1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Fabrico caseiro de placas de circuito impresso

Discussão em 'Modding e Overclock' iniciada por Mortymore, 6 de Dezembro de 2007. (Respostas: 7; Visualizações: 13434)

  1. Mortymore

    Mortymore Power Member

    http://www.qsl.net/py2rlm/PCI.html

    Vejam no link acima como se podem fabricar em casa placas de circuito impresso recorrendo a uma impressora LASER, papel fotográfico e um ferro de engomar.

    Versão convertida em PDF para download: http://micro8051.com/ebooks/PLACAS_DE_CIRCUITO_IMPRESSO.pdf

    Há mais variantes deste método que se podem encontrar na net, e evidentemente outros métodos caseiros, mais ou menos complexos, como máquinas CNC (ou milling) e impressoras jacto tinta modificadas para imprimir directamente na PCB, como se pode ver no link seguinte:

    http://techref.massmind.org/techref/pcb/etch/directinkjetresist.htm

    Contudo, o método da impressora laser e do ferro de engomar, julgo que será mais acessível a quem quer fazer a sua própria PCB (placa de circuito impresso) sem recorrer a placas pré-perfuradas. Claro que os bons resultados dependem ainda assim de várias coisas, como eventualmente o toner, em particular o tipo de papel, a temperatura do ferro, os "timings", etc.

    Ficam as dicas. Inventem com força, mas não se magoem, e em particular comprem um ferro de engomar baratucho (uns €15 deve dar) e não usem o da Maria ou o da mamã porque podem arranjar problemas lá em casa com as mulheres. :lol:

    Abraço
     
    Última edição: 6 de Dezembro de 2007
  2. RicardoMoreira

    RicardoMoreira Power Member

    Sempre fiz placas de circuito impresso em casa.

    Só é necessario uma boa impressora (jacto de tinta tambem dá), papel vegetal/acetato, uma lampada UV, soda caustica e percloreto de ferro.
    Desta forma não uso ferro de engomar.

    Cuidado com as brincadeira, já me saltou percloreto de ferro para os olhos e tive que ir de urgencia para o hospital. A partir daí só com oculos de protecção.
     
    Última edição: 6 de Dezembro de 2007
  3. Mortymore

    Mortymore Power Member

    Esse é o método tradicional da fotoimpressão. Faltou-te mencionar que, ou se compram as placas pré-sensibilizadas, ou então têm que comprar um spray próprio para o efeito, e que nesse caso convém ter acesso também a um estufa para secar o "verniz", e que esse processo requer cuidados também com a iluminação, pois não é aconselhável que haja muita luz após a placa estar coberta com spray fotossensível e até ser colocada em posição de receber os UV.

    Por outro lado, não usas o ferro, mas usas as lâmpadas UV, spray fotossensível, e nesse caso também eventualmente uma estufa, ou placas pré-sensibilizadas que ficam mais caras, e finalmente soda cáustica.

    Os cuidados a ter são acrescidos com este método, porque acresce o uso de mais um componente perigoso que é a soda cáustica. O percloreto de ferro (ou similar) é indispensável para corroer o excedente de cobre da placa, seja lá qual for o método que se utilize para efectuar o traçado das pistas na PCB, excepto CNC. O percloreto de ferro também é prejudicial para a roupa. Se pingar nos tecidos, com o tempo é normal que vá acabar por abrir um buraco.

    Acresce dizer que a fase de revelação em que após a sensibilização por exposição aos UVs, e quando a soda caústica vai actuar removendo a protecção da placa que esteve exposta á luz (ou vice versa, dependendo do tipo de sensibilização), não é um processo fácil, pelo menos quando se usa spray (com placas pré-sensibilizadas não sei que nunca usei) pois não é muito fácil perceber se já foi removido ou não toda a camada protectora, pois a diferença de coloração entre o que é para remover e o que é para ficar é muito ténue, só com um banho rápido em percloreto, que vai deixar as zonas não protegidas da PCB com uma cor rosa, é que se pode depois fazer uma inspecção visual á qualidade do resultado final da sensibilização.

    Sem dúvida que quando se está "batido" no processo, e já se tem tudo controlado, como os tempos de exposição e banhos, que o processo de fotoimpressão é muito bom, mas na minha opinião é mais complexo e requer mais recursos e cuidados, até ao nível da segurança.
    Por outro lado é um processo "tão velhinho" que a generalidade das pessoas que tenham aprendido algo sobre electrónica, devem dele ter conhecimento, ao contrário do que expus aqui, que julgo que não deve ainda ter divulgação e/ou aplicação prática na generalidade das escolas.

    Contudo, uma vez que creio que o fabrico caseiro de PCBs, não está "tratado" aqui no forum, na minha opinião, podem e devem ser apresentados e discutidos todos os métodos. A propósito disso, o método mais básico é desenhar as pistas na PCB com uma caneta de acetato, ou um ainda mais tosco mas possível, é usar verniz das unhas, daquele que usam as senhoras. Sem que elas dêm conta, porque senão estão em apuros. :p

    Abraço

    PS: Também podem sempre tentar recorrer a coisas sofisticadas como LASERs e LEGOs :p

    http://www.youtube.com/watch?v=c9XfaHlfJEM

    http://www.instructables.com/id/Lego-Laser-Plotter/
     
    Última edição: 6 de Dezembro de 2007
  4. RicardoMoreira

    RicardoMoreira Power Member

    Por acaso prefiro placa pre-sensibilizadas, pois o spray nunca dá um resultado tão eficaz.

    Até vi uma altura num site uns gajos que modificaram uma impressora antiga da HP para esta fazer mesmo os circuitos em placas sem nada. Isso sim dava jeito. :p
     
  5. Ra7or

    Ra7or Mestre BOINC

    Eu uso o método convencional, pode ser muito perigoso, mas pelo menos sei que dá. Esse método já tinha experimentado, e até já tinha sido aqui falado no fórum, testei e não consegui, tb não dei muito mais hipótese, mas parece-me menos eficaz apesar do que dizem.

    Talvez alguém com mais experiência nesse método diga o contrário, mas até agora uso e usarei o antigo método.
    Cumps;)
     
  6. Mortymore

    Mortymore Power Member

    Mais uma :p

    Aproximadamente a mesma técnica descrita no post inicial, mas em vez de se usar um ferro de engomar para transferir o toner para a PCB, é usada uma espécie de prensa improvisada, que vai ao forno pré-aquecido a 150º durante cerca de meia hora.

    http://www.epages.co.il/pages/homepcb.php

    Abraço
     
    Última edição: 29 de Dezembro de 2007
  7. Eu ainda tenho é uma dúvida. Quais as placas mais indicadas para utilizar este método, podem me sugerir onde comprar placas a bom preço?
     
  8. kasmafan

    kasmafan Power Member

    Já fiz muitas placas há uns anos atrás dos mais variados métodos. Sem dúvida alguma aquela que me trouxe melhores resultados foi a da transferência com papel de acetato e luz uv. Tinha um tanque com um motor de um aquário para a solução de percloreto de ferro e para as luzes uv desmontei um scanner e montei as duas lâmpadas lá dentro.

    Quanto às placas mais vale comprar já as pré-Sensibilizadas, comprar as placas mais o spray não rende o trabalho que dá, entre ter de aplicar uma camada uniforme, depois também não pode ser nem muito fina nem muito espessa e no fim de tudo o sítio sem luz para deixar aquilo secar.
    Comecei a comprar placas já pré-sensibilizadas na extinta dimofel.

    Fotos do scanner já não tenho fotos.

    Tanque, era igual a este.
    [​IMG]
     

Partilhar esta Página