1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Informacoes Sobre Webdesigner!

Discussão em 'Web Development' iniciada por Kozaar, 11 de Setembro de 2008. (Respostas: 24; Visualizações: 2010)

  1. Pessoal Precisava da vossa ajuda se possivel....
    Tou a acabar um curso de informatica (tecnico) q me vai dar equivalencias ao 12ano...
    A questao eh a seguinte, Eu o que cria msm era webdesign, e tou a pensar em quando terminar o curso, tirar outro ( webdesign)... Pois era isso q queria seguir, mas sei q no mercado de trabalho ta complicado nessas areas.... o q queria saber era se aqui alguem sabe +/- a media de ordenado q iria tirar com o 12ano e os 2 cursos... mas neste caso no ramo do webdesign.... pois era isso q realmente queria!!!


    So para ter uma ideia... se alguem souber agradecia info.

    Cumpz! []
     
  2. hostmake

    hostmake Power Member

    Isto não é uma área que isso pese muito!

    Se tiveres o skill para ser um bom webdesigner, com certeza não passaras despercebido.. e se fores mesmo bom então, safas-te melhor em freelancing.

    Não te vou dizer o que eu consegui com um curso técnico apenas do 12º ano, e nos 2 anos e meio que tive a trabalhar, como programador e web-designer, até porque fazia trabalho fixo mais freelancing, mas em contratos, nunca deixes que te pagam menos de 800 €, digo eu.

    A não ser que sejas fraquinho :D
     
  3. mags

    mags Power Member

    800 euros para cima...uau acho que pedes bem
    sendo assim quanto pedirá um licenciado?
    então agora a recibos verdes...hmm....800 como base...deve ser de mais
     
  4. hostmake

    hostmake Power Member

    Achas muito? Eu não..

    Mas cada um trata do seu :D
     
  5. michael c

    michael c Power Member

    hostmake, tens ido a entrevistas ultimamente?:p

    Acredita, não tem a ver com ser fraquinho ou forte, o mercado simplesmente paga mal...muito mal mesmo. Ao user que abriu a thread deixo um conselho. Não vás pela área do webdesign, esquece isso. Dedica-te a outra coisa. É o melhor conselho que te posso dar.

    Cumps,
    michael c
     
  6. naoliveira

    naoliveira Power Member

    Mas como é que o mercado pode pagar bem, se quando o hostmake fala em 800€, aparecem logo 2 pessoas a dizerem que é muito dinheiro?
    Óbviamente se nem vocês valorizam o vosso trabalho, o mercado também não vai valorizar.
    O mercado já consegiu enraizar, de tal maneira, que temos que ser mal pagos que quando alguém
    pede o valor justo já são as próprias pessoas a acharem que estão a pedir demais.:confused:

     
  7. mags

    mags Power Member

    então fica a minha pergunta...
    com um curso que dá equivalência ao 12ano pedes como base 800€. E se fores licenciado?
    Achas que vais pedir...."no minimo quero 1200€"........resposta: Ok temos os seus dados e contactamos mais tarde...(porra já passou um mês ainda não deram resposta).

    nao sao as pessoas a achar que é muito, se assim fosse andavamos todos ricos...o que tu pedes é uma coisa, o que te dão é outra coisa.
    qualquer pessoa em qualquer area com o 12ano deve andar a ganhar prai 600€ ja para nao falar de quem anda a ganhar o salário minimo.

    os profs da minha uni andam todos a recibos verdes....e nao devem ser os unicos...

    mas por enquanto ainda ando a estudar xD
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008
  8. Mavors

    Mavors Power Member

    Xi, meu amigo, tás na area de informática e tens ido a entrevistas?
    Qq licenciado na area de engenharia informática que ganhe menos de 1000€ tá a ser enganado. Por isso não acho mal que peça 800€. Por trabalho indiferenciado ganhas 700€ portanto mais vale irmos todos para Call-center ou repôr roupa na Zara então que temos mto menos responsabilidades.

    Não estou a dizer para pedir 800€ no primeiro trabalho se não tiver experiência, mas entre 6 meses a 1 ano de mercado consegue ganhar isso na boa.

