1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. COVID-19 Mantenham-se seguros: Pratiquem distanciamento físico de 2 metros. Lavem as mãos. Usem máscara.
    Informação sobre COVID-19. Ajuda a combater o COVID-19 com o [email protected] e com o [email protected].
    Remover anúncio

Análise DFI MI P55 T36 mini-ATX

Discussão em 'Hardware - Análises, Artigos e Guias' iniciada por JPgod, 1 de Janeiro de 2010. (Respostas: 27; Visualizações: 7401)

  1. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    Autores: João Godinho (JPgod)
    Produto: DFI MI P55-T36 mITX
    Data : 01-01-2010



    ZWAME Análise

    [​IMG]

    Descrição

    A DFI desde a alguns anos que tem inovado no mercado de motherboards, especialmente a série Lanparty, desde as famosas Lanparty
    NF2 e Lanparty NF4 que tiveram um grande sucesso.
    Agora, com a novíssima plataforma Intel LGA 1156, a DFI volta a inovar e lança a primeira motherboard em formato mini-ITX com este socket e utilizando o chipset P55. Esta plataforma, por apenas utilizar um chipset single chip (que essencialmente é uma southbridge) de baixo TDP, permitiu a DFI lançar esta board. Entretanto, dado que o P55 não apresenta o Flexible Display Interfcace, não há suporte para o GPU integrado nos processadores equipados com tal, portanto os gráficos são providenciados pelo único slot possível numa motherboard mini-ITX, neste caso PCI-e 16x.

    Mas apesar do seu tamanho pequeno, será que se encara boards full-ATX? é o que veremos com esta análise!

    Especificações

    Links

    thread do hardware novidades
    Site Oficial

    Fotografias

    as fotografias estão em thumbnail, cliquem para tamanho grande (1280).

    [​IMG][​IMG]


    [​IMG][​IMG]


    [​IMG][​IMG]


    [​IMG][​IMG]


    [​IMG][​IMG]


    [​IMG][​IMG]


    [​IMG][​IMG]


    [​IMG][​IMG]

    [​IMG][​IMG]

     
    Última edição: 15 de Janeiro de 2010
  2. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    BIOS

    Fotos da BIOS desta board:

    [​IMG][​IMG]

    [​IMG][​IMG]

    [​IMG][​IMG]

    [​IMG][​IMG]

    [​IMG][​IMG]
    Software

    Descrição do software que acompanha a motherboard

    ABS (Auto Boost System)

    Este software faz a gestão dos profiles de CMOS armazenados na BIOS. O menu inicial:

    [​IMG]

    Ao seleccionar a opção Win Reloaded, aparece duas opções, Backup e Reload. A opção "Auto Upgrade" é semelhante, mas com menos opções.
    Abaixo o menu de backup.

    [​IMG]

    Temos os 4 profiles armazenados na BIOS, sendo que o 1 e 2 estão por defeito. No caso o 1º profile faz overclock do CPU para 180 mhz BCLK se for um Core i5 e o 2º profile para 160 mhz BCLK se for um Core i7), fazendo overvolt de 0,12 volts. Os outros 2 profiles estão livres para guardar os nossos settings, mas nada impede de descartar os dois profiles originais.
    O que esta opção permite é trocar os profiles dos slots e permite fazer backup no disco rígido, podendo por exemplo servir para restauro futuro ou enviar para conhecidos.

    Abaixo o menu "Reload"
    [​IMG]

    Esta opção serve para fazer o restauro de um perfil anteriormente guardado.
    Ez-Tuner

    O Ez-Tuner é um software de monitorização e overclock.

    [​IMG]

    Menu inicial, onde temos a monitorização da voltagem do CPU e de entrada, bem como amperagem e a energia que o CPU/PWM estão a consumir. Alem disso indica a temperatura do circuito de alimentação.
    Também indica a potência a ser utilizada por cada uma das fases, sendo que algumas fases podem ser desligadas. Na imagem acima temos então o CPU em idle, mas os valores indicados parecem-me irreais, já que 2,5w de consumo pro CPU é demasiado baixo).

