Análise Gigabyte MA785GMT-UD2H

JPgod

Moderador
Staff
Autores: João Godinho (JPgod)
Produto: GigaByte MA785GMT-UD2H
Data : 25-08-2009



ZWAME Análise

gigalogo.jpg


Descrição

Com o recente lançamento do chipset AMD 785G, os fabricantes apressaram para lançar boards com este chipset. Basicamente é um AMD 780G com suporte DX 10.1 e UVD 2.0. Nesta review, vamos testar um modelo micro-ATX, voltado para sistemas compactos e HTPC's.

Especificações

CPU: Socket AM3: AMD PhenomTM II processor/ AMD Athlon™ II processor, suporte para CPUS 140W TDP.
Hyper Transport Bus: 5200 MT/s
North Bridge: AMD 785G
South Bridge: AMD SB710
4 x 1.5V DDR3 DIMM sockets suportando até 16 GB de ram, com suporte dual channel.
DDR3 1800 (OC)/1666/1333/1066 MHz
Gráfica integrada no northbridge: ATI HD4200, 500 MHZ core, 40 shaders, suporte DX 10.1
Saídas de vídeo: 1 HDMI, 1 VGA e 1 DVI-D
Audio: Realtek ALC889A audio codec
LAN: Realtek 8111C chip (10/100/1000 *****)
1 x PCI Express 2.0 x16 slot (16x link)
1 x PCI Express x1 slot
2 x PCI slots
1 x porta IDE ATA-133/100/66/33 para 2 dispositivos IDE (via SB710)
5 x portas SATA 3Gb/s (via SB710)
1 x porta eSATA 3Gb/s (via SB710)
Suporte para RAID 0, RAID 1, RAID 10 e JBOD
1 x porta para drive de disquetes.
12 USB 2.0/1.1 ports, sendo 6 no back IO e 3 headers para mais 6 portas adicionais na board
T.I. TSB43AB23 chip (firewire 1384, sendo 1 porta no backIO e 1 ficha na board)
DualBIOS™ (2x 8 megabits)
Micro ATX Form Factor; 24.3cm x 24.3cm
Tecnologia Ultra Durable 3, com PCB com 2 OZ (densidade de cobre) das pistas condutoras e condensadores japoneses sólidos de 50000 horas
4 + 1 circuito de alimentação do CPU.

Links

Página Oficial
Site Oficial AMD 785
Explicação da tecnologia Ultra durable 3
Fotografias

as fotografias estão em thumbnail, cliquem para tamanho grande (1280).

1 - Começando pela embalagem do produto. Uma caixa simples, pequena, indicando claramente que se trata de uma motherboard micro-ATX. Destaque para o enorme logotipo da tecnologia "Ultra Durable 3", alem de outras caracteristicas, como suporte a CPU's de 140w (será testada com um 965 BE de 140w), o suporte para windows 7 (será testada com o windows 7 ultimate).

2 - Parte de trás, onde descreve o funcionamento da tecnologia Ultra Durable 3. A principal característica é possuir as camadas de condução eléctrica (power layer e ground layer) com o dobro da espessura, ou seja 70 µm (µ = micro) vs 35 µm de boards com 1 OZ. No link acima tem mais detalhado como é esta tecnologia.
Também a explicação da performance do IGP.



3 - Abrindo a caixa, temos por cima os acessórios, e por baixo está a board.
4 - Os acessórios - 1 IO shield com indicações das ligações, 2 cabos SATAs laranjas (sempre corta com o tradicional vermelho), sendo um com ficha em curva, 1 cabo IDE azul escuro, manuais e disco com drivers e software. Um bundle simples, mas suficiente, de modo a manter o preço baixo. Embora poderia ver com mais 2 cabos SATA, mas para a maioria das pessoas 2 é suficiente (1 disco e 1 drive óptica) e cabos extras são baratos e fáceis de arranjar, quando não há a sobrar em casa!



5 - Eis a board, embalada em plástico anti estático.
6 - Removendo o plástico anti estático, temos então uma vista completa. A gigabyte desta vez acertou com o design e as cores, acabando com aquele arco-íris de outrora. Temos então um belo PCB azul escuro, com os componentes em tons de branco e azul e dissipadores cinza e azul escuro. Sem dúvida uma bela board. De notar que o PCB é realmente mais grosso que boards tradicionais, o que dá melhor resistência também.



