• COVID-19 Mantenham-se seguros: Pratiquem distanciamento físico de 2 metros. Lavem as mãos. Usem máscara.
    Informação sobre COVID-19. Ajuda a combater o COVID-19 com o [email protected] e com o [email protected].
  • Informação: Pela 1:00 deste Sábado, 16 de Outubro (0:00 nos Açores) o Fórum irá ficar inacessível para manutenção por alguns minutos.
    Se necessário faremos actualizações via Twitter e Facebook.

Discussão Evolução (ou não) dos ISPs em Portugal.

Spam

Power Member
Para quem acompanha (e paga) os serviços tv+net+telefone é fácil perceber que durante alguns anos existiu uma evolução em Portugal e no Mundo neste tipo de serviços.

Mais velocidade de internet, mais canais de TV, melhor definição, fim das restrições a nível de tráfego e alguma concorrência ao nível dos preços.

Mas nos últimos anos percebe-se que começámos e retroceder.
Preços a subir anualmente sem melhoria do serviço, tarifários "exclusivos", péssimo apoio ao cliente, aproveitamento da má informação sobre o TDT, trafic shaping, etc, etc.

Até que chegamos ao dia de hoje com a ANACOM a constatar o óbvio, mas que não apresenta qualquer solução ou plano de futuro.

A titulo de ex:
Em 2016/2017 um serviço 3P "básico" custava 24.90€ com 100Mb de velocidade e sem limites de tráfego.
Hoje o mesmo serviço de 3P "básico" custa 30,90€ com 30Mb/10 de velocidade e com 500GB de limite de tráfego.

Numa altura em que as plataformas de streaming são uma presença no nosso dia a dia e muitas das estreias de cinema estão a ser migradas para este tipo de serviços originado como é óbvio mais tráfego, temos o tele-trabalho a tele-escola ou seja cada vez mais a internet torna-se um bem de primeira necessidade e as operadores a saberem disso estão-se a aproveitar e a cartelizar os preços e as condições, forçando os clientes a migrarem para pacotes mais caros porque sabem que a única maneira de os clientes se defenderem é ficarem sem qualquer tipo de serviço o que não irá acontecer..

Cada operadora tem a sua quota de clientes e está satisfeita com os números, podem sair 1000 clientes da Vodafone para outras operadores, mas ao mesmo tempo estão a sair 1000 clientes da NOS ou MEO para a Vodafone e este circulo é vicioso.

Como clientes o que podemos fazer? Infelizmente nada, é como os preços dos combustíveis podem aumentar o que quiserem, reclamamos mas temos que pagar na mesma, a única hipótese era cancelar o serviço o que é irrealista nos dias de hoje.

O que a ANACOM pode fazer? Infelizmente as ultimas intervenções da Anacom para regular o mercado têm sido fiascos atrás de fiascos, nos tarifários móveis temos a aberração dos tarifários consoante a idade, "ah tem 25 anos paga 20€, você tem 26 paga 30€.."Mexeram nos períodos de fidelização o que também não deu em nada porque as operadoras defenderam-se pedindo preços astronómicos pelos tarifários sem fidelização, continuando as operadoras a fidelizar clientes por mais 24 meses, porque aceitaram a "oferta" de um novo canal ou de mais 10Mb de velocidade.


Um operador novo para mexer com a concorrência? Também não me parece viável porque iria usar as linhas dos outros operadores ficando logo à partida limitado nas opções de "oferta".

Infelizmente não vejo nada de bom para o futuro das telecomunicações em Portugal, nomeadamente para os clientes, o que nos espera são preços mais elevados e piores serviços de ano para ano..
 

Spam

Power Member
Mas pelo menos a Altice já não veio desmentir isso?

Os desmentidos das operadoras são sempre no mínimo "duvidosos" Nos tempos que fui cliente MEO logo a seguir a ter aderido aumentaram 1€ mesmo tanto fidelizado a alguns clientes foram 2€, na altura que andavam a "financiar" o futebol.


