1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Consulta o Portal de Jogos da ZWAME. Notícias, Artwork, Vídeos, Análises e muito mais.

    Remover anúncio

[NGC] Baten Kaitos: Eternal Wings and the Lost Ocean (RPG, Namco)

Discussão em 'Nintendo' iniciada por I_Eat_All, 4 de Agosto de 2007. (Respostas: 66; Visualizações: 7831)

  1. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Primeiro lançado no Japão em 2003 e 2004 na America e Europa, é o primeiro jogo da série Baten Baitos mas que na realidade toma lugar depois do Baten Kaitos Origins, uma prequela lançada anos depois. O jogo foi desenvolvido conjuntamente pela Monolith Soft com a Tri-Crescendo e publicado pela Namco.

    Monolith é constituida de ex-membros da Squaresoft provenientes das equipas de Xenogears e Chrono Cross (sequela do Chrono Trigger), e isso transparece, já que o jogo é quase uma sequela espiritual do Chrono Cross quer em cenários (feitos pelo mesmo artista e equipa) quer em sistema (apesar de Cross ser um RPG normal e Baten um Card RPG).

    O jogo trata-se de um Card RPG, e faz uso intensivo disso para praticamente tudo, desde batalhas até comprar e armazenar items. As cartas são designadas "Magnus" que é uma abreviatura de "Magna Essense", segundo o jogo, Magnus são a verdadeira natureza de todas as coisas, desde armas (como espadas), feitiços e até bens essenciais como a comida.

    O jogador tem algumas cartas em branco nas quais pode armazenar o que quiser, um objecto pode ser convertido numa carta magnus e pode retomar posteriormente a sua forma original, no entanto, alguns items como a comida podem sofrer a passagem do tempo, ou seja passado algum tempo poderá estar podre.

    Kalas, a personagem principal é um spiriter, ou seja, tem um "espirito guardião" esse espirito não é mais que o jogador, pelo que desta forma o jogador se torna participante na acção, dando conselhos de um leque de opções ou dando conselhos. Quanto melhor a relação do jogador com o personagem mais fácil será fazer combo chains acabadas em spirit sttacks. (equivalente a summons)

    O nome Baten Kaitos vem da constelação da Baleia, "Cetus" que em arábico quer dizer "A barriga do monstro maritimo/baleia". Esta influencia está também presente em muitos outros locais do jogo que devem o seu nome às estrelas.

    Ao contrário de outros jogos da Monolith como o Xenosaga, Baten Kaitos tem uma visão optimista da humanidade e do mundo.

    Imagens:

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]

    [​IMG]
     
  2. bruno_therion

    bruno_therion Power Member

    Mais um dos meus favoritos
    Bom rpg
     
  3. Rexobias

    Rexobias Power Member

    Nunca o cheguei a exprementar pois tenho "medo" do modo de combate (cartas.... :(). Posso estar enganado...
     
  4. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Quando o adquiri também hesitei porque tinha esse medo, mas fiquei surpreendido porque não só funciona muito bem como nos dá uma carrada de opções. Não sabe a RPG de cartas, apenas fazes os ataques através delas. Unica contra-partida real em que consigo pensar é que de facto demora um pouco a masterizar minimamente (umas 3 horas de jogo, sem ler o manual), e inicialmente o teu deck é algo limitado... Mas mais para a frente... ai ui :D

    O objectivo ali é maximizares o damage com sequências, cada carta tem um numero, ou vários, seleccionáveis... Então sempre que possivel fazes sequências 1, 2, 3; 2, 4, 6; 7, 5, 3... e isto no final de cada ataque dá-te um bonus de X% na damage inflingida.

    Também a forma como o jogo opera, como turn based que é tens alturas para atacar e alturas para defender... a questão é que, ao contrario de muitos RPG's turn based consegues defender os ataques, é aqui que entra a estratégia, passo a explicar, com personagens que têm ofensiva (espadas, bastões, etc) caso não tenhas itens de defesa para usar no primeiro round em que estás a ser atacado terás de sacrificar uma, só depois elas passam a ter côr e as podes usar como defesa, isto incita a teres alguma percentagem de cartas de defesa no baralho e guardares pelo menos uma, para conseguires defender todos os ataques; senão sofrerás sempre o primeiro. Se tiveres poucas cartas para o efeito e como sabes que o ultimo ataque do combo feito pelo inimigo é o que te tira mais HP podes sempre guardar a carta em questão para essa ocasião.

    Isto faz com que não sintas "é a minha vez de dar, é a minha vez de levar" é quase pseudo real-time porque nunca ficas completamente indefeso para o sistema de jogo.

    Adorei a utilização de cartas "brancas" no jogo também, o principio de poderes armazenar itens presentes nos cenários (maçãs, por exemplo) e os dares a algum dos NPC's. E a passagem do tempo em alguns destes items, por exemplo, apanhar comida e esta ao fim de algum tempo estar podre ou estragada.

