Discussão Conversa da Treta: Fotografia & Video

Hmmmm tema complexo, na minha opinião.

Para além de ver o aspecto estético por fora (elemento frontal, traseiro, pintura)...

Pego no telemóvel, ligo o flash e vejo a objetiva pela frente, com especial atenção às bordas interiores, para ver se há lá alguma sujidade (ou algo pior). Mexo no zoom e no anel de foco enquanto faço isso.
De seguida, ilumino pela frente outra vez, mas levanto a objectiva e olho pelo elemento traseiro. Isso permite ver facilmente quanto pó existe no interior.

Rodo os anéis até às pontas, tentando perceber se estão arenosos ou suaves (mas há objectivas que têm anéis arenosos por natureza).

Às vezes abano-as um pouco, mas isto não é lá muito científico. Se tiver IS, é suposto haver elementos soltos, pois está desligada.

Costumo ter comigo álcool isopropílico. Pulverizo um lenço de papel e limpo os contactos. De seguida, encaixo a objectiva na câmara.

Foco a várias distâncias, mesmo sem fotografar, só para ver o motor a trabalhar. Às vezes encosto o ouvido, tanto para o motor como para estabilização.
Fecho o diafagma todo, pressiono o botão de pré-visualização de profundidade de campo, e rodo o zoom enquanto continuo a pressionar o botão.

Só depois disso é que fotografo, e vejo coisas como nitidez e assim. Tipicamente já vou informado sobre que performance óptica esperar da objectiva, o que facilita a avaliação.

Na verdade não comprei muitas usadas em mãos, a particulares; a maior parte foi em lojas físicas ou online.
 
Hmmmm tema complexo, na minha opinião.

Para além de ver o aspecto estético por fora (elemento frontal, traseiro, pintura)...

Pego no telemóvel, ligo o flash e vejo a objetiva pela frente, com especial atenção às bordas interiores, para ver se há lá alguma sujidade (ou algo pior). Mexo no zoom e no anel de foco enquanto faço isso.
De seguida, ilumino pela frente outra vez, mas levanto a objectiva e olho pelo elemento traseiro. Isso permite ver facilmente quanto pó existe no interior.

Rodo os anéis até às pontas, tentando perceber se estão arenosos ou suaves (mas há objectivas que têm anéis arenosos por natureza).

Às vezes abano-as um pouco, mas isto não é lá muito científico. Se tiver IS, é suposto haver elementos soltos, pois está desligada.

Costumo ter comigo álcool isopropílico. Pulverizo um lenço de papel e limpo os contactos. De seguida, encaixo a objectiva na câmara.

Foco a várias distâncias, mesmo sem fotografar, só para ver o motor a trabalhar. Às vezes encosto o ouvido, tanto para o motor como para estabilização.
Fecho o diafagma todo, pressiono o botão de pré-visualização de profundidade de campo, e rodo o zoom enquanto continuo a pressionar o botão.

Só depois disso é que fotografo, e vejo coisas como nitidez e assim. Tipicamente já vou informado sobre que performance óptica esperar da objectiva, o que facilita a avaliação.

Na verdade não comprei muitas usadas em mãos, a particulares; a maior parte foi em lojas físicas ou online.

Obrigado pelo feedback. Estava a tentar perceber se me faltava algum ponto claro.

Costumo:
- Ver se tem riscos no vidro e marcas no exterior.
- Apontar a lanterno do tlm à procura de pontos e teias no interior
- Verificar se existe corrosão nos pontos de contacto
- Confirmar que o encaixe faz click e se não existe movimento da lente
- Colocar a máquina em M e rodar o ring de foco de um extremo ao outro
- Usar AF-S e focar em coisas distantes e perto, verificar as fotos
- Colocar em F16 por ex., SS entre 2 a 4 seg olhar para a lente e ver se o fecho é consistente
- Se a lente for WR verifcar a borracha junto ao mount

Podes explicar melhor este ponto? "Fecho o diafagma todo, pressiono o botão de pré-visualização de profundidade de campo, e rodo o zoom enquanto continuo a pressionar o botão."
 
Última edição:
Sim, verificar a folga no mount, esqueci-me de falar nessa, ao encaixar.


Podes explicar melhor este ponto? "Fecho o diafagma todo, pressiono o botão de pré-visualização de profundidade de campo, e rodo o zoom enquanto continuo a pressionar o botão."
Isto é sobretudo aplicável às zooms de abertura constante, julgo eu.
Lembrando que a abertura de diafragma é, na verdade, abertura relativa, as zooms de abertura constante têm que compensar o diâmetro do diafragma, quando aumenta ou diminui a distância focal. Nesse sentido, ao pressionar o botão enquanto ajusto zoom, provoco o movimento de ajuste no diafragma. Já tivemos por aqui tópicos a falar de objectivas que davam erro ao fazer isso.
Enquanto o faço, também viro a câmara para mim e vejo como estão as lâminas, claro.
 
Última edição:
Back
Topo