7 - Outra vista, onde podemos notar o design do dissipador do northbridge, que tem um "recorte" de modo a permitir instalação de placas PCI-e 1x mais compridas. Também notar as ligações SATA, numas posições algo más, visto que vai interferir com grandes placas gráficas. Era preferível sacrificar o IDE e disquete para colocar as ligações SATA.
8 - Vista por cima do socket do CPU, com a retenção em azul marinho. Temos então 4 slots de memória, sendo que para obter dual channel deve-se instalar as memórias nos slots da mesma cor. Junto dos slots de memórias podemos ver os 2 chips de BIOS, que é uma feature bem vinda, evitando RMA's desnecessários se houver corrupção da BIOS se fosse apenas um chip.



9 - Vista do lado das portas traseiras. Podemos ver então 1 slot PCI.e 1x, 1 slot PCI-E x16 (a azul) e 2 PCI. Não há portanto suporte para crossfire, visto que este chipset não suporta a divisão 8x/8x, ficando esse a cargo do futuro 795GX (que é baseado neste, mas com 700 mhz no GPU, alem do suporte oficial crossfireX 8x/8x). Algumas boards 785G vem com 2 PCI-e x16, mas o 2º está ligado ao southbridge a 4x, pelo o que limita bastante a performance das gráficas.

10 - Vista do outro lado do PCB. nada a destacar a não ser o backplate da retenção do cooler. Uma pequena nota, o adesivo que está colado no backplate estava colado nos pinos dos slots das memórias, pelo o que preferi o colar ali.



11 - Detalhe das ligações traseiras, onde temos 6 USB's 2.0, 1 ficha PS2 hibrida, 1 VGA, um DVI-D (apenas digital), 1 HDMI, saída optica de audio, 1 e-SATA, 1 firewire, 1 RJ-45 e 6 jacks de audio analógico.

12 - Vista da board com os dissipadores removidos.


13 - Detalhe do circuito de alimentação, com 4 fases para o CPU core e 1 fase para o northbridge integrado. De notar que não tem dissipador, logo tendem a aquecer bastante e sendo apenas 4 fases, será limitante em overclock. Por outro lado, ajuda a reduzir custo de produção, visto que não é uma board voltada para overclock extremo.
14 - Detalhe do cooler do southbridge, portas SATA, os 3 headers USB amarelos e as ligações para os leds e botões da caixa. Destacar que não vem com botões de power e reset.



15 - Um close-up do northbridge. Fabricado a um processo de 55 nm, bastante pequeno, e garante baixo consumo e aquecimento. De notar os contactos para o sideport memory, que apenas vem no modelo GA-MA785GPMT-UD2H.

16 - um close-up do southbridge, igualmente de pequenas dimensões, quer o die, quer o chip em si)



BIOS

Fotos da BIOS desta board:

1 - Ecran Principal da Bios. O tradicional design das BIOS AWARD, pelo o que nada de novo a apontar. De notar a ausência de opção para guardar os settings da bios.
2 - Configuração básica, com hora e data e os dispositivos de armazenamento.



3 - Menu de overclock. Temos bastantes opções de overclock, incluido do GPU integrado, mas menos que boards de topo, especialmente de opções de voltagens.
4 - Sub menu das memórias. Comparando com outras boards tem poucos settings, mas é suficiente para afinar e a presença dos valores de SPD e Auto torna bastante user friendy a configuração das memórias.



5 - Menu de Advanced BIOS features, com as opções do gpu onboard, configuração do CPU, opções de boot
6 - Integrated Peripherals, com as opções dos componentes integrados.



7 - Opções de gestão de energia
8 - Menu de monitorização de temperaturas, voltagens e rotações das ventoinhas e opções de configuração.
9 - Menu de configuração de boot.


 

JPgod

Moderador
Staff
1ª Parte - Testes em defaut

Nesta primeira parte, vamos testar a board com o processador e GPU em defaut e comparar com a ASUS M4A785T-V EVO que utiliza o mesmo chipset.

Não será utilizada uma gráfica externa na review, visto que acaba por ser desnecessário. Incidiu-se os testes sobre a performance do GPU integrado. O único caso que valeria a pena testar seria com uma gráfica de entrada de gama que suportasse o hybrid crossfire, mas não foi possível.

a 2ª parte será com algum overclock, pelo o que a comparação será entre defaut e OC e sem a ASUS.

