1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Compara os preços de Smartphones das marcas mais populares:
    ASUS | Alcatel | Huawei | HTC | LeEco | LG | Meizu | Motorola | Nokia | Samsung | Sony | Xiaomi

Jelly Bean

Discussão em 'Android' iniciada por patalao, 13 de Agosto de 2012. (Respostas: 21; Visualizações: 3111)

  1. patalao

    patalao Power Member

    Este é um topico um pouco a parte mas so mostrar que realmente as operadoras e marcas sao uma verdadeira "farsa"
    Jelly Bean a correr no primeiro android lançado no mercado

    [video=youtube;7Md9b6XbVtQ]http://www.youtube.com/watch?v=7Md9b6XbVtQ&feature=player_embedded[/video]
     
  2. Rseven

    Rseven Power Member

    Bela arrastadeira.
     
  3. dm222

    dm222 Power Member

    De certeza que não funciona a 100%!
     
  4. bseixas

    bseixas Power Member

    Melhor exemplo que esse é o Sapo A5, low cost à venda ainda no mercado que só não corre JB a 100% (leia-se tudo a funcionar porque o que funciona é mais fluído/rápido que no 2.3) porque só seria do interesse do consumidor.

    Mas sim, as operadoras/marcas são uma verdadeira farsa, quando vêm dizer que modelo x ou y não recebe a actualização por limitações de hardware.
     
  5. touromelga

    touromelga Banido

    se a ideia era provar que era possivel correr versões mais actuais em modelos mais antigos , sim é possivel como o video demonstra, mas o so para operar naquele telefone, teve de levar uma grande redução de coisas para conseguir correr num modelo tão antigo, e pelo video vê claramente que está lento, trabalha, mas é area de mais para aquela caminete...

    já para não falar que correr aplicações regulares nos telefones actuais é para esquecer...

    quanto a situação dos operadores e fabricantes, claro isso já toda a gente sabe como é que é, felizmente existe sempre as comunidades quando se acaba o suporte oficial...
     
  6. Spikes

    Spikes Power Member

    Um grande bem haja as custom roms :)
     
  7. _Drifter_

    _Drifter_ Power Member

    Nem a 70 quanto mais a 100 :-D

    Isto nao serve bem de exemplo, estamos a falar de um aparelho que foi completamente largado com o 1.6, a partir dai os updates so eram conseguidos com ''manhas'' e isso nem sempre é soluçao. Ha que entender uma coisa, uma operadora/marca acima de tudo é uma empresa com um negocio, como tal querem lucro, logo nao lhes serve de muito terem aparelhos com mais de 18 meses e suporta-los quando o consumidor ja pode comprar um novo, updates nao dao lucro... sei que isto é algo de mente fechada, mas estamos a falar de operadoras/marcas :-D

    Neste caso, o G1 tem o JB por ter, ja que ate o 2.1 é pesado para ele quanto mais o 4.1. Facto para se ter noçao do G1: Memoria livre correspondia a 35mb.

    Querem updates a tempo e horas: Nexus.
     
  8. Pad

    Pad Power Member

    Eu acho que serve bem de exemplo, se um dos primeiros telemóveis Android com apenas cerca de 200 MB de RAM quase que consegue correr o JellyBean imaginem os actuais que ainda têm o Gingerbread.
     
  9. ToTTenTranz

    ToTTenTranz Power Member

    Jelly Bean a correr nisso é um desperdício de tempo memória RAM...

    O S.O. é extremamente dependente de se ter um GPU capaz de correr OpenGL ES 2.0, esse smartphone provavelmente tem um MSM7225 com um Adreno 130, OpenGL 1.1.
    Está a correr toda a interface gráfica pelo CPU, e é incrivelmente lento como se pode ver.
     
  10. RuiRamosPT

    RuiRamosPT Power Member

    Que hardware é "recomendado" para ser usado com o JB?

    Pergunto isto para saber o hardware do qual o Project Butter irá fazer pleno uso fruto. Certamente precisará de um bom GPU, certo?

    Qual o ChipSet "mínimo" para usufruir dos tweaks do Project Butter?

