Headphones - Qual comprar? Recomendações na 1ª página

danimoca

Colaborador
Staff
Atendendo ao sucesso deste tópico e dos pedidos diários por opiniões para aquisição de auscultadores elaboramos um guia com sugestões de alguns equipamentos. Nenhum guia é perfeito e vai de encontro às necessidades de cada um, este não é exceção. Vamos focar-nos em produtos com cancelamento de ruído e a seguir ficará claro porque o fazemos.

Este guia foi realizado pelo @Walderstorn com o contributo do @Metro.

Cancelamento de Ruído

Cada vez mais o cancelamento de ruído é uma necessidade, quer seja por necessidade laboral, de modo a aumentar a concentração e, consequentemente, a nossa produtividade ou porque utilizamos transportes públicos, com a sua típica mescla de ruídos de diferentes fontes e a utilização de cancelamento de ruído permite que possamos ouvir a música ou o podcast que queremos, mantendo um nível de som não prejudicial, ou seja, sem a necessidade de aumentar o volume para valores que possam ser nocivos, evitando assim danos auditivos que, a longo prazo, poderão ser significativos.
Como muitas outras equipamentos, se não todos, acabamos por ter que abdicar de certas coisas para conseguir obter algo mais fundamental e, neste caso, esse lado mais importante é a abstracção, até certo ponto, do mundo que nos rodeia.
Decidimos criar esta lista de produtos de modo a apresentar algumas sugestões que possam ajudar na escolha do melhor equipamento para o caso de cada um. Com milhares de opções no mercado, a escolha do “ideal” não é uma tarefa fácil e procurámos testar e escolher produtos que apresentem qualidade como um “todo”, procurando, nesse processo, abdicar do menos possível. Não há produtos milagrosos, ou seja, que reúnam todas as qualidades a um preço muito baixo e, no outro lado do espectro, por mais apetecível que possa ser um modelo, o preço, infelizmente, para um bom ANC não estará ao alcance de todos, por isso a tarefa é difícil mas muitas vezes a nossa perceção é que é preferível adiar uma compra e comprar algo melhor do que comprar algo por impulso para nunca ficar satisfeito.
Este são alguns aspectos, ou interrogações, para compreenderem o cuidado e a reflexão que colocamos por trás das recomendações. Naturalmente que são livres de continuarem a colocar questões e dúvidas mas deixamos aqui um ponto de partida para produtos bons disponíveis no mercado.

Passivo vs Activo

O cancelamento passivo pode obter-se de variadas formas, como por exemplo, as pontas aka tips (com diferentes formas, material e tamanhos) de intra-auriculares, como o tipo e material das almofadas de um modelo de auscultadores. Obviamente dentro de cada gama, ou classe, de produtos há um imenso “mar” de ofertas e cabe a cada um descobrir qual, ou quais, se inserem melhor dentro dos nossos padrões e necessidades. Todas estas pequenas escolhas vão influenciar as ondas sonoras que chegam ao nosso canal auditivo, quer em quantidade, quer em qualidade, assim como notamos a diferença quando cobrimos as nossas orelhas com as mãos.

O cancelamento activo, como o nome sugere, é algo mais avançado e específico, tendo como alvo uma ou mais frequências. Podemos pensar no cancelamento activo como o "espelho" do oposto que queremos abafar, ou seja, se imaginarmos que um som seja equivalente a um número e esse número seja 1, ao adicionarmos o número -1 o resultado será igual a 0, ou seja, o anulamento desse número/som. Obviamente tudo é bem mais complexo que isso mas dá-vos a oportunidade de perceber, de modo simplificado, como tudo é idealizado.


Recomendações

Nas recomendações, como anteriormente indicado, focámo-nos em produtos que apresentam, acima de tudo, qualidade de ANC, algum grau de portabilidade e que possam ser utilizados com fontes que, a maioria, utiliza no seu dia-a-dia, telemóveis e computadores. Para efeitos objectivos não iremos comparar estes produtos com outros que não sejam dentro da mesma classe ou para o mesmo efeito (seria incorrecto comparar com uns Sennheiser HD600/650, por exemplo).