Test Bed

  • CPU: AMD Phenom II X4 965 Black Edition @ 3400 mhz, NB a 2000 mhz, HTT a 2000 mhz.
  • Motherboards: ASUS M4A785T-V EVO e Gigabyte MA785GMT-UD2H.
  • Memória: 2x 2048 GSKILL Trident DDR3 2000 @ 1333 7-7-7-20 1T
  • Gráfica: Onboard HD 4200 com core a 500 mhz, com 128 MB alocados de sistema em ambas as boards e sideport na ASUS desligado.
  • Discos: Samsung spinpoint F1 320 GB 7200 rpm single plate && Samsung spinpoint F1 1000 GB 7200 RPM
  • Fonte: Corsair TX850w
  • Cooler: Noctua NH-U12P + NF-P12 + NF-S12
  • Sistema Operativo: Windows 7 Profissional RTM 64 bits sem tweaks (via MSDN-AA)
  • Drivers chipset: Catalyst 9.8 (apenas os 9.8 suportam este IGP)
  • versão da BIOS: F2
hdtach-giga.png

hdtune-giga.png


Bons resultados do disco, não estando aparentemente em nada limitado. Está em modo IDE.

cinebench2003-1.png

cinebench2003-2.png


Utilizando este software de rendering baseado no cinema 4D, no que toca ao teste de CPU, os resultados foram parecidos, mas no teste de openGL a ASUS portou-se melhor.

cinebenchr10.png


Edição mais recente do benchmark do Cinema 4D, desta vez em 64 bits, na qual a Asus se portou melhor.

wprime.png


No wprime, que calcula a raiz quadrada dos primeiros 32 milhões de inteiros, a Gigabyte ganha em 4 threads, embora por pouco e perde em 1 thread.

winrar.png


No benchmark interno deste software de compressão, A Gigabyte volta a perder neste benchmark, mas a diferença é desprezável

7zip-1.png


Tal com o winrar, o 7-zip também é um software de compressão, com um benchmark mais completo. Resultado com o mesmo veredicto do Winrar.

7zip-2.png


No que toca a descompressão, a Gigabyte parece levar a melhor com 4 threads e com 1 thread a vantagem é da ASUS, mas novamente praticamente desprezável

crystalmark-1.png


O crystalmark corre uma série de benchmarks de CPU, memória, disco e openGL (no caso a testar a performance da gráfica) No teste de discos, a ASUS perde para a Gigabyte, bem como no benchmark de memória onde a diferença é considerável! Repeti este teste na ASUS e sempre obtendo a volta do mesmo. Embora os settings principais sejam os mesmos (1333 mhz 7-7-7-20-1T), algum dos timmings secundários pode dar vantagem à gigabyte, visto que é mais simples configurar tal do que na ASUS.

crystalmark-2.png


Estes testes incidem sobre a gráfica. No OGL e D2D as boards tem resultados semelhantes, mas no GDI, a ASUS obteve cerca de 50% a mais de performance, sendo assim uma surpresa. Este teste também foi repetido.

euler3d.png


Em single thread, a ASUS obteve uma pequena vantagem, quer em multi thread é desprezável.

x264-1.png


No teste de encoding de vídeo 720p na primeira passagem (que faz análise ao vídeo), a ASUS mostrou-se um pouco melhor, embora a diferença pode ser desprezada.

x264-2.png


Na 2ª passagem, onde é feito o encoding propriamente dito, daí a diferença em frames/s, as duas boards obtiveram resultados semelhantes.

lightmark.png


No Lightmark 2008, benchmark em openGL, as diferenças são pequenas, embora com vantagem para a ASUS.

specview-1.png


specview-2.png


Nesta suite de benchmarks de conceituados programas de design gráfico e 3D, em modo 64 bits e a 1280x1024, a gigabyte foi melhor no global, tenho batido a ASUS em todos os testes.

Everest Cache e Memory Benchmark

Tabela - Gigabyte
everest-giga-def.png


Tabela - ASUS
everest-asus-def.png


Resumo dos dados acima em gráficos:
everest-read.png

everest-write.png

everest-copy.png

everest-latencia.png


Podemos ver que os resultados foram muito parecidos, portanto no global ambas as boards tiveram o mesmo comportamento

Testes de vídeos de alta definição
Dado o segmento na qual esta board se enquadra e as capacidades do Northbridge no que toca a aceleração de filmes em HD, fez-se testes neste campo.

No que toca aos métodos de teste, foi utilizado o software Média Player Classic - Home Cinema x64 v1.2.908.0 e foi utilizado 2 modos de vídeo output: EVR e VRM9. O modo EVR tira partido das capacidades de aceleração de VC-1,MPEG2 e H/X.264/AVC presente nas modernas placas gráficas. Esse modo só funciona em Windows Vista e Windows 7.