    Não sei se me fiz entender...
     
  11. bseixas

    bseixas Power Member

    Isso vem na linha do que disse antes, oficialmente nem faço ideia quais os requisitos declarados pela Google (ou os que as marcas usam como desculpa para se esquecerem das actualizações), agora na prática como OS de smartphone corre perfeitamente fluído sem lag algum nisto :

    E nunca vi uma versão Android (2.2/2.3.7/4.0) a correr de forma tão fluída no ZTE Libra aka Sapo A5. :D
     
  12. curtido

    curtido Power Member

    O project butter funciona no sapo A5 ? nota-se diferença nas transiçoes, scrolls e assim ?
     
  13. ToTTenTranz

    ToTTenTranz Power Member


    O "Project Butter" não é muito mais do que simplesmente alterar a prioridade dos processos para dar preferência ao "desenhar" da GUI com uma frequência de 60Hz, já que aceleração por hardware já existia desde o HoneyComb.
    Não sei muito bem porque é que o Android não tinha isto há mais tempo já que o iOS, o MeeGo e o WP7 já têm isso desde o dia em que sairam.

    Lembro-me de ler que a Google preferia dar prioridade ao input e à interactividade e não ao refrescamento da GUI, por ser mais funcional e menos cosmético.


    Tanto quanto sei, para funcionar é preciso um GPU com compatibilidade OpenGL ES 2.0. Isso é qualquer Adreno 2xx, PowerVR Series 5, Geforce ULP, e muitos outros.
    Além disso, é necessário que o GPU em questão tenha uma taxa de pixel fillrate que consegue acompanhar os 60Hz à resolução pretendida. Um GPU com baixo fillrate é suficiente para resoluções mais baixas e um GPU melhor é necessário para resoluções mais altas (tal como em tudo, não?).

    Por exemplo, o Geforce ULP do Tegra 2 está estimado nos 1200 MPixel/s.
    Para um tablet com resolução 1280*800 e o refrescamento a 60Hz, temos:
    1280*800*60= 61MPixel/s -> este valor depois multiplica-se por cada "tela" sobreposta que existe na GUI (transparências, home screen em background, vídeos, etc.).

    Daqui, podemos ver que o Tegra 2 com 1200MPixel/s é suficiente para os 1280*800 até ser necessário desenhar ~20 telas ao mesmo tempo (acho que o Android limita praí nas 5, portanto está "confortável").


    Pegando agora num Adreno 200 de primeira geração no MSM7227 do Sapo A5, a fillrate é de 133MPixel/s.
    Se este GPU fosse desenhar a GUI de um tablet com 1280*800, ia engasgar-se todo porque na prática só consegue desenhar 2 "telas" a 60Hz, que consomem 61MPixel/s cada uma.
    No entanto, para um smartphone com 800*480 de resolução, cada tela consome 800*480*60 = 23MPixel/s, que "cabem" bem nos 133MPixel/s que o GPU é capaz de dar.

    (aqui faltam também considerações de largura de banda mas acho qeu à partida o maior limitador numa interface 2D é mesmo o pixel fillrate)


    Dito isto, é como disse o bseixas.
    Um Adreno 200 "antigo" é suficiente para correr o "Project Butter". Se alguma companhia disser que o smartphone X ou Y não vai levar com o update para 4.1 porque o hardware não o suporta, o mais provável é ser uma grande mentira para incentivar as pessoas a comprar um modelo novo.
     
  14. RuiRamosPT

    RuiRamosPT Power Member

    Mas que excelente e esclarecedora resposta!

    Estou à espera de JB + DC para comprar um novo, antes disso acho que não pego em nada.

    Portanto, confirmando, MT6577 (DC A9 + PowerVR 531) tem algum contra para ter um telefone superfluído? Essa GPU é muito antiga e influenciará o desempenho no ambiente de trabalho e apps comuns (não ligo a jogos no smartphone)?

    A diferença entre 6575 (SC) e 6577 (DC) fará uma enorme diferença no desempenho no dia-a-dia? Ou consigo ter tudo a correr "bem"?