É impossível garantirmos qual o produto ideal para cada pessoa e por isso aconselhamos sempre a testar sempre que possível as várias sugestões, pois todos todos temos gostos diferentes e até coisas como o conforto difere de pessoa para pessoa ou mesmo o som, podendo, como exemplo, os graves dos Sony ser demasiado para alguns ou por outro lado os dos QC35ii insuficientes para outros.

Sugestões

Salientamos que os produtos presentes nas “sugestões” podem ou não, ter sido testados pela ZWAME e seus colaboradores, considerando-se opiniões de terceiros e preços mais em conta. De referir, novamente, que outros produtos foram testados, não tendo nenhum sido colocado nas recomendações pelas razões anteriormente referidas e nas sugestões devido à qualidade/preço.

Auriculares BT com cancelamento de ruído*

79810905-433x325.jpg
*Apesar de indicado nas especificações não são verdadeiros ANC. Estão incluídos na lista por serem a opção mais acessível. Temos um tópico dedicado a este modelo: https://forum.zwame.pt/threads/soundcore-q30.1064179/ onde podem ver uma análise e o feedback positivo.



Bose QC-35 II



Sony WH-1000XM3


Bose NC700


Auriculares BT com cancelamento de ruído


Os auriculares acima apresentados têm ANC e a caixa permite recarregar os auriculares pelo que são imbatíveis em termos de portabilidade. Os Sony são bastante mais acessíveis e uma boa escolha para quem usa Android, a Apple entrou depois no mercado com os AirPods Pro depois do enorme sucesso dos AirPods e até agora o feedback tem sido muito positivo.


Intra-Auriculares - Acessórios


Se já possuem IEMs, que apreciam, o melhor conselho é comprarem melhores pontas/tips, preferencialmente em esponja, para que tenham o melhor selo possível e que isolem melhor.


**************************************Notas Iniciais**************************************
- Antes de participar tenha sempre em atenção as Regras de Utilização do Fórum ZWAME e as Regras/Guia de Utilização do Áudio Portátil.

- Consulte o Guia/Regras/Lista de Análises no Áudio Portátil. Neste tópico está publicada uma lista de análises de vários equipamentos. Coloque as questões específicas para cada equipamento, no tópico respectivo.

****************************************************************************************

_________________ Questionário: Quais Headphones comprar? _________________


1) Modelos que lhe chamaram a atenção antes de colocar a questão:

Pode consultar outros sitios on-line, ou consultar a lista actualizada de modelos disponíveis no Comparador ZWAME ou Tropicalprice para preços na Amazon com os preços de referência.


2) Qual o orçamento disponível? Aceita comprar em loja on-line?

Normalmente, os melhores modelos só estão disponíveis on-line, muitas vezes a melhores preços.
Tenha atenção às falsificações, muito frequentes: no ebay, amazon market store e outros sites de revenda não autorizados pelas marcas. Os modelos das marcas mais conhecidas como: Sennheiser e Monster Cable®, são o principal alvo de contrafacção. Consulte os sítios on-line oficiais das marcas e procure a lista de revendedores autorizados. Os modelos contrafeitos são de qualidade inferior e não têm assistência da marca, em caso de avaria.



3) Qual a utilização que vai dar aos auscultadores?

[Música] [Filmes] [Jogos] [Concertos ao Vivo] [Estúdio]


4) Pretende auscultadores fechados ou abertos?
Diferenças entre os dois

5) Está interessado em auscultadores Circum-Aurais ou Supra-Aurais?


Os auscultadores circum-aurais possuem almofadas que circundam a orelha. São em geral, mais confortáveis.
Os auscultadores supra-aurais possuem almofadas que ficam sobre a orelha. São em geral, menos confortáveis.


6) Quais os géneros musicais, ou assinatura sonora que prefere?


6.1) Exemplos de álbuns/bandas/orquestras/artistas, etc, que queira referir*[1]:



*[1] - Pode colocar ligações de vídeos no youtube/vimeo, respeite o seguinte formato:

Banda - Tema [link inserido no tema] Ex: Diana Krall - Have Yourself a Merry Little Christmas
Estes 3 vídeos podem ficar como termo comparativo dado a qualidade de som e da interpretação: Patricia Barber - Use Me, Caravan - parte I, parte II


O ponto 6.1, tem como objectivo ajudar quem faz a recomendação. Não existe um modelo que seja o melhor em todos os géneros. Tem também como objectivo aconselhar qual a assinatura sonora que mais se adequa ao género que mais frequentemente ouve, caso não saiba. Pode consultar a seguinte lista, em que se associa cada modelo testado a uma assinatura sonora: Multi-iem Comparision(não oficial).