    O resto do jogo é incrivelmente reminiscente de Chrono Cross (não admira, a equipa é a mesma), quer os cenários, quer a abordagem (fundos pré-renderizados com personagens 3D, não há random battles, dá para as evitar, etc)... e até a musica.
     
  5. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    *Thread Ressurect*

    Um artigo de Game Design explora o Baten Kaitos, por isso...

    Aqui fica o excerto:

    Fonte: http://www.gamasutra.com/view/feature/3485/game_design_essentials_20_.php?page=20

    Sempre bom, ver esta saga a ter a atenção que merece.
     
  6. Bl!nd

    Bl!nd Power Member

    I_Eat_All ou outra pessoa que conheça bem o jogo por favor expliquem-me umas coisas.

    Eu comprei o Baten Kaitos assim que saiu mas nunca o consegui acabar. Após várias dezenas de horas de jogo cheguei a um boss que não consegui vencer (não me dediquei muito a evoluir as personagens) por isso vi-me obrigado a desistir.

    Uma das razões que me levou a desistir foi o facto de nunca ter apanhado a mecânica do sistema de combate. Alguém me pode explicar como é que funcionam essas sequências de cartas que se fazem. Eu lembro-me que algumas cartas chegavam a ter um número em cada canto, ou em 3 cantos, e eu nunca percebi quais eram os números que deviamos usar para fazer sequências.
     
    Última edição: 17 de Janeiro de 2008
  7. Craven

    Craven Power Member

    a sequência é simples, preferencialmente começas com uma carta (já não me lembro do simbolo dela :( ) e vais jogando sequencialmente com esses números que aparecem no canto. 1, 2, 3, 4, 5 etc. quanto mais encadeares, maior é o combo
     
  8. Bl!nd

    Bl!nd Power Member

    Pois mas o meu problema é que as cartas chegavam a ter um número em cada canto. Só me devo preocupar com o encadeamento dos números de um só canto da carta? A partir do momento em que os números de um canto formam uma cadeia n preciso de ligar aos números nos outros cantos da carta?
     
  9. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Arghhh... vi o teu post quando estava num sitio em que não podia escrever a resposta e depois passou-me de ideia :X

    Os numeros em cada canto são apenas para facilitar as sequências (é aí é que o jogo começa a ter mesmo pica); o canto em si não é importante; apenas quer dizer que aquela carta tem capacidade para ser um 1, 3, 5 ou um 7 (por exemplo), basta começares a selecioná-las via analog C, inclinando para o lado do numero que queres.

    Já agora encravaste onde? inicio do segundo DVD?
     
  10. Pure_Water

    Pure_Water Power Member

    é uma pena so conseguir arranjar este jogo a preços que eu n acho que um jogo GC actualmente valha, mas se encontrar por aí um a bom preço, acho que arrisco. Parece ter mt bom aspecto.
     
  11. Bl!nd

    Bl!nd Power Member

    Finalmente alguém me conseguiu explicar a cena dos números. Nunca tinha topado essa cena do analog C para escolher os números, mas agora já percebi.

    Encravei na batalha contra o Kalas quando ele se torna mau. Penso que já era no segundo Cd.


    Agora quando tiver de férias em Fevereiro vou ver se finalmente passo o jogo todo.

    Obrigadão pela ajuda.
     
    Última edição: 18 de Janeiro de 2008
  12. jfred-silva

    jfred-silva Power Member

    Desculpem lá estar a desenterrar este tópico, mas ando agora a começar a jogar este jogo e sei que tenho de fazer sequências, mas a minha duvida é se só contam as sequências crescentes ou também as decrescentes
     
  13. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Ora essa, oxalá desenterrassem mais tópicos de RPG's ;) é para isso que eles servem.

    Não creio, pelo menos no Baten Kaitos Origins não dá.
     
  14. jfred-silva

    jfred-silva Power Member

    Também me parece que não dá, mas prefiro sempre vir confirmar com pessoas que percebem muito mais disto que eu :p Só posso dizer que estou realmente a adorar este jogo, quando o comprei tentei jogar mas não consegui compreender a maneira de jogar, mas agora que percebi posso afirmar que a par com o Skies of Arcadia para a Gamecube são os melhores RPG's que existem para a Gamecube. Quando começar a trabalhar durante as férias a minha prioridade de compre é sem dúvida o Origins, fica a frente de todos os jogos Wii que ainda me faltam comprar.

    PS: É um crime não haver tópico para o Baten Kaitos: Origins e que tão poucas pessoas conheçam esta série, esta realmente a dar-me imenso gozo jogar o primeiro deles.
     
  15. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Não esquecer o Paper Mario 2 e o Tales of Symphonia ;)

    Sim, o sistema de cartas do Baten Kaitos é dificil de entender inicialmente... umas 3 horas (minimo) de curva de aprendizagem, mas é um óptimo sistema de batalha, gosto especialmente de como eles tornam um sistema por turnos em algo que sabe a real-time, pela possibilidade de bloqueares todos os ataques do adversário caso tenhas cartas para isso. Isso e inclusões como a degeneração de items consoante o tempo passado (de vinho para vinagre, por exemplo).

