultimo com suporte PowerPC, a minha pipeline de trabalho ainda depende de aplicações obsoletas que foram descontinuadas); é melhor do que a miufa de mexer no capô e quebrar a compatibilidade de certas aplicações que a Microsoft tem.

    Outro exemplo de como fazer transições, a apple lançou a store no Snow Leopard para não estar completamente verde quando saísse o Lion, não porque era do interesse deles uma das maiores features do próximo OS estar na revisão anterior; mas fez sentido.

    Mais, por plano B entende-se uma Kernel realmente nova; dizer que o Windows actual tem linhas de código partilhadas com o windows 95 é como constatar que a Source Engine da Valve tem linhas de código do Quake intactas; com a diferença de que estamos a falar de uma engine codificada praticamente por um maluco que fez o código super limpo versus a complexidade de um sistema operativo cheio de interdependencias que eles estão com medo demais de quebrar.

    Em vez de andar a polir algo superficialmente às vezes é preciso ir pescar por algo melhor; os sistemas operativos na Microsoft são uma espécie de universo paralelo em que o Copland saiu e se chamava Vista. Completo rally na lama; a seguir ficou mais fácil, mas estamos de novo a mexer na superficie e a fazer as coisas mal; é uma questão de tempo até à próxima crise.

    O que eles deviam fazer era algo novo de raiz realmente novo e focado em optimização e multiplataforma e reverse engineer dos OS legacy (à lá wine; mas com mais recursos e sem serem processos enclausurados); enquanto isso lançavam uns sistemas operativos sabendo que a base já não serve, mas para ganhar tempo (à lá windows 98/Me). Em vez disso, estão a ir em frente com o único plano que existe e com uma transição para ARM que promete ser tão robusta como a transição para os 64 bits e potencialmente inicialmente tão popular como o windows mobile 8. Estão a condenar uma plataforma nova a 48 meses iniciais penosos como tudo (e um futuro impossível de prever por isso).

    Começa a ser um exercício de auto-mutilação; e é claro que com a mudança das regras do jogo e ao eles não terem uma posição concreta nesse mercado só se pode seguir declínio. As janelas de oportunidade cada vez se fecham mais e as oportunidades de acertar não vão existir para sempre. (aliás, o foco devia ser acertar à primeira, mas é sobejamente complicado com a estratégia deles)
     
    Última edição: 5 de Agosto de 2012
  14. lightMC

    lightMC Power Member

    Li o post todo. Essa visão pode ser aproximada da realidade mas não invalida a parte de o Windows XP e 7 ser os OS mais populares, mais vendidos e adorado por muitos.

    O Windows 8 é a transição necessária que na minha opinião a Apple falhou em visionar. Posso estar a adiantar nas previsões mas ter um dispositivo que faz tudo em vez de dois separados parece-me mais vantajoso. Não compreendo a tua critica à charms bar. Permite ter todas as funcionalidades mais comuns duma aplicação num só local como acontece um bocado com os botões principais em android ou windows phone.
    Podes constatar com a última versão do OSX que as mudanças não são nada por aí além o que é um indicador que o mercado dos sistemas operativos de desktop está a estagnar. O mesmo para a distro mais popular de linux que segue algo mais baseado em touch. Mesmo em osx uma das novidades da última versão é a notification center que vem do iOS (mais além que veio do android), a treta do lauchpad (eu pergunto-me como é que se consegue fazer novidade dum launcher com icones em grid, como se fosse algo de inovador?)
    Continuo a achar que o caminho da microsoft é bastante poderoso mas não nego que possa falhar. E quanto mais comentários negativos, por melhor que um sistema seja, acabar sempre por destruir a reputação do mesmo.

    O teu post pode ter alguma informação mas maior parte dele é tua opinião e visão. E cheira-me mais que essa opinião vem do medo que a microsoft consiga voltar a ter o monopolio do mercado. Enquanto a microsoft continuar a distribuir o seu sistema em computadores ACESSÍVEIS às massas, vão ter o meio apoio. Digo o mesmo para a google.
     
