1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Noticias - Comissária Europeia Quer Internet Gratuita e Acessível a Todos

Discussão em 'Dúvidas e Suporte—Internet, Redes, Segurança' iniciada por Snake, 8 de Maio de 2006. (Respostas: 21; Visualizações: 1417)

  1. Snake

    Snake Power Member

    Li esta noticia que me despertou bastante o interesse esperemos k se venha a concretizar :wow:.

    Permitir o acesso generalizado à informação diminuindo assim a exclusão social é uma das funções da internet que se quer gratuita e realmente acessível a todos.

    A comissária europeia para a Sociedade de Informação e Meios de Comunicação apontou o acesso grátis à Internet como ferramenta para diminuir a exclusão social, aumentar a troca de conhecimentos e aproximar os cidadãos.
    "Temos que unir esforços para que a Internet possa vir a ser grátis, porque é uma ferramenta que leva o conhecimento a um grande número de pessoas e permite diminuir a exclusão social", disse Viviane Reding, no encerramento do IV Fórum Ministerial «União Europeia - América Latina e Caraíbas sobre a Sociedade de Informação», que decorreu em Lisboa a 28 e 29 de Abril.

    Para Reding, "lutar contra os crimes cibernáuticos e incrementar esforços para que, no futuro, a internet seja acessível a todos" é uma prioridade.

    Deste encontro sai a perspectiva da internet como instrumento de combate à exclusão social, e como meio de aproximar as pessoas e tornar o conhecimento acessível a todos.

    A comissária falou de uma Europa que "assenta numa sociedade aberta, construída na diversidade cultural", em que as novas tecnologias de informação permitem "aproximar as pessoas e os diversos conhecimentos". Para isso ser plenamente possível, "os instrumentos devem ser baratos, acessíveis", referiu.

    Também para o ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano Gago, "O combate à exclusão social é o principal objectivo das novas tecnologias de informação e comunicação".
    O ministro considera que a internet foi inventada para democratizar e facilitar a comunicação entre as pessoas, melhorar a transparência da administração e reduzir as divisões, dando "um grande contributo para a coesão social e esse é o nosso objectivo", defendeu.

    A inclusão social é um dos objectivos explícitos na Declaração deste Fórum sobre Cooperação Futura. Aqui consta a intenção de construir e reforçar a ligação das redes de informação da União Europeia com as da América Latina e Caraíbas, nomeadamente no que toca às comunidades científicas e académicas, aumentando o número de utilizadores das TIC.

    Esta Declaração será submetida à Cimeira União Europeia - América Latina, Caraíbas, de chefes de Estado e de Governo que terá lugar em Viena de Áustria nos próximos dias 11 e 12 de Maio.
     
  2. estigma

    estigma Power Member

    Ela ainda sonha com a Barbie?!

    Eu tb gostava muito de isso vir a ser uma realidade. Mas a €uropa não irá p€nsar... noutros €€€€?!
     
  3. GoldenBoy

    GoldenBoy Power Member

    yap.... grande discurso..... muito bonito........ mas apenas só isso.............

    Em PT isso nunca vai avante..... pois a PT preferiria pagar as multa da Comissão europeia a implementar essa declaração........ ja viram o lucros da PT cairem para segundo o a declaração ""Temos que unir esforços para que a Internet possa vir a ser grátis" ?!?!?!?!?

    Esse Mariano Gágá....... que fosse levar onde as galinhas levam........ muita uva e pouco sumo........
     
  4. blastarr

    blastarr Power Member

    Lembram-se do anterior governo do Guterres e da famosa "Flat-Rate" ?
    O que é feito dela ?
    Enough said...
     
  5. Nadir Mahomed

    Nadir Mahomed Power Member

    GRANDE CONVERSA ISSO DA NET A BORLA SO NO DIA 30 DE FEVEREIRO :kfold:
     
  6. JPgod

    JPgod Moderador
    Staff Member

    oh dude...

    Isso entra em ROTA DE COLISÃO com isto:004:

    Mais fácil vamos ver impostos nas SMS e E-MAIL do que ter net a borla, tudo que beneficia e bem o cidadão é lento como uma tartaruga com 1 elefante em cima :004:
     
    Última edição: 7 de Junho de 2006
  7. guxo

    guxo Power Member

    gratuito... pois... -_-
     
  8. Tomekk

    Tomekk Power Member

    re:

    Internet para alem de um meio de comunicação é um negocio, e enquanto for um negocio nunca será de graça.

