1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Consulta o Portal de Jogos da ZWAME. Notícias, Artwork, Vídeos, Análises e muito mais.

    Remover anúncio

Multiplataforma Hellblade: Senua's Sacrifice (Ninja Theory, PC/PS4)

Discussão em 'Console Gaming' iniciada por Jack-O-Lantern, 8 de Março de 2017. (Respostas: 111; Visualizações: 4222)

  1. Daimon

    Daimon Colaborador
    Staff Member

    @MaxCoimbra2 O Ryse é um brawler simplificado. Usa um sistema de combate tipo Batman ou Shadow of Mordor, mas com menos opções durante as lutas. Atacas até veres a indicação de que alguem te vai atacar, e carregas no botão de parry. Repetes até estarem todos mortos. Os QTE são para os finishers.
     
  2. Brunadas

    Brunadas Power Member

    Concordo contigo. Contudo há pessoal que gosta de colecionar e gosta de ter os jogos fisicos.

    Eu vou comprá-lo mais tarde pois tenhos outros jogos como prioridade e visto que é pequeno prefiro deixar desçer o preço e depois então comprar.
     
  3. Jack-O-Lantern

    Jack-O-Lantern Power Member

    Concordo. Este projeto vindo de uma "pequena" equipa de apenas 20 pessoas, merece todo o apoio pela qualidade e criatividade demonstrada em Hellblade. Merecem todo o apoio para que daqui resultem futuros lançamentos com ideias inovadoras. Este projeto tenta ser algo diferente, com uma produção de qualidade AAA (e sim, em termos de valor de produção está bestial), mas com independência a preço baixo. Não seria espetacular existirem muitos mais jogos assim, com tal qualidade, que fossem uma pedrada no charco entre as mesmas franchises habituais?
     
  4. Brunadas

    Brunadas Power Member

    Sim atenção,quando disse pequeno não é pelo facto de pequeno=mau,nada disso.Aliás até prefiro jogos assim do que jogos que são muito longos e a maior parte do tempo é a encher chouriço lol.

    Como disse por agora não é prioridade,tenho outros que tão quase a sair como prioridade e o dinheiro não dá para tudo.Mas certamente mais tarde compro,vi umas quantas reviews e gostei imenso do que vi seja gameplay,visuais,tudo o que referiste acima.

    E sim jogo sempre de h7,h7 dá outra dimensão nos jogos,a uns mais que outros sendo este um dos casos devido á temática e a história em si.
     
  5. Jack-O-Lantern

    Jack-O-Lantern Power Member

    É um facto que o possível sucesso de Hellblade iria ser uma referência para outras companhias seguirem os mesmos passos, com produções com qualidade de um blockbuster (triple AAA), mas a metade do preço e com liberdade criativa. Contudo, pelo que vejo ao longo do tempo, as experiências single player, com durações relativamente curtas, mesmo que tenham características de qualidade, são relegadas para segundo plano, em virtude do peso de títulos multiplayer-centric ou com dezenas de horas de duração (mesmo que seja para recolha de 500 baús num mapa minado de itens).

    Pessoalmente, em 2017, este jogo junta-se a RIME, com uma experiência muito boa em termos criativos e fun-factor. Por tudo o que representa, era bom que Hellblade tivesse sucesso, mas, pessoalmente, tenho algumas dúvidas, em função do que, maioritariamente, os jogadores "pedem" hoje em dia, que é pouco compatível com este tipo de experiências.
     
    Última edição: 12 de Agosto de 2017
  6. Jack-O-Lantern

    Jack-O-Lantern Power Member

    No tópico d´"o último jogo" tenho lá deixado, nos últimos meses, mais de uma dezena de análises de "pequenos" jogos que, têm sido as minhas melhores experiências. É efetivamente onde encontro a liberdade criativa, existindo, obviamente, umas experiências mais bem conseguidas que outras. Mas é onde encontro satisfação. Em tempos partilhava num outro tópico que tenho um par de blockbusters parado na consola e no PC, simplesmente porque, quando os começo a jogar, começam-me a aborrecer solenemente. São gostos, é certo e há mercado para coexistir de tudo um pouco, mas é como atualmente, me sinto. Desconectado com a realidade do mercado que "vende".

    Ler nalguns fóruns, algumas das criticas a Hellblade, com tal fúria "destruidora", deixa-me entristecido e a perceber porque é que as tabelas de vendas são como são... é a realidade, goste-se ou não (pessoalmente não aprecio).

    Agradeço a sugestão e vou jogar o Night in The Woods que me passou efetivamente debaixo do radar.
     