Actualmente a oferta básica é esta, quando no mês passado o preço era o mesmo com 100/100Mb e sem limites de tráfego..
vzUukdY.jpg
 
Última edição:

Manuel Vilches

Power Member
"Comunicado da Altice Portugal:

  • A Altice Portugal por questões de seriedade e defesa do seu bom nome, bem como do setor das telecomunicações em Portugal vê-se obrigada, uma vez mais, a reagir a mais uma comunicação da ANACOM pela gravidade que esta confere.

    Assim, a Altice Portugal esclarece:

    A afirmação da ANACOM sobre o aumento de preços aos seus clientes nada mais é que uma pura e redonda falsidade.

    De forma alguma se pode aferir que se tenha registado qualquer diminuição da qualidade do serviço na oferta que a empresa tem no mercado.

    As condições referidas pela ANACOM não se aplicam a clientes atuais.

    Reiteramos que Portugal é um dos Países da União Europeia em que os pacotes de telecomunicações são os mais atrativos, como aliás mencionado pelo estudo do IDES, publicado pela Comissão Europeia.

    Lamentamos que, uma vez mais, baseado numa falta de evidências, venha o Regulador do setor tentar manipular o País com declarações infundadas que apenas pretendem denegrir a imagem desta empresa que investe centenas de milhões de euros por ano no nosso País e emprega cerca de 20 mil pessoas.

    Há cerca de 3 anos que a ANACOM não realiza qualquer estudo de Mercado ou de preços, antes recorrendo a dados completamente estranhos ao setor.

    Assim, tendo a ANACOM, de há três anos a esta parte, insistido em afirmar e defender teses sem que estas tenham qualquer estudo oficial ou evidência, credível e homologado por base, lança a Altice Portugal o repto para que pela primeira vez mostre qual o estudo ou evidências em que baseia as suas afirmações, à semelhança do que praticam outras entidades, nacionais e internacionais, que têm vindo publicamente a criticar a regulação e o regulador em Portugal, com estudos concretos e publicados ou análises de Mercado, de carácter económico-financeiro.

    Lamentamos ainda que pelas mãos da atual liderança da Anacom, Portugal, que sempre esteve na linha da frente no desenvolvimento e implementação das novas redes de comunicações fixas e móveis, esteja já hoje na cauda da Europa, comprometendo a competitividade do país, no que se refere ao lançamento da nova tecnologia 5G, enquanto outros 17 países da Europa Comunitária já lançaram as suas redes."
 

Spam

Power Member
Queremos que os salários subam sempre... Desejamos que os preços desçam sempre, talvez até o serviço ser de borla.

Não é isso que está em causa... Até sou bastante apologista de não ir pelo mais barato e sim pelo que oferece melhor qualidade-preço e de preferência nacional, seja no supermercado, seja noutro lado qualquer, porque ao sermos todos apologistas do preço mais barato sem olharmos aos outros aspectos estamos a incentivar as politicas dos baixos salários, o que não falta é gente que vai ao supermercado e tem laranja do Algarve a 0,50€ e Laranja da Conchichina a 0,49€ e vão para a da Conchicina, mesmo que depois seja para jogar para o lixo e se for preciso até tem um primo que trabalha na apanha da Laranja no Algarve..

O que está em causa é o retrocesso de um serviço que funciona com base tecnologica e que pela ordem natural das coisas se espere sempre uma melhoria, uma evolução e não o contrário, como está a acontecer em Portugal ou achas normal pagar mais hoje do que se pagava à 2 ou 3 anos e passar de 100Mb para 30Mb de velocidade, passar de um serviço sem limites de tráfego para 500GB? Os aumentos de preço ainda se "engole" com a inflação natural das coisas e custos associados, mas em anos que os aumentos de salários são quase nulos, que as operadores cortam custos, fechando lojas, despedindo pessoas, apostando nas FAQs, atendimentos automáticos e afins, depois venham "despejar" aumentos aos clientes a troco de piores serviços.

