1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. COVID-19 Mantenham-se seguros: Pratiquem distanciamento físico de 2 metros. Lavem as mãos. Usem máscara.
    Informação sobre COVID-19. Ajuda a combater o COVID-19 com o [email protected] e com o [email protected].
    Remover anúncio
  3. Informação: A partir da 01:00 (hora de Lisboa) desta Quarta-feira, 3 de Março, o fórum e restantes sites da ZWAME (Comparador, Jogos, Portal, etc) estarão inacessíveis por alguns minutos.
    Se necessário faremos actualizações via Twitter e Facebook.
    Remover anúncio

Discussão Conversa da Treta: Fotografia & Video

Discussão em 'Fotografia e Vídeo' iniciada por RCSantos, 29 de Dezembro de 2016. (Respostas: 2513; Visualizações: 121828)

  1. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    A minha lógica é simples...o corpo é que dá vida a todas as nossas lentes, o que se traduz em múltiplas perspectivas, enquanto que uma prime só dá uma perspectiva. Nessas circunstâncias, e não falando de qualidade óptica, valorizo mais o corpo.
    As lentes podem ser rápidas, mas se o corpo for lento então não adianta muito (exemplos da RP e R, que não exploram todo o potencial destas lentes nano-USM, nem de perto nem de longe).
    Metendo a qualidade óptica ao barulho, com a qualidade tão alta destas lentes modernas, já deixei de me preocupar muito com isso. Para uns 20, 25, ou 30MP em full-frame, hoje em dia não é difícil encontrar lentes que tirem o máximo do sensor. Bem vejo pelas minhas, em que a maior parte não são lentes recentes e fico bem satisfeito com os seus resultados. Algumas não são razor sharp na abertura máxima, admito, mas entregam o suficiente para poder trabalhar. E, fechando um pouco o diafragma, todas elas são razor sharp.

    Quanto ao que se valoriza no corpo já depende de cada um, evidentemente. Eu raramente faço crops, pelo que a resolução não me aflige muito. Gosto dum corpo minimamente rápido (pelo menos umas 7fps com tracking), bons controlos, gosto dum grip vertical para poder segurar com a mão toda enquanto uso lentes pesadas (como as zooms f/2.8 ou essas primes tipo 85mm f/1.4 que falas) e poder fotografar na vertical sem sofrer muito.
    Gosto duma boa focagem com pouca luz e, com este projecto em que tenho andado a trabalhar, comecei a valorizar bastante o GPS incorporado na câmara.
    Se formos a ver, destes meus requisitos todos, a RP só cumpre um. E nem mesmo a R6 e R5 cumprem todos.
     
  2. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Percebo onde queres chegar. Neste caso a "falha" é minha por não ter necessidade de nada em particular. Confesso que gosto do Eye AF e de coisas como manual override, para não cair no erro comum de focar a ponta do nariz com aberturas extremas, mas de resto sou "básico". Acho que estou no espectro oposto, em que todas as FF cumprem os requisitos. :D

    Quanto às lentes não serem razor sharp na abertura máxima, não sei se sou o único a achar que não é nenhum drama. Dá-me uma sensação glowy tipo baixar o clarity um pouco, que até gosto. E quer dizer, com FF e uma lente mais aberta que F2 já pouco ou nada vai estar em DoF, portanto........
     
  3. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    Bom, sendo assim não és difícil de satisfazer e a RP pode realmente ser uma opção para ti.

    Mas, sinceramente, ainda assim eu olharia para os usados. Há dias vi uma a 700 ou 700 e tal euros no Olx.

    Atenção é com as lentes pesadas. A RP usa uma bateria mais pequena, tem menos punho onde agarrar, e não há grip oficial para ela, há só uma extensão para o dedo mindinho, mas nada para o vertical.

    Com as lentes RF que existem actualmente, eu diria que a RP acompanha bem as novas RF 50 e 85mm STM. Evidentemente que ela também pode usar as L, mas estas novas têm uns preços tão elevados que a coisa já me parece desproporcional. São lentes rápidas, que conseguem fotografar desporto a f/1.2 numa R6 ou R5, feitas para serem razor sharp logo na abertura máxima, preparadas para sensores de 60 ou 75MP, e isso reflecte-se no preço, peso e tamanho. São lentes que pesam de 1kg para cima.

    Fazendo-se questão de ser as f/1.2, eu mais depressa procurava as versões EF, que agora nestas câmaras também ganham o benefício de se conseguir focar direito nas bordas na abertura máxima, e tornaram-se mais agradáveis de usar do que o eram nas DSLR. Não sendo para fotografia que precise de rapidez, são boas lentes.
     