    Senão pode ir sempre para development, e aí ganha-se um pouco mais. As pessoas nivelam-se pelo que acham que valem e depois negoceiam valores. A informática não é uma área em que os valores a atribuir a empregados sejam fixos como numa loja de roupa. Se queres que te diga, se for ter cmgo numa entrevista um engonhado que diga ah e eu recebo aquilo que vocês estão dispostos a oferecer, duvido das suas competências ou então ofereço 500€ já que ele está disposto a receber a aquilo que eu quero oferecer...

    Valorizem-se e acreditem no vosso trabalho, geralmente as pessoas não pedem mais com medo que lhes peçam mais responsabilidades, mas isso não é um problema da entidade empregadora mas sim falta de confiança do pessoal que vai trabalhar. Quem tem contas a pagar pode estar sujeito a mais pressão, mas quem ainda não tem responsabilidades aproveite, o que não falta aí são empregos na área informática. E por haver quem faça por pouco é que há desresponsabilização e mto trabalho amador.

    Para mim 800€ é um ordenado normal para um designer.
     
  9. paulo.joomla

    paulo.joomla Power Member

    para mim nao me faz diferenca nenhuma que o trabalhador tenha uma licenciatura ou a 4classe....
    para mim o que vale é o trabalho que elabora a qualidade o empenho a dedicacao a garra, isso é que vale os aumentos e os bons salarios....
    agora o que é que intressa ser licenciado e nao saber fazer nada? ter que andar a ensinar tudo? vou-lhe dar 1000€ e nao sabe fazer nada? nao é assim que funcionar..quem tem que girir uma empresa sabe disso. :D
     
  10. mags

    mags Power Member

    lol
    não estou em engenharia, no meu caso vou agora para o ultimo ano de grafismo multimédia...digamos que estou numa uni de artes e este multimédia não engloba as matemáticas nem nada...só o design (design grafico, web design, video, som, fotografia, desenho, animação, outras tantas teoricas)

    mas com o 12ano não é designer...
    da mesma maneira que não és arquitecto com o curso de artes 12 ano.


    e ao da 4 classe tambem nao ensinas?
    ja vi num forum um autodidacta que fazia "photoshopadas" e questionava-se porque é que um autodidacta nao tinha valor profissional....se assim fosse nao era preciso estudar.
    é certo que da uni sai muitos "ceguinhos", mas mesmos esses têm conhecimentos adquiridos, nao so a nivel pratico mas teorico.
    comigo, e penso que seja por causa de bolonha...a universidade está muito virada para o mercado, o tipo de ensino é já a pensar no mercado...e quanto a mim nao vou ter qualquer problema de pedir valores a cima...o trabalho, garra e conhecimentos não é problema....
    ás vezes fico com estas duvidas pois muitas das vezes ouvimos mil e uma historias do professores quanto ao mercado.

    este tipo de discussões são sempre boas, pois podemos ver preços e estados do mercado e etc...
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008
  11. naoliveira

    naoliveira Power Member

    nem mesmo depois de tirares a licenciatura te podes considerar um arquitecto, não tenhas tu uns bons anos de experiência que vais ver
    e achas que um autodidacta não estuda? Ou para ti o que vale é o canudo? Um autodidacta estuda tanto como quem anda na faculdade. Com uma vantagem, o autodidacta só faz aquilo porque quer, logo deve fazê-lo com gosto, o estudante muitas vezes é só para ter um canudo.
    Não confundas autodidacta com amadores, isto é, para o caso do photoshop, pessoal que apenas quer aprender a tirar uns olhos vermelhos numa foto ou aprender a fazer um quadrado ou um círculo.

     
  12. michael c

    michael c Power Member

    Se eu não me valorizasse há muito que estaria a trabalhar numa das melhores empresas do país. Simplesmente não me quis "vender" por 700€ a recibos verdes para ir trabalhar para Lisboa...

