1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. COVID-19 Mantenham-se seguros: Pratiquem distanciamento físico de 2 metros. Lavem as mãos. Fiquem em casa.
    Informação sobre COVID-19. Ajuda a combater o COVID-19 com o [email protected] e com o [email protected].
    Remover anúncio

Melhores empresas para trabalhar

Discussão em 'Programação' iniciada por Nervys, 7 de Dezembro de 2010. (Respostas: 1271; Visualizações: 228699)

  1. ThePlague92

    ThePlague92 Power Member

    Já conheci juniors a ganhar 1800€ líquidos. Daí a chegar aos 2500€ líquidos como mid não é impossível, desde que a evolução seja boa, com um pouco de sorte e talvez com uma mudança de empresa.

    Agora se é comum algum mid chegar a 2500€ líquidos? Não, mas por isso é que está no topo do intervalo salarial que dei, porque eles existem, são é poucos os que andam por aí a divulgar isso, lês mais sobre o pessoal que ganha mal.
     
  2. Vou partilhar o meu percurso.

    Entrei no mercado de trabalho em 2014 com 900 líquidos.
    Cerca de um ano depois subi para 1k.
    Entretanto em 2018 negociei com a empresa 1.3k +sa+ carro + gasóleo.
    Agora vou trocar de empresa para os 2k.

    Na minha visão do mercado :

    Junior: 900-1k
    Mid: 1k - 1.8k
    Senior: >1.8k

    Claro que há variações também consoante o cargo (backend, frontend, fullstack).

    Muitas das empresas consegues secalhar pagar valores maiores mas ou são a 12 meses ou são ajudas de custo.

    Se fizermos as contas ficamos a perder à vontade 1 a 2k por ano só nesses subsídios.

    Ter um bruto alto ( 3k também não é assim muito alto) é complicado de obter no mercado português.

    As empresas apostam muito no pessoal encostar-se. Se não te queixares levas com aumentos de 2% ao ano, quando tens boa avaliação.

    Negociei uma vez, na segunda vez já não lhes dei hipóteses. Tiveram oportunidade de valorizar os trabalhadores.
     
  3. Haxord

    Haxord Power Member

    Ajuda estar a viver no país para o qual queremos arranjar trabalho? Ou seja, imaginemos que quero arranjar trabalho no país x e vivo no y. Vou viver uns tempos para o país x e mando CVs nessa altura, isso ajudaria a arranjar trabalho?
     
  4. ThePlague92

    ThePlague92 Power Member

    É assim, vão haver pessoas que te vão dizer que sim, que isso ajuda. Na minha opinião, isso é uma má estratégia. Hoje em dia em que dá para fazer tudo remoto e em que as empresas estão preparadas para ajudar as pessoas a mudarem de país e isso tudo é ridículo ter-se de ir viver para o país e andar a estoirar as poupanças para tentar arranjar um possível emprego.

    Posso dar-te o meu exemplo, se isso ajudar: eu vivo em Portugal e consigo com relativa facilidade entrevistas para Espanha, França, Holanda, Reino Unido (mais Londres), Alemanha. Estes foram os países para os quais já enviei CV e consegui entrevistas (ainda não fiz a mudança porque não chegou a proposta certa e agora com o COVID está tudo muito incerto). As empresas fazem tudo remoto e é super-tranquilo. Pré-COVID algumas empresas "obrigavam-te" a ires ao escritório delas fazer a última ronda de entrevistas (normalmente era um dia inteiro) mas pagavam tudo: voos, alojamento e alimentação. Agora com o COVID é mesmo tudo remoto e só quando te fizerem uma proposta, e aceitares, é que te mudas.

    Portanto, não, não acho que seja preciso ires viver para um certo país para arranjar emprego lá, precisas é de ter um bom CV e de te candidatares a posições que se adequem aos teus skills.
     
