1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Intel: CUDA and CTM will be just a 'footnote' in computing history

Discussão em 'Novidades Hardware PC' iniciada por jpcastro, 2 de Julho de 2008. (Respostas: 4; Visualizações: 1300)

  1. jpcastro

    jpcastro Power Member

    Intel: CUDA and CTM will be just a 'footnote' in computing history

    hummmm será mesmo assim???

    cumps
     
  2. blastarr

    blastarr Power Member

    Vindo do mesmo homem que diz que o Raytracing é o futuro... quando a própria indústria de rendering off-line e de programadores de jogos diz que esse é um método extremamente ineficiente de criar gráficos foto-realistas (é mais eficaz uma arquitectura híbrida que combina gráficos raster com gráficos ray-tracing), eu não daria credibilidade nenhuma ao que ele diz.
    Afinal de contas, ele quer é evitar que um standard que não é o da Intel se propague pela indústria, como aconteceu com o AMD64...

    E a verdade é que o CUDA está a ganhar cada vez mais terreno, principalmente nos mercados que o Intel "Larrabee" vai disputar como são os da indústria médica, exploração de petróleo e gás, encoding/decoding de vídeo e audio, indústria de modelação financeira, física e química, etc (com a vantagem para a Nvidia de ver o seu compilador a produzir programas que correm "seamlessly" em GPU's da empresa e em processadores x86, algo de que o "Larrabee" não será capaz, por se basear exclusivamente na arcaica arquitectura x86, com "front-ends" vectoriais melhorados por core).

    A arquitectura das placas gráficas não está restrita a uma ISA específico, pelo que apostar numa que já é velha de 30 anos como a x86 é... estranho.
    Especialmente quando se sabe que o código x86, apesar de correr nativamente no "Larrabee", só funcionará correctamente se for recompilado para a arquitectura de muitos cores x86 simplificados, o que vai contra a própria natureza do projecto (fizeram isto porque, fora do x86, a Intel tem pouco ou nenhum IP específico de rendering gráfico -até recorrem à ImgTech para os seus IGP's-).

    A Apple tem um SO que é independente da plataforma. A Microsoft (que já teve o Windows NT a correr nativamente em PowerPC, Alpha, MIPS e Itanium no passado), tem agora o projecto "Midori", que visa criar um sucessor do Windows, independente da arquitectura de processadores subjacente. O Linux corre em todas as plataformas, incluíndo ARM nos telemóveis, etc, etc.


    É preciso recordar que o Pat Gelsinger não desenha verdadeiramente circuitos na Intel desde que a família 80386 chegou ao mercado, em 1985.
    É sobretudo um "manager", sujeito à política de marketing geral da empresa em torno do "x86 everywhere" (enquanto a empresa perde quota para o PowerPC e para o ARM nos mercados embedded e mobile, respectivamente).
     
    Última edição: 2 de Julho de 2008
  3. Crusher

    Crusher Power Member

    Acho mau quando ele diz que não há tempo. Está mesmo a passar a ideia que as pessoas se agarrarem ao X86. Ora isto vai um bocado contra a evolução que se espera da computação.
     
  4. jpcastro

    jpcastro Power Member

    também custa a acreditar nas palavras do homem, está a puxar a brasa para sua sardinha @ RayTracing the future.

    tendo em conta que quem decidirá isto serão as companhias de jogos tanto CUDA como restantes irão ficar por cá bastante tempo no futuro imediato, a medio\longo prazo veremos!

    cump
     
  5. xpure

    xpure Power Member

    Bom quanto ás tais dificuldades que ele fala não sei mas realmente só existe vantagens numa coisa tão "não dependente" como um Gpu pelo menos acho que só por esse facto o Cuda deverá interressar a muita boa gente claro e mesmo tirando os beneficios e performances realmente dizer que o futuro passa só por x86 é "falar á toa".
    Puxar a brasa á sardinha tudo bem mas assim também não.Se até eu que pouco ou nada percebo disso cosigo ver as vantagens que plataformas como o Cuda podem trazer certamente mais gente verá.
    Abraço
     

Partilhar esta Página