1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Análise Gigabyte G-Power 2 & G-Power 2 Pro

Discussão em 'Análises, Artigos e Guias' iniciada por WindWalker, 6 de Agosto de 2009. (Respostas: 3; Visualizações: 5639)

  1. WindWalker

    WindWalker Power Member

    Autores: Alexandre Dias (WindWalker) - Análise / João Pedro Godinho (JPgod) - Fotografias
    Produtos: Gigabyte G-Power 2 e Gigabyte G-Power 2 Pro (modelos GH-PSU22-PC e GH-PSU22-LB)
    Data : 06-08-2009



    ZWAME Análise

    [​IMG]

    [​IMG]


    Especificações

    Comuns:
    G-Power 2:
    G-Power 2 Pro:

    Links

    Páginas Oficiais:
    G-Power 2
    G-Power 2 Pro

    Fotografias

    G-Power 2:

    G-Power 2 Pro:
     
  2. WindWalker

    WindWalker Power Member

    Intel LGA775

    Sistema de testes
    Metodologia dos testes

    Condições dos vários testes

    Nos vários testes foi utilizada a função Load Line Calibration da motherboard - compensação do Vdrop.

    No gráfico seguinte apresenta-se os valores de TDP estimados - potência a dissipar - nas várias condições de funcionamento do CPU. A legenda está na forma FSB Vcore_full_load (Vcore_BIOS).

    [​IMG]


    O TDP original é ~65W

    Como a fórmula da potência é P = C * f * V²

    Peguei no VID 1.2250V e f = 8*333 = 2664 MHz

    Então C - em Watt/(MHz*V²) - é C = P/(f*V²) = 65/(8*333*1.225²) = 0.0162594915(...)

    A uma frequência efectiva (multiplicador*FSB) e a um determinado valor de Vcore corresponde o novo TDP:

    P' = C * f' * V'²

    Por exemplo, P' = 0.0162594915 * 8 * 425 * 1.38² = 105.3 W

    É assim que os sites que calculam a potência da PSU estimam o consumo/TDP do CPU com overclock.

    Aqui, por exemplo:
    [​IMG]




    Resultados

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]


    Velocidades das ventoinhas:

    [​IMG]

    (a ventoinha do Scythe Ninja não estava parada a 5V)


    Análise dos resultados


    Valores obtidos:

    Após análise dos gráficos dos valores obtidos, pode dizer-se que os valores em Idle são semelhantes entre os vários dissipadores e, no mesmo dissipador, também para várias velocidades da ventoinha. Estas diferenças, para as mesmas condições de funcionamento do CPU, não são significativas, pois os sensores apresentam um comportamento menos linear quanto menor a temperatura, nem relevantes para avaliar a performance dos dissipadores, uma vez que a potência a dissipar não chega para os colocar à prova.

    Passando para os testes de carga, o programa IntelBurnTest é, de longe, o mais exigente em termos de dissipação térmica, sendo os valores atingidos próximos do limite - Delta to Tjunction_max menor ou igual a 20ºC, com um mínimo de 15ºC -, nas condições mais desfavoráveis - menor rotação da ventoinha e maior potência térmica a dissipar.

    Já em software menos exigente, as diferenças vão-se esbatendo. Os resultados seguem mais ou menos a mesma tendência, superiorizando-se os dissipadores G-Power ao Ninja, excepto na situação de ventoinhas a 5V, na qual o Ninja leva alguma vantagem em relação ao G-Power 2.

    O dissipador G-Power 2 registou as maiores variações de temperatura com a variação da velocidade da ventoinha. Esta dependência da velocidade da ventoinha é bastante menor e é mais ou menos igual nos outros dois dissipadores, existindo variações de 2 a 4ºC, com o G-Power 2 Pro a atingir menores valores de temperatura.

    Apesar dos resultados não o demonstrarem, observou-se que a performance do G-Power 2 Pro, neste sistema, é bastante afectada pela quantidade de ar extraído pela ventoinha traseira. Com a mesma a funcionar a 5V, obtiveram-se, para a maior potência a dissipar, no IntelBurnTest, valores com uma diferença de cerca de 10ºC. Também foi observado que essa dependência é menor no G-Power 2, muito possivelmente pela sua performance estar primeiramente limitada pelo número de heatpipes.

