1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Informação: Pela 0:30 desta Sexta-feira (9 de Dezembro, 23:30 de Quinta-feira nos Açores) o Fórum e restantes sites da ZWAME vão estar offline para manutenção durante cerca de 1h30.
    Se necessário faremos actualizações via Twitter e Facebook.
    Remover anúncio

Desktop/Window manager

Discussão em 'Novidades GNU/Linux & *nix World' iniciada por grafo, 8 de Maio de 2007. (Respostas: 76; Visualizações: 4676)

?

Que Desktop Manager (ou, no caso de não ser um DM, Window Manager) usas?

  1. Gnome

    79,5%
  2. KDE

    13,1%
  3. XFCE

    9,0%
  4. Fluxbox

    8,2%
  5. Outro

    4,9%
Escolha múltipla é permitida.
  1. grafo

    grafo Folding Member

    Olá pessoal. Nunca vi neste fórum um post acerca dos desktop managers usados... nao quero com isto provocar uma guerra mas sim que as pessoas expliquem porque usam gnome/kde. pelo que vi neste fórum acho que mta gente usa gnome. quem tiver coisas interessantes para dizer (e não "eu uso gnome") que responda também em baixo, nas mensagens, explicando o porquê da sua escolha. já agora, agradecia que não repetissem coisas que já foram ditas.
     
  2. ruimoura

    ruimoura Power Member

    Uso Gnome, porque sempre usei, e porque já tentei usar KDE e Fluxbox e não atino, principalmente com KDE.

    Gosto da simplicidade, de tudo funcionar de um modo simples, fácil de entender, sem mil e uma hipóteses de configuração a atrapalhar a vista, ícones a saltar por todos os lados e coisas afins, que são característica do KDE.

    Uso, porque basicamente é o que se adpata melhor ao que eu quero. O KDE reconheço que é muito bom e tal, nada contra, mas é tão cheio de porcaria e tão feio que não há pachorra, e até porque uso algumas aplicações KDE no Gnome, como o Quanta.

    Ah, e já agora, a única distro que eu conheço que integra mais ou menos bem o KDE é o Opensuse ... O resto é para esquecer ...
     
  3. APLinhares

    APLinhares OpenSource Moderator
    Staff Member

    O ruimoura ja salientou os vários pontos :) (já sabes 1 das razoes pk uso kde :p)
    Gnome é criado para a simplicidade, kde para versatilidade, quantidade de personalização.

    Por isto, eu uso KDE, pois tenho tudo á mão, n ferramentas. Nunca gostei da simplicidade extrema do gnome. Ultimamente num outro pc tb instalei xfce pois precisava de simplicidade e tb baixo consumo de recursos (bem menor que gnome) e quem o usa gosta, apesar de para mim ser algo limitado (lá está a questão da personalizaçao).
     
  4. andré ferrari

    andré ferrari Colaborador
    Staff Member

    Bem, é de facto uma boa questão. O meu primeiro contacto com Linux foi Ubuntu, e pensei Gnome é Linux, confusões do costume. Mas depois rapidamente percebi o que significavam os "desktop managers" ou gestor de janelas numa tradução menos fiável mas igualmente perceptível.

    Fui testando outras distribuições linux, como fedora, opensuse, kubuntu, etc. No OpenSuse gostei no geral de usar KDE e concordo plenamente com o que foi referido aqui, combina com opensuse ;) Mas por exemplo em kubuntu não achei o mesmo, preciosismos...

    Já sei que é bastante personalizável etc e tal, mas default achei-o muito "windows alike", o que não abona a seu favor, não porque desgoste do windows, não tenho nada contra e até uso, mas porque o windows está com um ar cansado, e gosto/ preciso de algo inovador. Tem óptimas aplicações como k3b que uso frequentemente, e outras tantas que tais, mas por exemplo já não gostei tanto do gestor de ficheiros (windows explorer). Não explorei a fundo o seu potencial, mas neste momento Gnome diz mais comigo. Mais uma grande vantagem do mundo *unix, liberdade para escolhermos aquilo que queremos ;)

    Os pontos fortes do Gnome talvez seja mesmo a sua simplicidada "yet" com grande poder de personalização e também um pouco porque já estou habituado a certos comandos como gedit etc.

    Mas é facto uma boa questão, ia gostar de ler mais comentários!
     
  5. kanguru

    kanguru [email protected] Member

    Actualmente uso o gnome, pq trás logo algumas ferramentas uteis e até é um ambiente "limpo".

    No entanto gostei muito de usar o fluxbox. Muito rapido, leve, bonito, e parece que aumenta o tamanho do desktop, como não gasta muito espaço com bordas e barras etc, dá para ter varias janelas lado a lado, enfim tudo acessivel num mesmo ecrã. Muito util para quem programa, consegue ter por exemplo manter varios troços de código acessiveis ao mesmo tempo.
     
