Mozilla Firefox

Blue Zee

Power Member
Versão 84.0.1

Version 84.0.1, first offered to Release channel users on December 22, 2020

Fixed
  • Fixed problems loading secure websites and crashes for users with certain third-party PKCS11 modules and smartcards installed (bug 1682881).

  • Fixed slower than expected performance and flickering on Canvas elements for some Windows users (bug 1683116).

  • Fixed a bug causing some Unity JS games to not load on Apple Silicon devices due to improper detection of the OS version (bug 1680516).

  • Fixed crashes caused by various third-party antivirus software.
 

PanterA

Power Member
O ficar diferente não me afecta muito, caso dê para voltar ao layout como queremos e estamos habituados. Mas normalmente quando acontecessem estas grandes mudanças não é bem esse o caso.
 

Manuel Vilches

Power Member
Coisas novas trazem problemas novos, o Firefox já tem anos de desenvolvimento, está num estado de maturação bastante evoluído e não aproveitar isso para uma evolução nova seria uma grande asneira. Assim, espero que os desenvolvedores do Firefox tenham juízo e façam as coisas bem feitas!!!
 

Blue Zee

Power Member
Versão 85.0

Version 85.0, first offered to Release channel users on January 26, 2021
We'd like to extend a special thank you to all of the new Mozillians who contributed to this release of Firefox.

At Mozilla, we believe you have a right to privacy. You shouldn’t be tracked online. Whether you are checking your bank balance, looking for the best doctor, or shopping for shoes, unscrupulous tracking companies should not be able to track you as you browse the Web. For that reason, we are continuously working to harden Firefox against online tracking of our users.


New
  • Firefox now protects you from supercookies, a type of tracker that can stay hidden in your browser and track you online, even after you clear cookies. By isolating supercookies, Firefox prevents them from tracking your web browsing from one site to the next.

  • It’s easier than ever to save and access your bookmarks. Firefox now remembers your preferred location for saved bookmarks, displays the bookmarks toolbar by default on new tabs, and gives you easy access to all of your bookmarks via a toolbar folder.

  • The password manager now allows you to remove all of your saved logins with one click, as opposed to having to delete each login individually.

Fixed

Changed

Enterprise
 
A Mozilla está numa situação cada vez mais complicada. Vivem meramente do que a Google paga para que os coloquem como motor de busca predefinido. O Firefox está cada mais isolado em quota de mercado, já tiveram de despedir pessoas... A morte do Firefox e/ou da Mozilla parece eminente e cada vez mais irremediável.
 

H-Racky

Power Member
Espero que estejas enganado.
Mas se vier mesmo a acontecer, ficará por cá instalada a última versão que estiver disponível aquando do falecimento. Tudo o resto é baseado em Chromium ou Safari para quem tem Mac.
 

PanterA

Power Member
Mesmo que entre em falência, custa-me a crer que ninguém compre a Mozilla. Até porque, e mesmo estando a perder quota de mercado ainda é um dos mais usados e conhecidos.
 
Espero que estejas enganado.
Mas se vier mesmo a acontecer, ficará por cá instalada a última versão que estiver disponível aquando do falecimento. Tudo o resto é baseado em Chromium ou Safari para quem tem Mac.

O mercado dos browsers está irremediavelmente perdido, seja para a Google seja para a Microsoft que está a fazer um regresso se bem que aos poucos e tímido mas que já lhes rendeu o 2 lugar em desktop, mas até uma empresa da magnitude da Microsoft teve de se render ao Chromium por isso veja-se bem. A web vive de standards. E o Chromium é um standard. Se bem que é um standard nas mãos de uma gigante e isso tem de mudar. Não há mal de o motor de renderização ser um standard, como o é o HTML5 e que matou o Flash. Esse standard não pode é estar nas mãos de uma empresa monopolista/ultra-capitalista como a Google. Mas sim de uma entidade pública e/ou um consórcio de múltiplas empresas a nível mundial (como o USB ou o DisplayPort).

A única empresa capaz de concorrer com a Google é a Microsoft. A Apple vive na sua bolha e contenta-se com os 10% mais ricos. Apenas a Microsoft compete pelo bolo inteiro e tem as bases em recursos humanos, financeiros e logísticos para competir com a Google.

Era bom que a Microsoft fosse dar uma punhalada nas costas da Google e através de usar o seu motor de renderização, ao conquistarem mercado, formassem um novo motor de renderização, totalmente open-source, que fosse um fork do Chromium e por isso não fosse obrigar a grandes mudanças por parte dos devs para que fosse compatível com tudo o que já existe compatível com Chromium. Mas que depois a Microsoft formasse esse consórcio com outras empresas e metessem dessa forma a Google isolada.

A Mozilla, tem de procurar outro negócio ou falir. Ou converter-se ao Chromium.
 

Alexrd

Moderador
Staff
A web vive de standards. E o Chromium é um standard. Se bem que é um standard nas mãos de uma gigante e isso tem de mudar. Não há mal de o motor de renderização ser um standard, como o é o HTML5 e que matou o Flash.

Essa comparação não faz sentido nenhum.

A web "vive" de standards, sim. Web standards. Coisa que nenhum motor de renderização é. E ainda bem. É na competição que existe variedade, melhoria e inovação.
 
Topo