    [​IMG]

    Depois temos o Clock Generator, onde permite subir o BCLK e PCI-e clock "on the fly", sendo que nesta board apenas dá para subir o BCLK. Na imagem temos então o CPU a defaut (133 mhz) e podemos ver pelo gadjet da Intel sobre o estado do TurboBoost em cima, com o CPU a trabalhar a 2,79 Ghz, visto que estava em full load nos 4 cores e o turbo subiu o multiplicador para 21x)

    [​IMG]

    Nesta imagem, temos então o BCLK a 140 mhz, fazendo o CPU a operar a 2,94 Ghz. Foi só definir o BCLK para 140 mhz, clicar no "SetClockGen" e ver o valor da frequência a subir de 2,79 para 2.94.

    [​IMG]

    Agora a explorar opções avançadas e os perfis armazenados. Temos 4 perfils, o Defaut e mais 3 de overclock. Na imagem acima, com o perfil defaut seleccionado, mas que aplica 1.275 de vcore.

    [​IMG]

    Aqui com voltagem a 1.29375 (1.27 reais) e a operar a 2.85 ghz.

    [​IMG]

    Este a 1.3125 (1.28 reais) e 2.92 ghz.

    [​IMG]

    Por fim, a 1.33125 (1.29 reais) e 2.98 ghz. Notar que já estão as 6 fases do circuito de alimentação a trabalhar, com 120w a serem puxados da fonte e 95w a serem servidos ao CPU. Não sabemos se corresponde à realidade ou não, já que 25w de energia dissipado parece-me exagerado, resultando uma eficiência de apenas 79,3%, quando por norma a eficiência do circuito de alimentação de cpus das boards actuais anda nos 90 a 95%

    Claro que este vcore é exagerado, eu num teste rápido na anterior Gigabyte puz o CPU a 3000 (3150 devido o turbo) a 1.175 logo a 1ª tentativa.

    Parece-me uma boa ferramenta para testarem o overclock sem ter que fazer tantos restarts e ir à BIOS, mas recomendo cautela no seu uso, testando bem as opções e fechando os programas todos antes de testarem, porque naturalmente o sistema poderá vir-se abaixo durante os testes. E recomendo sempre ajustarem o overclock que pretendem para uso diário na BIOS.

    Smart Guardian


    [​IMG]

    Esse é já o bastante conhecido software de monitorização das DFI, que sempre primou pela sua simplicidade.
    Temos então leitura de temperaturas do CPU e PWM (aqui a temperatura lida difere da leitura do EZ-tuner. Não sabemos se é algum erro de leitura por parte dos programas ou estão a ler de sensores diferentes), bem como rotação das ventoinhas e voltagens. É pena não possuir a leitura de temperatura do chipset P55 (cujo valor ficaria no espaço vazio entre o CPU e CPU_PWM). Como a board apenas possuir 2 headers para ventoinhas, não aparece o 3º valor.

    Ez-Flash


    [​IMG]

    Por fim, o Ez-Flash, que serve para fazer update da BIOS, bem como grava-la no disco para backup.
     
  3. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    1ª Parte

    Nesta primeira parte, vamos testar o processador em defaut e overclock e comparar com a motherboard Gigabyte-P55 UD5

    Test Bed - AMD 965 BE

    CPU-Z

    [​IMG]

    [​IMG][​IMG]

    Em cima temos o CPU-Z do sistema, que em idle a frequencia cai para 1200 mhz. As memórias estão a 1333 mhz 7-7-7-16-1T e NB a 2133 mhz.

    Embaixo temos o CPU em load nos 4 cores, com o TurboBoost activado para 2800 mhz e na imagem do lado, em single thread, a operar a 3200 mhz. Relembrar que a frequência defaut é 2666 mhz.

    Não tenho o CPU-Z em Overclock, fica abaixo as frequências e voltagens:

    Testes

    [​IMG]

    Neste benchmark de teste do software de rendering "cinema 4D", a Gigabyte fica um pouco à frente da DFI. Notar que o resultado single thread é cerca de 1/3 do multi thread, devido ao turbo boost. Em overclock o resultado sobe bastante.