  6. grafo

    grafo Folding Member

    |ferrari| atenção, acho que estás a confundir Desktop Manager com Window Manager. Window manager é que é o gestor de janelas - por exemplo, o metacity no gnome, fluxbox, etc - Desktop manager é algo mais amplo, como Gnome/KDE/XFCE (neste caso só há estes 3 :P). depois também há os window decorators, mas não são para cá chamados :p

    Aqui vai a minha justificação: eu uso gnome porque parece-me mais leve, porque pareceme que há mais liberdade de escolha no gnome, e porque não gostei de usar KDE no kubuntu :) no entanto, já disseram uma coisa engraçada, que a implementação do KDE no kubuntu não é lá muito jeitosa... também já li que o KDE4 vai ser algo mais leve (corrijam-me se for uma fonte errada :P), pelo que sou acho que tenho de voltar a experimentar o KDE quando a v4 sair... no entanto, também ficam uns pontos a favor do KDE: apesar de por vezes não haver tanta liberdade de escolha, muitas das aplicações para KDE são melhores que as equivalentes para gnome.
    Quanto a outros window managers, como fluxbox, apesar de só ter usado uns escassos dias, acho que são uma óptima iniciativa para tornar computadores velhos usáveis.

    Aqui está a minha opinião sobre o assunto: não tem lógica nenhuma o Gnome e o KDE coexistirem... Não digo que a liberdade de escolha seja uma coisa má, mas não é nada difícil ter, no mesmo projecto, uma face mais leve e outra mais pesada... mas é a minha opinião e já sei que ninguém vai concordar com ela... :P já outros window managers teriam toda a lógica - uma vez que os PCs velhinhos ainda não morreram :)
     
  7. ruimoura

    ruimoura Power Member

    Não querendo entrar offtopic, o dia em que o Gnome e o KDE se unissem ficaria para a história, e não haveria nada à altura, nem no macos, nem o windows ... Mas hey, isso é tipo ... impossível? São dois polos opostos, ideias opostas, literalmente ... Era giro, no entanto ...

    Era também engraçado se quem responde-se "outros" mete-se aqui qual é o seu ...

    Quanto ao Kubuntu, pelo menos na versão 6.10, foi a pior integração do kde numa distro de que há história ... Mesmo muito mau ...
     
  8. andré ferrari

    andré ferrari Colaborador
    Staff Member

    Tens toda a razão; mas se repares escrevi "desktop managers", ao traduzir é que pensei em "windows managers", my bad, falta de atenção ;)
     
  9. kanguru

    kanguru [email protected] Member

    duvido que se juntem. Usam bibliotecas diferentes (gtk/qt), filosofias diferentes... acho que perdiamos bastante ao limitar a escolha. Por essa prespectiva tb não precisavamos de fluxbox, enlightenment (acho que se escreve assim), nem outros, bastava mudar os temas do gnome/kde... e quando reparávamos... hey! temos um windows like!

    A vantagem do linux é mesmo essa, escolha, varieadade para poder agradar a muito mais gente que uma só opção, por muito boa que essa opção seja.
     
    Última edição: 8 de Maio de 2007
  10. grafo

    grafo Folding Member

    enlightenment :) light -> to enlighten -> enlightenment hehe
    pa, um dos pontos principais é o do gtk/qt, ou seja, não seria preciso instalar 100 megas de dependencias para instalar um programa para o outro desktop environment...
    pa, uma coisa é liberdade de escolha, outra coisa é unir dois projectos para, como disse o ruimoura, acabar com todos os concorrentes não-linux... teria, no entanto, toda a logica a existencia de projectos como fluxbox, para pcs com mais de 10 anos :P
    por exemplo, há alternativas ao Xorg? alguem não está satisfeito com o X? ;)
     
  11. kanguru

    kanguru [email protected] Member

    http://www.xfree86.org/releases/rel460.html -> tens o xfree86. O X dividiu-se em dois projectos, não sei quais as principais diferenças, mas sei que há dois projectos ao mesmo tempo para a "mesma" coisa.

    Até podes ter razão na parte de juntar gtk/qt de forma a ter menos defendencias, mas dps ficavas com um mega pacote, mais pesado e que alguns até nem estavam interessados a ter suporte para qt ou vice versa.

    Eu usava fluxbox num athlon64 X2, não tem propriamente 10 anos, e estava muito satisfeito :P Quando uma pessoa não precisa dos extras que o gnome/kde trazem, pode usar simplesmente fluxbox, que é mais bonito que o metacity.

    PS. Obrigado pela correcção :)
     
  12. esquiso

    esquiso Power Member

    Gnome, sem duvidas.

    Como disse outro dia, sou Gnome addicted, já sei onde esta tudooo, acho-o simples, sem perder funcionalidades, robusto e elegante. Simplesmente perfeito.

    KDE já usei, mas não gostei. Demasiado confuso, a meu ver. Demasiado Windows-Like (isto é para chatear quem gosta de KDE :D)

    XFCE é engraçado. Leve. Bonito. O Thunar até é bom. Mas peca por ser demasiado simples.