7) Quais as fontes que serão utilizados os auscultadores?

[Qual o leitor?] [DAC] [Amplificador portátil]

É necessário ter um amplificador externo associado a um leitor mp3? Explicação

8) Pretende auscultadores com ou sem fios? Se com fios, deseja que sejam removíveis?

Os modelos com cabos removíveis não são muito frequentes nos modelos mais acessíveis (<180€).


9) Quais os modelos que teve? O que gostaria de ver melhorado em relaçao aos modelos que teve*[2]?

*[2] - Quanto mais pormenorizada for a descrição, mais fácil será determinar a melhor escolha.


10) Em que ordem coloca os seguintes critérios?

[ ] - Isolamento
[ ] - Qualidade de construção
[ ] - Acessórios
[ ] - Conforto
[ ] - Garantia
[ ] - Som
[ ] - Tecnologia

Pode colocar apenas dois critérios em cada patamar, ex:

[1] - Som
[1] - Conforto
[3] - Isolamento
[4] - Qualidade de construção (QC)
[4] - Acessórios
[6] - Garantia
[7] - Tecnologia



11) Em que condições/situações vai utilizar os auscultadores?

[Rua com ruído exterior: baixo, moderado, elevado] [Escritório] [Casa] [Transportes Públicos]


12) Outros apontamentos relevantes que considere importantes:






---------------------------------------------------------------------------------------------

Boas!

Abro este novo tópico para ser mais fácil discutir sobre headphones (não IEM's).

Hoje mesmo adquiri uns HD238. Têm um som muitíssimo parecido com os HD555, só que com bastante mais grave e um pouco menos palco. Como ainda só tocaram umas 2 horas, mais tarde meto aqui uma pequena review.

Cumprimentos
 
Última edição pelo moderador:

danimoca

Colaborador
Staff
Que quiseste dizer com isto?

São pouco sensíveis. Necessitam de boa amplificação. Por isso mesmo estou a ver que ainda vou comprar um Fiio... (com o meu Touch, na maioria das músicas, tenho que meter o volume a uns 4 cliques do máximo). Mas mesmo assim não é nada de muito preocupante, até porque eu costumo ouvir bastante alto, segundo o que me dizem.
 
Última edição:

danimoca

Colaborador
Staff
Bem... deixo já aqui uma opinião sobre o facto de serem abertos: São mesmo MUITO abertos! Deixam sair uma quantidade enorme de som para fora, ou seja, para quem quer andar em transportes públicos (por exemplo) não são muito bons.

Em termos gerais considero os HD238 serem mais uns headphones "caseiros", tipo os HD555, incluindo em termos sonoros, que por acaso até são pequenos e dão para andar de um lado para o outro. Mas não considero serem propriamente para andar a ouvir na rua, embora se portem lindamente em tudo, com a excepção de deixarem sair muito som. Até agora esta é a unica coisa má que tenho a dizer sobre eles.

Em termos de qualidade de construção são 1 BILIÃO de vezes melhores que os PX100 e estão ao mesmo nível, se não superior, ao dos HD555.
O conforto é extraordinariamente bom. Nunca tive, nem experimentei, uns auscultadores tão confortáveis. Passado um bocado até me esqueço que os tenho postos.
Ainda não queria falar muito sobre o som (as primeiras impressões já as disse) porque ainda estão a fazer o burn-in, mas daqui a uns 5/6 dias meto aqui a review.

Cumprimentos
 

strobe

Moderador
Staff
Nunca tive, nem experimentei, uns auscultadores tão confortáveis. Passado um bocado até me esqueço que os tenho postos.

Obviamente tens pouca experiência ;) Os meus primeiros Sennheiser foram os HD465 (a versão antiga, porque inexplicavelmente a Sennheiser lançou um modelo muito diferente com o mesmo número e que não sei como será) e já então eram uns supra-aurais super-confortáveis que "até te esqueces que os tens postos".

