1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Futuro dos engenheiro informaticos

Discussão em 'Programação' iniciada por HarryZontal, 3 de Novembro de 2018. (Respostas: 7; Visualizações: 529)

  1. HarryZontal

    HarryZontal Power Member

    No outro dia estive aqui a pensar, o pessoal dos RH vende a ideia aos engenheiros informaticos que vivemos numa epoca dourada e e trabalho não vai faltar durante a nossa carreira e cada "desafio" é uma oportunidade de crescer.

    Mas epah daqui a 30 anos ainda queremos estar a bater código? (diria que 90% não) Queremos evoluir e passar a arquitectos ou product owners ou gestores ou o raio que o parta... mas todos estes developers que andam a recrutar agora, n podem todos ser gestores daqui a 30 anos. Não iremos passar por uma crise quando estivermos nos nossos 45/50 anos se não tiveremos até la amealhado uns bons trocos?

    Eu começo a achar que tenho de expor isto aos recrutadores, de que esta é uma carreira relativamente curta e que tenho de ganhar bem agora que daqui a 30 anos o eldourado é para os "putos" e eu vou tar a arrumar as botas.

    Vocês vem o futuro promissor? acham que ainda ha margem para crescer e sermos todos patroes daqui a 30 anos?
     
  2. Eu não sei se daqui a 30 anos há pessoas a escrever código. IA vai limpar muito trabalho, pode levar mais tempo mas programadores não escapam.
     
  3. HarryZontal

    HarryZontal Power Member

    Tas a gozar?

    Quando isso acontecer ninguem vai trabalhar....
    a IA faz programas para desenhar robos e as fabricas para os construir, a IA programa os robos e as fabricas para os construir e é tudo automatico. Até lá... até a IA tem de ser programada por developers.

    Não me parece que va acontecer nos proximos 100 anos sequer... a 200 anos atras tb diziam que por esta altura iamos ter carros voadores.

    Acho o cenario de quem já tem uns 10 anos de experiencia, daqui a 20 anitos já não tem a mesma elasticidade mentar para se adaptar as novas tecnologias e não vai haver mercado para absorver toda a gente para cargos de gestão e ficamos num ponto critico...
     
  4. ultrauploader

    ultrauploader Power Member

    Por um lado, vemos uma explosão na complexidade no desenvolvimento de software e consequentemente, cada vez mais especialização e mais procura por vários tipos de profissionais.

    Por outro, existem cada vez mais pessoas a entrar na área o que a médio/longo prazo pode desvalorizar a profissão. No entanto, existem developers e developers. Alguns apenas procuram aprender o mínimo aceitável para serem competentes no seu trabalho e ter um salário no final do mês e outros têm realmente gosto no que fazem e procuram evoluir e aprender. Devido aos bons salários não só em Portugal mas em praticamente qualquer parte do mundo muita gente que pertence à primeira categoria está agora num curso de engenharia informática ou foi para um bootcamp, o que lhes garante um bom nível de vida.

    Infelizmente penso que os que se encaixam nesta categoria (os que fazem "trabalho de macaco") serão os primeiros a sentir dificuldades. A barreira de entrada é demasiado baixa.
    Para quem é bom no que faz penso que não haverá grande diferença mesmo com maior oferta de mão de obra. Idealmente a procura até deveria aumentar se quem sai da faculdade soubesse minimamente como funciona o mercado de trabalho em termos de valores e negociações.

    Quanto à questão de o career path de um developer acabar normalmente num cargo de gestão... penso que as grandes empresas em silicon valley nos dizem mais ou menos como poderá funcionar no futuro: um plano de carreira para engineering e outro para management. Não estou a ver outra forma de reter quem tem mais experiência e conhecimento e não quer ir para gestão.
     
  5. lenric

    lenric Power Member

    Haverá coisas que serão automatizadas e outras profissões serão criadas. Não necessariamente CS per se, mas aplicações de CS a outras áreas, como medicina (talvez nanotecnologia e etc), mecânica, robótica, etc.

    Como já disseram em cima, a especialização será cada vez mais importante e sairão por cima as pessoas que tenham recetividade a aprender coisas novas. As outras, como noutras áreas, ficarão para trás.
     
  6. HarryZontal

    HarryZontal Power Member

    Mas por muito especializados que sejamos, não vamos querer estar com 50 anos ainda a bater código.

    E digamos que ha um cargo de "gestão/arquitectura/product ownership" por cada 5 developers. isso provavelmente quer dizer que daqui a uns aninhos valentes quando quisermos progredir só temos 20% de chances de largar o desenvolvimento.

    Pralém de que para ser arquitecto ou product owner tem de se ter uns aninhos na empresa para ficar a conhecer o produto/software por dentro, o que nos lixa a estratégia de andar a saltitar para aumentar o salário.

    Acho que os salarios actuais (especialmente em portugal) não nos protegem para a possibilidade de esta carreira ser possivelmente mais curta que as carreiras "normais"
     
  7. lenric

    lenric Power Member

    Sim, é verdade.
    Mas acho que aí também temos de nos mentalizar de algo: cada vez menos as pessoas ficam na mesma "área" para toda a vida. Eventualmente saltita-se de desenvolvimento para gestão, agile, professor... ou mesmo para uma área completamente diferente, como vendas, membros de uma board, marketing, etc.
     
  8. cconst

    cconst Power Member

    Caros, eu vejo isto do Eng. informático como o operário do século XXI. Se durante a revolução industrial houve um boom muito grande em trabalho especializado nas linhas de produção, o mesmo está a acontecer com os Eng. informáticos.

    E não tem mal nenhum.

    Nem todos têm que vir a ser managers. Ou gestores de cliente ou de projeto ou... Nem todos os Eng. informáticos têm o perfil para isso. Aliás, os meus 14 anos de experiência dizem precisamente o contrário. Um bom eng. informático raramente dá um bom manager/gestor. E "obrigar" um bom Eng. Inf. a ser um manager é um erro.

    Entretanto, qual o problema de se estar a bater código com 50? Não se tem elasticidade? Não aceito. A experiência em determinados sectores e conhecimento ao nível de negócio trás muitas mais valias na fase conceptual de projeto. Nem sempre o cliente consegue expor de forma clara o que pretende. Um programador/arquiteto de software com 20+ de experiência trás mais em 2 ou 3 semanas que um caramelo com 30 anos (com 5 de exp.) trás em 3 meses!

    Depois existe aquela vertente do pessoal que tem 50 e é demasiado valioso para o deixarem ir embora. Tem demasiada documentação do negócio (apesar de ser técnico) para o deixarem sair. É o developer que trata toda a gente mal, que tem o seu próprio horário e a sua agenda.

    Acho que irá haver lugar para muita gente nas próximas décadas.
     

Partilhar esta Página