    Portanto, esta é a realidade. E atenção, de forma humilde mas para que fique registado, eu sou licenciado com média final 16 valores (não que isso seja relevante) e há quem diga que tenho algum "jeito" para o que faço.

    Não se trata de sermos nós a valorizar o nosso trabalho, trata-se daquilo que o mercado está disposto a pagar. E o mercado simplesmente não paga. 800€ num primeiro emprego para alguem com um curso técnico nunca vi na área do webdesign. Poderá acontecer de facto, mas não é comum e muito menos normal. O mercado está saturado de webdesigners, se não fores tu a ir trabalhar por esses valores, alguem vai.

    Posso-te dizer que já me ofereceram 300€ mês numa entrevista...portanto, não tenhas ilusões quanto a isso. Esta é a realidade do mercado e certamente por mais boa que seja a pessoa não vai ser ela a mudar esta realidade. As empresas contratam por o valor mais baixo possível, interessa muito mais a disponibilidade do que a qualidade. É triste, eu também queria que fosse diferente, mas a verdade é esta.

    Mavors, conheco algumas pessoas de Eng. Informática que estão desempregadas. Há muitas ofertas é certo, mas cuidado que já não é essa facilidade toda que era antes...


    Deveria ser isso e muito mais, mas não é na realidade. Infelizmente o mercado está inundado de pessoas que desenrascam por baixo preço. São esses "pseudo-webdesigners" que são procurados pelas empresas para trabalharem a baixo preço. 800€ (até mais um pouco) para quem começa é o normal enquanto houver estágio profissional (se for licenciado)...quando ele acaba era uma vez...começa toda a precariedade dos recibos verdes e pagamentos vergonhosos. Se queres, queres...se não queres, há quem queira ou vem outro para fazer estágio profissional no teu lugar...


    Amen. Na minha oprinião, nem com licenciatura és designer. Eu tenho uma licenciatura na área, mais de 2 anos de experiência e por ter grande respeito pelos verdadeiros designers, não tenho coragem de me considerar assim sequer. Talvez um dia, com muita experiência profissional e muito trabalho chegue lá. Por enquanto, vou trabalhando e rejeitando esse titulo para bem do mercado.

    Sim, ok. Concordo em parte. Muito licenciado não sabe grande coisa. Mas a verdade é que a forma como pensa o trabalho é completamente diferente de alguem sem formação. O canudo existe para garantir um certo output da pessoa. Com todo o respeito por todos, mas quando eu abrir uma empresa não entra ninguem sem licenciatura. É uma triagem logo à partida, e só entra quem tiver qualidade e canudo para acompanhar. Os colaboradores terem uma licenciatura é o minimo exigivel para uma empresa que se preze e que queira realmente impôr-se no mercado.

    O tipo de estudo é completamente diferente. Para isso existem os cursos superiores. Um autodidacta não passa disso mesmo. Um curso superior abre a mente das pessoas, ensina-a a abordar questões, ensina-a a pensar. Quando olho para um trabalho gráfico em 80% dos casos sei de imediato ver quando um trabalho é feito por um autodidacta ou por alguem com formação superior na área do design.

    Design não é photoshop, design não é software. O segredo está na massa cinzenta e nos conceitos que o designer cria. Os softwares são um meio e não um fim. Só isso não basta, interessam muito mais os conhecimentos teóricos que adquires muito melhor e de forma muito mais imediata com um curso superior.


    Cumps,
    michael c
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008
  13. Mavors

    Mavors Power Member

    A questão está na entidade empregadora. Assim como um programador de trazer por casa produz mau código e pode pôr em risco a estabilidade de uma aplicação, de certeza que um mau designer tb é capaz de fazer atrocidades em termos de estética e usabilidade. Cabe à empresa que te vai contratar saber o que é que quer. Se realmente quiser algo bom, tens que estar a esse nível, e nessa altura podes sempre negociar o dinheiro que achas que mereces.

    Concordo em trabalhar por menos dinheiro qd sentes que estás a adquirir experiência e ainda não te sentes com estofo. De qq forma não concordo em aceitar-se qq ordenado... um licenciado a ganhar menos do que se ganha num estágio profissional é algo que me faz mta confusão.