É como se agora os fabricantes de TVs passassem a voltar a fabricar só TVs a preto e branco ao preço das que pagas agora a cores (e sim eu sou do tempo das TVs a preto e branco)
É como se os fabricantes de telemóveis agora te passassem a vender Nokias 3310 mais caros que os Iphones 11 não te dando hipotese de escolher outro porque os Ericsson´s são ao mesmo preço com as mesmas características...

Infelizmente em serviços que é fácil existir uma cartelização ou monopólio se não existir uma autoridade reguladora competente o cliente é que fica sempre mais vulnerável ( Combustíveis, electricidade, Telecomunicações, Correios, etc)
 

Worst News

Power Member
Não é isso que está em causa... Até sou bastante apologista de não ir pelo mais barato e sim pelo que oferece melhor qualidade-preço e de preferência nacional, seja no supermercado, seja noutro lado qualquer, porque ao sermos todos apologistas do preço mais barato sem olharmos aos outros aspectos estamos a incentivar as politicas dos baixos salários, o que não falta é gente que vai ao supermercado e tem laranja do Algarve a 0,50€ e Laranja da Conchichina a 0,49€ e vão para a da Conchicina, mesmo que depois seja para jogar para o lixo e se for preciso até tem um primo que trabalha na apanha da Laranja no Algarve..

O que está em causa é o retrocesso de um serviço que funciona com base tecnologica e que pela ordem natural das coisas se espere sempre uma melhoria, uma evolução e não o contrário, como está a acontecer em Portugal ou achas normal pagar mais hoje do que se pagava à 2 ou 3 anos e passar de 100Mb para 30Mb de velocidade, passar de um serviço sem limites de tráfego para 500GB? Os aumentos de preço ainda se "engole" com a inflação natural das coisas e custos associados, mas em anos que os aumentos de salários são quase nulos, que as operadores cortam custos, fechando lojas, despedindo pessoas, apostando nas FAQs, atendimentos automáticos e afins, depois venham "despejar" aumentos aos clientes a troco de piores serviços.

É como se agora os fabricantes de TVs passassem a voltar a fabricar só TVs a preto e branco ao preço das que pagas agora a cores (e sim eu sou do tempo das TVs a preto e branco)
É como se os fabricantes de telemóveis agora te passassem a vender Nokias 3310 mais caros que os Iphones 11 não te dando hipotese de escolher outro porque os Ericsson´s são ao mesmo preço com as mesmas características...

Infelizmente em serviços que é fácil existir uma cartelização ou monopólio se não existir uma autoridade reguladora competente o cliente é que fica sempre mais vulnerável ( Combustíveis, electricidade, Telecomunicações, Correios, etc)

Estás te a esquecer da falta de respeito das operadores pelas pessoas que não moram em cidades e centros urbanos oferencendo serviços 100x piores ao mesmo preço.
 

Suicide-Squad

Power Member
A questão aqui é inequívoca. O preço base subiu e a velocidade da net desceu. Qualidade de serviço tem outro significado, e de facto, a escolha das palavras por parte da ANACOM não foi feliz. Nesse sentido a meo esteve bem ao defender-se publicamente dessa afirmação.

Mas há uma coisa com a qual não tenho outra opção que não seja discordar diametralmente:
O custo real dos pacotes de telecomunicações em Portugal.

Não falemos de valores nominais, mas de valores percentuais quando comparados com o salário médio nacional.
Os pacotes base 3p, segundo a ANACOM, representam 40% das subscrições activas.
Ora, se o salário liquido médio de um trabalhador por conta de outrem ronda os 750€ (970 brutos), significa que representa 4,27% do rendimento mensal.

Sugiro que vejam os salários médios dos restantes países europeus, e quais os preços dos pacotes base de 3p. Depois digam quem atira areia para os olhos de quem.

