Análise Gigabyte EX58-UD4

JPgod

Moderador
Staff
Boas

Iremos ter análise desta motherboard.

GIGABYTE GA-EX58-UD4

intro.png


Specs & Info Geral

Com a chegada dos Intel Core i7 e o chipset x58, o único disponível até a data para o socket LGA1366. O chipset X58 foi pensado para ser um chipset de topo, logo os preços tem sido elevados. Felizmente os fabricantes de motherboards tem lançado vários modelos, a cobrir todo o segmento desde os 200 até perto dos 500 €. Inicialmente a oferta foi reduzida e sempre segmento acima dos 300-350 €, mas o panorama mudou um pouco e já encontra-se no mercado boards na casa dos 200 €, segmento na qual esta gigabyte UD4 se enquadra.

A principal característica que a Gigabyte apregroa nas suas boards de topo mais recentes é a tecnologia Ultra Durable 3, que consistem em inovações tecnológicas para melhorar a durabilidade e overclock, que passo a destacar.

* PCB com 2 camadas (ground e power) de cobre de 2 OZ (Ounce) de espessura em vez dos tradicionais 1 OZ. Isso resulta em melhor dissipação de calor, PCB mais resistente, melhor durabilidade, melhor overclock, melhoria na eficiência energética, por ter maior impedância (mais cobre = mais capacidade de corrente).
* Condensadores sólidos japoneses de alta qualidade, garantindo 50000 horas, bem superior aos tradicionais condensadores.
* Dupla BIOS. Uma principal e uma de backup. A BIOS de backup restaura a principal em caso de falha (por exemplo, ao fazer update da bios e falha a corrente eléctrica e fica corrupta).

Estas características todas podem resultar numa motherboard mais resistente e durável. É bom que os fabricantes apostem na qualidade, não só o utilizador final tem menos problemas e material mais durável, como do próprio lado do fabricante resulta em menor número de RMA's, que no caso da BIOS deve ser das principais causas de RMA.

Specs da motherboard:

CPU's suportados: Intel core i7 LGA 1366
North Bridge: Intel X58 Express Chipset
South Bridge: Intel ICH10R
QPI: 4.8GT/s / 6.4GT/s
Memória: 6 slots DDR3, suportando tri-channel (192 bits), até 24 gigabytes.
Audio: Realtek ALC888 codec 7.1, com saída SPDIF digital
LAN: Realtek 8111D chips (10/100/1000 *****) (uma porta)
expansão: 2x PCI-e 2.0 x16 @ 16x + 1x PCI-e 4x + 1x PCI-e 1x + 3 PCI
PCI: 3 PCI slots
Armazenamento: 6 portas SATA 2 via ICH10R, suportando RAID 0,1,5 e 10 mais 2 portas SATA2 e IDE via controlador gigabyte mais floppy disk
Firewire: 2 portas no painel traseiro (uma mini e uma normal) e um header interno suportado pelo chip T.I. TSB43AB23
USB: 12 portas USB 2.0 suportado pelo ich10r, sendo 8 no painel traseiro e 2 headers internos, suportando mais 4 portas extras.
BIOS: 2 bios de 8 megabits, sendo uma a funcionar como backup da outra em caso de "acidente".
Dimensões: ATX Form Factor; 30.5cm x 24.4cm

Specs completas

Links

Site oficial
Specs x58 (intel)

Material

Board: Gigabyte GA-EX58-UD4
VGA: ASUS HD3650 256 MB DDR3 & Shappire HD 2900 XT 512 MB
Cpu: Intel Core i7 i920.
Cooler: ASUS triton
Ram: Corsair XMS3 2x 1024 DDR3 1600 mhz 9-9-9-24
Disco (de arranque) WD single plate 320 gb.
Drive optica: liteon DVD-RW
Caixa: Lian-Li v880b
Fonte: Seasonic M12 500w
SO: Windows Vista Business + Windows 7 beta 32 bits
Display: TFT LG 22".

