1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Docsis 3.1 to Be Smarter, Faster & Cheaper

Discussão em 'Análises e Artigos - Internet, Redes e Segurança' iniciada por night_sign, 4 de Novembro de 2012. (Respostas: 82; Visualizações: 16250)

  1. night_sign

    night_sign Power Member

    The next version of cable's Docsis broadband platform will be backwards-compatible with prior versions and will look to support "multi-gigabit speeds," Phil McKinney, the new president and CEO of CableLabs , said here at a session dedicated to cable technologies.

    Several of cable's top engineers will take the wraps off Docsis 3.1 Thursday during a special session at the Cable-Tec Expo , but Tuesday morning's session at the annual Cable & Telecommunications Association for Marketing (CTAM) conference provided a bit of a sneak peek. (See Docsis 3.1 to Be Revealed at Cable-Tec Expo.)

    McKinney said CableLabs and its members and vendor partners started to work on Docsis 3.1 in earnest about 60 days ago. He didn't go into all of the technical details, but said the aim is to help get Docsis to achieve speeds well above 1 Gbit/s. Vendors have openly discussed the idea of getting the next generation of Docsis to pursue capacities of 10 Gbit/s in the downstream and 2 Gbit/s in the upstream. Several cable operators are using Docsis 3.0 today to offer broadband services that max out at about 100Mbit/s in the downstream.

    Establishing backwards-compatibility is important, McKinney said, because it'll ensure that MSOs won't be faced with forklift upgrades as they move to Docsis 3.1.

    But Docsis 3.1 won't be all about speed. The specs will also focus on the quality of cable's pipe, reduced latency and other smarts designed to help enable a new set of broadband-based services. Cable's interest in offering 4K HD services, which offer four times the resolution of today's HD, was an example that was brought up several times during the session.

    The cable industry also hopes to shorten the process of creating the specs and having them turn into deployable products. An average generation of Docsis has typically taken three to four years. "We can no longer do that," McKinney said, but didn't offer a guess on the anticipated cycle for 3.1. "We have to deliver higher and higher performance."

    While it could happen faster than, say, the transition from Docsis 2.0 to 3.0, it also won't happen overnight. Docsis 3.1 will require new silicon, noted John Schanz, Comcast Corp. (Nasdaq: CMCSA, CMCSK)'s EVP of national engineering and tech ops, and chief network officer.

    And 3.1 is also about the almighty dollar as broadband usage continues to climb. Getting costs down "is a key part of Docsis 3.1," said Cox Communications Inc. EVP and CTO Kevin Hart.


    Fonte
     
  2. Dr.No.pt

    Dr.No.pt Power Member

    Boas noticias para a ZON e Cabovisão.
     
  3. userN

    userN Power Member

    A prova que o cabo coaxial não está morto e tem ainda bastante para oferecer, como se vê é uma tecnologia que está perfeitamente adequada às exigências actuais.
     
  4. Mas segundo percebi da notícia, não serão precisos novos cabos? Então qual é a vantagem...? Para meter novos cabos, mete-se fibra...
     
  5. Wildstar

    Wildstar Power Member

    Onde viste isso? O objectivo é manter os cabos, se fosse para meter novos realmente não fazia muito sentido. O que o texto diz é que precisa de silício novo, ou seja, novos chipsets para os modems e CMTSs.
    Isto é muito giro, mas na prática a codificação existente já anda perto da eficiência máxima (salvo erro), pelo que esta nova tecnologia serve apenas para aproveitar melhor a largura de banda em células pequenas, provavelmente FTTC e FTTB.

    Edit: aparentemente DOCSIS 3.0 ainda não usa OFDM e 4096-QAM especificado pelo DVB-C2. Sendo assim este "novo" DOCSIS é provavelmente a actualização para usar estas modulações. Em todo o caso, o débito é fortemente dependente da distância (tal como ADSL2, que também usa OFDM).
     
    Última edição: 5 de Novembro de 2012
  6. LiveMetal

    LiveMetal Power Member

    Onde é que viste isso? Não me parece que o Cabo venha a adoptar um sistema do género do ADSL em que o sinal "vai-se" consoante a distância à central. Não te esqueças que o cabo funciona por nós (normalmente um por uma respectiva zona), com amplificadores de sinal metidos também ao barulho. Esses nós estão interligados por Fibra Óptica. Não me parece que esta nova norma vá alterar essa "característica" do cabo (a qualidade do serviço não estar directamente dependente da distância à central como é o caso do ADSL). O ADSL está completamente ultrapassado mesmo por isso... porque funciona sob uma infrastrutura completamente obsoleta. Dai não perceber como é que as pessoas conseguem ficar satisfeitas com um serviço como o MEO ADSL (por exemplo). Mas pronto isto foi só um pequeno aparte.