    É uma verdade, não há tantas oportunidades como havia. Contudo é ainda um mar de oportunidades. Eu, pessoalmente, e isso se calhar é pelo facto de estar em Lisboa não sei, não conheço um único developer com licenciatura desempregado. O que eu vejo é todas as semanas anúncios nos jornais e colegas a mudarem de empresa por mais um punhado de cobres.

    Na área de design, confesso que não estou 100% por dentro da situação e é capaz de haver um pouco mais de dificuldade, até pq, infelizmente a área de design continua ainda a ser subvalorizada. Digo infelizmente pq o design deve ser um dos primeiros passos de concepção, logo a serguir análise aplicacional e funcional. O principio de usabilidade deve estar lá e essa máxima não te vai ser passada pelo programador.

    O tempo de formação é ouro. O know-how tb. Para funções simples esse principio básico serve, mas não serve para todo o tipo de trabalho. O truque no estágio profissional é apontar para cima da esfera do que o estagiário vai fazer, pq senão estás tramado e és facilmente substituível. Mtas das vezes (como já vi) o estágio não é para aprender mas sim para passar o tempo, e aquela que pode ser a oportunidade de uma vida passa por ser uma forma de simular 8h de café.

    Concordo ctgo em montes de pontos, mas não neste. Os gurus em programação que conheço alguns não são sequer licenciados. Na faculdade aumentas a tua capacidade de abstração, absorves principios e normas vitais à execução da tua função, contudo a auto-didatismo dá-te uma visão mais focada ao real mundo do trabalho. E além disso estás a estudar pq queres e não pq és "obrigado". Logo isso confere-te uma outra forma de know-how. Eu analiso o trabalho de uma pessoa por uns dias que passei ao lado dela a vê-la trabalhar e a analisar/reagir a problemas, e não pelos anos que passou a estudar.

    O principio de que seres licenciado tb te confere uma outra forma de estar tb não é verdade. Conheço imensas pessoas não licenciadas com uma postura perante o trabalho bastante positiva e que são bastante assertivas qd se trata de resolução de problemas.

    Podes é dizer que estás a eliminar uma certa parte de risco com essa tua análise, mas isso que dizes depois pode não ser cosubstanciado.
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008
  14. paulo.joomla

    paulo.joomla Power Member

    os melhores profissionais com quem ja tive o prazer de trabalhar conta-se pelos dedos os que eram licenciados....nao tou a desvalorizar quem é licenciado mas a minha experiencia é esta!
    mas pedir altos salarios sem primeiro mostrar ao empregador o que vale esquecam(tanto vale ser pessoas com ou sem licenciatura)...pois muitos funcionarios nao pensam que tem que produzir para ganhar o salario deles para pagar as despesas deles, despesas da empresa, caixa etc e ainda o ganhar sobrar algum para o patrao. quem o é patrao que diga se nao é verdade!
    há muito funcionario que lá bem querem saber se á trabalho ou nao....querem é o deles ao fim do mes e acabou, o patrao que va buscar dinheiro onde ele quiser, tem é que pagar....pois tem haja ou nao trabalho!


    coloquem-se na pele do empregador....tao a fazer uma entrevista e um gajo que acabou de sair da faculdade pede-vos 1000€. voces pensam logo eu nem sei o que o gajo vale e vou-lhe dar 1000€ nao! quase todos comecam por baixo e depois conforme o seu valor tem o salario á media...
    enquanto fui funcionario comigo tambem sempre foi assim....sempre! comecava com salario baixos mas em 6meses dobrava pelo menos, porque me empenhava porque dava producao para o meu patrao tirar o salario para mim e ainda algum para ele...


    eu falo por mim e por muitos colegas meus que tiraram o curso comigo...quando saimos do ensino nao sabemos o que á o mundo de trabalho, meus amigos neste momento o mundo de trabalho é uma "selva" salve-se quem poder... e nao falta pessoal a querer emprego, á 10 anos atras é que tinhamos que ir buscar a pessoa a outra empresa e oferecer-lhe mais dinheiro se nos quisessemos que ele viesse trabalhar para nos!
    hoje em dia nao é assim....sai um funcionario da empresa tenho logo 10 a bater á porta po lugar dele.
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008
  15. Mavors

    Mavors Power Member

    Paulo.

