1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Informação: Pela 0:30 desta Sexta-feira (9 de Dezembro, 23:30 de Quinta-feira nos Açores) o Fórum e restantes sites da ZWAME vão estar offline para manutenção durante cerca de 1h30.
    Se necessário faremos actualizações via Twitter e Facebook.
    Remover anúncio

EVs e afins.

Discussão em 'Fotografia e Vídeo' iniciada por amigo, 18 de Fevereiro de 2008. (Respostas: 24; Visualizações: 1404)

  1. amigo

    amigo Power Member

    Alguém me consegue explicar com clareza o que é isto. Por exemplo, quando se diz que tiraram fotos com +2EV e +2EV, qual é o significado? :confused:
     
  2. timber

    timber Zwame Advisor

    Estás a falar da compensação relativamente à medição de luz do fotómetro da câmara?
     
  3. mundano

    mundano Power Member

    EV é um "Exposure Value".. É a linguagem técnica para aquilo que mais comummente se chama simplesmente de um "stop"...

    Quando se usa a denominação +xEV, ou -xEV, quer dizer que estás a dar uma compensação de x EV's (stops) em relação à medição da câmara..

    Por exemplo, se numa determinada cena a câmara acha que a foto fica bem exposta com uma exposição de 1/100 e F/4.. Ao dares uma compensação de +2EV a câmara vai usar por exemplo 1/25 e F/4..
     
  4. amigo

    amigo Power Member

    Ok, são stops. :P

    E de que maneira é prático o uso de compensação automática da exposição? Posso regular a máquina para este efeito, mas o que costumo fazer é deixar este valor a 0 e quando a exposição não me parece correcta, exponho novamente e tiro outra chapa. Já li tutorias da D40 que dizem para ter sempre a exposição a -0.7, mas parece-me mais prático, simplesmente, expor outra vez.
     
  5. andré ferrari

    andré ferrari Colaborador
    Staff Member

    Efeitos práticos é bastante simples.. Imagina o cenário na neve, em modo automático a máquina ilude-se com a quantidade de luz refletida pela neve e baixa-te a exposição. Se puderes controlar a exposição, os tais F-stops, poderás ver que terás melhores resultados duplicando ou quadriplicando essa exposição, com valores de +1 ou +2 (máximo).

    Em cenários por exemplo de interior onde o enquadramento da tua foto apanha janela (exterior), a luz quando entra pela janela fica bem exposta, mas a restante foto fica sub-exposta, o conselho é exactamente o mesmo, subir o valor de exposição.

    O contrário passa-se com os cenários que ultimamente andam na moda, os por do sol, tens melhores resultados com valores de exposição mais baixos.

    Isto tudo aplica-se mas regra geral a máquina ajuda com "modos" apropriados ;)
     
  6. amigo

    amigo Power Member

    Mas nesse cenário interior da janela, subindo a exposição não vou sobreexpor a janela e talvez a queimar? Em todo o caso, isso parece-me bastante mais prático expondo outra vez e tirando outra chapa, ao invés de deixar a máquina fazer isso automaticamente em cada foto que tiro. Ou então não estou a compreender o modo de compensação automático das máquinas. :confused:

    edit: Esse caso da janela parece difícil de expor para os dois sitios (interior/exterior) sem outro tipo de material que não a câmara. Parece-me que a única maneira de expor isso correctamente seria aplicando filtros ND em toda a janela e expor para o interior ou, então, expor para o exterior e utilizar outra fonte de iluminação (artifícial) para o interior que, sem mais luz, ficaria sub-exposto. Ou talvez a técnica do HDR, não sei.
     
    Última edição: 18 de Fevereiro de 2008
  7. timber

    timber Zwame Advisor

    Provavelmente vais queimar a janela.

    Mas não existe uma má exposição apenas existe a exposição que tu queres.
     
