1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Nano-relâmpagos serão utilizados para arrefecimento de CPUs.

Discussão em 'Novidades Hardware PC' iniciada por MDK, 11 de Abril de 2004. (Respostas: 14; Visualizações: 1617)

  1. MDK

    MDK Power Member

    Engenheiros da Universidade Purdue (Estados Unidos) estão desenvolvendo um novo tipo de tecnologia para o refrerijaçao dos chips de computadores que utiliza uma espécie de "nano-relâmpago" para criar minúsculas correntes de vento que substituem as actuais ventuinhas e a água. À medida em que a potência dos computadores aumenta, aumenta também o calor gerado pelos seus processadores. Os computadores mais novos já vêm com ventuinhas dezenas de vezes mais poderosos do que os primeiros "coolers" que vinham colados aos chips. Já existem também várias soluções baseadas na refrigeração a água, que utilizam o mesmo princípio dos radiadores de automóveis. Eles são mais eficientes do que os ventuinhas, mas são grandes e há sempre o risco de vazamento e queimar todo o computador.

    Os pesquisadores demonstraram que o conceito de "nano-relâmpago", que se baseia apenas na movimentação do ar, é promissor. Apesar do nome, relâmpagos em escala nanométrica não chegam a emitir faíscas, mas são fortes o suficiente para fazer com o que o ar se mova. Mas nano-relâmpago é bem mais fácil de lembrar do que o nome oficial da tecnologia, que responde pomposamente por "fluxo de ar gerado ionicamente em micro-escala".

    A nova tecnologia trabalha gerando íons - átomos carregados eletricamente - utilizando eletrodos dispostos muito próximos entre si sobre o chip do computador. Os eletrodos negativamente carregados, ou catodos, são feitos de nanotubos de carbono com pontas finíssimas, medindo apenas cinco nanômetros de diâmetro.

    Quando uma voltagem é aplicada aos eletrodos, os nanotubos negativamente carregados descarregam elétrons rumo aos eletrodos carregados positivamente. Os elétrons afetam o ar ao redor, fazendo com que as moléculas do ar sejam ionizadas da mesma forma que os elétrons da atmosfera ionizam o ar nas nuvens. Esta ionização do ar causa um desbalanceamento de cargas que eventualmente resulta em relâmpagos.


    "Para criar um relâmpago 1 pessoa necessita de dezenas de quilovolts, mas nós trabalhamos com 100 volts ou menos," explica o Dr. Suresh Garimella, coordenador do trabalho. "Em termos simples, nós estamos gerando uma espécie de relâmpago em nano-escala aqui."

    Os pesquisadores conseguiram criar o efeito de ionização com baixa voltagem porque as pontas dos nanotubos são extremamente finas e os eletrodos com cargas opostas estão distantes apenas cerca de 10 micra.

    Futuros equipamentos de refrigeração baseados nesta tecnologia deverão ter uma região de geração de íons, onde os elétrons são liberados, e uma região de bombeamento, feita de outro conjunto de eletrodos necessários para criar o efeito de resfriamento.

    Nuvens de íons criadas quando os elétrons reagem com o ar ao redor são atraídas pela segunda região de eletrodos e bombeadas para a frente alterando-se a voltagem nesses eletrodos. As voltagens são invertidas rapidamente entre um eletrodo e o seu vizinho mais próximo de tal forma que as nuvens de íons se movem para a frente e produzem o vento que resfria o chip.

    A próxima versão do projeto irá substituir os nanotubos de carbono por um filme finíssimo de diamante, que é mais robusto e mais fácil de ser fabricado do que os nanotubos

    fonte:http://www.inovacaotecnologica.com.br/noticias/010150040326.html
     
  2. MDK

    MDK Power Member

  3. Flyer

    Flyer Power Member

    n sei se hei de acreditar e fikar espantado...ou n ligar e pensar q "mais um copy paste cujo futuro é dúbio" :lol:

    mas se realmente isso tiver pés p andar....estou realmente ESPANTADO :001:
     
  4. QuickFire

    QuickFire What is folding?

    Qualquer coisa que substitua agora as fans e tenha melhor desempenho (performance e ruido) é benvindo neste momento penso eu porque penso que não serei o unico a pensar porque é que os computadores hoje em dia parecem apaches :P
     
  5. ptzs

    ptzs Power Member

    Porra, mas é preciso inventar uma coisa tão complicada? Nano-relâmpagos? Xiça!

    Ainda existe muita solução para aplicar, antes de nos pormos a inventar sistemas de refrigeração quase "starwars" porque não simplificar o watercooling? Ainda tem muita coisa para evoluir o WC...
     
