1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Está disponível o Comparador ZWAME em versão beta.
    Mais informações.
    Remover anúncio

Asus P4S333/533 dicas (longo)

Discussão em 'Modding e Overclock' iniciada por RomKnight, 29 de Julho de 2002. (Respostas: 0; Visualizações: 3452)

  1. RomKnight

    RomKnight Power Member

    Original encontrado num site relacionado com Asus.
    Este documento NÃO é apenas uma tradução. Para encurtar o texto, quero só dizer que filtrei o que considero importante.

    O "disclaimer" do costume aplica-se uma vez que isto não é propriamente uma ciência exacta.

    Sugestões, comentários e afins são benvindos. Flames as usual go to /dev/null.

    OK, vamos lá dizer qualquer coisa util.

    PSU's

    Muita gente olha apenas e só para a potência da fonte de alimentação, adiante referida como PSU. Claro que as "iludencias aparudem" e, por isso, uma PSU de 300w pode ser melhor que uma de 340w. A QUALIDADE das PSU's, é o mais importante. Tendo em conta que o barato sai caro (99% das vezes), lembrem-se que mais vale gastar uns € a mais e comprar uma Enermax ou uma Antec, por exemplo e deste modo evitar instabilidade.

    Muitas das caixas para PC's já trazem uma PSU incluida. Verifiquem as caracteristicas da mesma (na NET por exemplo). A maneira mais rápida é olhando para o autocolante que está na prória PSU.

    Uma boa PSU deve ser capaz de entregar pelo menos 12A na linha de 12V sem grandes oscilações quando em carga. Se quiserem uma coisa para durar é minha opinião comprar logo uma PSU de 400w :) e sempre dá uma margem para alguns MOD's :D


    CPU's

    Esta motherboard, embora suporte CPU's acima dos 1.6a e 1.8a, Parece gostar muito destes dois. É facil chegar aos 133 de FSB em ambos sem ser necessário alterar mais nada se não a velocidade a que se quer trabalhar com eles na BIOS.

    No caso do 1.6a isto significa que fica a trabalhar a 2.1Ghz sem quer problema. Eventualemente pode ser necessário aumentar o vCore para 1.525 mas pessoalmente não vi necessidade disso. A esta velocidade as preocupações com calor são desnecessárias.

    Uma alteração que dá jeito é feita no jumper VEN1. Verifiquem a localização deste jumper no manual da placa e certifiquem-se que o jumper está nos pinos 1 e 2. Só assim, é possivel dar um ligeiro ajuste (para mais) na voltagem do CPU passando dos 1.5V
    originais para ~1.58V. Para uma melhor verificação usem o utilitário da Asus - Asus Probe.

    Isto requer algum cuidado mais tarde no aumento da voltagem do vCore porque, embora seja apresentado na BIOS 1.500 na realidade está a 1.580. Resumindo, NÃO é aconselhado passar o valor 1.575 apresentado na BIOS porque está bastante perto dos "proibidos" 1.7V.

    Sem esta alteração não consegui passar os 135FSB e manter o "chaço" estável com uns timmings de memória mais agressivos.

    No manual da motherboard vem indicado que a voltagem aumenta ~0.2V. Como não descobri uma errata ao documento, é melhor VERIFICAREM com o AsusProbe ou na BIOS.

    O autor precisou mesmo de usar o "vidpin trick" para obter os desejados 1.655V. Não vou descrever aqui este método porque ulrapassa o ambito deste documento e porque há informação de sobra na NET sobre este assunto.

    Ambos os processadores se portam bem no "overclock" mas parece que o 1.6a leva uma ligeira vantagem especialmente quando a questão das DDR400+ se mete ao barulho.


    DISSIPADORES

    O conjunto da Intel podia ser MUITO bom não fosse a ventoinha. Até aos 2.2Ghz aguenta-se relativamente bem mas a partir dai...

    Assim, há duas opções: um kit novo da ThermalTake (novo Volcano 9) por exemplo ou modificar o existente adaptando uma ventoinha 60mm ao dissipador original.