  7. Manuel Jose

    Manuel Jose Power Member

    Disseste tudo! E fiquei com vontade de comprar o Hellblade e o Night in The Woods. Quero apoiar este tipo de experiências!
     
  8. ValtermcPires

    ValtermcPires Colaborador
    Staff Member

    A ver se chega o fim do mês para ir comprar o jogo ^^ vi uns gameplays no YT e deu-me vontade de o jogar.
     
  9. Jack-O-Lantern

    Jack-O-Lantern Power Member

    Outro aspeto que também completa a mais-valia deste jogo é o documentário que o acompanha (só deve ser visto depois de completarem o jogo). O documentário está excelente, retratando a ponte que a Ninja Theory faz entre a realidade das psicoses e o modo como quiseram refleti-las no jogo. É interessante, pois percebe-se o que levou a criarem no jogo algumas das opções artísticas para as representarem.

    Entretanto, para quem, como eu, aprecie OST de videojogos, deixo uma das mais emblemáticas músicas com que somos presenteados em Hellblade (que ganha todo o sentido no jogo):

    Passarella Death Squad - Just Like Sleep

     
  10. RuiBK

    RuiBK Power Member

    Se calhar sou cinico demais,mas as movimentações da Ninja Theory com o Hellblade não são 100% inocentes na minha opinião.Olhando para os gráficos do Hellblade,são melhores que os dos AAAs que eles fizeram com o apoio de editoras. Da mesma maneira que muitos jogos agora estão a seguir a onda dos 8-16 bits retro/survival/sandbox/open world,eles tentaram jogar o jogo dos gráficos,que tanto se tem jogado desde 2013.E nesse processo outras coisas ficaram pelo caminho.

    Acho sempre uma graça do caraças sempre que vejo caças às bruxas com o foco a ser jogos.Dependendo do alvo ser AAAs ou indies,arranja-se uns argumentos engraçados.


    Estás a borrifar-te tanto para o que penso que até respondes com um ad hominem à mistura...


    Isto é simples,custa-me ver tanta reverencia sem ver dinheiro investido ou intençao de tal num futuro proximo(sabe-se lá se vai haver uma versão física disto).
    A review do Jack ainda tinha alguns floreados que me meteram alguma impressão,mas verdade seja dita o Enslaved e Heavenly Sword tinham o seu quê de poetico com as suas origens em fabulas,talvez o Hellnlade siga os mesmos passos.
    Agora seguir essa linha de pensamento mas basicamente dizer que nem em promo(situação que corriges neste post a que respondo quando falas de esperar por descer até 10 euros),é estranho.



    Aqui para os meus lados é simples,esperar pelo fim do mês e arrotar os 30 euros.Preferia esperar por um port para a One,mas ao presente ritmo se isto não vender não vai haver mais Ninja Theory,quanto mais um port do jogo.
     
  11. Jack-O-Lantern

    Jack-O-Lantern Power Member

    Entretanto, por ter gostado tanto do jogo, acabei a minha 2ª playtrough completa do jogo (ao contrário do que habitualmente faço, em que, antes de fazer eventual replay a um jogo que tenha gostado imenso, intercalo com outros jogos) e não hesito em afirmar que hei-de ir sem qualquer receio a uma terceira volta completa, tal a qualidade e mérito que vejo em Hellblade, mesmo com as suas fraquezas.

    Continuo completamente estupefacto como é que um tema-tabu das doenças mentais e das psicoses consegue ser abordado num videojogo de uma maneira tão imersiva e envolvente.

    Por curiosidade, estava a ver algum material pós-lançamento do Hellblade e ainda hoje foi publicado este vídeo, que foca precisamente esse aspeto:



    @RuiBK Percebo que a review esteja a pender para o lado "erudito" e provavelmente deveria ter focado aspetos mais práticos, como as mecânicas das lutas ou outros aspetos diversos, mas, como qualquer review, é uma opinião, uma visão pessoal da experiência e o modo de a descrever pelas suas palavras, com total liberdade criativa permitida pela "casa". Tal subjetividade levam por exemplo, gajos como o Jim Sterling, que tem mais de um 500 mil subscritores no youtube, a espetar levianamente e impulsivamente um 1/10 porque encontrou um bug que ninguém encontrou nem conseguiu replicar pós-lançamento. É certo que ele retirou o vídeo, mas deu-me ainda mais certeza do que é a subjetividade que uma review pode ter em função de quem o analisa e da experiência pessoal que teve... e confesso que, custa-me dar "notas" a jogos e até aprecio mais a abordagem "qualitiva" da eurogamer, por exemplo, que dá menos enfoque ao número per se ;)
     
  12. Jack-O-Lantern

    Jack-O-Lantern Power Member

Partilhar esta Página