O único senão é que a pressão sobre as orelhas era tão pouca que se rodasses a cabeça bruscamente eles saiam o sítío (não acompanhavam o movimento da cabeça). Suponho que isso também acontece com os HD238. Mas a única maneira de contrariar isso mantendo o conforto é com os circum-aurais. Além disso, pouca pressão nas orelhas implica que nunca serão completamente fechados.

Pelo menos a Sennheiser tem/tinha uma data de modelos com esta "fórmula" de conforto garantido (e estamos a falar em modelos com mais de 10 anos). O que acho estranho é agora haver tantos modelos com o design desconfortável dos 497 (ex.: eH150, HD202, etc.).

EDIT: se bem me lembro, os 238 têm esponjas revestidas de imitação de pele, com uma abertura no meio, certo? Em termos de durabilidade, acho pior essa imitação de pele que o tecido. Quando as esponjas das almofadas 465 acabaram (depois de mais ~10 anos de uso!) bastou-me substituir a esponja por uma DIY e reaproveitar o tecido (que ainda está impecável). Pelo contrário, as almofadas dos 497 tiveram de ser substituídas por umas novas, porque a imitação de pele desintegrou-se completamente.
 
Última edição:

danimoca

Colaborador
Staff
Boas!

Estive esta durante os últimos cinco dias no Algarve e decidi preparar lá uma “pequena” (not! Hehehe…) review acerca dos HD238. Antes de mais peço desculpa por eventuais erros ortográficos e/ou técnicos que a review poderá conter. Peço igualmente desculpa pelo tamanho um pouco exagerado da crítica. É que estes headphones dão realmente muito que falar…

Introdução:

Algo que me faz sempre muita confusão quando estou a ler criticas de equipamento áudio é o facto de o critico poder ter sempre gostos musicais muito diferentes dos meus. Não me interpretem mal, não tenho nenhum problema com isso, mas acho que estes aspectos deveriam ser evidenciados na crítica, de maneira a informar melhor os leitores para os estilos de música em que o equipamento funciona melhor. No meu caso, gosto de praticamente todos os estilos de música, com preferência para Pop ligeiro e alguma musica Clássica. Quero também deixar claro que nunca uso qualquer tipo de equalizadores ou semelhantes, cuja única função é, na minha opinião, dar a sensação de uma melhor qualidade de som, “vitaminando” a música, alterando completamente o som original. Sendo que alguns de vocês estão sempre a falar que os equipamentos de estúdio supostamente são os melhores, porque são os que mais se aproximam daquilo que o editor ouviu, vocês ao usarem equalizadores estão a mudar isso. Um equalizador NÃO revela mais detalhe e NÃO melhora a qualidade sonora em geral. Muitos de vocês vão já dizer que apenas digo isto porque tenho um iPod e os iPod’s não têm equalizador. Mas é que eu também posso contradizer, afirmando que tenho um iPod pois não tem equalizador e revela a música “as is”, sem mais nem menos. Para além disso, continuo a afirmar que os iPod’s têm melhores Dac’s, mas aí já estaríamos a desviar-nos muito do assunto, ainda que esta introdução se tenha desviado bastante. Para além disso quero também fazer aqui uma critica às reviews do miow, que me deixam sempre com muitas interrogações. Para mim, as reviews dele são do tipo: “o palco é ENORME!”, “os médios são muita fixes!” e “os agudos são altamente!”. Isto, obviamente, para quem ainda percebe menos do assunto que o miow ainda é capaz de levar essa pessoa ao engano. Quanto à questão dos TD100 eu nem vou comentar muito, mas apenas digo que não acredito em nadinha do que se está passar. Para além disso já se viu que não duram absolutamente nada, portanto até podem ser melhores que uns IE8 (o que não acredito), mas se forem construídos pessimamente e durarem uns dias, obrigado mas não. Adiante…