No que toca a medição de performance, registou-se quanto tempo de CPU foi usado para reproduzir totalmente os vídeos, pelo Task Manager. O processador foi mantido sempre a 3400 mhz.

mkv-1080.png

Este teste foi feito com um demo sobre o HD-DVD em formato MKV 1920X1080P com 121 segundos, utilizando o codec VC-1 e áudio AC3 2.0 640 kbps.

mkv-720.png

Este teste foi feito com um demo do RedAlert 3 em formato MKV 1280x720p com 149 segundos, utilizando o codec H.264 e áudio aac 2.0.

Veredicto MKV

No que toca a aceleração por parte do chipset, pelo modo EVR, podemos verificar que funciona impecavelmente e a diferença é brutal perante o modo VMR9. Já no que toca as boards, a ASUS teve um maior utilização de processador no modo VMR9, o que é curioso. Em modo EVR é desprezável a diferença.

mov-1080.png

Este teste foi feito com um trailer do filme "timecrimes" em formato HDMOV 1920X1056P com 98s segundos, utilizando o codec H.264 e áudio AAC 2.0 96kbps.

mov-720.png

Este teste foi feito com um trailer do filme "timecrimes" em formato HDMOV 1280x668p com 98s segundos, utilizando o codec H.264 e áudio AAC 2.0 96kbps.

Veredicto MOV

A conclusão é a mesma a tirar dos testes em MKV, devido ao facto de utilizar o codec H.264.

wmv-1080.png

Este teste foi feito com um um trailer do filme "Alexander" em formato WMV-HD 1920X1080P com 113 segundos a 9600 kbps e áudio WMA 5.1 440 kbps.

wmv-720.png

Este teste foi feito com um um trailer do filme "Alexander" em formato WMV-HD 1280x720p com 113 segundos a 7551 kbps e áudio WMA 5.1 440 kbps.

Veredicto WMV-HD

Com o WMV-HD os resultados são bastante diferentes. Dado que o coded do WMV não é inteiramente suportado quer pelo MPC, quer pelo chipset, não existe decode completo. Mas podemos verificar que mesmo assim existe alguma aceleração parcial e curiosamente há menor uso do CPU em modo VMR9 do que EVR. A ASUS aqui obteve melhor resultado que a gigabyte, que também é curioso.

Consumos

Por fim, foi feito testes de consumo do sistema. Foi utilizado o programa "K10stat" para controlar o core clock e voltagens. excepto os testes em idle e MKV 1080P (GPU), todos os outros foram corridos a 3400 mhz e vcore de 1.3 na BIOS, portanto abaixo do defaut, visto o CPU aguentar-se perfeitamente, embora em ambas as boards este descia um pouco no CPU-Z (entre 1.26 a 1.29)

Abaixo os métodos de teste:

  • idle: Sistema em repouso sem nada a correr. Clocks do CPU a 800 mhz e vcore de 0,9v segundo o CPU-Z
  • MKV 1080P (GPU): Reprodução do video "HD-DVD DEMO" em modo EVR com o MPC-HC. Clocks do CPU a 800 mhz e vcore de 0,9v segundo o CPU-Z
  • MKV 1080P (CPU): Reprodução do video "HD-DVD DEMO" em modo VRM9 com o MPC-HC.
  • Wprime 1T: Execução deste benchmark com 1 core activo
  • Wprime 4T: Execução deste benchmark com todos os cores activos
  • OCCT: Executando o modo "linpack" para máximo stress no CPU.

consumo.png


No que toca ao consumo, ambas as boards obtiveram um excelente resultado! cerca de 60 watts em idle e 65-75 a reproduzir videos em fullHD é sem dúvida IMPRESSIONANTE dado o processador utilizado e a presença de 2 drivers ópticas, 2 discos rígidos e 5 ventoinhas e com uma fonte que não é a recomendada para sistemas de baixa potência. A excelente gestão de consumo dos processadores Phenom II mais o baixo consumo deste chipset revelou-se vencedora para quem quer montar um computador potente, mas que não provoque um aumento na factura da EDP, bem como menor impacto ambiental!

Curiosamente a Gigabyte mostrou-se mais económica que a ASUS, tirando o teste do OCCT. É provável que o vcore tenha voltado para próximo do defaut (1.4) neste teste, que é única explicação que encontro.

 
Última edição:

JPgod

Moderador
Staff
2ª Parte - Testes em overclock

Testes com o sistema em overclock, Mas não só o CPU e memória, mas como também o IGP! Dado as limitações desta board, o overclock conseguido ao Phenom II 965 BE foi inferior ao da ASUS M4A79T Deluxe utilizada na review deste CPU. Entretanto conseguiu.se 3700 totalmente estáveis com vcore entre 1.4 a 1.425, sendo que deixou-se a 1.425 por questões de segurança. Ou seja 300 mhz com o vcore de origem, que não me parece mal. O NB integrado faz 2600 mhz a apenas 1.25 volts, embora não se testou abaixo disso. A 2800 não ficou estável para correr todos os testes, mesmo a 1.4 volts.