    Quadros técnicos especializados tens 6 meses de experiência com o empregado. Se o empregado tiver um curriculo e experiencia que possa justificar 1500€ não tens mto risco em fazê-lo e ao final de 1 ou 2 meses podes rescindir.

    Eu qd falo em pedir o que acham que merecem parto do principio que as pessoas têm bom senso e uma boa capacidade critica para fazer auto-avaliação. Se acho que não mereço 1500 não vou pedir 2000. Mas se acho que mereço 1250 posso pedir 1400. A entidade empregadora se estiver interessada negoceia sempre portanto acabas por ir parar sempre um pouco mais abaixo que o valor que achas merecido.

    Se acabaste de sair da faculdade é diferente. Podes ter mto conhecimento teórico, podes ter alta média de curso mas podes não ser bom a trabalhar. Uma coisa não implica a outra e claro que isso tem que ser avaliado por isso é óbvio que os gestores RH não tomem mtos riscos nesse caso.
     
  16. michael c

    michael c Power Member

    Exactamente. A questão é mesmo da entidade empregadora e a esmagadora maioria das empresas não quer grande coisa do colaborador. Daí que procurem apenas quem desenrasce mesmo pelo valor mais baixo possivel. Quer dizer, actualmente já assistimos a outra coisa na minha opinião. As empresas procuram algo bom por preços baixos.:p

    Sim, também não concordo nada em aceitar qualquer ordenado. Mas muita gente tem essa filosofia. E isto é que estraga mesmo o mercado. Tambem me mete bastante confusão licenciados com experiência a ganharem menos do que ganhavam no estágio profissional. É uma realidade triste mas que infelizmente existe. É complicado dar a volta a isto.


    É mesmo por estares em Lisboa.:p Para a área do design não faltam tambem ofertas aí na capital, alias 95% das ofertas são para Lisboa. A questão é a segunte, não sendo de Lisboa, nem tendo aí alojamento (casa dos pais por exemplo), é praticamente impossivel ir trabalhar para aí. Por muito que se queira e que se goste, ninguem vive com 700 ou 800€ a recibos verdes em Lisboa. Da ultima vez que fui a uma entrevista a Lisboa pedi 1250€ e disseram-me que isso era o que ganhava um sénior com 5 anos de experiência. Fazer o quê? Nada.

    O design para o grande público é uma coisa que se faz com dois cliques, uma brincadeira de crianças que qualquer pessoa faz, toda a gente tem opinião e manda umas postas, toda a gente percebe da área e o que conta são as opiniões de todos. Quem quer fazer bem feito e quem sabe o que anda a fazer na grande maioria dos casos não é valorizado. Quer porque o mercado não tem estofo para o valorizar, quer porque simplesmente existem pessoas que fazem o trabalho de forma mais humilde por menos dinheiro...só se mete na área do design quem não tem mais nada para fazer. Se fosse hoje eu seria um a menos na área, isso é certo.


    Exactamente. Felizmente no meu estágio profissional tive montes de responsabilidade às costas e isso permitiu-me aprender e evoluir e criar portfólio. Muitos colegas meus andaram a passar o tempo e hoje não conseguem ganhar dinheiro.



    Talvez na área da programação isso não faça diferença. Mas acredita que na área do design facilmente se consegue ver quando o trabalho é feito por um e outro. Atenção, não estou com isto a dizer que não existem por aí bons autodidactas. Pelo contrário, existem milhares muito melhores que eu e muitos outros com canudo. Contudo, na grande maioria das situações, os autodidactas não conseguem estar ao mesmo nível de um licenciado. Talvez quando o licenciado sai da universidade esteja um pouco aquem do autodidacta pelos anos de experiência que este já tem. Mas se o licenciado se aplicar e adquirir alguma experiência, facilmente "ultrapassa" o autodidacta.