  6. Flyer

    Flyer Power Member

    my thought exactly :D
     
  7. QuickFire

    QuickFire What is folding?

    hum... o WC ainda tem muitos inconvenientes para o user geral. Toda a gente sabe que é preciso ter algum cuidado a transportar e a lidar com WC isso para o user geral que pode não estar informado pode dar origem a outros problemas entre eles uma fuga e puff la vai board acho que o WC tem muito potêncial mas penso que a intel p.e. não iria arriscar em trazer como sis. de refrigeração WC de origem porque além de ser caro tem um elevado grau de risco quando não se sabe o que se faz, mas em contrario para users mais experientes e que ja sabem algo não vejo porque não mas como não existem 2 tipos de processadores tipo version Pro e Light acho que as empresas deverão continuar a investir no ar.
     
  8. SilveRRIng

    SilveRRIng Power Member

    Apesar da crescente versatilidade e segurança do WC ainda não se pode comparar à simplicidade e "despreocupação" que um cooler a ar tem. O unico risco no ar é a ventoinha avariar. Se isso acontecer, para além de já haver varias formas de se saber, evitar e resolver, o CPU não terá morte certa, mas vai dando "avisos" de instabilidade q qq "leigo" se aperceberá q algo n está bem.

    O WC já n é bem assim. Tens varios pontos de risco (bomba, ligações e fans), necessariamente mais do q ar e não é so o CPU q está em risco, mas todos os outros componentes, até risco de incêndio ou qq coisa assim.


    Este sistema dos nano-relâmpagos é como tudo o q é "extravagante". Á 100 anos atrás era impossivel o homem ir à lua (será q foram mesmo :rolleyes: , ou mesmo voar como se faz hoje. Quem sabe não jaz aqui o futuro, não só do cooling nos CPU's mas de outras tecnologias?!
     
  9. |[-BooT-]|

    |[-BooT-]| Folding Member

    a minha prima andou nessa universidad :)


    essa tecnologia n m tah cá a cheirar mto bem... entao e electricidade estáctica? qual é k iria ser o preço disso? segundo o k me deu a entender isso é bastante pekeno mesmo, ou seja, em principio vem incorporado no cpu o k provavelmente iria aumentar o preço um bom bocado

    hmmm... n sei nao... acho k prefiro ficar com a minha fanzita mais um bocado... aguenta-se bem e n faz mto barulho :P
     
  10. NeoToPower

    NeoToPower 1st Folding then Sex

    Mesmo que se consiga fazer algo disso ainda vai ter um grande incoveniente.... ar ionizado.... bastante nefasto para a saude por sinal.
     
  11. timber

    timber Zwame Advisor

    Essa noticia fez-me lembrar os laboratorios de Alta Tensão que tive em que a malta andava a provocar disrupçoes do ar
    Porreiro porreiro foi os que a gente fez nos laboratorios da EDP e davam para fazer verdedeiros relampagos artificiais.
    Apagava-se a luz e depois e era esperar pelo clarão azul
    A Fisica daquilo nao era nada de especial
     
  12. Flyer

    Flyer Power Member

    Esta técnica q apareceu na PCMag tb parece interessante :D


    As tiny chips and electronic subsystems in portable devices get more powerful, they also run hotter. Fans and ventilation systems offer some relief, but researchers recognize that it's time for the next generation in cooling techniques. A Purdue University research team, backed by funding from the National Science Foundation, has developed a miniature cooling system that could be ideal for cooling notebook computers, cell phones, and smaller devices. Unlike some of the prototype liquid-based cooling systems being produced, the Purdue team's technology generates tiny breezes with nary a fan—or the whir of one—in earshot or sight.

    "The exciting attribute of this work is that it has the potential to provide heat removal rates that are similar to those for liquid cooling, but accomplishes this with air and in a very compact volume," says Suresh Garimella, a professor of mechanical engineering at Purdue, in West Lafayette, Indiana.

    The miniature cooling systems are somewhat similar to the quiet fans that circulate air in homes, but the Purdue team's devices are only a few microns (millionths of a meter) wide. They use electrodes built from carbon nanotubes that are just five nanometers (billionths of a meter) across at the tip. The low-voltage carbon nanotube electrodes emit electrons and create an ionizing effect. Clouds of electrons get "pumped forward" by changes in the voltage that the electrodes emit, producing a wave of tiny breezes. Despite the obvious fan analogies, the research team prefers to call the technology "nano-lightning."

    Two research representatives from Purdue, Daniel J. Schlitz and Vishal Singhal, have started a company called Thorrn Micro Technologies Inc., to commercialize the technology. The team has also filed for a patent.

    "Using liquid to cool electronic circuits poses many challenges," says Garimella, "and industry would rather develop new cooling methods that use air."
     
  13. Zealot

    Zealot I quit My Job for Folding

    Granda cromo, a universidade é a mesma, os responsáveis são os mesmo e o método é o mesmo, apenas mudou de um artigo possivelmente escrito originalmente na PCMag e plagiado (com ligeiras nuances para disfarçar) para brasileiro que o MDK postou! :P
     
  14. Flyer

    Flyer Power Member

    é o q dá ler em Z :lol:
     
  15. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    ion colling POWER :004:
    eu quero ver isso a bulir se é realmenre bom :001: :007: :009:
     

Partilhar esta Página