Esta limitação no overclock e elevadas voltagens já se esperava, devido ao circuito de alimentação de apenas 4 + 1 fases. Mesmo assim não deixa de ser interessante esta board conseguir um bom overclock de um CPU de 140w TDP e o que impressionou foi a estabilidade das memórias a 1600 mhz! Parece que afinal, é mesmo possível 1600 mhz ou mais em AM3.

O overclock do IGP revelou-se também bastante bom, fazendo a primeira 700 mhz totalmente estáveis! Não se testou mais, porque alem desta frequência ser a mesmo do IGP do futuro AMD 795GX, dado a baixa capacidade de cooling do northbridge e as temperaturas elevadas que se fazem sentir nesta época do ano ficou-se por aqui. Acredito que facilmente faça os 1100 mhz prometidos pela Gigabyte com um cooling melhor ou Watercooling e menor temperatura ambiente!

Settings de OC utilizados

  • CPU core clock: 3700 mhz a 1.42*
  • CPU NB clock: 2800 mhz a 1.40 (2600 mhz a 1.25 nos testes assinalados devido a instabilidade)
  • CPU HTT link: 2000 mhz (defaut, por ser um cpu black edition)
  • Memoria: 1600 mhz 8-8-8-21 1T a 1.65v
  • GPU: 700 mhz (vs os 500 defaut), 128 MB alocados do sistema e vNB a 1.2

cinebench2003-1-oc.png

cinebench2003-2-oc.png


Ganhos bastantes bons, mas a destacar o openGL HW, que teve um crescimento bem superior aos outros, graças aos 700 mhz do IGP e maior largura de banda da memória central.

cinebenchr10-oc.png


Em single thread os ganhos foram baixos, já em multi thread foram melhores.

wprime-oc.png


Resultados em tudo equivalente ao cinebench R10

winrar-oc.png


Uma melhoria enorme face a defaut, muito devido a maior largura de banda das memórias.

7zip-1-oc.png

7zip-2-oc.png


O crescimento no 7-zip foi um pouco inferior ao winrar

crystalmark-1-oc.png


Igualmente temos um bom incremento na performance (nota, não se testou novamente o HDD)

crystalmark-2-oc.png


Em destaque, os ganhos em OGL, bastantes expressivos, mais uma vez em virtude do IGP.

euler3d-oc.png


Bons resultados também.

x264-1-oc.png

x264-2-oc.png


Este benchmark foi corrido com o NB a 2600 mhz, visto que a 2800 dava erro, talvez por isso que os ganhos não sejam tão bons como os outros testes.

lightmark-oc.png


A combinação de overclock sistema + GPU resultou numa melhoria impressionante neste benchmark em openGL.

specview-1-oc.png

specview-2-oc.png


Dado a dependência que o SpecView tem do sistema gráfico, em alguns testes a melhoria da performance foi bem expressiva!

Everest Cache e Memory Benchmark

Tabela
everest-giga-oc.png


Resumo dos dados acima em gráficos:
everest-read-oc.png

everest-write-oc.png

everest-copy-oc.png

everest-latencia-oc.png


Grande melhoria no global, especialmente as latências.

Testes de vídeos de alta definição
Dado o segmento na qual esta board se enquadra e as capacidades do Northbridge no que toca a aceleração de filmes em HD, fez-se testes neste campo.

No que toca aos métodos de teste, foi utilizado o software Média Player Classic - Home Cinema x64 v1.2.908.0 e foi utilizado 2 modos de vídeo output: EVR e VRM9. O modo EVR tira partido das capacidades de aceleração de VC-1,MPEG2 e H/X.264/AVC presente nas modernas placas gráficas. Esse modo só funciona em Windows Vista e Windows 7.

No que toca a medição de performance, registou-se quanto tempo de CPU foi usado para reproduzir totalmente os vídeos, pelo Task Manager. O processador foi mantido sempre a 3700 mhz.

mkv-1080-oc.png

Este teste foi feito com um demo sobre o HD-DVD em formato MKV 1920X1080P com 121 segundos, utilizando o codec VC-1 e áudio AC3 2.0 640 kbps.

mkv-720-oc.png

Este teste foi feito com um demo do RedAlert 3 em formato MKV 1280x720p com 149 segundos, utilizando o codec H.264 e áudio aac 2.0.