    Ainda não me decidi sobre o que fazer mas segundo o autor parece que alterar a ventoinha é suficiente... para já :)

    Claro que a ventoinha convem ter um regulador de velocidade (para aqueles que não querem barulho poderem diminuar as rotações e, claro, o barulho). Mesmo a 4000RPM suponho que o ar é muito mais que a de origem e o barulho é minimo.

    A massa térmica usa-se e recomenda-se a Artic Silver 3 e deve ser substituida cada vez que se tira o dissipador ou então regularmente, dependendo apenas do "overclock" dado ao CPU :)

    Memória

    O autor usa (e abusa pelos vistos :) ) da Samsung DDR33. Infelizmente o meu módulo da Nanya, embora se porte bem, não chega perto da Samsung (nota: Revisão C. procurem neste forum sobre o assunto que encontram)

    Tal como no CPU as memórias também precisam de um ligeiro aumento na voltagem. Neste momento ainda tenho as minhas a 2.7V. Por omissão, estas Asus trazem o jumper na posição de 2.5V. Para não habituar mal os "rookies" nestas andanças, façam o favor de ler o manual da placa para saber onde está o jumper ou olhem para a motherboard.

    O aumento da voltagem é OBRIGATÓRIO com o aumento do FSB, seja para ter timmings mais agressivos, seja para poder aumentar ainda mais o FSB nem que seja necessário usar uns
    timmings mais altos.

    Por omissão esta motherboard usa uns timmings muito conservadores no que respeita a memória, e isso permite um incremento no FSB relativamente grande. No entanto, o requisito principal é a estabilidade e nada como ir testando.

    Ultrapassar a mitica barreira dos 200MHz na memória é portanto, uma questão de tempo mas também sorte. O facto de terem mas Samsung não significa que tenham a mesma prestação que outros módulos iguais. Ainda assim deve andar MUITO perto ;)


    TWEAKING

    Depois de montados os componentes, a primeira coisa a fazer é actualizar a BIOS.
    Eu usei a versão 1.0.0.8c da P4S533. SIM, RESULTA, mas têm que usar o AFlash e usar uma disquete de arranque porque o AsusUpdate não deixa usar imagens feitas para boards diferentes. ESTE PROCEDIEMENTO É ARRISCADO. Usar com umas rezas à mistura :) De qualquer modo podem sempre usar uma BIOS mais actual da vossa placa.

    As BIOS marcadas com um "c" no final não tem suporte LAN. Usem a versão adequada.

    No site FTP da Asus encontram as revisões de BIOS todas e ainda as Beta. O FTP pode ser alcançado em tp://ftp.asus.com.tw.

    Depois de terem a BIOS que querem é só rebootar com a disquete correr o AFlash e seguir as instruções. Recomenda-se fazer um Backup da BIOS existente primeiro não vá ser a nova versão instavel. Na maioria dos casos isto aplica-se a versões Beta.

    Se usarem uma BIOS de uma placa diferente (como eu), o AFlash irá dar o aviso de que a BIOS não é para aquela placa. Respondam que querem flashar na mesma :D

    Só já falta sairem do programa e rebootar o PC. Ir à BIOS e começar a "brincar", isto é, se tudo correu bem :D

    Neste ponto o melhor é usar os valores por omissão e entrar no SO e por alguma carga para testar a estabilidade durante algum tempo, ou então instalar o SO se o PC for novo. Se o SO (tipicamente Windows) já estiver instalado, é possivel que
    detecte novo hardware e possivelmente não têm rato. O Windows deverá fazer tudo sózinho mas tenham o CD por perto e no final, mais um "reboot".

    Se o Windows se portar bem e não houver sinais de instabilidade, está na hora de começar o "trabalho pesado" e começar com as optimizações.

    Para começar, podemos ir à BIOS por o FSB a 133 aumentar o vCore para 1.575V, e isto com o VEN1 dá ~1.65 de vCore. Isto deve dar alguma margem para ir subindo o FSB sem problemas. Claro que o melhor é ir subindo o vCore consoante o necessário.

    Deixem-me esclarecer que isto é genérico e as alterações devem ser feitas uma-a-uma, e gradualmente. A ideia é mostrar uma topologia de até onde se pode ir com relativa facilidade.

    Continuando, a voltagem das memorias deve estar no valor normal de 2.5V (e configurado no jumper desenhado para o efeito), as definições dos timmings devem estar para "By SPD" e o CPU/Mem frequency a 1:1. A memória ficará a 133.