Fotografias

Aqui fica uma fotografia da caixa desta motherboard. Possui design apelativo, em cor branca e com revestimento brilhante com indicação das principais características, a destacar a tecnologia Ultra Durable 3. Na verdade trata-se de uma enclosure, visto que a board e os acessórios estão acondicionados dentro de outra caixa de papelão grosso.

caixa1.jpg


Vista da parte de traz, com descrição das principais características, a destacar novamente as diferenças entre boards com a tecnologia Ultra Durable 3 e sem.

caixa2.jpg


Abrindo a caixa, somos brindados com um blunde muito jeitoso e completo. Apresenta um saco onde tem 4 cabos SATA de cor de laranja (nenhum cabo de energia), 1 cabo IDE e um disquete de com azul escuro, outro saco de cor escura, que contém um prático bracket com 2 portas e-SATA + 1 molex de energia, 2 cabos e-SATA para SATA e 1 adaptador molex para 2 SATA's, ou seja permitindo ligar 2 discos SATA normais fora do computador, muito útil para backups ou emergências (aquele amigo cujo computador avariou e está desesperado para fazer backups e com isso pode copiar os dados para outro disco em velocidades muito superiores à USB 2.0), sem precisar abrir a caixa, ligar outros cabos, principalmente se gostam de arrumar os cabos todos bonitinhos. Também vem com um espelho com indicação das portas e esquema de cores, 1 manual, 1 quick install guide, CD com drivers e software e um adesivo para colar na caixa. Um blunde bom, não sendo muito recheado, mas relativamente completo. Podia era vir com algum jogo interessante ou um software completo, como uma versão full do 3dmark vantage, apenas tráz o norton antivirus OEM, que pessoalmente não gosto. NOD32 ou Karspersky são bem melhores!

caixa3.jpg


Um close-up de todos os acessórios anteriores descritos ao pormenor

acessorios.jpg


Removendo os acessórios e eis a motherboard, embalada no habitual saco anti estático

embalada.jpg


Retirando do saco e aqui temos esta bela motherboard em todo o seu esplendor. De notar que a gigabyte teve melhor cuidado com o aspecto visual, em tons simples azuis e brancos e cinzentos, embora ainda manteve um slot pci-e 4x a laranja, os headers USB a amarelos e ligação de SPDIF-IN a vermelho, pontos ainda a melhorar, mas sem dúvida bem melhor que os designs "arco íris" de outrora. Mas mesmo assim nada como os PCB's pretos da concorrência.

frente.jpg


Parte de traz, a destacar apenas o PCB azul escuro, o backplate que prende a retenção do cpu e a retenção do cooler do northbridge. De notar que a retenção metálica do socket está frouxa, de modo a não exercer demasiada pressão nos pinos ao montar o CPU, embora o CPU fique firmemente preso, pelo o que não se preocupem.

back.jpg


Passando às fotos dos componentes da board, começando pelo chipset. Aqui fica um close-up do cooler do chipset, num dissipador relativamente simples comparando com outros modelos e fabricantes, mas de grande dimensões demonstrando que estamos perante um chipset quente, apesar de ter perdido o controlador de memória, com uma cobertura metálica a azul com o nome do fabricante a branco. Esta placa dá um toque especial de design, mas considero como um obstáculo à refrigeração correcta do X58. pelo o que recomendo remove-lo com cuidado e guardar, voltando a colar para vender ou eventual RMA. Tal permitirá os fins "respirarem", principalmente se quiserem adaptar uma ventoinha. Apresenta ainda um heatpipe a ligar ao dissipador dos mosfets. Aqui houve corte de custos relativo a gigabyte UD5, que apresenta essencialmente o mesmo cooler em cima do X58, mas com 2 heatpipes que ligam também ao southbridge e ao 2º dissipador dos mosfets. Destacar ainda um pequeno dissipador nos mosfets do controlador de memória.