Veredicto MKV

No que toca aos testes em EVR, melhoraram um pouco, apesar destes tempos serem quase desprezáveis. Já em VMR9 tivemos uma boa diminuição. O IGP ainda assim deve ter uma palavrinha a dizer aqui.

mov-1080-oc.png

Este teste foi feito com um trailer do filme "timecrimes" em formato HDMOV 1920X1056P com 98s segundos, utilizando o codec H.264 e áudio AAC 2.0 96kbps.

mov-720-oc.png

Este teste foi feito com um trailer do filme "timecrimes" em formato HDMOV 1280x668p com 98s segundos, utilizando o codec H.264 e áudio AAC 2.0 96kbps.

Veredicto MOV

Mesmo resultado com MKV, embora em EVR não se verificou melhora, embora também não há muito para melhorar.

wmv-1080-oc.png

Este teste foi feito com um um trailer do filme "Alexander" em formato WMV-HD 1920X1080P com 113 segundos a 9600 kbps e áudio WMA 5.1 440 kbps.

wmv-720-oc.png

Este teste foi feito com um um trailer do filme "Alexander" em formato WMV-HD 1280x720p com 113 segundos a 7551 kbps e áudio WMA 5.1 440 kbps.

Veredicto WMV-HD

Talvez o resultado mais impressionante destes testes. O tempo de utilização de CPU simplesmente caiu para menos de metade! Sem dúvida que o IGP também ajuda no decoding, mesmo que parcial.

Consumos

Por fim, foi feito testes de consumo do sistema. Fou utilizado o programa "K10stat" para controlar o core clock e voltagens. excepto os testes em idle e MKV 1080P (GPU), todos os outros testes foram corridos na frequência máxima indicada acima.

Abaixo os métodos de teste:

  • idle: Sistema em repouso sem nada a correr. Clocks do CPU a 800 mhz e vcore de 1.0v segundo o CPU-Z
  • MKV 1080P (GPU): Reprodução do video "HD-DVD DEMO" em modo EVR com o MPC-HC. Clocks do CPU a 800 mhz e vcore de 1.0v segundo o CPU-Z
  • MKV 1080P (CPU): Reprodução do video "HD-DVD DEMO" em modo VRM9 com o MPC-HC.
  • Wprime 1T: Execução deste benchmark com 1 core activo
  • Wprime 4T: Execução deste benchmark com todos os cores activos
  • OCCT: Executando o modo "linpack" para máximo stress no CPU.
consumo-oc.png


Naturalmente tivemos um aumento expressivo dos consumos. Mas com o K10 stat conseguiu "domar a fera" em idle e a reproduzir vídeos em 1080p em modo EVR, resultando em um pequeno incremento no consumo (em parte devido ao overvolt do NB do CPU, memórias e GPU)

 
Última edição:

JPgod

Moderador
Staff
Conclusões

Destaco pela Positiva:

  • - Excelente performance no global, não ficando nada atráz de grandes boards do mercado
  • - Grande performance do IGP no que toca a reprodução de filmes HD em formato VC-1 e MPEG4 e ainda é capaz de rodar jogos com bons detalhes em resoluções mais baixas. A ausência de sideport não é considerado um factor negativo, porque alem de existir um modelo com sideport, nos testes com a ASUS equivalente não se mostrou grande vantagem adicional. O Sideport é mais interessante se optar-se por 2 GB de ram, que se faz mais notar do que em 4 GB. Mesmo assim, 128 e 256 MB alocados é suficiente, já 512 é desperdício.
  • - Grande capacidade de overclock do IGP, fazendo 700 mhz facilmente e com capacidade para muito mais.
  • - Capacidade de overclock do CPU bastante boa, tendo em conta que não é uma board desenvolvida para grandes overclocks.
  • - Suporte a CPUS's de 140w TDP, como o Phenom II 965 testado.
  • - Boa performance do SB710 no que toca a armazenamento
  • - Capacidade de overclock das memórias, indo aos 1600 estáveis!
  • - Saída HDMI com passagem de som totalmente funcional
  • - Suporta e-SATA.
  • - Dual Bios
  • - Baixo consumo de energia!
  • - Formato micro-ATX, um must para montar um computador de pequenas dimensões.
  • - Bom layout, excepto das portas SATA (abaixo) e excelente combinação de cores.
  • - PCB muito bem construído, realmente mais grosso que a concorrência e componentes de primeira (condensadores sólidos e ferrite chokes)
  • - Embalagem compacta e simples, não só evitando excesso de resíduos bem como menor custo de produção e com isso ajudando a manter o preço baixo.
  • - Custa apenas 84 euros, que para uma board desta qualidade é muito bom.