  5. Haxord

    Haxord Power Member

    Okk, pronto. Eu tenho a mesma opinião porque acho que estar a viver no país não muda em nada o valor que teria.
    Pois, eu estou a terminar o curso e honestamente há CVs melhores (com mais estágios) por isso também pode ser mais difícil nesse ponto :/

    Queria mesmo só saber se a localização era um factor de alguma importância.
     
  6. ThePlague92

    ThePlague92 Power Member

    Vai sempre haver um CV melhor, mesmo que tenhas 20 anos de experiência. A procura de trabalho é um misto entre sorte, momento certo e seres competente. Pessoal que eu conhecia e que não fez estágios durante o curso conseguiu ir para fora, mas foram, na sua maioria, para empresas de menos renome do que o pessoal que fez estágios.

    Agora tens é de estar preparado para uma fase de procura mais demorada e frustrante. Vais ter de enviar o CV para qualquer empresa que te apareça (e em que a posição seja semelhante aos teus skills, como eu disse), mesmo que seja uma empresa que parece a coisa mais secante de sempre, e nas entrevistas tens de brilhar para provar que mereces ser contratado em vez de uma pessoa nativa. E pesquisa bem os salários, para não seres chulado.

    Mas tu já tens estado a enviar CV's ou isto foi só uma curiosidade?
     
  7. Haxord

    Haxord Power Member

    Já, sim. Mas mais cá em portugal. Em portugal já mandei para tudo quanto é sitio praticamente. Lá fora, mais propriamente frança, bélgica, holanda, foram só alguns. Mas acho que em frança podem nem ter visto o CV porque estava em inglês, dependendo da empresa, podem preferir em francês.

    Confesso que as posições para que estou a mandar, data science, analyst, machine learning, nessa área, podem não ser o mais fácil porque não vir de engenharia informática (sou de engenharia mecânica mas com mestrado em sistemas e sistemas inteligentes). Por isso, na minha cabeça eu tenho os conhecimentos suficientes e se não tiver, não é como se nunca tivesse que aprender nada on-the-job. Por isso, acredito que também seja sorte e momento certo. E ainda mais neste momento com o corona :/
     
  8. lpa

    lpa Power Member

    Em que formato é que tens mandado os CVs? Europass?
     
  9. Haxord

    Haxord Power Member

    Não, arranjei um template em latex e modifiquei-o um bocado.
     
  10. lpa

    lpa Power Member

    Ok. Perfeito. É que o europass ninguém liga (a não ser que peçam explicitamente).
     
  11. Haxord

    Haxord Power Member

    Foi o que sempre pensei XD Obrigado por confirmares :)
    Cartas de motivação ajudam e são importantes?
     
  12. ThePlague92

    ThePlague92 Power Member

    Tu foste enviar para 3 dos países mais afectados pelo COVID, muitas empresas de lá apenas estão a recrutar localmente e só recentemente começaram a estarem abertas a recrutar no estrangeiro. E sim, em França em muitas empresas se não sabes falar francês então esquece. Uma das poucas que eu conheço em que não precisas de falar francês é a Amadeus, ao pé de Nice, mas esses acho que deixaram de recrutar, porque o negócio deles levou um grande rombo.

    Eu posso estar errado, mas posições de ML muitas empresas exigem mesmo formação específica nisso e às vezes até doutoramento na área. Em relação às outras, e posso estar errado novamente, são posições que agora andam muito concorridas, por isso vais ter 100 cães a 1 osso, como se costuma dizer. É continuares a enviar, mas não podes estar focado em ir apenas para fora, porque podes perder uma oportunidade boa cá em Portugal e daqui a 1 ano podes voltar a procurar lá fora. Aliás, com 1 ano de experiência e com um bom perfil de LinkedIn às tantas até começas é a receber mensagens para entrevistares nas empresas.

    Eu diria para enviares só se pedirem explicitamente e para teres uma carta de motivação base em que só alteras pequenas coisas consoante a empresa e posição.