    Última edição: 23 de Fevereiro de 2021
  4. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Acabas por ter razão. E sabes que também pensei na questão das EF, mas por outro motivo, para emparelhar com uma máquina de filme. Assim as lentes davam para as duas. Mas nos dias que correm, com a raridade de laboratórios e scanners em condições, não sei se terá algum uso. E perdia a vantagem de lentes um pouco mais compactas (se forem).

    E sim, eu meti exemplos com preços novos e em PT, mas devo procurar nos usados primeiro. Só estou a considerar nova se a Canon realmente lançar os dois novos corpos FF no próximo mês (não tenho urgência) e segundo os rumores, a nova "RP" pode ainda ser um pouco mais barata. Fiquei com a ideia que será a RP por volta dos 900€ e a R por volta dos 1600€.

    700-900€ pelo corpo + RF 50mm 1.8 (200€) + Art 85mm 1.4 (olx uns 500€) + Art 20 ou 24mm se calhar outros tantos. FF por uns 2k€ com tudo. :)
     
  5. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    500€ uma Sigma 85mm f/1.4 Art? Onde viste isso? Compro já :biglaugh:
    Eu contaria com pelo menos uns 800€ para ela, nos usados.

    É assim, se a ideia fosse realmente só duas primes, essas não eram más opções.

    Mas, já agora, penso que uma EF 85mm f/1.2 L II usada ande pelos mesmos valores. Visto que as duas precisam de adaptadores, acho que ambas devem ser consideradas.
     
  6. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Calma, mandei para o ar :joker: Mas tens por 660€. E sim, sem dúvida que a EF 85mm 1.2L é opção. Está lá por 820€. A ideia não é ter só 50 + 85 ou 35 + 85, mas isto é o que eu sei que uso/quero/preciso. Depois logo se vê algo wide para complementar.
     
  7. Pedro_dias

    Pedro_dias Power Member

    @Rui Marto dizes ai algumas coisas que não me fazem muito sentido, queres um corpo compacto (EOS RP e Sony A7c) mas depois falas em lentes f/1.2 que vão ser maiores as próprias câmaras.

    Tiveste em consideração isso, o desconforto de um corpo mais pequeno face a uma por exemplo a7R II com uma lente mais pesada?
     
  8. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Tens razão e não, não tive. O corpo mais pequeno que usei com alguma consistência, antes da M200, foram as 40D/50D mas era para trabalhar e não ligava a peso, inclusivamente usava com grip para ter mais conforto. Agora tenho mais interesse em manter peso/tamanho mais "in check", com a noção que com FF nunca vou ter algo como tenho com a M200. Não olhei para isso quando fui buscar exemplos de um sistema mais high-end, foi para referência, mas não faz sentido também por questões de preço.

    [​IMG]

    Vi também que a RP não é assim tão mais pequena que uma Sony A7*, mas é umas 200g mais leve.

    [​IMG]

    RP Vs A7c
    [​IMG]
     
    Última edição: 23 de Fevereiro de 2021
  9. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    A questão dele não é o peso do corpo, mas sim das lentes :P

    Eu há pouco também mencionei isso porque, por exemplo, a Sigma 85mm f/1.4 Art pesa tanto como algumas 70-200mm f/2.8, e não há grip para a RP, por exemplo, é só a tal extensão para o mindinho, mas que ainda assim custa 80€. E o punho normal dela é mais fino, porque usa uma bateria mais pequena.
     
  10. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Sim, sim, eu sei. lol E fui ver também, mas só meti os corpos porque não tinha imagem das lentes e pareceu-me uma guerra perdida.
    Excepto a Canon RF 50mm 1.8 que é pequena, tudo o resto é grande. Não apareceu o peso no comparador, mas por exemplo a EF 85mm 1.2 é mais pequena que a Sigma 50mm 1.4 Art. Não sei se é mais leve e sendo EF também precisa do adaptador.
    O que conseguir ganhar, é no corpo. Também o corpo é o que anda sempre na mão em todas as fotos, as lentes não e tanto podem estar na mochila como em casa, dependendo do mood nesse dia.
     
  11. miguelbarroso

    miguelbarroso Power Member

    Rui, quais as distâncias focais que pretendes ter? Porque fazes questão de ir para as primes 1.2 e 1.4? porque não as 1.8 que são brutalmente mais pequenas e baratas?
     