    Ya querem melhorar as ligações..... quando é que fazem uma ligação directa de lisboa para sao paulo de fibra ? |--> lol.

    Um gajo quer-se connectar a um servidor no japao tem que que passar pelo atlantico && e.u.a && pacifico |.
    Sim temos uma ligação pelo mediterraneo, mas nao vale um cu, alem o routing nunca passa por lá...

    Pa tudo isto envolve dinheiro, e os governos nem estão interessados em suportar isso. Logo a solução a internet ser explorada por organizações privadas que visam o lucro e não o bem do povo.

    Interior?? as pessoas do interior em portugal são das que tem piores ligações, e onde se paga mais por manutenção em certos ISP's....
     
  9. d3f4uLt

    d3f4uLt Power Member

    Por acaso essa noticia não tem haver com a criação de mais espaços públicos de acesso à internet grátis? Acho que não tem nada a ver tornar a internet residencial gratuita...
     
  10. Feiticeiro

    Feiticeiro Power Member

    Um comissário Europeu quer criar um imposto sobre os emails e os sms enviados.
    A outra comissária quer evr a internet livre de graça? Em que ficamos? Esses gajos nem se devem conhecer.
     
  11. Flyer

    Flyer Power Member

    mas como raio é q punham a net de borla....kem é q pagava ás empresas que forneciam a net? Ou seria a comissao europeia a fornecer o guito para isso...epah....tenham juízo.

    Acredito mais na tal taxa (q tb n deve aparecer devido aos protestos) do que nisso ;)
     
  12. Quad

    Quad [email protected] Member

    [IRONIC] Eu também queria muita coisa :D [/IRONIC]
     
  13. khannon

    khannon Power Member

    Não li em lado nenhum que iam por TODOS os acessos à net gratis, mas que queriam disponibilizar net gratuita a todas as pessoas.

    Pode passar por equipar as bibliotecas todas com net e ter o acesso gratuido (como acho que ja acontece em quase todo o lado), ou então em "obrigar" os ISP a ter um serviço gratis. Claro que também acredito que este serviço seja do nível de dial up, tipo a 56k ou algo assim, mas mesmo permitiria que muita pudesse por net em casa, nem que fosse só para consultar os mails.

    Para aqueles que querem net rápida e/ou com grandes volumes de tráfego, esses continuam a pagar para poder usufruir dessas condições. Nada altera, para alem de um serviço ranhoso novo (ranhoso no ponto de vista de quem velocidade de acesso e limites elevados ou nenhuns limites).
     
  14. xanatos

    xanatos To fold or to FOLD?

    Ora aí está um opinião sensata.
    Quando se fala em grátis só conseguimos pensar quando é que isso chega a nossa casa, não pensamos que há outras formas de ser grátis, e claro quem quiser grandes velocidades vai continuar a pagar para usufruir disso.
     
  15. red911

    red911 Power Member

    A do imposto sobre os mails era bem pensado. Era maneira de acabarem as chain-letters e o spam via mail. A minha caixa de correio electrónico agradecia :-D
     
  16. crossroads

    crossroads Power Member

    Sim, mas o imposto será europeu e 99% do spam que eu recebo é americano, pelo que penso que não haveria melhorias prácticas..
     
  17. A Internet à borla é apenas uma questão de haver vontade. Reparem que até agora todos os esforços são no sentido de nos impedir a Net à borla. Para dar um exemplo, até inventaram uma maneira de fazer com que o upload seja mais baixo que o download para nos impedir de correr servidores em casa...
    As tecnologias peer-to-peer associadas ao Wifi podiam ser adaptadas hoje em dia para criar uma rede em que qualquer ponto de acesso fosse um nó activo, a falar com todos os outros (as chamadas redes "Mesh" que agora estão em estudo). Imaginem que alguém cria um protocolo que permita a qualquer computador actuar como um router numa rede Wifi. Quantos mais utilizadores melhor e maior cobertura a rede terá, e não tem de ser paga. Alguém paga o ar? Com o tempo o protocolo a criar seria implementado em tudo quanto é dispositivo e até um telemóvel poderia servir de nó a emitir e a receber e a servir de repetidor para outros nós distantes, numa rede sem fios que não é de ninguém e é de todos. Já tive esta ideia há muito, mas será que há alguém que queira pegar nela e arrancar no desenvolvimento do protocolo? Seria revolucionário!
     