    [​IMG]

    Estes testes já incidem na gráfica, onde a Gigabyte se portou melhor novamente. Com overclock a situação inverte-se.

    [​IMG]
    [​IMG]

    Edição mais recente do benchmark do Cinema 4D, desta vez em 64 bits,
    onde novamente a gigabyte a ganhar, embora por uma margem muito pequena. Muito bons resultados em overclock

    [​IMG]

    No benchmark interno deste software de compressão, tivemos empate técnico. Em overclock o resultado dispara.

    [​IMG]

    Tal com o winrar, o 7-zip também é um software de compressão, com um benchmark mais completo. Empate técnico outra vez. Em overclock, outro bom resultado.

    [​IMG]

    No que toca a descompressão, a Gigabyte já se destaca, especialmente com 4 threads. Em overclock portou-se muito bem em SMT (é 146570 kb/s, ficou cortado o ultimo algarismo)

    [​IMG]

    No wprime, que calcula dos quadrado dos primeiros 32 milhões de inteiros, a DFI levou a melhor desta vez. A marca de 10 segundos cai com o overclock.

    [​IMG]

    O crystalmark corre uma série de benchmarks de CPU, memória, disco e openGL (no caso a testar a performance da gráfica). No teste de HDD, a DFI foi um pouco superior, mas nos outros, a Gigabyte ganha, mas por pouco.
    Mais um excelente resultado com o overclock.

    [​IMG]

    Estes testes incidem sobre a gráfica. A gigabyte ganha no geral. A performance com overclock só melhorou no GDI.

    [​IMG]

    Neste benchmark, a Gigabyte obteve novamente a melhor sobre a DFI. Bom resultado em single thread com overclock.

    [​IMG]

    Teste de encoding de vídeo 720p com o coded X.264, empate técnico entre as duas boards. Em overclock quase chega à marca de 100 FPS no PASS 1.

    [​IMG][​IMG]

    Nesta suite de benchmarks de conceituados programas de design gráfico e 3D, em modo 64 bits e a 1280x1024, a Gigabyte foi melhor no global, especialmente no Maya.
    Em overclock no geral foi mais rápido, mas menos expressivo que outros benchmarks anteriores.

     
    Última edição: 13 de Janeiro de 2010
  4. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    2ª Parte

    Continuação dos testes.

    Jogos

    Testes com 2 jogos pesados: Farcry 2 e Crysis Warhead.

    [​IMG]

    A 1440x900, a Gigabyte levou a melhor, mas por pouco. Em overclock não melhorou grande coisa.

    [​IMG]

    Já a 1920x1080, resultados semelhantes em média e máximo, mas no mínimo a DFI levou a melhor, mas a taxa mínima costuma ser muito variável. Mesma performance em overclock,

    [​IMG]

    A 1440x900, a DFI levou a melhor, se considerar pela média. O overclock apenas aumentou a mínima e máxima.

    [​IMG]

    Empate técnico a 1920x1080, sendo que no máximo a Gigabyte ganha (mais uma vez, desprezável devido a enorme variação que pode ter), performance em overclock igual.

    PcMark e 3Dmark Vantage

    As duas suítes de testes da futuremark
    [​IMG]

    Nestes 2 perfils, a gigabyte ganha à DFI. Em overclock, melhou bem em TV/movies, mas abaixou em Memories, o que é curioso.

    [​IMG]

    No perfil "gamming", a gigabyte "trucida" a DFI, o que é estranho. Em "music", a vitória é menor. Em overclock os resultados sofrem um bom aumento.

    [​IMG]

    Mais uma vez, a Gigabyte a ganhar, especialmente em "prod". Em Comm com overclock a performance melhora e ultrapassa a gigabyte, mas em Prod abaixa.