northbridge2.jpg


Um panorama da zona principal da board, onde podemos ver novamente o cooler do northbridge, o socket LGA1366 com a protecção dos pinos, o dissipador dos mosfets ligado ao northbridge por um heatpipe e com uma placa metaliza tal como do northbridge, mas com a inscrição da principal característica da construção desta board, o "Ultra Durable". Também vê-se ao fundo o dissipador secundário dos mosfets com um design interessante, sem qualquer heatpipe e os 6 slots de memória, sendo que as rans para funcionar em triple channel devem ser instaladas nos slots da mesma cor. Tanto faz instalar nos azuis ou brancos no caso de apenas 3 módulos, tendo atenção apenas a coolers maiores. Vê-se também 1 slot pci-e 1x (a branco) no topo de board, mas a proximidade do northbridge só permite instalar placas de pequeno comprimento, um slot PCI-e 4x a laranja e aberto no final (logo permite levar uma placa gráfica full-size, embora ficava bem uma coisinha destas aka Fusion IO, o disco SSD mais rapido do planeta :p ), um dos dois slot PCI-e x16 2.0 (a azul) e 1 PCI (a branco)

northbridge3.jpg


Um close-up da zona do CPU, tendo em primeiro plano os slots de memória, depois o socket do CPU e o dissipador com a placa metálica "Ultra Durable". Reparar no circuito de alimentação do CPU, com 8 fases e muitos condensadores. Aqui uma diferenla para as irmãs mais caras, que tem 12 fases. Apresenta também circuito separado para o controlador de memória.
socket.jpg


Pormenor das 8 portas SATA, sendo as azuis ligadas ao ICH10R e as brancas ao chip gigabyte. Notar que estão em ângulo, facilitando montagem e organização dos cabos, se bem que na minha caixa horizontal acaba por ser pior que portas horizontais, devido a proximidade da fonte, que fica montado na frente da caixa. Em destaque o dissipador do ICH10R, suficiente para o seu arrefecimento, por aquecer pouco (menos que o ICH9R da minha ASUS P5K-E). De notar as portas paralela e floppy a branco, numas posições algo más, mas como estão a cair em desuso não são assim tão inconvenientes. Destacar as 2 pci-e 2.0 x16 (cada uma), fornecido pelo X58. Esta board apenas suporta crossfire (2 way) e não suporta SLI, como está neste tópico, tal como as irmãs mais caras (UD5 e EXTREME), que apresentam também um 3º slot. Talvez com BIOS hack possa suportar 2-way SLI. Isso deve-se a corte de custos, visto que a nvidia cobra 5$ por cada board x58 certificada. Para quem não pretender SLI, apenas crossfire ou single card é irrelevante, mas caso pretendam SLI, não será a board a comprar. Por fim, reparar nos condensadores todos metálicos, com tempo de vida útil de 50000 horas segundo a gigabyte.

sata.jpg


Um close-up geral da board, destacando a ficha ATX 24 pinos, numa boa posição. Reparar que os mosfets da memória e VTT não tem dissipadores, apesar de ter marcação e os 2 furos, mas praticamente nem aquecem e facilmente pode se por uns ransinks.

board1.jpg


Close-up da zona do southbridge, onde podemos ver também o controlador SATA e IDE "gigabyte sata2", o controlador firewire (chip quadrado grande junto das PCI), 2 headers USB 2.0, um header firewire tapado com uma peça de protecção, uma porta serial, 2 headers de ventoinhas, sendo uma de 4 pinos e os conectores para os botões e leds da caixa.

ich10r.jpg


Close-up dos dois ultimos slots PCI, onde podemos dar destaque aos 2 chips da BIOS, que é uma excelente feature, visto que se a BIOS principal ficar corrupta (um flash falhado por falha eléctrica, por exemplo), a outra irá servir de backup e restaurar a principal. Cada vez mais fabricantes de boards implementam duas BIOS, até porque isso minimiza e muito os RMA's, logo diminuição de custos para o fabricante e para o próprio utilizador que tem menos tempo de computador parado devido a RMA, visto que como as BIOS são soldadas, não é possível fazer "hot flash". Longe vão os tempos dos chips de BIOS gigantescas e hoje são 2 pequenos integrados. Ao lado está o cada vez mais useless floppy disk que já podia ir à vida (relembrar ainda sobre as BIOS que tem 2 MB, logo não cabem nas disquetes, pelo o que o flash tem que ser feito via USB drive, de preferência). Ainda na foto aparece o chip de SUPER-IO ITE, responsável pela floppy, serial e PS-2. Ao lado, a preto um conector de CD-in, outra tecnologia redundante (se bem que hoje em dia as placas de som só trazem um, enquanto no passado era comum 2 a 4 headers) já obsoleta (até porque as drivers SATA já não trazem este conector e a muito que o som dos CD áudio passa pelo próprio cabo), mais em cima está o codec de audio REALTEK ALC888, que já não é o "state of art" das onboard, existindo versões mais recentes, com o ALC1200 e os codecs da ADI que considero melhores. Preferia implementações dedicadas estilo ASUS supremeFX, mas infelizmente só em meia duzia de boards caríssimas aparecem. A vermelho está o SPDIF-IN e no topo da foto a verde se vê parte do conector de ÁUDIO frontal, numa péssima posição (quando devia ficar no local onde estão os IC's de BIOS), que no meu caso impede de usar o audio frontal pelo cabo não chegar ao sitio.

