1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. A secção Microsoft/Windows encontra-se actualmente em processo de reestruturação.
    Remover anúncio

Blair aumenta pressão à Microsoft para rever preços de licenças

Discussão em 'Windows Desktop e Surface' iniciada por RavenMaster, 9 de Maio de 2005. (Respostas: 4; Visualizações: 658)

  1. RavenMaster

    RavenMaster Power Member

    "O governo britânico pretende aumentar o recurso ao software livre na Administração Pública, como forma de pressionar a Microsoft a baixar os preços das licenças do seu software proprietário. O executivo, eleito na semana passada sob a liderança de Tony Blair, tem em marcha um conjunto de acções internas desenhadas com este objectivo e planeia aproveitar a presidência da União Europeia, que inicia no próximo dia 1 de Julho, para recolher apoios externos.

    De acordo com uma notícia avançada pelo Financial Times, a nível interno o governo britânico vai avançar com planos de incentivo à utilização de software livre junto das autoridades locais. De sublinhar que a Administração Pública britânica vem realizando investimentos significativos nas tecnologias de informação e comunicação, um pouco aliás como toda a Europa, para a modernização dos seus serviços públicos. Só nos últimos dois anos o governo de Blair investiu 18 milhões de euros nesta área, um nível de investimentos que deverá manter-se e que tendencialmente será cada vez menos absorvido pela Microsoft.

    De acordo com o jornal, o governo planeia ainda o lançamento de uma Academia Open Source que terá o mesmo objectivo de fomentar o uso de software de código aberto no sector público, uma iniciativa que conta com largo apoio das estruturas locais.

    Estatísticas do jornal garantem que 60 por cento das autoridades locais consultadas se mostram disponíveis para aumentar o uso de software aberto, por considerarem que este é mais barato que os produtos da Microsoft. Fora do Reino Unido existem vários projectos públicos suportados em software open source, que se vem expandindo neste importante sector aproveitando os esforços europeus para a modernização dos serviços públicos, o que poderá gerar, à partida, alguns apoios ao governo britânico.

    Note-se que existem já diversos exemplos de sucesso na adopção de software open source em organismos públicos, e que alguns Governos assumiram a opção estratégica de dinamizar a adopção de Linux para reduzir custos. entre os exemplos contam-se a Região da Estremadura espanhola, o Brasil e a China.

    Em Portugal o Linux é utilizado em dual boot nas escolas, no âmbito das Salas TIC, e o Ministério da Justiça pretende promover uma versão do Caixa Mágica Justiça (uma versão portuguesa de Linux) para servir as necessidades específicas deste sector. "

    fonte
     
  2. sotavento

    sotavento [email protected] Member

    Tamos tramados ... se isto continua assim daqui por um ou dois anos o Linux já tem mais exploits que o raio do XP :S
     
  3. kingdom

    kingdom 1st Folding then Sex

    Lá isso é verdade...com toda a gente a virar-se para o Linux, daqui a uns anos as fugas vão ser todas neste SO, sendo o Windows o mais seguro...ou não...
     
  4. xtr3me

    xtr3me Power Member

    Lol, o facto de um SO ser o mais usado, n significa que seja o mais inseguro.
    Isso acontece com o windows, porque as correcções saem tarde e pq o SO tem bugs, não tem a ver com o resto.
    A perfeição será sempre maior no linux, e se houver problemas, rapidamente eles serão corrigidos, tal como acontece agora.
     
  5. ShadeX

    ShadeX Power Member

    É cómico um governo tão pró patentes de software pregar tanto o OS. Cheira mais a tapar o sol com a peneira, mas enfim...
     

Partilhar esta Página