Linux Mint baseado em Debian no futuro?

Metro

Benevolent Dictator For Life
Staff
A discussão já decorre à algum tempo e o fundador e líder, Clement Lefebvre numa mensagem recente no blog não descarta essa possibilidade.

A principal vantagem é a rapidez que segundo o autor é muito superior ao Ubuntu e ao Linux Mint actualmente, usa menos recursos e abre a porta para que o Mint passe a ser uma distribuição que ao exemplo do Arch Linux actualiza automaticamente para a última versão de forma contínua sem necessitar de lançamentos como é actualmente feito pelo Ubuntu que lança uma nova versão a cada 6 meses.

Já foi lançado à algum tempo um liveCD não instalável e actualmente estão a trabalhar num instaler, mas o projecto ainda não é uma prioridade. A importância deste trabalho é que o Linux Mint à muito que é a distribuição com mais sucesso das várias baseadas no Ubuntu. No distrowatch que tem uma lista das distribuições que mais interesse suscitam aos utilizadores deste site o Mint está em terceiro lugar só ultrapassado pelo Ubuntu e Fedora. Com as restrições que o Ubuntu tem em termos de programas de base instalados devido aos licenciamentos e o Debian a ser o gigante que suporta imensas arquitecturas e que em última análise desenvolve e testa todos os componentes até à exaustão, o Mint pode ser para o Debian aquilo que o Mepis já foi em tempos e que o Ubuntu está a ser actualmente.

Uma distribuição rápida com um sistema de updates como o proposto consegue ser ouro sobre azul. As pessoas por trás do Mint têm conseguido um assinalável sucesso. Será muito interessante ver esta emancipação do Ubuntu e o que poderão fazer no futuro em termos de desktop. Tenho uma instalação do Mint a funcionar num PC relativamente recente com uma gráfica da ATI (não são muito famosas no suporte com Linux) em que tudo funciona.
 

Tiago.Pereira

Power Member
Uma distribuição que já vem com tudo como o Mint, baseada em Debian, com suporte para varias arquitecturas, e como uma rolling distro? DO WANT. :) Só falta um Wubi adaptado e estou lá caído!

Aproveito para dizer que consegui mudar para Ubuntu 10.04 LTS, e tenho algumas novidades:

- O Ubuntu é a distro mais rápida que jamais vi no meu computador. 26 segundos (!!) para iniciar, 5 segundos (!!) para reiniciar!
- Estou a usar a versão Gnome, e é mais bonita, e responsiva que o KDE que usava. Logo, também me mudei para Gnome. :)
- O wireless tem um problema com a minha placa, que é o de não conseguir ligar a redes com encriptação. Só redes sem encriptação, o que me obriga a esconder o SSID da minha rede...
- A banda larga móvel tmn (ZTE MF628) trabalhou á primeira, sem espinhas, e configurá-la foi brincadeira de crianças: em menos de meio minuto já tava a andar.
- O único programa que continuo a usar em Windows é o SAM Broadcaster, necessário para as minhas emissões de rádio online. Esse não consigo meter pelo Wine, porque requer fontes específicas senão bloqueia.

Para já, fica o Windows para o wireless e o Ubuntu para a net móvel. Claro que vou usar mais o Ubuntu, por isso desconfio que o tráfego vai fugir bem rápido. :-D
 

Aparicio

/dev/mod
Staff
Uma distribuição que já vem com tudo como o Mint, baseada em Debian, com suporte para varias arquitecturas, e como uma rolling distro? DO WANT. :) Só falta um Wubi adaptado e estou lá caído!
Pelo que percebi não será uma rolling distro mas vai passar a poder ser actualizado como acontece com o Ubuntu, porque o que faziam até agora é cada mês depois do lançamento de uma nova versão do ubuntu lançar uma nova versão do mint baseada directamente na do ubuntu.
 

Metro

Benevolent Dictator For Life
Staff
Ele diz:

The idea of a Linux Mint desktop based on top of Debian Testing is quite seducing. It’s much faster than Ubuntu and the current Linux Mint desktops, it uses less resources, and it opens the door for a rolling distribution, with a continuous flow of updates and no jumps from one release to anothe

Eles sobre o Ubuntu alteram a questão dos menus e afins dai que lançam algum tempo depois. Mas isto é o que percebi. posso estar errado. Eu tenho instalado e sinceramente out of the box fiquei impressionado.
 

Aparicio

/dev/mod
Staff
Ele diz:
Eles sobre o Ubuntu alteram a questão dos menus e afins dai que lançam algum tempo depois. Mas isto é o que percebi. posso estar errado. Eu tenho instalado e sinceramente out of the box fiquei impressionado.
Ah pronto, pode futuramente passar para uma verdadeira rolling distro.
 

Gui Sá Couto

Power Member
Posso ter percebido mal a ideia. Mas parece-me estar mais perto do Arch Linux do que do Ubuntu actual :)

O que caracteriza o ArchLinux esta longe de ser apenas a forma como sofre updates. Por esse raciocinio tmb se pode dizer que esta igualmente perto do Gentoo, e de tantas outras.
O correcto é realmente dizer que fica mais perto do debian, ainda para mais sendo que deriva (e derivará ainda mais) deste.
Se realmente estas alteraçoes forem para a frente, outra distro com a qual se poderá comparar será o PCLinuxOS, já que é uma distro out of the box, mais para newbies tmb, e simultaneamente é tambem rolling. Vejo nestas duas entao uma possivel competição futuramente.

cumps!
 

petersaints

Power Member
Vou testar numa VM. Só é pena não ter versão 64-bit.