    [​IMG]

    Não foi possível correr o 3Dmark Vantage na Gigabyte, por isso só temos o resultado da DFI. Em overclock o resultado de CPU sofre uma melhoria bem considerável, mas no GPU ficou igual.

     
    Última edição: 12 de Janeiro de 2010
  5. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    Everest Cache e Memory Benchmark

    Tabela - DFI
    [​IMG]

    Tabela - DFI OVERCLOCK
    [​IMG]

    Tabela - GIGABYTE
    [​IMG]

    Resumo dos dados acima em gráficos:
    [​IMG][​IMG]
    [​IMG][​IMG]
    [​IMG][​IMG]

    Resultados muito semelhantes entre as duas boards. A destacar que a DFI obteve maior largura de banda nas memórias, embora pior latência.

    Em overclock melhora em todos os níveis e com as memórias a aproximar-se dos 20 Gb/s, o que é excelente.

    Consumos

    Testes de consumo, utilizando um medidor de consumos instalado entre a fonte e a tomada, medindo assim o consumo total do sistema. O método está descrito abaixo.

    A grafica esteve em idle durante todos os testes e a troca por uma HD 3650 não alterou em nada, já que esta geração da ATI é muito eficiente neste campo.

    Os testes de Wprime 1024 e linx 5, por serem longos simula uma carga pesada e contínua, já que se verificou uma situação estranha, descrito abaixo:

    [​IMG]

    Reparar que o consumo com o Wprime 32 MB e Wprime 1024 MB, ambos com 4 threads difere largamente na DFI, especialmente em overclock, que passa de 155w para 193w!

    A explicação que encontro é simples. Com o tempo de load, o circuito de alimentação do processador começa a aquecer, aquecer e vai perdendo eficiência, especialmente por não ter dissipadores de calor.

    A situação piora com o Linx, onde em defaut o consumo foi quase 50w superior que na Gigabyte em defaut!

    Já no wprime, o consumo foi igual e em idle gasta um pouco menos (provavelmente por ter bem menos componentes integrados). Aqui a destacar foi em overclock apenas consumir mais 2w, graças à excelente gestão de consumo do CPU.

    Infelizmente deste gráfico a tirar, que não é uma board para se aventurar em overclocks elevados e com voltagens elevadas. Recomendo apenas ficarem pelo vcore defaut ou no máximo 0,05 acima de origem ou então ter um cooler que mande muito ar para a placa mãe, coisa que o stock cooler pouco faz.
     
    Última edição: 13 de Janeiro de 2010
  6. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    Conclusões

    Destaco pela Positiva:


    Destaco pela Negativa:
    Conclusão

    A DFI mais uma vez mostrou que sabe fazer excelentes boards. Oferece assim uma board baseada em P55 e que em nada fica a dever as irmãs maiores em performance e qualidade. É suficientemente completa no que toca a sistemas mini-ITX (3 portas SATA permite usar uma drive óptica e 2 discos, que acaba por ser o limite da maioria das caixas mini-ITX), oferece ainda uma powered eSATA, que alem de ganhar espaço no back IO por combinar uma USB, este padrão permitirá o uso de discos rígidos 2,5" e pens drivers eSATA auto alimentados, com uma performance excelente.

    No que toca ao overclock, posso dizer que considero muito satisfatório considerando os limites que o formato pequeno impõe. Dá para usar perfeitamente um Core i5 750 entre 150 e 166 BCLK com as voltagens praticamente todas de origem, sem aquecimento adicional, até porque esta board é para ser usada em caixas de pequena dimensão.

    Entretanto, a limitação do circuito acabou por penalizar no consumo, na qual esta board gasta mais em load que a gigabyte aqui comparada. Em uso com carga baixa ou idle, será tão ou mais poupada. Com um bom arrefecimento do circuito de alimentação, creio que minora este problema.

    Por fim, se querem fazer um sistema core i5/i7 a sério, não é a board a escolher, mas se querem montar um HTPC/gamming/workstation de dimensões compactas e com alguma potência, esta board é altamente recomendada.

