1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Empresas na área das TI - opiniões

Discussão em 'Programação' iniciada por Boxxer, 1 de Maio de 2008. (Respostas: 74; Visualizações: 7939)

  1. Boxxer

    Boxxer Power Member

    Bem, lá venho eu com uma pergunta algo estranha :)

    Preciso da colaboração de todo o pessoal aqui do fórum que trabalha em (ou que conheça relativamente quem trabalhe em) empresas de algum renome na área, desde a Novabase à Accenture, passando pela Indra, Getronics, whatever... com especial foco na Accenture, já agora.

    O que eu pretendo saber é se as pessoas que trabalham neste tipo de empresas está satisfeita com as condições de trabalho e com a qualidade de vida que isso lhes proporciona. E estou a referir-me em concreto à estabilidade, à realização profissional, ao salário, às regalias, ao reconhecimento pelo trabalho realizado, à aposta nos recursos humanos e na sua formação, etc...

    Obrigado desde já, e relembro que todas as opiniões são bem-vindas.
     
  2. inginheiiro

    inginheiiro Power Member

    Boas.

    Tenho alguns anos de experiência nesse tipo de empressas, e já trabalhei com de todas aquelas que referiste...entre outras...
    A pergunta que fazes, embora não pareça, é completamente subjectiva .

    O que te posso dizer é o seguinte :
    1. Estás lá para trabalhar, dar o litro ... independentemente do que te possam vender nas entrevistas.
    2. Interessa apenas a capacidade que possuis de desenrrasque em tempo útil.
    3. O factor mais importante de todas as tuas capacidades(técnicas, sociais, etc) é a disponibilidade !
    4. Estabilidade terás sempre se fores mt bom profissional e comprires os 3 pontos anteriores.
    5. Realização profissional ... depende da aspiração de cada um ...
    6. Salário é acima da média em PT. Mas abaixo da média para o nr de horas que trabalhas.
    7. Formação= Self Teaching , apesar de teres bastante formação ao longo da tua carreira nessas empresas, vais-te
    aperceber (Se fores mt técnico) que é tudo para dummies.
    8. Qualidade de vida ... tem a ver com a tua capacidade de gerir os pontos anteriores com a tua vida pessoal!

    provavelmente se tiveres um perfil muito politico, e não te importares de pisar quem passe na tua frente , terás muito mais sucesso que um tipo que seja extraordináriamente técnico e que discorde com várias politicas / métodos / decisões do grupo de trabalho em que está inserido.

    Ha... prepara-te para a guerra :), depois de um par de anos vais-te aperceber que dos 200 gajos com quem trabalhas-te, o único que não te quer empurrar borda fora és provavelmente TU... a competição começa no dia que entras.

    Imagino que existam várias pessoas que tenham uma visão diferente da minha, percebo perfeitamente e respeito, mas esta é a visão de alguém que andou por esse mundo alguns anos...

    espero ter ajudado.

    Cumps
    Ing
     
  3. Triston

    Triston Aku Soku Zan SM

    Por acaso concordo com muito do que diz o inginheiiro.

    Neste momento com o mercado em pleno ciclo de outsorcingmania podes esquecer coisas como estabilidade profissional, realização profissional e acima de tudo reconhecimento de trabalho, aquilo que vais encontrar vai ser saltos de projecto para projecto em que na maior parte dos casos mal olham para o teu CV antes de te enfiarem num sítio qualquer em que aproveitam 5% dos teus conhecimentos e que em termos de reconhecimento de trabalho o máximo que fazem é dar-te uma palmadinha nas costas apesar de às vezes lhes teres acabado de poupar uns milhares largos de € com uma ideia tua.

    Outra coisa que aprendi à minha custa foi: ler sempre a porra do contracto de fio a pavio e de preferência se não perceberes muito acerca de lei laboral falar com alguém que perceba antes de o assinares, o projecto que te vendem na entrevista muitas vezes pouco ou nada tem a ver com aquilo em que vais trabalhar mais à frente, se te dizem que vais trabalhar x horas por dia então valida que isso está explicito no contracto porque se te disserem que vais trabalhar 5 horas e no contracto tiveres 8 eles podem trocar-te as voltas e porem-te a trabalhar as 8 horas e não podes reclamar porque assinaste o contracto.

    Como disse o inginheiiro a disponibilidade e a flexibilidade são muitas vezes mais valorizadas do que aptidões técnicas, podes ser o melhor técnico do mundo mas se estiveres indisponível não serves a empresa nem o projecto de nada portanto habitua-te à ideia (e habitua o pessoal à tua volta principalmente a cara metade) de que tens horários de médico (ou seja não tens horários) quanto melhor fores naquilo que fazes maior a probabilidade de seres acordado a meio da madrugada com aquele pincel que mais ninguém consegue resolver.