    Tem alguns quirks no entanto; muitos deles resolvidos no Baten Kaitos Origins.
    Não há tópico porque nunca houve a necessidaded e haver. Ando há anos a incitar a malta no forum para comprarem o Origins e ninguém se atira. Depois, pelas regras actuais do forum teria de vos andar a pedir comprovativos, caso não os metam de vossa livre vontade... torna-se contra-producente para me querer meter nisso; com pena minha.

    Se houver interesse eu crio o tópico, no entanto.

    O Origins não é um dos melhores RPG's da GC, é simplesmente um dos melhores, senão o melhor, RPG da geração passada a considerar todas as plataformas, ponto final paragrafo (e joguei-os quase todos, sei do que falo). Que jogo suberbo, possivelmente o melhor voice-acting num videojogo/RPG de sempre, sistema de batalha divertido (e mais fácil de perceber que o deste), argumento inspirado, scriptwriting e interacções entre personagens suberbas e cheio de twists que *gasp* quase tornam o argumento do Baten Kaitos 1 bom (prepara-te eles literalmente destroem tudo o que o Baten Kaitos te diz). Um jogo deveras excepcional, mais do que "mais baten kaitos" sabe a um sucessor espiritual do Chrono Cross. Até a banda sonora que o Sakuraba fez para ele é deveras inspirada, coisa que normalmente não é (e não voltou a ser desde que o fez)
     
    Última edição: 1 de Julho de 2009
  16. jfred-silva

    jfred-silva Power Member

    Efectivamente o Paper Mario 2 é outra pérola, como me pude esquecer... Tales of Symphonia não posso tecer um juízo de valor pois o tempo que passei nele ainda não me dá a possibilidade de afirmar algo sobre o jogo, já se sabe que muitos jogos mas pouco tempo.

    O sistema de cartas foi o que no início me fez mais estar de pé atrás, mas agora afirmo que estou completamente rendido ao mesmo, é uma lufada de ar fresco no género. Aquele combinar de cartas está de facto soberbo, e como afirmas poder defender e a degeneração dos mesmos... Alias também há muitas vezes a evolução. Sobre o voice-acting, não sei como está o do Origins mas o deste não gosto nada lol ainda não me dei foi ao trabalho de o desactivar mas sei que dá para o fazer.

    Não incentives ninguém a comprar o Origins, ainda o quero apanhar no ebay e de preferência novo :p

    O meu único problema neste momento com o jogo foi depois do meu irmão me ter visto a jogar ir pegar nele e nunca mais deixar o raio do jogo, isto de ter irmãos mais novos tem muito que se lhe diga.
     
  17. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    O voice acting no Baten Kaitos 1 é nojento, no Origins estamos a falar de um patamar de qualidade que, na pior das hipóteses está ao nivel do FFXII, e na melhor... está melhor. (IMO, o script e actores principais... são melhores)
    Heh. :)
     
  18. jfred-silva

    jfred-silva Power Member

    Fico mais descansado então, mas sou daqueles que preferem este tipo de jogos sem voice-acting, fica com outro encanto, mas penso que pouco serão da mesma opinião.

    Cheguei a ler sobre um novo capitulo para a Wii, contudo não sei se era oficial ou não, sabes algo que confirme que esteja em desenvolvimento?
     
  19. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Depende do jogo. O Baten Kaitos Origins ganhou, e muito, com o facto de ter um voice-acting suberbo. A interacção entre a Milly e o Guillo não seria a mesma, aliás, focalizando melhor... o sarcasmo não passa tão bem escrito como falado. ;)

    Além, disso é um dos casos raros de character development suberbo... o jogo foca-se apenas em 3 personagens que aparecem todas na primeira hora/hora e meia de jogo... e desenvolve-as a sério.

    O Origins é tudo o que o Baten Kaitos, enquanto que bom, não foi. Tudo onde ele falhou o Origins corrigiu e fez acima da média face ao que existe no mercado e tudo o que o Baten Kaitos fez de bom, o Origins melhorou. É tão bom quanto isso.
    Nada de concreto, também há a possibilidade de um Baten Kaitos DS e a Monolith deu a dica de estar pronta para fazer o Baten Kaitos 3.

    Similarmente recentemente perguntaram à Tri-Crescendo, que se fechou em copas (é bom sinal, não podem falar de coisas não anunciadas que possam estar a acontecer, afinal de contas ;))

    Fonte: http://www.cubed3.com/news/12325
     
    Última edição: 1 de Julho de 2009
  20. Necrom

    Necrom [email protected] Member

    Queria só confirmar que lembro-me que dá pra fazer sequencias tanto crescentes como decrescentes, assim como pares, ternos, etc.
     

Partilhar esta Página