    Vou aguardar por mais informação sobre esta actualização do DOCSIS. Mas parece-me a mim que vem ai competição à Fibra :)
     
  7. Speciale

    Speciale Power Member

    O DOCSIS 3.1 é a sucessão natural do DOCSIS 3.0. Não resolve o problema de fundo das redes HFC, somente adia a passagem inevitável das redes HFC para FTTH/B.
    Penso que as Operadoras de Cabo têm que perceber que esta tecnologia já cresceu até onde tinha que crescer, que já proporcionou os lucros que podia e que já não justifica mais investimentos "avultados" porque simplesmente continuará a ser limitada e sem capacidade de oferecer uma solução duradoura. Está na hora de apostarem na migração faseada das suas redes HFC para FTTH/B, porque senão ficarão a léguas das Operadoras de Fibra durante vários Anos.
     
  8. LiveMetal

    LiveMetal Power Member

    O futuro, como é óbvio, está na Fibra. Mas nem todos os utilizadores pretendem ter ligações astronómicas. Acho que o Cabo, para o comum utilizador, chega e sobra. Quanto aos operadores não investirem em Fibra, acho que só o farão quando o investimento o justificar. É que a Fibra ainda sai cara...

    Actualmente, os 2 principais operadores de Cabo portugueses já funcionam sobre FTTB. Quanto ao FTTH, duvido que tão cedo migrem para tal.
     
  9. night_sign

    night_sign Power Member

    Por acaso funcionam em FTTN, se fosse FTTB não era nada mau lol
     
  10. Wildstar

    Wildstar Power Member

    Aqui.

    Um amplificador amplifica o sinal, mas também o ruído. Pior ainda, também adiciona ruído dele próprio, pelo que a relação sinal-ruído até pode ser pior com um amplificador no circuito. E quanto maior for a largura de banda, menor o ganho e pior relação sinal-ruído do amplificador.
    Nem sei se para OFDM sequer há amplificadores, na prática -- não faz muito sentido operadores de ADSL meterem DSLAMs quando podiam simplesmente espetar lá um molhe de amplificadores.
     
  11. LiveMetal

    LiveMetal Power Member

    LOL ainda não percebi o que é que o ADSL tem a ver com o Cabo. OFDM é apenas um método usado para transmitir a informação de forma mais eficiente e aproveitando o máximo de espectro numa dada faixa de frequências. Mais, a implementação desse sistema no Cabo só o vai beneficiar minimizando o impacto desses ruidos que falas e aumentando o S/N (devido ao uso de FEC).

    Ainda mais, no caso do ADSL não podes simplesmente espetar amplificadores porque o próprio cabo em si não tem isolamento suficiente e não foi feito para transmitir frequências altas e a grandes distâncias (dai o uso do OFDM para minimizar isso). É o próprio cabo de telefone que limita o ADSL visto o seu fraco isolamento e estar mais propício a interferências e às intempéries.

    No caso do Cabo a coisa já não é assim. Estamos a falar de Fibra Óptica desde a Central até ao PD e dai vai Coaxial para a respectiva zona de cobertura. O Coaxial, para além de ter muito melhor isolamento, é muito mais tolerante a nível de intempéries e foi feito para transmitir frequências altas. Dai o factor distância ser pouco relevante numa rede HFC.

    Portanto, no meu ver, a actualização da norma DOCSIS só vai ser benéfico e vai seriamente dar dores de cabeça aos MEOs (ADSL e Fibra) bem como aos outros fornecedores residenciais de Fibra (Optimus e Vodafone). Para além de se poder tirar mais velocidade da ligação, pelo que percebi, poderá aproximar as latências que se vêm no Cabo das que se vêm numa ligação de Fibra Óptica. Mas, a ver vamos. Venham de lá testes para se comprovar isso.
     
  12. Wildstar

    Wildstar Power Member

    Não percebeste nada do que eu disse, não atires siglas e termos que leste na Internet sem saber o que significam.

    Quanto às dores de cabeça, deves estar a referir-te às que a Zon e os seus clientes tiveram ao serem um dos primeiros deployments mundiais de DOCSIS 3. Basicamente tiveram de ser os beta-testers dos fabricantes, pergunta a qualquer técnico da altura os problemas que tiveram com os Netgear, parece que houve alguns que até pegaram fogo...

    Não me parece que a Zon se meta neste hipotético DOCSIS 3.1 pois teria que passar por esse pesadelo novamente e já está a fazer deployment de FTTH. Já a Cabovisão depende do que a Numericable fizer.
     
  13. LiveMetal

    LiveMetal Power Member

    Não é preciso ser-se mestrado do Técnico para saber ler e perceber o que escreveste. E eu respondi-te... Tu é que não me respondeste e chamaste-me indirectamente de burro e passaste um atestado de incompetência. Posto isso, não vou continuar a conversa contigo.

    I rest my case.
     
