1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Anacom autoriza utilização das frequências FWA da PT para testar WiMax

Discussão em 'Dúvidas e Suporte—Internet, Redes, Segurança' iniciada por rml, 10 de Maio de 2005. (Respostas: 7; Visualizações: 1092)

  1. rml

    rml Power Member

    A Anacom autorizou a PT Comunicações a utilizar as suas frequências FWA para fazer "ensaios técnicos" à tecnologia sem fios WiMax. A autorização do regulador resulta de um pedido da operadora e não condiciona a futura utilização ou autorização da tecnologia, esclarece um comunicado.

    De acordo com o documento "daqui não resulta qualquer obrigação ou condicionante à autorização futura deste tipo de sistemas em Portugal", explica a Anacom, acrescentando que a autorização não interfere com o processo de consulta ao FWA, em curso, nem com os "direitos de utilização que vierem a resultar" desse processo.

    O regulador assume, no entanto, que está a acompanhar de forma atenta as discussões em torno da tecnologia, com destaque para os debates em torno das questões técnicas e do enquadramento regulamentar da tecnologia. Sobre uma possível introdução da tecnologia em Portugal, o comunicado esclarece que a decisão "terá em conta as soluções harmonizadas que possam emergir desse debate, em particular na Europa".

    O WiMax é um standard de banda larga sem fios, visto como uma sucessor do Wi-Fi pois oferece maiores larguras de banda e garante maior cobertura. Esta tecnologia, aprovada em 2002, oferece até 124 Mbps de largura de banda e um raio de cobertura de entre os 50 e os 70 quilómetros - contra os 54 Mbps do Wi-Fi para 120 metros de cobertura - tem sido encarada como uma opção para assegurar a última milha até casa do cliente, ou alternativa às tecnologias de rede fixa, para a cobertura de zonas remotas, onde o investimento numa infra-estrutura física não se justifica. Face ao Wi-Fi, o WiMax apresenta como principais vantagens uma maior cobertura e uma menor complexidade do ponto de vista da ligação à infra-estrutura física.

    Ao nível da indústria a tecnologia é já alvo de testes por várias empresas, com destaque para a Intel que tem realizado investimentos significativos para acelerar a sua introdução no mercado. A empresa de semicondutores, que foi também uma das mais interessadas no desenvolvimento do Wi-Fi, desenvolveu o primeiro processador WiMax do mercado, que já disponibilizou aos fabricantes, e investe em parcerias para o desenvolvimento de produtos compatíveis.

    Não obstante estes esforços e a conclusão do processo de normalização do standard, nas sua componente fixa, existe alguma expectativa em saber se algum dia o WiMax ocupará o lugar que muitas consultoras lhe advinham, como concorrente directo do 3G e do DSL e em alguns casos substituto, já que várias outras tecnologias estão em teste e poderão ocupar esse lugar. Entre estas destaca-se o Flash OMD, uma outra tecnologia wireless já licenciada pela Siemens e em teste pela T-Online, que no entanto oferece menor largura de banda.

    Os últimos estudos disponíveis são no entanto optimistas e prevêem a chegada ao mercado do WiMax - com a tecnologia estabilizada e produtos disponíveis - já no próximo ano, uma introdução que irá ocorrer primeiro na Europa e na Ásia, revela um estudo da Parks Associates. O mesmo estudo prevê que só em 2009 este mercado se torne interessante, acumulando 7 milhões de utilizadores.


    in: http://tek.sapo.pt/4O0/562453.html
     
  2. nyd

    nyd Power Member

    Muito interessante este artigo....


    Sky is the limite...
     
  3. S.T.E.E.L.

    S.T.E.E.L. Power Member

    Isto é que vai ser... bye bye telemóveis... :D
     
  4. Genius

    Genius Power Member

    Interessante a noticia, mas um bocado falaciosa. Nao concordo que no proximo ano esteja em pleno funcionamento, talvez a 30% do gaz normal. Como todos sabemos nem o 3G (UMTS) hoje em dia eh 100% fiavel, tecnologia ja disponivel ah muito mais tempo, logo ate concordo que um dia o WiMax seja aplicavel, mas so daki a 2 3anos ate tar a 100%. Mas tambem todos sabemos que a PT so vai investir na aplicaçao dessa tecnologia se lhes for rentavel. Nao os tou a ver a mudar as estruturas bases dele de fios, para sem fios, so se for uma concorrente directa a começar e depois eles vao atras como sempre. Resumindo eh sempre de salutar avançados na tecnologia, mesmo que nao passem so de testes... :)
     
  5. nyd

    nyd Power Member

    Além de k os 3 operadores pagaram uma bela quantia ao estado, pela licença do UMTS. Primeiro vao rentablizado, e bem... depois logo se vê. Kem sabe se na altura ainda será o Wi-MAX.


    Um abraço
     
  6. Tiago Gomes

    Tiago Gomes Power Member

    A ideia é de louvar...

    Acho que neste caso só temos que agradecer à PT para não esperar pela concorrência para tentar chegar mais longe. Ou será que começa a cheirar que poderá aparecer a PowerLine que também irá chegar aos locais mais remotos???
     
  7. blastarr

    blastarr Power Member

    Não seriam precisos grandes investimentos para converter de UMTS para WiMax.
    As principais diferenças situam-se ao nível da multiplexagem dos sinais, os equipamentos retransmissores podem sofrer apenas alguns upgrades e já está.

    Os predecessores do 3G (GPRS e HSCSD) tb foram instalados para esse fim, reduzir custos e acelerar a transição.
     

Partilhar esta Página