bios.jpg


E terminando as fotografias, deixo aqui a board com o cooler, cpu e ram montados. Um aspecto a considerar é a solidez da board e o PCB é realmente mais grosso e resistente que outras boards que já tive, fruto dos 2 OZ de espessura das layers de cobre que a gigabyte apregoa nesta série "Ultra Durable 3"

montado.jpg


As belas Corsair 1600 3x 1024 DDR3

corsair.jpg
 
Última edição:

JPgod

Moderador
Staff
1ª parte - Testes em defaut @ Windows 7 beta 7000

Bem, segue agora vários testes feitos com settings defaut, que são os seguintes, a única diferença foi que alguns testes foram feitos com o Hiperthreading (HT) desligado.

QPI bus: 133 mhz
CPU: 20 x 133 = 2667 mhz (21 x 133 = 2800 em turbo mode, 12 x 133 = 1600 em idle)
RAM: 12 x 133 = 1600 mhz, 9-9-9-24, 1.64v
uncore: auto (3200 mhz)
QPI ratio: 36x (4800 mhz)

Fica abaixo um shoot do CPU-Z e brevemente coloco pic's da BIOS

cpu-z-defaut.png


HDtach

Western Digital 320 gb 3,5" 7200 rpm single plate por SATA (ICH10R)
hdtach-wd-sata.png

Samsung 320 gb 3,5" 7200 rpm single plate por SATA (ICH10R)
hdtach-samsung-sata.png

Samsung 250 gb 2,5" 5400 rpm por USB
hdtach-samsung-usb.png

Teamgroup SD card 4 gb por USB
hdtach-sd-usb.png


Everest Disk Benchmark

WD + Samsung SATA
everest-disk-sata.png

Samsung + SD card USB
everest-disk-USB.png


Estes testes simples apenas serve para demonstrar a performance no que toca ao armazenamento SATA e USB pelo ICH10R. Resultados bastante bons e dentro do esperado, não diferindo dos mesmos testes feitos numa asus P5K-E com core 2 e ICH9R do chipset P35. Tentarei verificar depois a performance da controladora SATA2 integrada.

Everest Cache & Memory Benchmark

everest-cache-&-men-defaut.png


Aqui que se pode perceber o poder dos core i7 :D Uns impressionantes 17,3 GB/s de memory copy e também impressionante 34,5 ns de latência, apesar dos timmings elevados. Como comparação, um sistema Core 2 a 400 fsb, e DDR2 a 1000 5-5-5-15 só consegue cerca de 9 GB/s de copy e 60 ns

Atenção que com CPU em overclock e mantendo a frequência e timmings da memória, a largura de banda tem um bom aumento, fazendo cerca de 20-21 GB/s e latência na ordem dos 29-30 ns.

3dmark vantage

3DMark-Vantage-defaut.png


Fica dois single run do 3dmark vantage (performance benchmark), um utilizando uma ATI 3650 @ 725/800 e outro utilizando uma ATI 2900 XT @ 880/900. Não tenho licença completa deste benchmark, pelo o que só pude apresentar assim os resultados e não é possível executar o benchmark xtreme (e só tem interesse em graficas high-end). Dado que nenhuma das 2 gráficas que tenho é "state of art" de gamming/benchmarks, não irei fazer testes de jogos e 3dmarks alem do vantage, ainda mais que o 3dmark 2006 é incompatível com o Windows 7 beta.