Conforto e estrutura – os HD238 são considerados headphones portáteis e a sua estrutura evidencia tal afirmação. São bastante leves e extremamente confortáveis, mesmo durante longos períodos de tempo (usei-os na minha viagem de carro para Monte Gordo e não tive uma única queixa deles quanto ao conforto, durante toda a viagem). A estrutura aparenta ser feita totalmente em plástico, embora existam alguma áreas de metal, como os parafusos que unem as principais peças da estrutura (estes parafusos são visíveis). O “anel” na parte exterior do “cone” dos headphones e o símbolo da Sennheiser do mesmo são igualmente feitos de metal. A construção em geral parece ser excelente (bem melhor do que estava à espera). O único ponto negativo que consigo encontrar em relação à estrutura dos headphones reside nas almofadas, que embora sejam extremamente moles, suaves e confortáveis, não dão uma grande sensação de durabilidade. A parte que realmente toca nas orelhas é feita de uma espécie de imitação de pele e a restante parte é feita de veludo (provavelmente imitação de veludo). Cheguei a desmontar as almofadas e o sistema de montagem até me pareceu ser bastante ideal (apenas baseado no encaixe de uma peça de plástico da almofada, que dá a sua rigidez estrutural, à estrutura dos headphones em si). O interior das almofadas era feito de dois tipos de esponja: uma delas, que residia no meio, era feita de um material pouco denso, de maneira a deixar passar claramente o som para os ouvidos. A outra, que estava em maioria, é feita de um material bem mais denso e é a que dá o conforto às almofadas. Na parte superior dos headphones (a parte que toca na parte superior do crânio), existe também uma almofada, igualmente feita de imitação de pele e igualmente extremamente confortável. Os headphones são ajustáveis em “altura” e o sistema usado é bastante seguro e aparentemente durável, o que não acontece muito com os seus grandes “irmãos”, os HD555, cujo sistema não e lá muito fixo e durável. Para terminar, falemos sobre o cabo dos HD238: à primeira vista parece ser demasiado fino, no entanto, passados uns dias começa-se a ver tem grandes pontos positivos, como por exemplo o facto de nunca se enrolar ou o facto de só “entrar”/”sair” por um dos cones, evitando mais uma vez confusões de cabos. O “jack” é feito de uma forma que permite que mesmo quem utiliza aquelas bolsas/caixas de protecção para os seus iPod’s (como eu), entre com toda a facilidade. Na minha opinião parece-me ser demasiado comprido, o que é um problema para a utilização com aparelhos tipo o Sandisk Sansa Clip ou outros cuja entrada de auscultadores seja lateral. No entanto em iPod’s não vejo grandes problemas. Apenas me fez um pouco de confusão ao princípio.

Som:

Todos os testes e o “burn-in” feito até ao momento desta review foram feitos usando principalmente ficheiros em formato AAC, a 320kbps (CBR – Constant Bit Rate), reproduzidos através do meu iPod Touch 2G 16GB. Como seria de esperar, em FLAC o aumento na qualidade de som é bastante considerável, especialmente no que toca à sensação de espaço sonoro (palco e transparência) e no detalhe.

Volume sonoro - tenho que referir que estes headphones não são muito sensíveis, pelo que muitos dos aparelhos actualmente não seriam capazes de os “guiar” (fazê-los tocar) decentemente. O meu Touch tem um amplificador interno de 22mw (11mw por canal). Sei por acaso que o actual Sony série S tem apenas 5mw por canal. Ora, eu uso o meu Touch com estes auscultadores em quase todas as músicas (com algumas excepções, como é óbvio) a dois cliques do máximo. Vocês devem saber onde é que eu quero chegar. Mesmo assim até tocam excelentemente bem e não mostram “deficiências” na fonte (neste caso, o iPod Touch), principalmente por terem uma impedância bastante razoável (32 ohm’s) e superior à dos meus IEM’s (AKG K 321). Ainda este Verão vou ver se compro um amplificador áudio portátil. O mais provável é que será um Fiio E5. Aí verei também se o “hipe” à volta destas supostas pequenas maravilhas tem realmente uma razão de ser.

Fuga sonora – esta é provavelmente das poucas, mas também a maior crítica negativa que tenho a fazer sobre estes headphones. A quantidade de som que eles deixam escapar pelas partes exteriores dos cones é extremamente grande (perfeitamente ao nível dos HD555) e, como tal, os HD238 não são considerados muito bons para ouvir música em áreas onde exista muita gente. Tal como seria de esperar, também não “bloqueiam” muito o som do exterior, embora, estranhamente, isso não afecte quase em nada o detalhe reproduzido pelos headphones, mesmo em situações onde o barulho vindo do exterior é muito grande.