EDIT:
Outra coisa "chata" é ser baseado em Debian Testing. O Testing regra geral anda muito atrasado. Devia ser baseado no Sid (Unstable).
 
Última edição:

APLinhares

OpenSource
Vou testar numa VM. Só é pena não ter versão 64-bit.

EDIT:
Outra coisa "chata" é ser baseado em Debian Testing. O Testing regra geral anda muito atrasado. Devia ser baseado no Sid (Unstable).
Nada disso :P
Atrasado, queres dizer testado :P

Eu concordo com a escolha, espero é pela versão KDE (ou openbox) a ver o que sai.

Sid tem desvantagens, atendendo ao perfil que pretendem seguir (actualizações tipo LTS). Claro que tem pacotes mais recentes, mas a nível de suporte é bastante + complicado ter + 1 variante no "meio da equação" :)

Só uma outra coisa, convém é de facto definir se ficam por testing ou se mantêm em Squeeze.
É que o Squeeze já a caminho de estável desde o dia 6 de Agosto.
2. Is LMDE fully compatible with Debian?

Yes, 100%. LMDE is compatible with repositories designed for Debian Testing or Debian Squeeze.

August 6th, 2010
In this very moment, during the ongoing annual Debian Developer Conference "Debconf10" in New York, Debian's release managers have announced a major step in the development cycle of the upcoming stable release Debian 6.0 Squeeze:
Debian Squeeze has now been frozen.
In consequence this means that no more new features will be added and all work will now be concentrated on polishing Debian Squeeze to achieve the quality Debian stable releases are known for.
The upcoming release will use Linux 2.6.32 as its default kernel in the installer and on all Linux architectures.
New features of the upcoming release include:

  • State of the art desktop environments, based on KDE 4.4.5, Gnome 2.30.0, LXDE 0.5.0, XFCE 4.6.2, X.org 7.5, OpenOffice.org 3.2.1 and many other applications.
  • Stable and current versions of common server software such as Apache 2.2.16, PHP 5.3.2, MySQL 5.1.48, PostgreSQL 8.4.4 and Samba 3.4.
  • Modern interpreters and compilers for all common languages such as Python 2.6 and 3.1, Perl 5.10, GHC 6.12 and GCC 4.4.
  • DKMS, a framework to generate Linux kernel modules whose sources do not reside in the Linux kernel source tree.
  • Dependency-based ordering of init scripts using insserv, allowing parallel execution to shorten the time needed to boot the system.
Debian 6.0 Squeeze will also be accompanied by variants based on the FreeBSD kernel for amd64 and i386 machines, together with the GNU libc and userland as a "technology preview". Users of these versions however should be warned that the quality of these ports is still catching up with the outstanding high quality of our Linux ports, and that some advanced desktop features are not supported yet. However, the support of common server software is strong and extends the features of Linux-based Debian versions by the unique features known from the BSD world. This is the first time a Linux distribution has been extended to also allow use of a non-Linux kernel.
 

armagedalbeebop

Power Member
em relação aos 64bits dizem:

5. Will it come in 64-bit? With KDE or other desktops?
The decision wasn't made yet. LMDE is an experiment. Although we're quite confident it will gain in popularity, we want to get an idea of how many users will switch to a Debian base before going further with it and bringing impacts to other editions. The idea of reaching the same level of functionality without using Ubuntu is quite challenging. It means there are missing pieces in the equation, components which need to be ported or re-written, and whether the pros outweight the cons, this is something we need to assess. A 32-bit Debian-based Gnome edition allows us to work on this with the community. When it's fully on par with the Main Edition and if there is a demand for it, further editions will come for LMDE.


eu como já estou um bocado farto de archlinux ( já ando com ele há mais de 1 ano ) vou dar uma vista de olhos nisto.
 

Aparicio

/dev/mod
Staff
Eu sempre fui da ideia que para o linux crescer em número de utilizadores tem de passar por fusões de distros.
Se for para juntarem esforços no sentido de seguir os mesmos standards tudo bem, agora juntar distros não faz sentido, se uma distro existe é porque há utilizadores para ela, tirá-la é tirar a distro perfeita para alguém.
 

Meados

Power Member
Já uso no meu netbook a algum tempo (talvez um mês) fez a actualização da versao 9 do mint para a 10 num piscar de olhos e sem um mínimo problema. No ubuntu fiz 3 actualizações para a versão seguinte e sempre tive problemas.

Depois instalei tbm a versão 9 no meu p4 1.7 e 512 sdram (tive um problema na instalação devido as drivers open source nvdia crasharem o meu sistema, tive por isso que andar a editar o xorg.conf para alterar para outras que não me dessem problemas) e tbm actualizou impecavelmente para versão 10.

A uns dias o meu notebook tbm já levou format no pclinuxos (distro impecavel, mas que peca em alguns sectores como inexistência de versão 64bits) e substituí pela versão 10 x64.

Experiência geral muito positiva, sem dúvida superior à experiência que tive em ubuntu. (e andei em varias versões)

Resumindo:
-Muito rápida
-Sempre actualizada (rolling distro género arch etc, mas que tens logo tudo instalado inicialmente como gnome)
-Parece-me muito estável
-Menu iniciar óptimo do género opensuse
-Parece-me ter uma grande comunidade
-A adesão a esta versão está a crescer a olhos vistos, basta ver o forum deles e ver o número de posts desta versão em comparação com as outras
 
Última edição:

Meados

Power Member
Não notei... Pelo menos nos programas que uso (firefoxs, thunderbirds, etc) parece-me que tenho sempre a última versão (e se não é a última é das últimas).

Para além do mais passado um dia já tens dezenas de actualizações no update manager.
 
Topo