Cinebench

cinebench-2003-defaut.png


Fica aqui o teste do Cinebench 2003, HT on e HT OFF, single e multi thread. Como podemos verificar, Com HT on, o teste multi thread é mais rápido que HT off, mas o teste single thread com HT off é um pouco mais rápido que HT on, mas uma diferença quase nula. Os ganhos com HT foram de 120 pontos ou quase 1 segundo a menos de rendering. Pode parecer pouco, mas em grandes renderings pode ser vários minutos poupados.

cinebench-R10-defaut.png


Aqui com o moderno cinebench R10. O mesmo comportamento que o 2003 no que toca ao HT on vs HT off, mas podemos verificar que os ganhos de multi thread é superior ao cinebench 2003, seja com HT on ou OFF, mostrando que tira melhor partido dos cpus multi-core/multi-thread que o cinebench 2003. Neste caso teve um ganho de 2100 pontos, que neste teste já são vários segundos de speed-up.


Winrar 3.8

winrardefaut.png


Aqui um teste de um software largamente utilizado. Comparação com e sem SMT (Simetric Multi Threads) e com e sem HT. Novamente com HT os ganhos são plausíveis, saltando de 2.3 para 2.8 MB/s de compressão, sendo que sem HT e single thread a diferença é praticamente negligenciável. Os ganhos com o Winrar não são tão expressivos como no cinebench, porque o software não utiliza o cpu a 100%. Uma pequena chamada de atenção relativo ao winrar. Só existe ganhos em SMT a COMPRIMIR, a descomprimir o limite actualmente é o disco rígido e não tanto o CPU.


Hyper pi

superpihtondefaut.png


Testes feitos com uma variante do super pi 1.5, chamada "hyper pi", que consiste em correr em simultâneo várias instâncias paralelas do super pi. O super pi já é algo antigo para medir performance dos cpus modernos, mas mesmo assim corri esta versão para comparação HT on VS off e performance a correr várias aplicações em paralelo.

Acima testes feitos com 1, 2 4 e 8 instâncias . Podemos notar que de 1 até 4 instâncias a diferença de tempo é pequena, mas aumentando ligeiramente (devido a "competição" pela largura de banda), embora com 8 instâncias o tempo já subiu consideravelmente.

superpihtoffdefaut.png


Mesmos testes, mas com HT OFF. Houve melhoria dos tempos, especialmente em single thread, mas tentei mesmo assim correr o teste com 8 instâncias e revelou-se impossível e tive que abortar na hora. Aqui está uma das vantagens do HT, permitir mais programas correrem em simultâneo, sem bloquear o sistema, desde que a prioridade não seja tudo "normal".

wprime

wprimedefaut.png


Por fim, o wprime, que utiliza multi theading para acelerar os cálculos de facto e é bem mais optimizado que o super pi 1.5. Aqui foi utilizado o calculo de 32 milhões de casas do PI e mesmo em single thread apenas demorou 46 a 48 segundos, enquanto no super pi era vários minutos. Aqui o boost do HT foi enorme, tirando 3 segundo e meio em relação a 4 threads. Novamente em single thread foi mais rápido em 2 segundos em HT off do que ON.

E fica concluído a 1ª parte. Em breve a 2ª parte com testes em overclock, incluindo pic's da BIOS!
 
Última edição:

JPgod

Moderador
Staff
2ª parte - Testes em overclock @ Windows 7 beta 7000

Bem, segue agora vários testes feitos com settings em overclock, que são os seguintes:

BCLK: 180 mhz
CPU multi: 20x = 3600 mhz (21x = 3780 em turbo mode, 12x= 2160 em idle)
RAM multi: 8x = 1440 mhz, 7-8-8-20, 1.64v
uncore multi: 19x = 3420 mhz
QPI multi : 36x = 6420 mhz