Destaco pela Negativa:

  • - Ausência de dissipador nos mosfets, que com cpus de elevada potencia e em overclock fica muito quente, o que pode reduzir a vida útil da board. Dado a disposição dos componentes há pouco espaço para a utilização de dissipadores after-market.
  • - O dissipador do northbridge não é muito eficaz em passivo dado a reduzida área de dissipação, tende a ficar muito quente. Com uma caixa com bom airflow resolve-se o problema.
  • - Posicionamento das portas SATA é péssimo para quem pretende instalar placas compridas, como as ATI HD 48x0x2 e as Nvidia GTX 2xx. Por outro lado, dado o segmento na qual esta board se propõe, não é limitação de maior, visto que o típico comprador destas boards fica pelo IGP ou uma gráfica pequena, tipo uma HD 4670.
  • - A compatibilidade com o windows 7 ainda não é a melhor, especialmente nos drivers para o chipset, que apresenta muitos bugs, como por exemplo incompatibilidade com o 3dmark 2006 e vantage, bem como alguns blue screens. Recomenda-se manter os drivers o mais actualizados possíveis!
  • - O teclado e o rato tendem a falhar na BIOS. Não se sabe se isso é algum bug da mesma (e actualizou-se para a versão mais recente existente no site da gigabyte). Coisa que com a ASUS 785 não se notou.

Conclusão

A gigabyte com este produto aposta forte no segmento de baixa gama. Por um preço na ordem dos 80-85 € temos uma board que não só tem uma construção ao nível das irmãs de topo, como tem um design impecável e oferece um poderoso IGP capaz de lidar com filmes em alta definição e alguns jogos, que aliado ao baixo consumo e funcionamento em passivo, torna esta board uma escolha séria para construção de media centers ou HTPC. Basta escolher uma boa caixa micro-ATX voltado para HTPC, uma fonte de qualidade, esta board, um Athlon II 200 séries, 2 ou 4 GB de ram DDR3, discos e drivers opticas a gosto, bem como placas de TV, comandos, etc e tem-se um poderoso media center e com um custo competitivo.
A board demonstrou também ter boas virtudes no campo de overclock. Dominou o Phenon II 965 como "gente grande", embora não seja capaz de o levar ao seu limite, mas isso não é um factor preocupante, porque não é uma board voltada para overclocks extremos. O IGP faz facilmente 700 mhz, com capacidade para muito mais.
Entretanto notou-se alguns problemas, que penso que devem ser fácilmente corrigíveis. Os drivers para windows 7 para este chipset estão muito instáveis, não conseguindo executar os testes do 3dmark 2006 e 3dmark vantage. Alem disso durante alguns testes gráficos ocorreram alguns Blue Screen of Dealth ou "BSOD", demonstrando alguma instabilidade dos mesmos.
Outro problema é que o teclado e o rato (Kit Wireless sem fios) tendiam a deixarem de serem reconhecidos na BIOS, o que era muito incomodativo devido a quantidade de restarts. Já dentro do SO não tiveram qualquer problema. Creio que são 2 problemas que com updates da BIOS e drivers irão desaparecer.
Dado isso tudo e aliado ao baixo preço, a Zwame deixa então a recomendação máxima no quesito preço/performance!

Classificação

zwame200.png


Best Performance/Price

Agradecimentos

A ZWAME agradece à GIGABYTE pela disponibilidade do material para teste.

Copyright © Zwame, Lda 2009. Reprodução proibida sem autorização prévia.

 
Última edição:

JPgod

Moderador
Staff
ahh?



Tenho-a a trabalhar, daí que a gigabyte ficou pronta primeiro.

btw, porque preferes a EVO do que a gigabyte? Dos meus testes a EVO de facto porta-se "melhor" e tem o sideportmemory (embora como disse, tb há esta gigabyte com sideport), mas a gigabyte por ser micro-ATX é muito interessante para montar um media center compacto.

curiosamente a performance do sideport é inferior do que com memoria do sistema :D
 
Última edição:

Mk Pt

Power Member
Esta board com um dos athlon's de baixo consumo [ou mesmo um sempron 140 chega] e fica um media center muitissimo porreiro: baixo consumo e ruído, decode de filmes hd [pela gráfica onboard],..... O ideal para o conceito de 'media center'..
 

JPgod

Moderador
Staff
1ª parte publicada.

O 795GX é basicamente este 785G, mas com 700 mhz de core (nos testes que fiz, faz 700 mhz a brincar, alias toda a 2ª parte é a 700 mhz), suporte crossfire 8x/8x e uso do SB750 em vez do SB710 (mas parece-me que a diferença é apenas o suporte a raid5...