    Salários... esquece, a única forma de ir ganhando mais é ir saltando de empresa em empresa e subi-lo na diagonal, o mesmo em relação a progressão de carreira, a subida na vertical em termos de responsabilidades ou salário é bastante difícil. Quem gere os projectos tem um objectivo que é a gestão de custos, ou seja independentemente do que te digam não lhe interessa nada que tu ganhes mais ;)

    Formação, vai depender do horário e da disponibilidade que tenhas, mas a pressão vai ter sempre que partir do teu lado tanto mais que quanto mais sabes mais vales e quanto mais vales mais difícil é manter-te num projecto cujo tecto salarial não seja equivalente ao que sabes e vales ;)

    Aqui tenho de discordar, tem de haver um certo equilíbrio entre a parte técnica e a política, se fores um bom técnico seres um político é sempre uma vantagem, agora se fores um mau técnico por muito bom político que sejas acabas por te tornar comida para o cão do bom gajo técnico que te vai safando e guardando as tuas carecas descobertas na gaveta até ao dia que achar que é demais e que estás a por o projecto em risco com incompetência. Como dizia um professor meu, não há fato nem gravata que te protejam de um choque eléctrico ;)

    (Aliás se há coisa que me irrita hoje em dia é precisamente esta nova geração de informáticos "limpos" que não fumam nem bebem café sempre de fatinho, gravata e barba aparada, carregadinhos de certificados disto e daquilo e que se borram todos quando vêm uma linha de comandos)

    Concordo plenamente, estamos sempre à vontade com os nossos colegas, mas nunca estamos à vontadinha, o gajo a quem safaste as costas é muito provavelmente o gajo que te vai enterrar na primeira cagada que fizeres, amigos amigos, trabalho à parte.
     
  4. renafi

    renafi Power Member

    Faço minhas as palavras do Triston e do inginheiiro.

    Não consegues ter vida para além do trabalho. O pior é que, pelo menos no meu caso, chegava a casa e só conseguia pensar no trabalho. São prazos muito apertados e muita pressão em cima. Ou um gajo trabalha só das 9 às 7, e sai à horinha (claro que depois está lixado porque o resto do pessoal fica a trabalhar BEM depois dessa hora), ou então mais vale levar a cama para a empresa...

    Se ao menos pagassem as horas... ainda tinhas uma motivação.. mas nem isso.

    Eu preferi ter qualidade de vida...
     
  5. pmge

    pmge Power Member

    Epá é pena não ter lido este post há uns 15 anos, neste momento não tava nas TI a.k.a outsorcingmania :)


    Renafi, estás a dizer que decidiste sair a horas, ou desististe disto?
    Se for a segunda opção pensa no seguinte, se fores um gajo novinho e com sentido de aventura tenta ir trabalhar para fora.
     
  6. slack_guy

    slack_guy Power Member

    Os relatos adequam-se a qualquer empresa, independentemente da dimensão. Naturalmente, quanto mais pequena, menor a escala do problema e menor o salário.

    O que as grandes empresas (as multinacionais e as nacionais que vivem à sombra dos grupos económicos) têm de vantajoso - e que as pequenas não conseguem - para o trabalhador são as possibilidades de formação. Se queres enriquecer o CV vai trabalhar para uma dessas empresas por 2/3 anos e disponibiliza-te/sugere conferências, seminários, workshops, congressos, etc. O 'patrão' paga, tem benefícios fiscais, se patrocinar ainda beneficia mais, tu aprendes e o teu CV cresce: é um negócio onde todos ganham.
     
  7. Dizes que concordas com o inginheiiro mas depois dizes para esquecer estabilidade profissional? Se há coisa que acontece é que estas grandes empresas dão estabilidade (contrato sem termo, regalias contratuais quando se está mais acima, progressão na carreira, ao contrário dos recibos verdes que o resto da nossa geração recebe).

    Totalmente de acordo. Prepara-te para trabalhares das 9 às 21, 22, 23...