Fica abaixo um shoot do CPU-Z:

cpu-z-oc.png


Everest Cache & Memory Benchmark

everest-oc.png


Aqui respira-se POWER! 21 gb/s memória em copy e 32 ns, a apenas 1440 mhz!! Salientar a cache L1 120 gb/s, L2 a quase 47 e L3 a quase 30! Sem dúvida que o uncore a 3420 deu um empurrãozinho, em vez de ficar "síncrono" com a memória (2880 mhz). Relembro que o "uncore frequency" dita a frequência da cache L3 e do controlador de memória

Cinebench

cinebench-OC.png


Um ganho significativo, passando de 583 pontos para 789 single thread e 2035 para 2736 multi-thread! E fazendo abaixo de 10s o render :D

cinebenchr10-OC.png


Neste programa, passou de 13469 para 18264, impressionante mesmo os ganhos e de notar que até a eficiência dos ganhos em multi thread passou de 4.13 para 4.18! Fruto talvez de melhor timmings e maior velocidade no uncore!

Winrar 3.8

winraroc.png


Os ganhos aqui não foram expressivos comparando com os outros, mas mesmo assim notável, com quase 3,5 MB/s

Hyper pi

superpi-oc.png


Aqui o famoso super pi em OC, fazendo abaixo dos 11s a apenas 3600 mhz :D De notar que quanto mais threads, pior o tempo, especialmente com 8 threads, mas como já tinha dito, enquanto com HT é possível correr 8 instâncias em simultâneo e mesmo assim o sistema continua utilizável e sem HT, se meter 8 threads, o sistema fica simplesmente bloqueado.

wprime

wprime-oc.png


Menos de 7s, mostrando o poder dos core i7 em overclock!

E fica concluído a 2ª parte. Em breve a 3ª parte, a focar no impacto que tem ao alterar frequências de memória, timmings e uncore frequency, bem como consumos e temperaturas!
 
Última edição:

JPgod

Moderador
Staff
3ª parte - Consumos, Temperaturas e Uncore tests

Uncore

Para ver até que monto a velocidade do uncore (que dita a frequencia da cache L3 e controlador de memória poderia afectar na performance, fez-se alguns testes, fazendo variar a frequência do uncore e mantendo tudo o resto igual. Os settings utilizado são os mesmos dos testes em overclock. A frequencia do oncore variou assim de 2880 (o mínimo possível com as memórias a 1440 até 3600), tal fazendo variar o respectivo multiplicador, de 16x até 20x

No que toca as velocidades, teve significativo impacto na largura de banda das memórias, mas na cache L3 apenas influenciou a escrita, sendo que leitura e cópia pouco variou.
uncore.png


Em latências, mais uma vez, a latência da memória diminuiu, já a latência L3 teve pouca influencia.
uncore-latency.png


De notar que os ganhos de 3420 para 3600 foram poucos, pelo o que 3420 é assim o melhor setting, visto que quanto mais velocidade de uncore, mais voltagens tem que dar. Recomenda-se então que a frequência do uncore seja a mais alta possível.

Consumos

Aqui fica um resumo dos consumos medidos. Cheguei a testar o super pi com 4 e 8 threads, mas os resultados são praticamente iguais que o boinc. Realçar que as voltagens estavam moderadas, ainda testei o cpu a 3800 mhz a 1.45 (este cpu não era grande coisa...) e cheguei a ver 350w ao correr o intelburntest! Cpu acima dos 80ºc

table.png


[/QUOTE]
consumo.png


Temperatura

E por fim, testes de temperaturas. Os settings são os mesmos do consumo para os 5 testes.

temperatura.png


pros

* Excelente qualidade de construção, com PCB com camadas de cobre mais espessas, o que reflecte mesmo na robustez do mesmo, não só melhorando a capacidade de condução de calor e corrente, como dá mais resistência à board.
* Condensadores sólidos de qualidade
* Dupla Bios, trazendo segurança extra no caso de flash falhados.
* Muito bom design e layout, com coolers com óptimo aspecto e cores mais uniformes, sem aquele colorido berrante que as gigabyte tem nos habituado.
* SATA's com fartura, 8 portas no total, mais que suficiente para a esmagadora maioria dos users. Quem mesmo assim precisar de mais, as versões UD5 e Extreme tem nada mais nada menos que 10 portas!
* 8 portas USB atráz, 2 firewire, 1 porta de rede, enfim back IO completo.
* Muito boa capacidade de overclock, com uma bios RECHEADA, inclusive podendo ajustar os timmings de cada canal de memória de maneira independente!
* Blunde bom, com bracket e-SATA, 4 cabos satas (embora as cores laranjas não combinam lá bem com a board, se fosse brancos/azuis claros era melhor) e um espelho com indicações em cores em vez de um simples metal(ainda assim aquém do ASUS Q-SHIELD)
* Preço, na ordem dos 200 €, muito bom tendo em conta a qualidade
* Facilidade de encontrar à venda em Portugal e bom suporte técnico por parte da gigabyte.