    Qual o melhor chipset em relação qualidade-preço para usufruir do JB e principalmente Project Butter?

    Obrigado desde já.
     
  15. _Drifter_

    _Drifter_ Power Member


    O problema nao é tanto o CPU mas sim a grafica, neste momento Jelly Bean acho que o minimo dos minimos é a Adreno 205 e PowerVR GSX540 (que acho que é a GPU que vem com o MT6577), mais que isso nao ira ter problemas nenhuns com o correr do Jelly Bean ;)
     
  16. Ansatsu

    Ansatsu Power Member

    Não tem Hardware Decode de video por falta de OMX Drivers e o Adreno 200 não suporta Tripple Buffer que é um requisito indespensavel para o Project Butter.

    Logo não, a ZTE nunca poderia fazer actualização por vias oficiais para o ICS, quanto mais para o JB.
     
    Última edição: 18 de Agosto de 2012
  17. bseixas

    bseixas Power Member

    Desculpas.

    Mesmo com essas limitações "todas" a experiência das últimas semanas com o ZTE Libra diz-me exactamente o contrário, que a marca podia e devia fazer a actualização oficial até porque assim sendo a forma de estar outra o problema de drivers nem se colocava, no que depender de mim não faço intenção de abdicar do ICS/JB nele o que acho que resume bem a situação e até que ponto uma actualização era ou não viável, a limitação real aqui é que isso só favorecia mesmo o consumidor e não dá dinheiro à marca/operadora.
     
  18. RuiRamosPT

    RuiRamosPT Power Member

    Já estou a ver que não me posso então virar muito para o MT6577, tem a PowerVR SGX Series5 (SGX 531 Ultra):

    http://pdadb.net/index.php?m=cpu&id=a6577&c=mediatek_mt6577

    Estou lixado nos próximos meses para adquirir um smartphone novo...
     
  19. The-One

    The-One Colaborador
    Staff Member

    Tens que definir isso melhor, porque facilmente fazes "patching" no kernel do A5 para meter o tripple buffering e vsync. Agora se ele funciona bem?

    É que muitos esquecem-se que por exemplo com o tripple buffering vão ter 3 canais a processar touch com o dito vsync locked a 60fps e extendido a todo o framework, cpu e gpu em paralelo sem terem que esperar uns pelos outros (e aqui também tem muita importância por exemplo o governor que a Google usa, acho que é um Interactive altamente modificado para dar boost ao cpu assim que há contacto com o touch e depois faz um scalling mais agressivo). Isto não significa que fique mais rápido, especialmente se o cpu for uma porcaria e o gpu mediano como é no caso blade. As builds de CM10 que há para o Blade até são compiladas com vsync off ou com cap bem mais baixo por causa do lag que aparece na interface (fica a parecer que não tem hw accel).

    No resto tens razão, a Qualcomm já veio dizer que não vão arranjar solução para os OMX (apesar de estarem a mentir na razão que arranjaram sem os binários as marcas também não fazem milagres).
     
    Última edição: 18 de Agosto de 2012
  20. ToTTenTranz

    ToTTenTranz Power Member

    Parece-me que o SGX531 "Ultra" tem 50% de overclock relativamente ao SGX531 normal, ou seja deve andar à volta dos 300MHz.
    Se o SGX531 tinha uma fillrate de 500MPixel/s a 200MHz, o Ultra deve andar pelos 750MPixel/s.

    Isto é mais que suficiente para smartphones com resoluções até qHD 960*540 (deduzo que estejas a pensar nos Dual-Sim que andam por aí com esta resolução).

    O problema será arranjar um modelo que já venha com Jelly Bean devidamente implementado, ou mesmo uma ROM decente para o mesmo.



    Neste momento a Google lançou (ou está para lançar) JB para Tegra 2/3, OMAP4 e Hummingbird (Exynos 3110). Segundo vi, a Google também vai lançar para o Snapdgragon S3 no Sony Xperia S.
    No entanto, nem todos os dispositivos com um destes SoCs vão receber update para JB. Aliás, até devem ser poucos.
     

Partilhar esta Página