O “burn-in” - quando experimentei pela primeira vez os HD238 fiquei muitíssimo surpreendido com a transparência e a envolvência em geral do som. Pareciam uns HD555 só que com bastante mais grave (mas igualmente ou até mais controlado) e um pouco de menos palco. Antes do “burn-in” sério (primeiras 10 horas), achei que faltava abertura no som e profundidade no grave face ao que tinha ouvido na *****. Só depois de dois dias seguidos a tocarem é que comecei a reparar nas melhorias. E até ao momento em que realizei esta review (aproximadamente uma semana depois) já posso dizer com confiança que são os melhores headphones portáteis que alguma vez experimentei. Acho que até posso ir mais longe e afirmar que o conjunto iPod Touch+HD238 são o melhor conjunto áudio portátil que alguma vez experimentei.

Gama baixa – os graves nestes headphones são dos mais profundos que já ouvi neste tipo de headphones. Na maioria dos IEM’s existe sempre aquela sensação de que o som é feito principalmente pelo grave, sendo que está sempre demasiado frontal, intrometendo nas outras frequências. Com headphones full size (principalmente os de formato aberto) tal não acontece e o grave está sempre lá mais como acessório, isto até porque, na minha opinião, o que faz um som é sobretudo a gama média. Nos HD238 o grave é, digamos que, quase perfeito em todo o tipo de músicas. Em Clássica estes headphones mostram talvez um nada de corpo em demasia e um grave a pender para o “cheio”, mas em todo o outro tipo de músicas os HD238 têm um grave na quantidade exactamente certa. Devo referir que nas primeiras 20 horas de utilização, a volumes muito altos, estes headphones distorcem um pouco em música com muito grave. Não é nada de muito sério, até porque depois do burn-in esta distorção desaparece completamente.

Gama média – foi nesta área que os HD238 mais me surpreenderam. A gama média nestes headphones, quando acompanhados com o meu iPod Touch é bem melhor do que quando os ouvi na *****. Mas não é só isso. É que sempre ouvi dizer que os Sennheiser tinham uma gama média um pouco abafada pela gama baixa. Mas é que isto não acontece! A frontalidade está basicamente “spot on” e a transparência em algumas músicas até arrepia, sobretudo em música ligeira. Vou dar-vos como exemplo um dos meus álbuns preferidos de todos os tempos: Prefab Sprout – Andromeda Heights, cuja gravação foi feita em “surround”. Com este álbum torna-se mais que evidente a envolvência das vozes e dos instrumentos. Para além disso é um CD extremamente difícil de reproduzir no que toca ao detalhe. É um álbum em que apenas se tem prazer a ouvir quando se consegue ouvir todos os detalhes, senão soa horrivelmente mal. Os HD238 conseguiram reproduzir os detalhes de uma forma que eu não achava possível em algo deste preço e até em auscultadores mais caros. Digo-vos até que estou com dificuldade em lembrar-me dos HD555 com este nível de detalhe.

Gama alta – ao contrário da gama média, a gama alta não foi surpresa nenhuma (uma critica nem má, nem boa). Os agudos são tipicamente Sennheiser: extremamente agradáveis e não muito frontais. Para algumas pessoas talvez lhes falte frontalidade, mas em geral são bons. Uma coisa que deverei apontar é que ao princípio, nas primeiras horas de utilização, os agudos eram talvez um pouco “afiados”. Passadas umas horas tudo fica resolvido, portanto, nada de preocupante.

Palco – tinha que criar uma “área” dedicada ao palco destes auscultadores. Quando comprei os HD238 fiquei em choque com a “abertura” e o palco sonoro dos mesmos, isto tendo em conta o tamanho deles. No entanto, passados uns dias digamos que cai na realidade e penso que vou retirar aquilo que eu disse acerca dos HD238 terem um palco semelhante aos HD555. Têm na realidade, um palco um pouco inferior, mas mesmo assim, um palco épico para o tamanho dos mesmos. Em música ao vivo ficou constantemente de boca aberta porque parece que tenho umas colunas enormes enfiadas nos meus ouvidos. É realmente épico para uns auscultadores deste tipo e algo que realmente não estava nada à espera.