  15. Cromo

    Cromo Power Member

    Eu não acho que esta evolução seja necessária, nem a apple alguma vez teria a audácia de fazer tal asneira. A estratégia deles, se alguma vez passar por adaptar o macos para touch o que eu duvido, seria bastante mais gradual e nunca uma revolução como a microsoft está a fazer agora. O sistema de notificações e o launchpad são bons exemplos disso foi algo que aos poucos foi sendo lançado para que a adaptação dos actuais utilizadores possa ser feita de forma suave, embora não concorde muito com o launchpad, não lhe vejo grande vantagem em relação ao menu de aplicações que era usado até então.
    Que a microsoft volte a ter o monopólio do mercado? Mas a microsoft perdeu o monopólio de mercado?
     
  16. lightMC

    lightMC Power Member

    Asneira ou não, ainda estou para meter as mãos para experimentar w8 num dispositivo touch como muitos. Acho que estás a precipitar em chamar asneira. Continuo a achar que o w8 é o que os tablets deviam ter sido desde o inicio muito por causa do género de multitasking que possui e a integração das aplicações com o sistema.
    Quanto ao monopólio, a microsoft continua a liderar no mercado desktop e laptop mas aparentemente está em declinio especialmente nos US. Vamos esperar pra ver. Eu pessoalmente não vou estar satisfeito enquanto vir o surface pro à venda e não o ter :X
     
  17. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Assim como o Android é mais popular que iOS, o meu ponto não é marketshare. Se o texto está escrito muito à volta do macOS X é por este ser um exemplo de sucesso com bom planeamento, não por ser da Apple; aliás a Apple só é exemplo porque não há alguém a fazer melhor, porque poderia haver, não estão isentos de falhas.

    Por transição referes-te à versão ARM? A versão ARM foi uma curva à direita a 2 metros do obstáculo; não estamos a falar de uma transição suave, planeada e com as ferramentas necessárias para ser um sucesso. A Apple já mudou de plataforma várias vezes primeiro de Motorola 68000 para PowerPC e mais tarde para Intel e sempre o fez de maneira tão suave como possível; a microsoft só não pode ser suave para ARM por falta de planeamento.
    Tablet e computador? Isso é pensamento linear, a verdade é que jack of all trades master of none; e um computador baseado em ARM não será isso pois terá compatibilidade zero e pela incapacidade da microsoft fazer uma transição bem feita (ou usar fat binaries) a distribuição de software vai acontecer via store exclusivamente.

    A critica é que o OS deles não tinha algo de errado referente a usabilidade. Mudar coisas por mudar não é o caminho para seguir; outro dia mexi em MacOS 3 e quem vem do MacOS Snow Leopard fica impressionado o quão pouco mudou; e não mudou porque na realidade não era preciso mudar; é importante que as pessoas habituadas a uma interface não se sintam excluidas.

    Ainda para mais o windows é um sistema operativo bem mais presente em ambiente empresarial que o MacOS, mudar coisas por mudar é sempre má ideia; foi com o office (milhentas queixas de pessoas que não sabiam onde andava o file->print) e não é neste caso; especialmente na forma originalmente mostrada, em que a charms bar não está visivel a não ser que passes lá com o rato em cima; não estamos a falar de uma barra "opcional" é uma barra central ao OS.

    Já pensaste na resistencia que isto pode criar no mercado empresarial? Em muitos casos ou pagam formação para os trabalhadores (e perdem produtividade) ou recusam-se a fazer upgrade. Aliás, mesmo a fazerem, a lixarem-se graças a ele (e a terem muito boa gente a insultar a bela coisa) a Microsoft não está a ganhar fãs.

    Se queres mudar algo, ou o fazes gradualmente e de forma aditiva ou só se for para (muito) melhor.
    Exacto, mas estagnação dos OS foi o que lixou a microsoft; é que assim a evolução não é linear, acaba por ser um trabalho de balanceamento e polimento que antigamente era opcional.