    Não sei que experiências tiveste, mas não estou totalmente de acordo. É possível fazer-se carreira nestas empresas (basta seres acima da média) . Há praí uma empresa que dá aumentos anuais de 10% + X% se fores promovido (X = 5-20, dependendo da tua avaliação - mas em média X = 10). A minha maior crítica é apenas o baixo salário inicial, mas em cerca de 3 anos consegues ficar a ganhar mais de 1500€ mensais.. (O que parece bom, mas como o inginheiiro disse, sabe a pouco quando comparas com o esforço que tiveste que fazer). Quanto a saltar de empresa em empresa, diz-se que se fica a ganhar mais, mas a tua carreira não recomeça do mesmo ponto. São escolhas pessoais.

    O que me irrita mesmo é o facto de se ter que usar fato e gravata :lol:


    Basicamente o inginheiiro está spot-on, fazer carreira numa empresa dessas é mais político do que técnico, mas são as aptidões técnicas que te possibilitam subir. Eu cá decidi saltar fora.
     
  8. Estive a estagiar numa empresa de consultoria, tecnologia, outsourcing (para bom entendedor...) durante 7 meses. Convidaram-me para integrar os quadros da empresa no início de Abril e já percebi que esta não será vida para mim. Portanto, com 1 mês de "casa", optei por saltar fora...

    A ideia que tinha do que me esperava em termos profissionais é em tudo parecido ao já descrito neste tópico. Dizem-me que terei tomado a decisão cedo demais, mas prefiro cortar o mal pela raíz :smiliel:
     
  9. smisantos

    smisantos Power Member

    Eu não sei em que empresas voces andam a trabalhar, mas pronto.

    Estou nas TI (a 100%) desde 2005, visto-me como quero e sem fatinho e gravata, sou aumentado todos os anos, tenho condições de trabalho...

    :)
     
  10. Boxxer

    Boxxer Power Member

    Com este post estava à espera de ler alguns relatos que fugissem ao panorama retratado pelo inginheiiro e pelos que partilham da opinião dele.

    Na verdade, eu já trabalhei nesse mundo durante uns anos e tenho a mesma visão, em traços gerais, das pessoas que responderam aqui. Há o regime dos recibos verdes, há os salários nada excepcionais quando se começa, há a competição constante (tentaram fazer-me a vida negra um par de vezes e cheguei até ao ponto de mandar à maravilha uma chefe de projecto) e, o pior de tudo, a meu ver, que é o total desrespeito pela "humanidade" das pessoas: a forma como nos propõem um contrato que serve para nos iludir ou para lhes dar margem de manobra para pedirem cada vez mais de nós. Já para não falar na isenção de horário de trabalho, que nos vendem com a ideia de que é uma forma de nos darem um ordenado maior mas que, na prática, serve para lhes darmos uma porrada de horas extra por dia, ao ponto em que a isenção não paga as horas todas que fazemos.

    Eu também optei por ter uma vida própria e não andar de cliente em cliente, a fazer mais horas todos os dias e acabando por ficar sem tempo para mim, para nem ser assim tão bem pago quanto isso.

    Mas ainda tentei: cheguei a trabalhar em 5 empresas diferentes em cerca de 5 anos, tentava negociar os contratos nas entrevistas para tentar contratiar as formas que arranjavam para me "lixar" (por exemplo, como comecei a recibos verdes, quando fui a uma entrevista para mudar de emprego exigi que uma das condições fosse ficar a contrato, e quando mudei novamente já disse que tinha que ficar nos quadros, senão nada feito).
    Mas arranjam sempre formas de nos chupar até ao tutano a troco de meia dúzia de tostões.

    Claro que, quem quer mesmo fazer carreira nestas empresas, faz, desde que seja minimamente bom na sua área e que tenha o empenho e a força de vontade para o fazer.

    Actualmente trabalho num banco, já há 1 ano e pouco, onde tenho estabilidade, regalias, reconhecimento pelo meu trabalho, um ambiente de trabalho cooperativo e bem disposto, horários que se cumprem mas que também podem ser flexíveis e uma isenção de horário de trabalho que não é escravizante. E estou mais perto de casa, fora da confusão de Lisboa.

    Esta minha pergunta surgiu na sequência dum contacto que recebi recentemente e que me levou a uma entrevista. O objectivo é ir trabalhar na Accenture como analista programador e, apesar de eu estar muito bem nesta altura, pensei que uma proposta excepcional me fizesse mudar. Mas como não conheço a empresa, e como o dinheiro não é tudo, estou a tentar informar-me sobre tudo o que possa influenciar-me nessa decisão.
    E, como já calculava, as opiniões continuam a ser as mesmas de sempre.

    Neste momento, qualidade de vida é das coisas mais importantes para mim ;)
     
  11. TuxBoss

    TuxBoss Power Member

    O mercado da consultoria de TI em Portugal (e em vários outros mercados Europeus) é o equivalente tecnológico ao mercado do tráfico de carne branca.