    Hora do "reboot" e testar a estabilidade entrando no Windows, e correndo qualquer programa tipo Super PI ou Prime95. Regra geral queixam-se bastante depressa mas qualquer software para fazer um "stress test" funciona.

    Se o Windows se aguentar pode-se voltar à BIOS e baixar o vCore, o que é bom, porque assim se sabe que há algum espaço de manobra para o CPU.

    Quando se encontrar o minimo vCore em que seja estavel, aumenta-se um pouco o FSB. Convém não ultrapssar o vCore de 1.65V como máximo que se vai usar e tenta-se ver até onde vai o CPU com este valor. Sempre que se aumentar o FSB, reboota-se e testa-se a estabilidade. Para o 1.6a é normal andar-se perto dos 150FSB mas o 1.8a normalmente fica-se pelos 140FSB.

    Agora é preciso testar a memória. Se entramos na BIOS podemos mudar o CPU/Mem frequency para 4:5. isto irá pôr a memória a 166 contando que o FSB está a 133.
    Se com estes parâmetros forem atingidos os 150FSB a memória vai estar a trabalhar a 187.5 o que é bom. Mas pode ser melhor. Não esquecer ir testando a estabilidade.

    Se tudo correr bem, coloca-se novamente o FSB a 133 e o CPU/Mem ratio passa para 4:6. Isto irá pôr a memória a 200Mhz. Mais uma vez, "reboot" e mais um teste para se saber como está a estabilidade do sistema em cada aumento de FSB.

    Por esta altura talvez já seja necessário aumentar a voltagem da memória para 2.7V ou mesmo 2.9V. Se se atingir os 150FSB a memória estará a 225 o que está no limite da Samsung mas tendo em conta que esta é das melhores memórias e eu tenho Nanya... os 150FSB vão ser complicados :)

    Pode ir-se mais além, mas já estamos no "extreme overcloking" e isso aqui não interessa. Alem do mais o barramento já passou das especificações da placa e ainda não há divisor de PCI a 1/5 para esta placa e convém lembrar que tudo as velocidades de PCI, AGP e afins também já estão (muito) acima do limite.

    Agora que os limites do CPU e da memória já estão encontrados, falta ajustar os timmings da última. Para encontrar os limites da memória nada como comecar pelo CAS passando de 2.5 para 2. Depois é ir baixando um a um até se econtrarem os ideais. a cada alteração, não esquecer o reboot. Segundo o autor, 2.5,2,2,6,1 funciona com FSB altos e com 2.5,3,3,7,1 pode ir-se além dos 150FSB. Lembrem-se que as memórias não todas iguais.

    Não tentem forçar muito ou o Windows pode ficar demasiado instavel e podem comecar-se a danificar dados (data corruption em ingles :) ) alem dos belos BSOD's :D Para simplificar na BIOS tentem não levar o 4º parametro (a contar de cima para baixo) abaixo de 6.

    Tambem reparei que na impossibilidade de ter um FSB maior é melhor baixar um pouco e ter uns timmings mais agressivos (o meu caso) até porque os P4 gostam particularmente de largura de banda. Com 140FSB e CPU/Mem a 4:6 a memória estará a 210Mhz e se o resto dos timmings ainda estiverem altos pode sempre tentar-se baixar um pouco mais o FSB e "apertar" com a memória.

    No fim, é sempre preciso tentar encontrar um compromisso. Para monitorizar o hardware tem o Asus Probe. Nota para quem tem a P4S333 flashada com BIOS para P4S533: no ficheiro asuspb.ini por abaixo do [ReverseTemp] a linha MB0 deve ser modificada de
    MB0=P4S533 para MB0=P4S333 ou a temperatura da motherboard e do processador aparecem trocadas.

    Para concluir, "overclocking" pode ser muito desgastante e desencorajador porque requer muitos testes e estes demoram tempo. Mas vale cada MHz extra que conseguimos no fim.

    (foi bonito)

    Espero ter contribuido com alguma coisa util.

    P.S: isto foi escrito as tantas da noite e é possivel que haja umas incoerências. pm me if its the case.
     

Partilhar esta Página