  12. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    O foco é 50 e 85mm, depois talvez uma 35 e/ou um zoom wide. Mas não faço questão de ir para 1.2 ou 1.4, usei essas como referência e por serem lentes que certamente não limitam o sensor, especialmente quando se olha a 40Mp de uma A7RII. Mas 1.8 são perfeitamente aceitáveis, tanto que referi logo desde início que a RP + 50mm 1.8 eram opção e por metade do preço. A 85mm já é bastante datada, da mesma geração que a 50mm 1.4, daí olhar para outras.
     
  13. Natto

    Natto Suspenso

    Rui, eu já tive a EOS R durante uns tempos para experimentar e não me surpreendeu. Não me surpreendeu o sistema AF. Não é nada que me fizesse convencer ir para mirrorless por agora. Também as fotos que tirei não é nada que eu não consiga com a minha 6D. Eu até andava a pensar switchar para a Nikon D800E, D750 ou D810 mas eu gosto muito da minha 85mm f1.2L II. Não sai da câmera. Uma coisa maravilhosa foi pode-se disparar com a 85mm sem me preocupar muito com a técnica porque sem mirror as imagens saem sempre tack sharp a f/1.2 a não ser que o sistema AF se baralhe com algo. Eu só disparo basicamente a f/1.2 pois é o meu estilo. Sempre wide open. Com a minha 200mm f/2 a mesma coisa. O meu com a 135mm f/2 quando a tinha. A única câmera que era capaz de ir para era a R6 ou R5 mas para mim não valem o dinheiro. A gama dinâmica embora aparente ser boa a redução de ruído aplicada aos RAWs deixa me a pensar. O sistema AF é mesmo top mas ainda está muito cara. Eu eventualmente ei de arranjar uma 1DX para mais ação pois ao peço que estas DSLR estão é um mimo.
    Se eu fosse para a RP pois pelo que percebi queres uma câmera pequena, podes usar lentes EF sem problemas. Aliás eu quando passar para mirrorless vou usar adaptador nas minhas lentes. Nem sequer penso mudar as lentes nos próximos 10 anos ou assim. EF. Vejo me ainda a passar por uma 5DMKIV (liveview equivalente a usar mirrorless embora não de muito jeito mas há situações que dão jeito) e/ou 1DX MK2. Fotografar wide open com mirrorless é um mimo mas não é algo que não consiga com a minha 6D. Muita prática que até às vezes disparo em certo ângulos que sei que o que quero que fique em foco ficará em foco mas não o sítio onde apontei se é que percebes.
    Por isso se fosse eu nem preocupava em comprar lentes RAF. A vantagem é que com as EF podes usar na RP ou numa DSLR se decidires mudar ou complementar.
    Eu gosto de primes e prefixo primes. Tenho apenas uma zoom e uso-a quando quero mais estabilidade (IS). Não me desfaço dela pois foi a minha primeira lentes. De resto é primes. 50 e 85 são as clássicas e vais certamente poder fotografar tudo o que quiseres. Investe bem nas lentes pois é o mais importante. O corpo desgasta se bem mais rapidamente. Agora dependendo do teu estilo e o que vais fotografar podes ou não ir para as lentes mais rápidas. Se tiveres os euritos 50 f1.2L e a 85 f1.4L IS.
    Pelo que percebi acho que o tamanho é o que mais te preocupa mas não acredito que consigas meter a RP no bolso. Se tal for não sei pq o tamanho preocupa te.
    Cumps
     
  14. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Aquilo que mais me preocupa é qualidade de imagem e encontrar um equilíbrio com tamanhos/pesos e custos. Só porque não cabe no bolso ou porque a maioria das lentes vão forçosamente ser grandes e pesadas, não significa que isso deixe de ser critério. Se assim fosse, máquinas como a RP, S5 e A7c nem existiam. E mesmo noutros modelos, há uma clara preocupação em não fazer as máquinas desmesuradamente grandes. Pode não ser o teu caso, mas por exemplo para quem viaja de mota ou avião, 1cm ou 200g podem fazer diferença. Já larguei e já vi largarem 50-100€ no aeroporto por menos. Também não vamos daqui saltar para o extremo oposto, ignorar tudo só para ser pequeno, para isso ficava com a M200 + 22mm. É como dizer que tenho orçamento para FF, também não significa que vá a correr estoirar 5000€ em material só porque posso. :)
    Isto tornou-se um pouco uma recomendação de equipamento :D Provavelmente a culpa foi minha... Eu já tive DSLRs e já usei profissionalmente praticamente todas as Canons e Nikons da 50D e D200 à 1D e D3 (na altura). Não está em causa se vai ser DSLR ou Mirrorless, é mirrorless.