  14. Speciale

    Speciale Power Member

    Achas que os clientes que actualmente têm 12/24/30Mb pretendem continuar com essas velocidades durante 10/20Anos? Óbvio que não, principalmente por estarmos a entrar na Era Cloud onde tudo estará na Núvem e nada nos Discos Locais. Tudo será sincronizado, necessitando de excelentes velocidades de internet, quer de Download quer de Upload.
    O futuro são as ligações de internet simétricas! Exemplo: 400/400Mb, 1/1Gb.

    A Fibra já não sai mais cara que o Cabo, isso era no inicio. É por isso que a ZON agora instala FTTH nas novas zonas de cobertura, precisamente por ficar mais barato e apto para o futuro.

    Actualmente, os 2 principais operadores de Cabo portugueses (ZON e Cabovisão) funcionam maioritariamente sobre uma rede HFC.
     
  15. Wildstar

    Wildstar Power Member

    Não ter conhecimento sobre algo não é ser burro nem incompetente, mas se enfiaste a carapuça...
     
  16. LiveMetal

    LiveMetal Power Member

    Tinha a sensação que os únicos clientes ZON com Fibra até casa seriam os de 1Gbit (tarifário esse que, pelos vistos, foi descontinuado há já algum tempo para clientes residenciais). Mas também, no que toca a ZON, ando muito desactualizado.

    Concordo contigo. O Futuro está no Cloud. Para isso é necessário boas ligações de internet. Nisso também concordo. Concordo igualmente, e já o disse aqui, que o futuro está na Fibra Óptica.

    O que quis dizer é que, actualmente, na norma Eurodocsis 3.0 já se consegue atingir máximos de 400Mbits de Downstream e 100Mbits de Upstream e, nos tempos que correm, considero isso suficiente para o utilizador comum (que vai à internet para ver emails, pesquisar, ver as notícias, ver uns videos no youtube e pouco mais). Aliás, qualquer operador de Fibra não tem actualmente no mercado nenhum tarifário residencial com débito superior a 360Mbits no Downstream (isto para não falar no Upstream que ainda está bem abaixo disso). A actualização para Eurodocsis 3.1 vai aproximar a capacidade das redes HFC, das de Fibra Óptica. É óbvio que não substitui a Fibra Óptica que continuará a ser o futuro. Mas para redes como a ZON e a Cabovisão, com pouco investimento, conseguem tornar-se bastante competitivas face aos operadores de Fibra. Isto é a minha opinião.

    A questão que se colocou aqui é que o Wildstar não concorda e diz que esta actualização da norma só vai piorar tornando o débito das ligações dependentes da distância (quando esse nunca foi um factor relevante numa rede HFC). Eu não concordo e perguntei onde é que ele tinha visto isso, da qual ele não respondeu.

    Wildstar, não enfiei carapuça nenhuma. A partir do momento em que tento perceber o teu ponto de vista e tu me respondes com um link a um curso mestrado do IST... disseste-me tudo.
     
  17. Wildstar

    Wildstar Power Member

    Ah, aqui está o problema. Eu nunca disse isso.
    São os débitos acima dos actuais que irão estar dependentes da distância. Ou seja, se tens 400 Mbps agora vais continuar a ter. De 400 Mbps a 1 Gbps isso sim vai depender da distância. É como a diferença entre ADSL "1" e ADSL 2 -- o ganhos do último são sobretudo a curtas distâncias, a partir de um certo ponto os débitos são praticamente iguais.
     
  18. night_sign

    night_sign Power Member

    Se passarem de FTTN para FTTB, vai-se o problema da distância.
    A Numericable (irmã da CBV) está a passar para FTTB e diz conseguir 4Gbps em FTTB. Mas pronto FTTH é FTTH nada a dizer. Mas penso que podiam passar de FTTN para FTTB e só depois para FTTH, seria investimento faseado.
     
  19. RuiSousa881

    RuiSousa881 Suspenso

    LiveMetal Clix, Vodafone e Meo já têm tarifários de 400/40 Mb.

    A Zon é que se ficou pelos 360/24 Mb exactamente por não ter capacidade para mais. E nem consegue oferecer este tarifário em todas as zonas... Isto da teoria do Docsis é muito bonita, mas na prática quando tens centenas de clientes ligados à mesma célula a história é outra.

    O futuro é sem dúvida o FTTH. E esperava mais dos nossos operadores de FTTH. Esperava por exemplo já ver tarifários de 1 Gbps. Talvez para o ano os lancem. Visto que já vamos em praticamente metade dessa velocidade (400 Mb). E aí é que vamos ver a Zon a simplesmente não conseguir acompanhar. Ou docsis 3.X.X começa a fazer milagres ou a coisa começa apertar!
     
  20. Amazing_Randy

    Amazing_Randy Power Member

    Eu esperava era uma cobertura em condições, quando mais esses tarifários...
     

Partilhar esta Página