    Mas o que a Apple está a fazer à sua maneira é uma convergencia de features de sistema operativo (fala-se também que têm uma build ARM do sistema operativo full fledged desde o momento em que acabaram com o desenvolvimento do MacOS para PowerPC); o que a Microsoft está a fazer é diferente; não estamos a falar de up-porting ou convergencia do mobile phone 8 com o windows 8 por muito que existam elementos comuns.
    O problema é que quando estamos a considerar o windows 8 um bom sistema operativo por não ser o windows vista eu vejo um sistema operativo que não fez mais do que era a sua obrigação. Não é mau, mas também não tem nada de especial.

    Muito por má publicidade, mas também por culpa deles (por não acertarem os básicos tantas vezes) o nome do sistema operativo deles não é tido em tão boa conta como isso; a maior parte das pessoas usam-no porque "tem de ser"; isso não é nada bom para a fidelização de clientes, mas não há concorrência à altura no mercado aberto. Com a insurgencia de tablets e smartphones o foco de crescimento mudou um pouco de sitio, no entanto, e está a magoar a Microsoft.
    Claro, é a minha opinião. Podes discordar, mas eu acho que tenho razão :p
    Medo? nah. E eles ainda detêm o monopólio. (e não vai ser a Apple a tirar-lho)
     
    Última edição: 5 de Agosto de 2012
  18. Bullit

    Bullit Power Member

    Em um ou outro software 3D com que trabalho há a opção de colocar os menus a aparecerem só quando se vai com o rato. Parece bom - ficamos com mais viewport -mas na prática é sempre mais lento que ter o menu.
     
  19. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Sim, mas isso é o equivalente a teres modo fullscreen, dá muito jeito, uso e abuso dele no photoshop; mas tenham lá juízo, tem de ser opcional, as pessoas não olham para o ecrã em branco e percebem o que se passa ali.

    Mas eu simplesmente não acredito que o Windows 8 chegue à versão final como foi mostrado há uns meses; espero eu.
     
  20. McFreak

    McFreak Banido

    O erro da Microsoft nesta década foi não ter identificado a tempo e horas que o Windows Mobile era um dinossauro a precisar de ser abatido, e demorar séculos a responder ao iOS. Perderam o comboio dos OS móveis para a Apple e para a Google e é apenas por isso que se diz que foi uma década perdida.

    O Bing não é um sucesso? Pois não, mas alguém acha que estavamos aqui a falar da década perdida se a Microsoft tivesse vingado nos OS móveis? Claro que não. O problema foi a Microsoft ter perdido no seu campeonato, os OSs. E perdeu não por não ter antecipado o iOS, mas sim por ser uma companhia com uma inercia incrível.

    O Android no inicio era mau, muito mau. Mas basta olhar para o Android hoje em dia, para se perceber que a Google tem um mérito de evoluir as suas soluções a uma velocidade incrível. Podem ser apanhados na curva, mas são rápidos a adaptar-se. A Microsoft não é. Demorou muito tempo a dar uma resposta e esta veio na forma de um OS temporário, o Windows Phone 7. OS temporário, porque lá está, a inercia é demasiado grande e só agora com o Windows Phone 8 é que conseguiram mexer as peças necessárias para fazer um OS com pés e cabeça.

    A Microsoft está em risco? Não me parece, não têm concorrência à altura no mercado desktop. O Windows é muito superior aos linuxes que por aí andam (é a minha opinião) e o MacOS será sempre um OS de nicho. Também não me parece que a curto-médio prazo o Office tenha concorrência à altura. Para mim basta usar outra suite, ou até o Office 2011 para Mac, para me dar vontade de voltar ao Office 2010 para Windows.

    PS: O Windows 8 ainda nem sequer entrou em jogo. É conversa para futurologia não para esta thread.
     

Partilhar esta Página