    Funcionamento das ventoinhas:

    Em ambos os G-Power, o ruído a 5V é bastante aceitável. A 7V o aumento é notório, mas ainda assim aceitável (e eu sou bastante sensível ao ruído, pois normalmente uso o Ninja passivo e apenas uma ventoinha, a da fonte). A 12V achei o nível de ruído produzido em ambos insuportável.

    No entanto, para todos os níveis de ruído, este manteve-se grave e sem se notar no mesmo crepitação ou trepidação da ventoinha (basicamente, ruídos do género trr-trr-trr-trr-trr-trr, típicos de ventoinhas com rolamentos gastos, com falta de lubrificação ou ventoinha mal fixada à caixa, neste caso o suporte plástico).

    Como não percebo nada dos rolamentos utilizados em ventoinhas nem conheço a marca Everflow, não comento a qualidade/fiabilidade das ventoinhas utilizadas.
     
    Última edição: 22 de Agosto de 2009
  3. WindWalker

    WindWalker Power Member

    Conclusões

    Uma vez que a base do Ninja tem manchas de pastas térmicas anteriormente usadas e as pastas térmicas fornecidas com os G-Power podem ser superiores à Artic Céramique, é possível que, caso a transferência de calor tivesse sido optimizada neste dissipador, as diferenças para os concorrentes pudessem ser menores. Para dizer a verdade, achei que o facto de ter 6 heatpipes, contra os 3 e 5 dos G-Power, e maior área de dissipação das lamelas de alumínio, lhe fosse dar uma clara vantagem, o que não aconteceu.

    Ao princípio achei estranho o design dos G-Power e duvidei da eficácia do mesmo, no entanto os resultados falam por si. Esse design tem como um dos objectivos arrefecer significativamente componentes da motherboard, nomeadamente do circuito de alimentação do CPU (MOSFETs). Não foram recolhidos dados com vista a comprovar um maior arrefecimento em relação ao design do Ninja, no entanto, qualitativamente isso foi verificado - dissipadores da zona em questão mais frios.

    O dissipador com maior dependência de fluxo de ar da ventoinha é o G-Power 2, provavelmente devido ao menor número de heatpipes.

    No IntelBurnTest, os resultados são algo elevados, especialmente na situação mais desfavorável. Felizmente, na utilização normal do dia a dia, os valores atingidos são bastante inferiores, pelo que considero segura a utilização de qualquer um dos dissipadores em qualquer das condições de funcionamento do CPU/ventoinha/potência a dissipar.

    Tendo em conta os valores de TDP estimados e os resultados obtidos, penso que é seguro afirmar que os valores de temperatura obtidos para o G-Power 2, na utilização com um Quad Core LGA775 (95~130W), serão tanto aceitáveis como seguros. No entanto, parece-me um mau compromisso a sua utilização num Quad Core com overclock considerável (150W+), pelo que essa utilização deveria ser preferencialmente reservada ao G-Power 2 Pro.

    Para além de insuportável, considero o acréscimo de ruído entre 7 e 12V desnecessário, pois a diferença de resultados entre 7 e 12V é mínima. Não tendo - hipoteticamente - a motherboard controlo sobre a tensão ("voltagem") aplicada à ventoinha, resta apenas o adaptador 5/12V do G-Power 2 Pro, o que não permite usufruir da melhor relação performance/ruído observada (7V). As alternativas passam pela utilização duma resistência variável (potenciómetro) ou um controlador com tensão de saída regulável, como o Zalman Fan Mate - 5~11V.


    Pontos Fortes

    Pontos Fracos

    Classificação

    [​IMG]


    Agradecimento

    A ZWAME agradece à ***** pela disponibilidade do material para teste.

    Copyright © Zwame, Lda 2009. Reprodução proibida sem autorização prévia.

     
    Última edição: 17 de Agosto de 2009
  4. dacosta89

    dacosta89 Banido

    Nice review.
    Já andava à espera de uma review sobre este cooler.
    Quanto é que custará este cooler? Não encontrei nada na *****...
     
    Última edição: 8 de Agosto de 2009

Partilhar esta Página