    Uma licenciatura é apenas uma licença para continuar a aprender. Contudo, na minha opinião, cria todas as bases para que a aprendizagem ao longo da vida seja efectiva. Eu próprio sou um autodidacta, pois todos os dias aprendo qualquer coisa por mim próprio, porque quero e porque gosto. Vou sê-lo até ao fim a vida, mas a licenciatura foi sem qualquer dúvida uma grande mais valia e vale cada cêntimo investido...seria impossivel aprender tanta coisa sozinho. O próprio convivio com professores e pessoas da área em ambiente académico seria impossivel se não fosse a via da licenciatura...


    Isso é porque não trabalhaste com os licenciados certos. Quem tem que estabelcer o limite do que pode pagar á a entidade empregadora. É claro que tem de fazer contas à segurança social, seguro e impostos do colaborador. Daí que o limite deve ser estabelecido por quem contrata. Cabe depois à pessoa na entrevista dizer se esse valor lhe interessa ou não. Há sempre um período de experiência em que a entidade pode rescindir contrato. Isso, com todo o respeito, são falsas desculpas de quem quer pagar mal e de quem não quer assumir o risco.

    Deixa que te ponha o caso ao contrário...quantas empresas não impõem também um período de experiência ao colaborador com um salário baixissimo (200-400€) durante 3 ou 6 meses para avaliar o valor que ele tem? E então isto é justo? E se ao fim dos 3 ou 6 meses a empresa mandar essa pessoa embora? Quem assumiu o risco? Pois, foi o colaborador, quando na realidade deveria ser a empresa...mas se ficar tambem tem pontos bons...para a entidade empregadora. Sim, porque se ficar poupou-se um contrato (porque o período de experiência é a recibos verdes), o que permite à empresa fazer mais dois contratos a prazo antes de o profissional ficar vinculado em definitivo à empresa. Como o profissional esteve a ganhar uma miséria durante o período de experiência não vai estranhar se for mal pago no 1º contrato. Mais uma vez, aproveitamento das empresas e o não assumir do risco, algo comum nos dias que correm.


    Quem tem de se preocupar em "arranjar" trabalho é a entidade empregadora. Se há ou não trabalho não diz respeito ao colaborador. O colaborador está ali para cumprir com a sua função de forma profissional. Nada mais que isso. Se não há trabalho, que culpa tem o colaborador? Significa isto que não quer trabalhar? Não. Significa que quem o contratou não tem competência para estar no mercado. Se a empresa não tem volume de trabalho que justifique a contratação e o pagamento a um colaborador é simples, não contrata. Pega e faz outsourcing desse servico a um freelancer por exemplo. Ninguem se chateia e isto sim, é um risco menor e é mais saudável para a entidade empregadora e para o colaborador.


    O mal é esse. Mas deixa-me que te diga. Já me vieram com essa conversa em entrevistas. A minha resposta é simples para esses casos: "O barato sai caro..."

    Cumps,
    michael c
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008
  17. paulo.joomla

    paulo.joomla Power Member

    concordo plenamente que é a empresa que tem que arranjar trabalho....mas hoje em dia quem ta no mercado sabe que isto é uma "selva"! tu hoje tens muito trabalho daqui a 1 ano nao tens nada, isto acontece! e nao te esquecas se o teu patrao ta bem de trabalho tu tas bem...se ele nao ta bem tu nao tas bem!
    nao quer dizer que por ter 10 funcionario á porta para pedir emprego eles sejam mais baratos ou melhores ou piores...nao foi isso que eu quis dizer.... mas que hoje ja existe muita gente desempregada (e muitos sem querer fazer nada!!!) existe...por isso opcoes de escolha nao faltam!
     
  18. naoliveira

    naoliveira Power Member

    Este parágrafo é uma contradição bem grande, 1º dizes que consegues ver se um trabalho é feito por um licenciado ou autodidactas, depois que existem autodidactas muito melhores que tu e que outros com canudo.Depois voltas a dizer que um pessoa com canudo é só aplicar-se e facilmente ultrapassa o autodidacta. Como tu dizes, tu próprio és um autodidacta e como tal, acabaste o curso mas não vais parar de evoluir, o mesmo acontece com os autodidactas sem curso.