Contras

* Apesar do layout ser bastante bom, há algumas falhas importantes, como a posição da ficha do front audio no meio da board, que impede de ligar cabos do audio frontal de muitas caixas (como a minha) e a existência de slots em cores manhosas, como o PCI-e 4x a laranja e as 2 USB's internas a amarelo. A posição da porta IDE e disquetes também não são as melhores, mas dado que estas ligações estão a cair em desuso, por min até nem viriam mais!
* Ausência de 1 PCI-e 1x mais o ultimo ou penultimo slot.
* O blunde poderia vir com algum jogo recente ou o 3dmakr 2006/vantagem, mas pelo preço não se pode pedir muito
* A BIOS apesar de ser muito completa, é algo confusa com muitos sub menus para as opções mais avançadas de overclock, pelo o que demora a habituar, principalmente se vierem de boards ASUS.

Conclusão

Apesar da plataforma i7 ser muito "verde" nesta altura, já podemos contar com excelentes motherboards a preços mais simpáticos, como esta gigabyte UD4. Sem duvida com das melhores relações preço/performance.



recomendado_zwame.png



Agradecimento

A ZWAME agradece ao Marco André pela disponibilidade do material para teste.

Copyright © Zwame, Lda 2009. Reprodução proibida sem autorização prévia.​
 
Última edição pelo moderador:
Essa board deixa água na boca mesmo... Esses colers do north e do southbridge são lindoooosss... E eu sou Benfiquista v~e lá tu...



Agora venha uns scores no CPU e nas mems para ver como se comporta a menina!
 

tonyV

Power Member
Ando atento a esta análise. Até agora 5*! Estou com curiosidade em relação à 3ª parte e contente por ver que é possível colocar com um 920 a ~3.8GHz numa UD4:)
 

FirewalkR

Power Member
Boas, postei isto noutra thread (sobre X58 e suporte a SLI) mas aqui deve ser ainda mais relevante. Tal como aviso, tenham cuidado... deve haver aqui gente mais qualificada para falar sobre os riscos disto (ou falta deles) do que eu no entanto. :)



Comprei recentemente a UD4 e sempre pensei que tinha SLI. Lembro-me até de ler sobre isso lol, mas onde quer que tenha sido estava obviamente errado.

Não tenho intenção de fazer SLI, pelo menos para já, mas é pena que não tenha a opção sem modificar nada. No entanto, googlei por GA-EX58-UD4 SLI e encontrei esta thread numa board asiática (o OP está em inglês no entanto) onde o tipo arranjou maneira de dar a volta. Pelo que vejo, ele simplesmente flashou com a bios da UD4P, que já suporta SLI de origem. Não sei se não dará algum problema com outras cenas não relacionadas com SLI pois as boards tem mais algumas diferenças, mas assumindo que não é fake (e não vejo porque seria) o tipo conseguiu pôr o SLI a correr na boa.

Fica aqui o link que o tipo deu para tirar a bios+flasher: http://www.badongo.com/file/12934467.
Presumo que seja a actual bios da UD4P. Quanto ao flasher não sei se terá alguma modificação, para evitar alguma protecção que a marca tenha para impedir flash da board errada (assumo que as marcas façam isto...). Por isso, é por conta e risco de cada um. :P

Btw, saquei o ficheiro só pra prevenir, pois posso querer testar eventualmente. Caso alguém esteja a ler isto no futuro longínquo e o link já não esteja a funcionar, mandem pm e pode ser que ainda tenha os files hehe.
 
Topo