Dizer que Portugal tem dos preços mais baixos nos pacotes de telecomunicações, é no mínimo, anedótico.
Até é insultuoso dizer isso a todos aqueles que pagam os mesmos 32€ (e às vezes, mais) para terem ADSL de 4 megas, ou menos.

Há demasiada política envolvida neste tipo de comunicados das operadoras.
Irei sempre exigir preços mais baixos, por tudo aquilo que descrevo em cima. As coisas têm de ser proporcionais, e aqui não são, claramente!
 

nipnip

Power Member
Não é isso que está em causa... Até sou bastante apologista de não ir pelo mais barato e sim pelo que oferece melhor qualidade-preço e de preferência nacional, seja no supermercado, seja noutro lado qualquer, porque ao sermos todos apologistas do preço mais barato sem olharmos aos outros aspectos estamos a incentivar as politicas dos baixos salários, o que não falta é gente que vai ao supermercado e tem laranja do Algarve a 0,50€ e Laranja da Conchichina a 0,49€ e vão para a da Conchicina, mesmo que depois seja para jogar para o lixo e se for preciso até tem um primo que trabalha na apanha da Laranja no Algarve..

O que está em causa é o retrocesso de um serviço que funciona com base tecnologica e que pela ordem natural das coisas se espere sempre uma melhoria, uma evolução e não o contrário, como está a acontecer em Portugal ou achas normal pagar mais hoje do que se pagava à 2 ou 3 anos e passar de 100Mb para 30Mb de velocidade, passar de um serviço sem limites de tráfego para 500GB? Os aumentos de preço ainda se "engole" com a inflação natural das coisas e custos associados, mas em anos que os aumentos de salários são quase nulos, que as operadores cortam custos, fechando lojas, despedindo pessoas, apostando nas FAQs, atendimentos automáticos e afins, depois venham "despejar" aumentos aos clientes a troco de piores serviços.

É como se agora os fabricantes de TVs passassem a voltar a fabricar só TVs a preto e branco ao preço das que pagas agora a cores (e sim eu sou do tempo das TVs a preto e branco)
É como se os fabricantes de telemóveis agora te passassem a vender Nokias 3310 mais caros que os Iphones 11 não te dando hipotese de escolher outro porque os Ericsson´s são ao mesmo preço com as mesmas características...

Infelizmente em serviços que é fácil existir uma cartelização ou monopólio se não existir uma autoridade reguladora competente o cliente é que fica sempre mais vulnerável ( Combustíveis, electricidade, Telecomunicações, Correios, etc)
Não vou tentar justificar ou defender.

No entanto oferecer tráfego ilimitado há meia dúzia de anos ou hoje em dia é substancialmente diferente porque o consumo efectivo de tráfego é hoje substancialmente diferente (e julgo que só a MEO voltou a introduzir limites).

A mim não me custaria nada oferecer-te 30 televisões se ao mesmo tempo souber que tu só tens condições de levar uma.

Se entretanto me apareceres à porta com uma carrinha eu não te ofereço 30 televisões.

O perfil de consumo alterou-se substancialmente e isso obriga a rever as ofertas comerciais.

E as operadoras não são instituições de caridade.

A guerra de preços tem tido resultados desastrosos em alguns países europeus limitando brutalmente a capacidade de investirem.
 

Spam

Power Member
Estás te a esquecer da falta de respeito das operadores pelas pessoas que não moram em cidades e centros urbanos oferencendo serviços 100x piores ao mesmo preço.

