[HDTV] A "Qualidade" das TVs Atuais: 8K/4K-UHD,OLED,HDR10+,Dolby Vision,HLG,HFR,HDMI 2.1, Quantumdots, etc.

josp

Power Member
New TV energy labels: Before and after

Antes
lg55cx_foer.jpg


Depois
lg55cx_efter.jpg


Antes
samsung55q95_foer_2.jpg

Depois
samsung55q95_efter.jpg

Basicamente todas as TVs passam a G.
 

miguelbarroso

Power Member
Faz sentido... As labels antigas foram criadas ainda se comercializavam CRTs e Plasmas. Muito evoluiu entretanto, há que atualizar as exigências. E também faz mais sentido o consumo por 1000h, em vez do consumo anual, pois os padrões de uso são muito diferentes de pessoa para pessoa.

Isto irá alertar as pessoas para que ecrã maior, maior consumo. Eventualmente a classe F deveria ir até aos 120W, para haver uma maior distinção entre TVs mais "gulosas" do que outras. Desta forma basicamente tudo o qe é acima das 55" vai para a classe G.

Mas muita gente mais preocupada com o consumo, irá começar a ponderar se em vez de comprar uma TV grande, não será preferível comprar uma mais pequena. Arrisco-me a dizer que na Europa os tamanhos tipo 43" irão ter um boost nas vendas.

Irá também criar pressão junto dos fabricantes para tornarem os seus ecrãs mais eficientes.
 
Última edição:
Concordo também com a atualização das etiquetas. Já era basicamente tudo A+++, e assim os fabricantes deixavam de evoluir e inovar tanto no setor de eficiência energética.

Para mais informações relativamente aos dados de cada produto, no canto superior direito, irá sempre existir um codigo qr, onde após analisar com a camara de qualquer smartphone, irá abrir a página do produto para ler mais informações relativamente ao produto.
 

Onesolo

Power Member
Epah, tambem concordo q se actualizem obviamente, mas acho q as classificações estão desajustadas... mas queriam q uma tv de 55 fizesse o q? gastasse 50w em vez dos actuais ~150?!? Com esses novos labels até parece q uma tv de 55" é ultra gastadora, quando não o é... não estou a ver nos proximos 5/10 anos a um OLED chegar aos patamares mais elevados das etiquetas... nem estou a ver com melhorias nos OLED nem noutras novas tecnologias q ja vão começar a aparecer por ai, como o mini e o micro led, que haja uma redução TAO drastica nos consumos.... so se for a custo de se baixar na qualidade da imagem... e ainda por cima qd o q o mercado mais quer agora é NITs!! Teria de vir prai uma ultra nova tecnologia de tvs q conseguisse baixar em muito o consumo de um painel.
 

miguelbarroso

Power Member
e ainda por cima qd o q o mercado mais quer agora é NITs!!

Também concordo que as potências estão um pouco exigentes demais. Mas as pessoas querem acima de tudo ecrãs maiores, e a industria esfregas as mãos. A maior parte das características servem para impressionar os "experts", que depois recomendam as TVs aos comuns dos mortais.

O mercado pode querer algo, mas o planeta não aguenta com todos os nossos "desejos" (este é só mais um). Aplaudo a postura da UE de querer colocar algum travão nisto.

Para não falar que muita gente deixa a TV ligada mesmo quando não está a ver pois a mesma é classe A+++ e "não gasta nada"
 

Illusion4u

Power Member
A formula tem em conta dimensão do ecra, e obviamente que penaliza tv's maiores.

Basta consultar a legislação.


E acho que é bom lembrar: é uma etiqueta energética é normal que beneficie tv's com menor consumo do que com maior consumo.
 

erdnagama

Power Member
Faz todo o sentido uma certificação ser apertada nada data de lançamento. Qual seria a ideia, daqui a 5 anos todas as TVs estarem outra vez no A+++ e ter que lançar nova versão da certificação energética?

Depois, e o mais importante, é necessário as pessoas terem consciência da "pegada" que deixam. Estou totalmente de acordo com esta medida.
 

josp

Power Member
FQual seria a ideia, daqui a 5 anos todas as TVs estarem outra vez no A+++ e ter que lançar nova versão da certificação energética?
Segundo o que anunciaram agora vai ser mesmo isso que vai acontecer. Quando uma determinada percentagem dos aparelhos lançados já ficar na Classe A, haverá um novo reajuste.
 

miguelbarroso

Power Member
Neste momento é uma confusão em certos sites, pois alguns produtos já têm a nova label, e outros ainda têm a antiga. Esperemos que em breve esteja tudo regularizado.

Só uma nota que justifica bem a necessidade de rever estas labels:

With more and more products achieving ratings as A+, A++ or A+++ according to the current scale, the most important change is to return to a simpler A-G scale. This scale is stricter and designed so that very few products are initially able to achieve the “A” rating, leaving space for more efficient products to be included in the future. The most energy efficient products currently on the market will typically now be labelled as “B”, “C” or “D”. A number of new elements will be included on the labels, including a QR link to an EU-wide database, which will allow consumers to find more details about the product. A number of ecodesign rules will also come into force from 1 March – notably on reparability and the need for manufacturers to keep spare parts available for a number of years after products are no longer on the market. "Until the end of February, over 90% of products were labelled either A+, A++ or A+++."
in https://ec.europa.eu/commission/presscorner/detail/en/IP_21_818

Ou seja, muita gente comprava um aparelho A ou A- a pensar que estava a comprar algo poupadinho, quando na realidade era um produto com uma performance energética bastante medíocre.

Para já foram os frigoríficos e congeladores, máquinas de louça e de roupa, TVs e monitores. A 1 de setembro irão surgir as labels para as lâmpadas, e nos próximos anos os restantes produtos (os próximos serão as máquinas de secar roupa, aquecedores, ar condicionado e aparelhos de ventilação, caldeiras, aparelhos de cozinhar, aquecedores de água, e refrigeração profissional).

Uma melhor performance ambiental não se alcança apenas com aparelhos mais eficientes, mas alterando padrões de uso. Se por um lado a label promove a compra de produtos mais eficientes, quem tem aparelhos mais eficientes acaba por fazer um uso mais abusivo e relaxado do mesmo (paradoxo de Jevons - a velha história da lâmpada tão eficiente que pode estar sempre ligada - acabando por gastar no total mais do que a antiga menos eficiente mas que estava quase sempre apagada).

A label mais exigente, não só exerce pressão junto dos fabricantes para criarem aparelhos mais eficientes, como passa a mensagem ao público de que o seu aparelho não é assim tão eficiente, pelo que deverá ser poupado no seu uso.

Mais artigos sobre este tema:
https://ec.europa.eu/commission/presscorner/detail/en/qanda_21_819
https://www.euractiv.com/section/en...-labels-the-energy-transition-starts-at-home/

Ultimo apontamento relativamente a TVs - as etiquetas vão também ter distinção entre o consumo em SDR e em HDR, penalizando TVs com retroiluminação global (a maior parte dos LCDs) - quanto mais dimming zones tiverem, melhor performance energética em HDR (sendo os OLEDs os melhores neste aspecto, já que cada pixel é autoiluminado):
https://www.flatpanelshd.com/news.php?subaction=showfull&id=1614600942
 
Topo