    Vou fotografar retratos, paisagens e still life ou objectos em estúdio/ambiente controlado. Preocupa-me mais a precisão do foco do que a rapidez.
    Inicialmente perguntei pela A7R II porque tem imensa resolução, mas pouco serve se falhar o foco e já li que não é propriamente a máquina mais certeira do mercado. Também já li que é difícil viver com RAWs gigantes e que os alegados 15 stops de DR só é verdade no ISO mais baixos.
    Por outro lado a RP pelo que me disseram é muito mais funcional, com os anéis nas lentes e menus mais fáceis de usar que a Sony, mas que é limitada por exemplo nas cores e gama dinâmica comparado a uma A7 devido a um sensor/processador datados (vindos da 5D).
    O @Shadow_ de certa forma já espelhou a sua opinão, ao ter passado da A7R para a Fuji. Ou seja, na óptica dele, a enventual qualidade não compensa o tamanho e/ou a Fuji mesmo sendo APS-C acompanha bem os objectivos dele. :)
     
    Última edição: 24 de Fevereiro de 2021 às 10:53
  15. miguelbarroso

    miguelbarroso Power Member

    Se não queres gastar muito dinheiro, considera a A7 III + Samyang 45/1.8 + Sony 85/1.8 - já tive a 85, e é espetacular. Tenho a 45/1.8 e gosto muito da lente. É um conjunto leve e não muito caro.

    O AF da A7 III é fantástico, ainda se bate com o AF das máquinas mais recentes da concorrência.

    Como já te disse, no meu caso mudar para Fuji não significava gastar muito menos, nem ter um setup muito mais pequeno. Your Mileage May Vary
     
  16. matavelhos

    matavelhos Power Member

    Já que se está aqui a falar de lentes e material… Qual seria o passo seguinte em termos de qualidade de vidro, de uma 55-250 STM?

    Esta é uma das lentes que mais uso, é pequena, leve, tem uma capacidade de zoom muito boa e adoro a lente. Mas já ando há algum tempo a pensar se faria sentido investir numa lente melhor. Mas efetivamente é complexo, porque pelo pouco que vi, lentes melhores serão sempre gigantes e pesadas.

    Por exemplo, experimentei a 70-200 2.8 IS, e apesar de ter uma qualidade extraordinária, é uma lente gigante e pesada que me dificultou imenso a gestão/troca de lentes (o facto da lente não ser minha também me fez ter mais cuidados), mas além disso, senti falta daqueles 15mm no lado mais wide e dos 50mm no lado mais apertado. Isto numa ASP-C. Para não falar no preço do bixo claro…
     
  17. xukuru

    xukuru Power Member

    Tens sempre a 70-200 F4 IS L (a primeira). Ou a 70-300 L.
     
  18. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Yap. @matavelhos lembro-me de usar a 70-200 F4 L não IS e IS, ambas muito boas do ponto de vista de qualidade e portabilidade. As novas não sei, mas lembro-me que as primeiras 2.8 eram grandes trabolhos por comparação.

    Eu ontem estive a ver, porque realmente o feedback que tenho da Sony é geralmente bom, tirando uns pormenores, enquanto o da Canon é muito morno, especialmente a dizerem que é como usar uma 5D de 2016... Estava a ver e tipo uma A7c com as sony 1.8 50 e 85, não é assim tão astronómico em preço ou tamanho.
     
  19. TheMadyor

    TheMadyor Power Member

    E' uma questao que me ponho ha algum tempo. A lente é espectacular, bom range, bom preço, muito sharp, leve e compacta. Peca pela abertura.

    A pergunta que continuo a fazer é: o que sentes falta?
    1. abertura -> 70-200 4 / 2.8
    2. distancia focal -> 70-200 + extensor, 70-300, 100-400

    E à conta disso continuo com a 55-250 :)
     
  20. m4ndr4ke

    m4ndr4ke Power Member

    Acho que o único patamar intermédio entre a 55-250 e uma 70-200 f/2.8 é mesmo uma 70-200mm f/4, seja com ou sem IS. Na altura tive muitas dúvidas se valeria a pena o upgrade. Não achei a diferença de f/5.6 para f/4 muito significativa no lado longo, e a 55-250 já é uma objectiva com bastante qualidade, o que aumentava a minha exigência.

    A Sigma 50-100 f/1.8 Art também já entra nas dimensões duma 70-200 f/2.8 pelo que, num cenário em que peso e tamanho sejam relevantes, não seria a minha escolha.

    Para alcance, há a Sigma 100-400mm. Cheguei a estar muito tentado a comprá-la, quando estava em APS-C. Mas essa também tem peso e tamanho a considerar.