    A não ser que trabalhes num nicho super específico de mercado, em que como há tão pouca gente, possas fazer as exigências que quiseres, não é vida para a maior parte das pessoas.

    Se fizeres o mesmo que todos os outros, irá haver sempre um gajo mais novo e mais barato para fazer o que tu fazes.

    É obsceno o dinheiro que essas empresas levam aos clientes e o que pagam aos trabalhadores.
     
  12. Boxxer

    Boxxer Power Member

    TuxBoss concordo, esse é o panorama geral (com as devidas excepções).

    Por acaso eu movimento-me numa área mais específica (AS400, ou actualmente o i5), e ainda há algumas vantagens nesta área, permitindo alguma "agilidade" a quem trabalha nela, mas ainda assim a consultoria é algo "devassa" e corta-nos um pouco as vazas.

    Viva o ecrã preto com letras verdes ;)
     
  13. Gurzi

    Gurzi Power Member

    Deixem me só dizer para quem se está a iniciar( tipo eu ) estes posts transmitem bastante coragem para seguir em frente lol :P

    Já estou com muito muito medo :P
     
  14. slack_guy

    slack_guy Power Member

    Não desanimes!! Afinal de contas, o mercado de trabalho, em todas as áreas, é semelhante. :-)
     
  15. Evil_Tidus

    Evil_Tidus Power Member

    pois, hoje em dia o mundo é demasiado competitivo, se bem que na area das TI é ainda mais
     
  16. mpLopes

    mpLopes Power Member

    Exactamente! O que mais me surpreende no mundo das TI é o facto de não existirem horários certo junto com pagamentos devidos para horas extra. Isto é, existe um projecto para ser feito, a empresa é que vai facturar, mas a responsabilidade é total de quem programa/gere o projecto, mesmo que isso implique ter que trabalhar (muito) mais que 8 horas diárias!

    Em qualquer outra profissão isso não acontece! A minha pergunta é: é correcto e permitido por lei que isto aconteça ou existe um acomodamento da parte dos trabalhadores?

    Acredito que quando as TI começaram a aparecer, que as pessoas não se importassem de trabalhar 10, 12horas por dia, por na altura se ganhava quanto queria! Mas as coisas hoje em dia não são bem assim..
     
  17. renafi

    renafi Power Member

    Isso também parte muito dos trabalhadores que "habituam" a entidade patronal a dar horas à casa. Depois quase se torna uma obrigação. Eu felizmente sai disso a tempo... tive amigos meus que tiveram problemas graves de stress e ganharam úlceras :(
     
  18. Boxxer

    Boxxer Power Member

    Por causa disso é que, da última vez que estive nessa área, assinei um contrato para 8 horas diárias e cumpri-o escrupulosamente.
    Chegaram ao ponto de prometer o pagamento dum prémio aos empregados em função das horas extra que fizessem mensalmente, e foi ver a malta toda a ficar lá 10, 12, 14 horas por dia à caça do prémio (e a passar 2 horas em almoço e outras tantas a ir ao café, etc...). No fim, e tal como eu havia previsto, não pagaram prémios a ninguém. Foi só mesmo para meter o pessoal a trabalhar. Felizmente, eu mantive as minhas 8 horas diárias. Mas é por essas e por outras que eu saí da área.
     
  19. Karmack

    Karmack Power Member

    Trabalho muito mais que as oito horas e muitas das vezes nem hora de almoço tiro só para safar o projecto e incompetencia de outros. E isto inclui trabalho em casa e fins de semana. E mesmo assim o meu ordenado equivale a um recem licenciado desde há muito.

    Mas espero pôr um ponto final porque já ultrapassei os limites da minha paciencia e desmotivação e conto com a ajuda da minha familia para que não haja mais abusos e pressão psicológica. Enfim... Se não encontrar outra coisa dentro desta àrea que se lixe. Prefiro dedicar-me à faina do que encher chouriços e limpar a maravilha dos outros.
     
  20. Gurzi

    Gurzi Power Member

    Se a insatisfação é de todos, porque é que todos aceitam continuar a trabalhar assim ??

    Acho injusto, trabalhas no tele marketing, trabalhas 8 horas, ganhas 700€ , não precisas de fazer horas extras, não há trabalho em casa, tens 2 folgas por semana e não esforças a cabeça nem 1/20 do que uma pessoa da àrea das TI.

    Porque raio as coisas são como são e porque continuam a aceitar ?

    Como é possível ?!
     

Partilhar esta Página