Lá vêm os “mods” – após ter comprado os headphones, reparei num tópico no fórum da Head-Fi. Neste tópico encontrava-se um utilizador, possuidor de uns HD238, que decidiu modificar os headphones por achá-los um pouco abafados em comparação com os seus AKG K 701. Decidiu fazer várias experiencias com vários materiais no interior dos cones, entre as drivers e a grelha metálica exterior (aquela com o símbolo da Sennheiser). No link mais abaixo verão o tópico com todos os detalhes. Como eu não tinha todos aqueles materiais, decidi meter por cima das esponjas já existentes atrás das drivers, pequenas folhas de alumínio, da mesma forma que estas esponjas. A mudança no som foi imediata. As gamas média e alta ficaram muitíssimo mais frontais e o grave ficou menos pronunciado. A dinâmica aumentou consideravelmente. Ficaram, em geral, estilo a fusão de uns Sennheiser com uns AKG, resumindo-se no final a um som muitíssimo mais divertido e menos abafado.
Link: http://www.head-fi.org/forum/thread/472413/sennheiser-hd238-brief-review-and-modding

Conclusão:

Ainda não sei o que é que estes headphones são propriamente. Por um lado têm um som de uns headphones bem maiores, tipo uns HD555, mas por outro conseguem reter toda essa qualidade numa estrutura bem mais pequena. Existem uns quantos problemas, como a duvidosa durabilidade das almofadas e a extrema fuga sonora que pode ser um problema para quem queira usar estes auscultadores ao pé de outras pessoas, mas em geral, os HD238 são extremamente capazes no que toca à qualidade de som e são, sobretudo, uma das melhores alternativas para quem queira “fugir” do mundo dos IEM’s. A dinâmica e a abertura do som é incomparável, pelo menos no que toca a IEM’s do mesmo preço e de valor um pouco superior. Se quiserem uns bons IEM’s têm que gastar bem mais do que se quiserem uns bons headphones. Não acredito que, pelo mesmo preço, existam uns IEM’s que sejam melhores em absolutamente tudo que uns headphones. Dito isto, reafirmo que os HD238 são uns headphones com uma relação qualidade/preço de outro mundo. Eu ainda não consigo acreditar que uns headphones deste preço e deste tamanho consigam ter uma performance deste nível. Por mim, comprem com segurança.

Pontuações e principais musicas de referência:
- Conforto – 19/20
- Qualidade de construção – 17/20
- Durabilidade – 15/20
- Experiencia na rua – 15/20
- Gama baixa – 17/20
- Gama média – 19/20
- Gama alta – 17/20
- Palco – 16/20
- Detalhe – 19/20 (Jack Johnson – Losing Keys)
- Transparência – 18/20
- Qualidade de som em geral – 18/20 (Prefab Sprout – A Prisioner Of The Past)
 
Última edição:

joaocb40

Power Member
É que sempre ouvi dizer que os Sennheiser tinham uma gama média um pouco abafada pela gama baixa.
Excelente análise. :)

A propósito da afirmação que cito ocorreu-me acrescentar uma informação.

O tipo de som com muitos baixos que alguns modelos sennheiser hoje apresentam é uma novidade surgida com os relativamente recentes HD650. Até então todos os sennheiser apresentavam um som sem agressividade mas pouco encorpado, um som em que a prioridade era a gama média. Para um cota como eu, a primeira ideia que ocorre como som tipicamente sennheiser ainda é esse. É por essa razão que ainda hoje boa parte dos aficionados de sennheiser preferem os HD600 aos HD650, é também por essa razão que os HD600 nunca foram descontinuados e substituídos pelos HD650 como era a intenção inicial.

Não imaginas o prazer que eu ainda hoje sinto quando resolvo ouvir os meus velhinhos HD560 Ovation. São estes: http://www.head-fi.org/forum/thread/71934/sennheiser-hd-560-ovation-ii-review

É interessante constatar que depois dos HD800 terem dado início a um retorno à essa assinatura sonora original, também comecem agora a aparecer na gama mais acessível, auscultadores com esse tipo de som mais frontal.