    Aqui não percebeste o que o paulo.joomla quis dizer, ora se o trabalhador se aplicar como tu dizes no teu parágrafo claro que a empresa não vai ter problemas em arranjar projectos, agora aquele trabalhador que fica à espera do fm do mês para ganhar o dele como diz o paulo.joomla
    Post Original de paulo.joomla [​IMG]
    há muito funcionario que lá bem querem saber se á trabalho ou nao....querem é o deles ao fim do mes e acabou, o patrao que va buscar dinheiro onde ele quiser, tem é que pagar....pois tem haja ou nao trabalho!


     
  19. Mavors

    Mavors Power Member

    É a diferença entre trabalhar para uma empresa familiar, para uma PME ou para uma multinacional. Num arriscas-te, no outro recebes mal, e no último és um número. As coisas nunca estão bem.

    Mas concordo com o Michael_C, quem tem que dimensionar as equipas e a conquista de clientes é a empresa. Se for uma multinacional ou uma empresa grande no mercado o Dep. Comercial e de Recursos Humanos são pagos para dimensionar tanto o esforço como a conquista/manutenção de clientes.

    Uma empresa mais pequena tem mais dificuldade em avaliar isso, mas não convém dar um passo maior que a perna portanto é ficar com 2 ou 3 efectivos que garantam os serviços minimos. Ou seja que consigam suportar um volume de trabalho normal. Os picos de trabalho fazem-se com subcontratação. A margem de lucro é menor, mas o equilibrio das finanças é mais sustentado. Mas isso já tem a ver com gestão de negócio e já e fora do espectro do empregado que estávamos a falar.

    Bem, não sei se foi isso que o Paulo quiz dizer, mas de qualquer forma isso cabe ao empregador determinar milestones e confirmar se elas são cumpridas. Com deadlines tudo funciona e o plano depois de ser aprovado é imputada a derrapagem e responsabilidade da mesma ao empregado ou a quem de direito.
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008
  20. michael c

    michael c Power Member

    Sim, concordo com a parte da "selva". Eu sou freelancer e tenho meses em que tenho pouco trabalho para fazer e depois tenho outros em que tenho de fazer directas consecutivas para dar conta de tudo o que tenho para entregar. Mas as boas empresas têm bons departamentos comerciais e nunca falta que fazer. É ver empresas como a seara.com cujos orçamentos começam nos 4000€ e pelo que se sabe trabalho não falta e recrutam cada vez mais gente.

    Sim, eu sei disso e percebi onde querias chegar. Acho que não percebeste a minha frase. Quem é bom naquilo que faz simplesmente não vai trabalhar mais barato por existirem 150 pessoas dispostas a fazer isso por menos dinheiro. Quem tem qualidade tem sempre, independentemente das pessoas que haja para o lugar isso não vai mudar aquilo que ela merece ganhar.



    Não existe contradição nem confusão nenhuma. Só se for da tua parte.:p Eu disse que em 80% dos casos consigo ver se o trabalho é feito por alguem com formação ou não. Os restantes 20% são os bons autodidactas e esses sim, na esmagadora maioria dos casos são melhores que os licenciados. Onde está a confusão aqui?

    A frase uma pessoa com canudo é só aplicar-se e facilmente ultrapassa o autodidacta vem no seguimento do que estava a dizer...um autodidacta poderá saber mais umas coisas do que o licenciado quando este sai do seio académico, mas com alguma experiência o licenciado ultrapassa o autodidacta, a menos que este faça parte dos tais 20%...não vejo qual a confusão sinceramente.

    Como já referi, para mim uma licenciatura é sempre uma mais valia. Já trabalhei com pessoas autodidacatas e com pessoas com formação e a diferença é grande. Logo na forma como o trabalho é abordado vai um abismo enorme...

    Cumps,
    michael c
     
    Última edição: 12 de Setembro de 2008

Partilhar esta Página