Já passei por isso quando mudei de casa há uns 6 ou 7 anos, mesmo não estando fidelizado decidi ficar com o mesmo serviço MEO, disseram que ao fazer a mudança ia ficar com uma nova fidelização (normal) e que ia ter um desconto de 5€ nas 3 primeiras mensalidades, como se fosse novo cliente, quando chegam as primeiras factura 10€ a mais em relação ao que pagava antes, telefonema para aqui, telefonema para ali, que o preço estava certo, que o tarifário era o que tinha, que eram acertos : "Então como raio estou a pagar agora mais 10€ por mês em relação ao que pagava??" Só após falar com uns 10 operadores diferentes é que finalmente um descobre a "pólvora" "Ah é que o senhor agora está numa zona não-sapo e tem que pagar a assinatura do telefone"

Então e como é que dizem que vou pagar o mesmo que pagava na outra casa quando fiz a mudança?? Tendo eu a opção da Fibra da VDF e NOS que tinha sido acabas de instalar no prédio, fiquei agarrado ao IPTV da MEO e em zona não-sapo, mesmo tendo concorrençia. "Ah não actualizaram ainda as informações por isso é que deve estar em zona não-sapo"

Resumindo e concluindo estive durante 1 ano andar a "oferecer 10€ extra ao MEO por não estar no centro da cidade e por incompetência deles.
 
Última edição:

Worst News

Power Member
Dizer que Portugal tem dos preços mais baixos nos pacotes de telecomunicações, é no mínimo, anedótico.
Até é insultuoso dizer isso a todos aqueles que pagam os mesmos 32€ (e às vezes, mais) para terem ADSL de 4 megas, ou menos.
Obrigado. Eu por ex nao tinha 4mb mas tinha 12 o que nao invalida em nada o que disseste.
 

Nogueira03

Power Member
O futuro das operadoras passa por baixarem preços, acabar com as fidelizações ou diminuir o tempo e uma melhoria das tecnológicas e coberturas.
De resto, está aceitável.
 

Suicide-Squad

Power Member
Eu sou suspeito para falar da Alice, mas tendo ainda clientes por ADSL com aluguer de linha telefónica analógica, é estranho. Só lhes fica mal, mas isso já dá pano para outras conversas (off topic).
Estamos a anos-luz daquilo que é um país com internet voz e TV dignas de renome.
 

Worst News

Power Member
O futuro das operadoras passa por baixarem preços, acabar com as fidelizações ou diminuir o tempo e uma melhoria das tecnológicas e coberturas.
De resto, está aceitável.

Eu não peço tanto, simplesmente melhorem as coberturas para toda a gente, bolas estamos em 2020, isso em 2015 ainda podia ser usado como desculpa. 11 anos q existe fibra em Portugal, não conseguem fibrar o territorio todo com a mesma cobertura que o ADSL tem num pais tão pequeno como este?
 

mr_zener

Power Member
Eu acho uma piada a estas comunicações das operadoras.... como uma vez a provedoria me argumentou, "nos não aumentámos os preços, apenas atualizámos em um euro". Paras as operadoras atualização diferente de aumento.
 

PanterA

Power Member
Os desmentidos das operadoras são sempre no mínimo "duvidosos" Nos tempos que fui cliente MEO logo a seguir a ter aderido aumentaram 1€ mesmo tanto fidelizado a alguns clientes foram 2€, na altura que andavam a "financiar" o futebol.


Actualmente a oferta básica é esta, quando no mês passado o preço era o mesmo com 100/100Mb e sem limites de tráfego..
vzUukdY.jpg

Como é que é sequer possivel em 2020, quase a chegar a 2021 ainda se considerar não oferecer tráfego ilimitado? Que cena ridícula.
 

Suicide-Squad

Power Member
Como é que é sequer possivel em 2020, quase a chegar a 2021 ainda se considerar não oferecer tráfego ilimitado? Que cena ridícula.
O que ainda é mais ridículo, é teres os operadores a fazerem publicidade à velocidade da net para todos os fins (streaming, teletrabalho, gaming, redes sociais), passando a ideia de que aguenta tudo, e sem limites.
A ANACOM devia obrigar a que os operadores tivessem de indicar de forma clara e inequívoca que só a partir de tarifário X e superiores é que se aplicam aquelas constatações.
Mas dificilmente acontecerá.
 
Topo