    Não me estou a ver a usar outra coisa que não Gnome nos proximos tempos. Alias, até tenho máquina para isso. :D
     
  13. Nomearod

    Nomearod Power Member

    Uso o Gnome pois estou no Ubuntu.

    Durante algum tempo usei KDE e gosto bastante contudo a única distro que realmente tinha um visual KDE que eu adorei foi o Sabayon. Todas as outras me decepcionaram. Tinha sempre aquele aspecto "frágil" lol

    No entanto estou com grande espectativa em relação ao KDE 4. As novidades são muitas e parece estar num caminho excelente para me fazer por de lado o Gnome.

    De qualquer maneira, até que KDE 4 saia, eu continuarei a usar Gnome.
     
  14. madskaddie

    madskaddie Power Member


    xfree e xgl, fora os ambientes proprietários para UNIX.

    Em relação ao GNOME/KDE... deixem lá a liberdade de escolha existir! Não caiam numa lógica de "unir para vencer" porque não vejo onde se possa aplicar:
    • dev's do kde gostam da qt (tem uma empresa, trolltech, por trás)
    • dev's do gnome gostam da gtk ("made in" comunidade, acho)
    As coisas sempre foram diferentes e trazem uma grande coisa ao ser diferente: Se um tiver uma falha grave, os utilizadores do outro não serão afectados! Qualquer dia queremos acabar com as distros...não???


    Já agora, eu uso KDE (e fluxbox para variar a coisa) porque estou a preparar caminho para o kde4 (isso sim vai ser revolução/inovação!). Pena o enlightenment 17 estar tão "eternamente" atrasado (outra inovação que promete). Já usei gnome, quando era bem mais rápido que o KDE, assim como quando as aplicações kde mandavam para a consola 100000 linhas de informação que a mim não me dizia nada. Agora as apps do KDE estão melhor comportadas quando lançadas do terminal.

    As configurações do gnome segundo o que me parece estão num "registry"(aka gconf), e eu não gosto de registry's (só de me lembrar do win...)*. O painel de impressão do GNOME é simplesmente MUITO mau (esta já deu para o sr Linus ofender os GNOMErs)... tenho de andar a configurar tudo para usar o GTKlp. Depois das críticas todas... eu também gosto do GNOME




    * Eu também não gosto do YAST do SUSE pela mesma razão! Long live to /etc. Quem aprende a configurar um programa via ficheiros de texto, aprende para quase tudo e as instruções de configuração nas sources que estão nas homepages dos projectos deixam de ser tão "misteriosas"... ok isto vai dar flame war: "UNIX tradition vs usability"
     
  15. ruimoura

    ruimoura Power Member

    Mas as configurações do gnome, no gconf, só podem ser vistas como uma coisa boa .. a sério, dizer mal só por dizer? É mau ter as configurações todas num mesmo sítio, através de um interface gráfico? wtf?

    Quanto ao "UNIX tradition vs usability" nem comento ... Há quem goste das coisas à mão, há quem goste tudo gráfico, e o bom do Linux é isso mesmo, poder de escolha ... Eu, por exemplo, sou um novo utilizador de Archlinux, onde tens que andara a meter as configurações de sistema à unha, mas não é assim nada do outro mundo ...
     
  16. CR_

    CR_ Power Member

    Uso dois: GNOME e XFCE.

    GNOME pelas razões que quase toda a gente já disse simplicidade, funcionalidade e o metacity é muito mais avançado que o thunar que para muitas situações dá mais geito (e como tenho 512 Mb de mem...)

    Xfce pelas razões acima descritas para o GNOME, mas acrescentando o facto de ser bastante mais leve.
     
  17. LnxSlck

    LnxSlck Power Member

    Fluxbox, porque é simples e rápido.. Não gosto de "mariquices"
     
  18. madskaddie

    madskaddie Power Member




    gconf-> não gosto de "registry". Um registry para mim é muito mais confuso que os habituais ficheiros de configuração... só isso

    "UNIX tradition vs usability-> a cena da tradição UNIX, não implica que as coisas não sejam gráficas mas sim que se dê uso ao /etc para o que a directoria foi sempre usada: configurações! O exemplo do YAST: eles usam a /etc/sysconfig para (quase) tudo. O YAST lê ficheiros de configuração dessa directoria para configurar o sistema. O problema é que nem todas as opções dos programas estão patentes nos ficheiros de configuração do YAST... Configurar no Debian trás muitas mais possibilidades porque não usa (ainda, porque já se ouviu falar no YAST para o Debian... até tremo) uns ficheiros criados por eles mas sim os ficheiros de configuração que os developers da aplicação criaram...

    PROS do YAST: permite fazer um painel de controlo que controla o sistema. Para uma pessoa que não curta informática muito bom.

    CONTRA do YAST: não permite usar todas as funcionalidades de uma determinada aplicação. Para quem curte de informática, perde uma boa oportunidade para aprender muitas coisas.
     
  19. El_UnO

    El_UnO 1st Folding then Sex

    Same here e pelas mesmas razões :)
     
  20. LnxSlck

    LnxSlck Power Member

    :lol:
     

Partilhar esta Página