  18. Morpheus

    Morpheus Banido

    para alem de complicado visto que cada placa AKA nó teria de ter um IP proprio logo o mesmo seria facilmente identificado na rede haveria ainda o problema dos exploits com vista a obter dados confidenciais ou sensiveis... uma rede dessas vista do teu ponto de vista é completamente utópica e descabida na sociedade portuguesa em que o Zé do 5º Andar anda todo contente na net à pala do vizinho do 6º porque este n soube configurar o router como deve de ser por exemplo... existe uma ideologia de leeching e de sacanso generalizado do tipo dá cá que é pra mim tudo pra mim... e para alem do mais de n é um conceito novo visto que em São Francisco aonde existe a maior cadeia de redes Wi-Fi e de hotspots privados partilhados ao publico em geral existem algumas regras que foram interiorizadas naquela especie de comunidade anonima virtual que ajuda a manter as proprias redes limpas e extremamente funcionais...
     
  19. Talvez esteja a ser utópico. Mas a verdade é que havendo vontade, às vezes as utopias acontecem. Nos meus curtos 35 anos de vida já passei por vários acontecimentos quase impossíveis: O 25 de Abril de 1974 acaba com a ditadura e com o colonialismo em Portugal, A queda do muro de Berlim dá início ao processo de candidatura de países de leste à União Europeia (ora aceites, mas quem diria que tal seria possível?). A Alemanha Democrática e a RFA juntam-se pacificamente num só país (inédito na história). Por volta de 1992, deu-se a explosão generalizada da Internet e a WWW que deram início a uma revolução de partilha de informação tão ou mais importante que a invenção do tipografia há meio milénio atrás. Seria para mim utópico em 1989, pensar em telefonar para os meus amigos enquanto molho os pés na praia, ou trocar impressões com pessoas inteligentes num fórum como este, sem ter de saír de casa para ir a um congresso de Telecomunicações. Hoje em dia até algo tão utópico como comunicar por rádio a 5km de distância é possível sem pagar licença. As redes Wifi também são legais. Qualquer um pode emitir sem pagar taxas de radiodifusão e sem cursos de operador de rádio. Utópico? Não! Apenas o razoável...
    Em minha opinião, a ideia que estou a expôr tem muitos defeitos ainda, nomeadamente de segurança como tão bem chamaste a atenção, Morpheus, mas se apontarmos nessa direcção de uma Internet gratuita, iremos chegar lentamente à tal utopia!
    Repara que redes peer-to-peer, como a do Emule, além de servirem para fazer a tal utopia, com algum trabalho poderiam ser usadas para criar sites descentralizados, em que os conteúdos viriam de vários computadores ao mesmo tempo instalados em casas de várias particulares. Talvez um sistema de créditos semelhante ao Emule desse para evitar que todos estivessem "à mama" e partilhassem a largura de banda para outros utilizadores. Tanto mais que a largura de banda lhes custaria apenas o preço do router sem fios. Isso serviria de incentivo a muitos utilizadores criarem redes por fio de alto débito a ligar aos vizinhos. Repara que se tivermos uma comunidade de 10 pessoas a interligar-se por rede sem pagar a operadores temos uma pequena rede a partilhar recursos de acesso à Internet, mas se forem 1000 ou 1000000 então temos uma importante secção da própria Internet, já que a maior parte do tráfego circulará dentro desta rede. Tal já acontece em redes de grandes organizações. A diferença em relação ao público em geral é apenas essa: ORGANIZAÇÃO. Em minha opinião o acesso caro è Internet e ao telefone não tem de ser verdade para todo o sempre e tenderá a médio prazo para o custo 0. Basta que mudemos de mentalidade. O custo das telecomunicações alto é um prejuízo para a sociedade e para a Economia e deverá tornar-se quase gratuito como o ar que respiramos.
     
    Última edição: 12 de Junho de 2006
  20. int

    int Power Member

    o que é viavel, é ter net gratuita mas não é por parte dos ISPs, mas sim do governo..

    Tipo disponibilizar um número gratuito com net a baixa velocidade:
    Modem 56kpbs, telefonar: 800xxxxxx

    e para minimizar os prejuizos com os operadores que fazem disso negocio, meter 5horas limite/dia

    O que acham?
     
    Última edição: 12 de Junho de 2006

Partilhar esta Página