O meu filho, que em criança conheceu bem esses HD560 e HD600, quando ouviu estes HD238 nem hesitou em ficar com eles. Ainda na ***** ligou-me a dizer "pai, encontrei aqui uns sennheiser com o som mesmo como tu gostas" e tinha razão. Estes HD238 lembram-me os primeiros sennheiser que tive, os históricos HD414. :)
 
Última edição:

strikereg

Power Member
Excelente análise!

E subscrevo totalmente a Introdução. Palavra por palavra. Até tenho o iPod Touch (actualmente iPhone, tenho que ver se vendo o iPod, está a ganhar pó...) e a minha opinião sobre o mesmo é igual.
 

danimoca

Colaborador
Staff
Obrigado :)

Sim, pegando por exemplo no caso dos CX-300 dá perfeitamente para ver onde a Sennheiser se tentou enfiar. Felizmente viram a tempo que estavam a cometer um erro e estão a retomar a antiga forma de reprodução sonora. Também conheço um pouco o som dos antigos Sennheiser's porque o meu pai ainda tem uns HD535 que são incrivelmente semelhantes aos HD555 em todos os aspectos (penso que os HD555 tenham sido os substitutos...).

É o que eu digo... toda esta treta de "hate" à volta dos iPod's e da sua qualidade de som é mesmo isso: puro "hate", mais nada.
 

danimoca

Colaborador
Staff
Não estou a perceber. Estão a dizer que os HD650 têm muitos graves?

Sim, mas não só... os HD650 têm um grave que abafa um pouco o resto do som. O grave em si é um pouco "pastelão" e morto em comparação com, digamos, uns K701. Os anteriores Sennheiser's tinham uma assinatura sónica muito menos presente. Eram muito mais parecidos com os AKG.
 

strobe

Moderador
Staff
Tinha-me esquecido de dar os parabéns ao danimoca pela review. Bastante informativa.

Voltando ao assunto das "assinaturas". Devo ter tido "sorte" porque, a excepção dos CX300 (que não são propriamente um design da Sennheiser), em todos os meus Sennheiser os médios são os protagonistas principais. Em todos os graves são muito comedidos, demasiado até (excepto nos HD555 que são minimamente convincentes).

Agora que tenho um amplificador um bocadinho melhor, tenho de experimentar novamente os HD650, mas com aquela impedância monstra, não estou com esperanças de ir muito longe.

E por falar em monstros, que sabem daqueles headphones de moda com os futebolistas (os Monster Beats Studio by Dr. Dre)?
 

danimoca

Colaborador
Staff
É estranho... até porque muita gente diz que o grave dos HD555 é um pouco limitado em comparação com os HD650, por exemplo.

Tenho realmente visto muita gente com esses Monster... (um deles foi muito recentemente o Deco, num dos jogos :D), mas pelas criticas parecem ser mais para estilos de música a pender para o pesado. Não vejo muita gente que gostará de ouvir Clássica naqueles auscultadores. Não me parecem ter sido feitos para esse tipo de audições. Para além disso são extremamente caros...

Aproveito e meto aqui umas quantas fotos dos HD238. Actualmente não tenho nenhuma máquina disponivel para tirar fotos "reais", mas deixo aqui umas quantas que evidenciam alguns aspectos importantes.

HD238mainlarge.jpg


Sennheiser%20HD238.jpg


87815607-300x300-0-0_Sennheiser+HD+238.jpg


105243_speaker.jpg


105243_outro.jpg


0,1425,i=205862&sz=1,00.jpg

Uma comparação com os Grado SR60 em termos de frequências.
 

strobe

Moderador
Staff
É estranho... até porque muita gente diz que o grave dos HD555 é um pouco limitado em comparação com os HD650, por exemplo.

O que é estranho? O grave dos HD555 é limitado, dê por onde der. Mas é "convincente". Isto é, os graves estão lá, mesmo que fraquinhos. (Já agora, tenho a impressão que com o FiiO E7 o grave melhorou mesmo sem recorrer ao bass-boost)

Se os HD650 têm mais graves (quando devidamente amplificados), em princípio seriam um melhoramento. Mas se têm demais nem por isso.
 
Topo