  8. amigo

    amigo Power Member

    -------

    Neste caso estava a falar numa exposição perfeita para os dois sítios. Claro que se a ideia é queimar a janela e esse for o resultado obtido então a exposição foi bem feita. :P
     
    Última edição pelo moderador: 18 de Fevereiro de 2008
  9. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Não podes ter tudo. Para teres tudo bem exposto, das duas uma, ou a quantidade de luz do outro lado da janela é o mesmo, ou pouco diferente, ou então tens uma máquina com um alcance dinâmico extremamente elevado, e isso ainda não existe.
     
  10. amigo

    amigo Power Member

    Quando falas em "alcance dinâmico", penso que estejas a falar do tal HDR. Não tenho prática com a técnica, mas, pelo que li, parece-me uma maneira possível de realizar estas duas exposições.

    Podes ter tudo, com o material certo para tal (filtros e/ou projectores), sem recorrer ao HDR.
     
  11. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Pah, tinhas que ter um filtro ND cuja zona mais escura coincidisse exactamente com o sitio da janela, o que como deves calcular, é impossível a não ser que o faças/mandes fazer por medida. lol
    Ou então, uma técnica muito utilizada com pessoas, é o fill-in flash, em que usas um (ou mais) flashes para tentar igualar a luz do interior, à do exterior.
    Isto normalmente usa-se quando estás a fotografar de frente para uma fonte de luz e queres iluminar bem aquilo que está entre ti e a fonte. Neste caso seria uma sala/parede, e não me parece que seja a melhor opção devido a reflexos e sombras que os flashes causam.

    A técnica de HDR permite-te fazer isso, tirando uma foto exposta para o interior, e outra para o exterior, mas digo-te já que se a diferença for muita, a foto vai ficar estranha. Eu já tentei isso, e nota-se as "marcas" da claridade a entrar pela janela.

    Mas quando falei de alcance dinâmico estava mesmo a referir-me ao alcance dinâmico da máquina. É a diferença, em stops, entre a cena mais escura e a cena mais clara, que a máquina consegue captar na mesma foto.
    Por si só, sem técnicas de pós-processamento, o sensor da maioria das máquinas actuais, não tem alcance dinâmico suficiente para apanhar duas exposições tão diferentes na mesma foto. Ou seja, pela máquina, só consegues se tiveres pouca diferença de luz entre o exterior e o interior.
    A que tem mais alcance dinâmico penso que ainda seja a Fuji S5 Pro.
     
    Última edição: 18 de Fevereiro de 2008
  12. amigo

    amigo Power Member

    O filtro ND que falo não é para colocar na lente (isso não faria sentido nenhum, pq iria cortar luz para toda a cena) mas sim para colocar na janela. Muito mais simples que a técnica fill-in flash e muito mais precisa. E barata, claro.
    Ou então iluminação artificial, que já implicava (em termos profissionais) uns projectores e um bom dinheiro. Muito melhor que flashes a disparar luz para todos os lados.
     
  13. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Não sei porquê, mas sempre que leio sobre iluminação, os profissionais preferem flashes do que luzes constantes. E a luz do flash é igualmente controlável, mas só vês quando o disparas.

    Por acaso também me lembrei de colocar qualquer coisa na janela, mas não sei até que ponto isso não se iria notar na mesma. Reflexos e isso...
     
  14. mundano

    mundano Power Member

    Ou usa um fill flash para preencher o interior com mais luz e assim aproximar a luminozidade do interior com a do exterior ;)...



    Quanto à utilidade das compensações... Actualmente com o digital e com os sistemas de metering ultra-modernos das máquinas a técnicas de exposição passam cada vez mais pelas compensações..

    Antigamente a fotografia a sério era para grandes mestres, que faziam a medição e disparavam com a certeza de terem feito uma boa exposição.. Ou então, quem não tinha essa certeza, tinha que rezar até ao dia de revelar aquelas fotos para ver se ficaram boas..

    Actualmente o normal é disparar, olhar para o LCD, se não estiver perfeita, compensar e disparar novamente..