@ Mk Pt, isso com um athlon II 250 e fica um MUST. Depois é só undervoltar o CPU ao mínimo e utilizar o K10 stat.

Junta um disco silencios ou um SSD e uma fonte de alimentação decente e uma maquina jeitosa e que quase não gasta energia :002:
 
Última edição:

Mk Pt

Power Member
@ Mk Pt, isso com um athlon II 250 e fica um MUST. Depois é só undervoltar o CPU ao mínimo e utilizar o K10 stat.

Junta um disco silencios ou um SSD e uma fonte de alimentação decente e uma maquina jeitosa e que quase não gasta energia :002:

Sim um sistema desses com um ssd [também devido aos consumos] fica excelente, pena é os ssd ainda não terem muita capacidade a preço aceitável, mas vai chegar-se lá...


A única dificuldade acho que será encontrar fonte decente, visto que as mais eficientes só o são com carga mais elevada do que um sistema destes puxa..

Com uma fonte que funcionasse 85+ de eficiência neste sistema então estava no ponto..
 

JPgod

Moderador
Staff
um brick é que que era

Tipo o ZOTAC ION? Sim uma fonte destas era interessante, porque conseguem eficiências elevadas e permitia uma caixa ainda mais compacta, se bem que o brick provavelmente seria algo do tamanho do da xbox 360 (já que teria que fornecer uns 150w-200w e nada de gráficas dedicadas ou quads cores).

O problema que fontes de 85% eficiência e potencias na ordem dos 300-400w e de tamanho curto parecem que não existem... O marketing dos "muitos watts" parece que fala mais alto :(

publicado testes com overclock. A board é pequena, mas consegue ainda assim domar o monstro que é o 965 :002:

claro que não se compara a uma board de topo, mas vendo por outro lado uma board que não é voltada para OC's puxados conseguir esta performance.
 

The-Prophecy

Power Member
Entre esta Gigabyte com um AMD PHENOM II X2 550 e uma ASUS P5N7A-VM com um E6300.

O que é melhor?

A ideia é mesmo deixar a gráfica on-board e servir para HTPC com mkv a 1080.
http://www.*****.pt/index.aspx?p=ProdDetailRef&ProdRef=HDZ550WFGIBOX
 

JPgod

Moderador
Staff
Preferia a Asus porque vejo-a mais vezes à venda que a Gigabyte.

Preferir uma marca por causa disso 8|

Bastou ir a uma das lojas que tenho nos favoritos (E eu só tenho algumas poucas, as verdadeiras de qualidade) para encontrar esta board em stock imediato e até é um pouco mais barata que a ASUS...

Entre esta Gigabyte com um AMD PHENOM II X2 550 e uma ASUS P5N7A-VM com um E6300.

O que é melhor?

A ideia é mesmo deixar a gráfica on-board e servir para HTPC com mkv a 1080.
http://www.*****.pt/index.aspx?p=ProdDetailRef&ProdRef=HDZ550WFGIBOX

Eu ia para a gigabyte, porque custa apenas 84 €, enquanto a P5N custa 115-120 €.

Não sei agora os preços dos CPU's, porque a oferta de dual cores é algo reduzida.

E já agora, qual E6300. Os originais, a 1.86 ou os pentium dual core?

De qualquer forma eu entre LGA 775 e AM3 de raiz, prefiro AM3 por ser mais moderno e future proof.

EDIT: review completa! Se encontrarem algum erro ou sugestão, enviar PM.
 
Última edição:

vso

Power Member
Supostamente todos os SB com ACC dão para desbloquear, mas nem sempre é assim..

COmprei agora uma Asus evo e é uma exelente board pelo preço, DDR3 e tudo, que para o futuro é optimo.

No gpu-z diz-me que o IGP tem bus d 64bits de acesso ao sideport, isso é mesmo assim?
 

ancinic

Banido
:lol:

Eu não prefiro Asus nem Gigabyte... Apenas vejo a Asus em muitas, mas muitas configurações mesmo... Por isso é que acho que a comunidade preferia uma review à Asus que referi... Mais nada.
 

JPgod

Moderador
Staff
Supostamente todos os SB com ACC dão para desbloquear, mas nem sempre é assim..

COmprei agora uma Asus evo e é uma exelente board pelo preço, DDR3 e tudo, que para o futuro é optimo.

No gpu-z diz-me que o IGP tem bus d 64bits de acesso ao sideport, isso é mesmo assim?

Não.

O sideport é 32 bits
 
Topo