    Como sugestão de caixa, a Silverstone oferece uma linha de caixas mini-ITX com suporte a gráficas dual slot e com espaço para acomodar placas como a HD 5770, bem como coolers CPU maiores que o stock cooler, boa ventilação e fontes capazes de aguentar pelo menos com cpu em defaut. É o caso da SG-05 e SG-06

    Entretanto, com 211w de pico que assumindo uma eficiência de 83% da PSU testada nesta faixa, resulta em cerca de 175-180w de consumo por parte da maquina, sobrando apenas 120w no caso das fontes destas caixas. Não esquecer que foi usado como discos um SSD e um disco de portátil, portanto consumo combinado inferior a um único disco 3,5" e a gráfica estava em idle nos testes de consumo.
    Mas 300w chega se utilizarem gráficas no género 5750/5770, um core i5 750 em defaut ou com pouco overclock/overvolt discos 2,5"/SSD, alem disso os rais 211w foi atingido com Linx, logo num uso normal nunca iria chegar a isso, ficando nos tais 193w com o Wprime 1024M.

    A concluir, leva o selo de recomendação da Zwame, devido a inovação e originalidade que a DFI teve.
    Classificação

    [​IMG]

    inovação

    Agradecimentos

    A ZWAME agradece à DFI pela disponibilidade do material para teste.



    Copyright © Zwame, Lda 2009. Reprodução proibida sem autorização prévia.

     
    Última edição: 13 de Janeiro de 2010
  7. Raiden

    Raiden Banido

    Grande board tenho uma T3h6 e estas boards sao lindas .. e brutais para Htpc ..
    Sem duvida excelente para o que oferece !;)

    Acho é " injusto" comparar uma board Atx com uma mini
     
    Última edição: 4 de Janeiro de 2010
  8. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    porque injusto? Apesar de tudo a performance anda ela por ela. A idéia e ver se apesar do seu tamanho, se chega perto das "grandes"

    E gosto de fazer reviews comparativas.
     
  9. Raiden

    Raiden Banido


    Sim eu entendo mas o segmento desta board nao é o mesmo do das " grandes" obviamente que perde nao é.

    E se houve-se mais boards mini ou Matx para comparar era interessante mas é complicado;)
     
  10. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    Haver há, mas comparar com atom's...
     
  11. Para o tamanho é uma excelente board!!
     
  12. CrazyMonkeyTM

    CrazyMonkeyTM Banido

    Estou a gostar de verrr... DFI continua vivinha da silva!
     
  13. scratch

    scratch Power Member

    Bem pelos testes esta DFI não fica nada atrás da Gigabyte..
     
  14. Mister Modding

    Mister Modding Power Member

    Gosto bastante desta board e ate ando a pensar fazer um sistema para uma board assim :D
    Alguem sabe onde ou quando se pode encontrar a venda?
     
  15. scratch

    scratch Power Member

    JPGod, a ASRock tem esta board que também se poderia comparar.. ;)
     
  16. Comparações poderiam existir muitas mas não vejo qual o propósito. Comparar uma mITX com uma uATX, é isso que propões?
     
  17. Xun1ng

    Xun1ng Power Member

    Gostei bastante do que vi desta DFi.

    Pequena, mas com um performance estupenda.

    Gostei mesmo foi da bios, que é igual à Asus.
    E tem BASTANTE software de controlo, nao estava a espera.
    Scores de memórias excelentes, bons resultados de bench's, um pequeno grande bicho que foi lançado, excelente review ;)

    Cumps
     
  18. scratch

    scratch Power Member

    A intensão aqui é comparar as "pequenas" com as "grandes"
    As dimensões da ASRock - Micro ATX Form Factor: 9.6-in x 8.8-in, 24.4 cm x 22.4 cm
    Mas pronto.. não é mini-itx..
     
    Última edição: 7 de Janeiro de 2010
  19. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    review concluída ;)
     

  20. Parece que depois das fotos que mostrei te conseguiram convencer... :p

    Mas sim foi uma excelente review!
     
    Última edição: 15 de Janeiro de 2010