    Por outro lado há situações em que à partida já sabemos que a máquina não se vai portar como nós queremos, e mais uma vez as compensações são uteis.. Há o exemplo tipico da neve, ou do areal... Mas depois cada máquina também tem as suas manhas.. A minha normalmente dou-lhe alguma compensação positiva para fotos em interiores (+0,7EV a +1EV) e alguma compensação negativa para fotos em exteriores com muita luz (-3EV)..

    Também há depois as compensações ao flash que são extremamente úteis, especialmente quando queremos usa-lo como fill flash e a máquina tenta fazer exposições normais de flash, isto acontece especialmente em retratos em dias muito nublados ou ao fim da tarde, quando o ceu ainda está bastante luminoso mas a cara das pessoas fica muito escura.. Só com o flash conseguimos conjugar tudo sem queimar o céu.. Ai -1 a -2 EV de compensação ao flash fazem maravilhas, sem compensação as pessoas mais parecem um fantasma branco no meio da fotografia..
     
    Última edição: 18 de Fevereiro de 2008
  15. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Já chegaste um pouco tarde... lol

    Mas sim, realmente os EV hoje em dia são a solução. Visto que o digital não se gasta, até podes fazer logo bracketing.
     
  16. mundano

    mundano Power Member

    É o problema de começar a escrever a resposta... Deixar a meio, ir jantar, ver a entrevista do Sócrates, voltar ao PC e acabar a resposta :lol::lol:
     
  17. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    Isso do fill flash, já tenho utilizado, precisamente devido a estes contrastes enormes de luz/sombra.

    já as compensações ao flash, como que isso funciona?
     
  18. mundano

    mundano Power Member


    Funciona como a compensação à exposição.. Só que a diferença é que em vez de alterar a exposição da foto, altera a potencia do flash..

    Para activar, depende da máquina... Nas SLR's normalmente é só carregar no botão do flash e rodar o 2º jog dial..

    Nas compactas algumas têm compensação para o flash perdido nos menus, outras a compensação EV, sempre que forças o flash funciona como compensação da potencia do flash e não da exposição... E há outras que simplesmente não têm esta função.



    PS: eu cada vez uso mais e gosto mais de usar o flash da camara.. O problema das fotos com flash é que normalmente são usados ao contrario.. Usam-se de noite, e ai provocam aquelas sombras horríveis e os rostos sem relevos pela iluminação frontal.. Ai o flash da máquina é para usar só mesmo em emergencia, um flash externo, ou uma lente ultra rápida para aproveitar a iluminação existente são essenciais... De dia, normalmente ninguém usa... E ai fazem maravilhas.. Um fill flash bem usado faz maravilhas pelos retratos..

    Só para dar um exemplo, retirado de um excelente site sobre fotografia com flash (http://planetneil.com/tangents/category/flash/)

    Sem flash, exposto para o casal:

    [​IMG]


    Sem flash, exposto para o ceu:

    [​IMG]



    Um Fill Flash bem aplicado:

    [​IMG]
     
    Última edição: 19 de Fevereiro de 2008
  19. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    sim, a minha na parte do flash, quando utilizado o modo Av ou Tv, aparece na parte do Flash a mesma coisa que os EV ou seja -2 a +2, daí perguntar.

    em modo manual apenas tem 3 "níveis" de potência.
     
  20. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Realmente o fill flash é uma técnica muito boa para retratos. Eu já fui adepto das grandes aberturas, mas em muitas situações não há nada como ter um bom flash.
    Descobri isso há alguns anos atrás, um dia na praia, ainda com uma olympus de rolo em que tudo era incerto, e andava a tirar fotos à malta, quando reparei que volta e meia ela usava o flash. Havia mesmo pessoal a dizer que a máquina estava maluca e que as fotos iam ficar todas brancas, etc e tal.
    O que é certo é que das fotos conta o sol, só as minhas se aproveitaram, e estavam todas com a exposição a 100%, não havia cá manchas brancas na cara das pessoas nem nada. :D
     

Partilhar esta Página