1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Nvidia is trying to make an x86 chip

Discussão em 'Novidades Hardware PC' iniciada por Nemesis11, 7 de Fevereiro de 2009. (Respostas: 14; Visualizações: 2599)

  1. Nemesis11

    Nemesis11 Power Member

    http://www.theinquirer.net/inquirer/news/874/1050874/nvidia-trying-x86-chip

    Não passa de um rumor, que nem é novo.
    Tudo neste artigo é discutível. Desde o interesse de a nVidia entrar neste mercado, até ao facto de ele terem ou não uma licensa x86 com a compra da ULi.
    Uma coisa é certa, dentro de pouco tempo a nVidia vai ser a unica das 3 empresas (Intel, nVidia e Amd) que não está no mercado de processadores x86.
    Se a Intel procura fazer um Gpu com raízes x86 (Larrabee), talvez a nVidia tente fazer o mesmo, mas ao contrário.

    Talvez esta notícia não valesse a penar criar uma nova thread, mas ontem o CEO da nVidia foi entrevistado no programa do Charlie Rose e a partir dos 16 minutos fala-se bastante da competição entre a Intel a nVidia e entre o Cpu e o Gpu, qual vai ser o mais relevante.

    http://www.charlierose.com/view/interview/10060

    Um pequeno preview. O cpu preferido do Jen-Hsun Huang é o Atom.
     
  2. blastarr

    blastarr Power Member

    Depois de um hiato, o Charlie D e os seus delírios anti-Nvidia estão de volta... :P

    Primeiro foi o rumor (entretanto desmentido pela própria Sony, que o apelidou de melhor obra de ficção desde o "Senhor dos Anéis"...) acerca do Intel "Larrabee" na PS4.

    Agora vem esta pérola de ignorância... :D


    Só porque a empresa recruta engenheiros que em algum ponto das suas vidas profissionais trabalharam em arquitecturas x86, ou foram engenheiros da Intel (ver compra da Stexar pela Nvidia), isso já significa que a Nvidia está a desenhar chips x86 ?
    Será que ele se esqueceu que o próprio fundador e CEO actual da Nvidia foi engenheiro na AMD, e entretanto apenas tem desenhado GPU's e chipsets, que nada têm a ver com x86 ?
    Será que existe um curso ou especialização tipo "engenheiro de x86" ?


    Eu dou alguns exemplos:
    - PA Semi, a empresa que a Apple adquiriu recentemente para que os seus empregados trabalhem em chips ARM (futuros iPhones, etc), dedicava-se outrora a fazer... clones de CPU's PowerPC, completamente diferentes das ARM.

    - Fred Weber, o antigo homem da DEC e da AMD, que desenvolveu duas arquitecturas de CPU's general purpose já de si completamente opostas como o são os Alpha e os Athlon/Athlon 64, lidera agora a MetaRAM, uma empresa que, como o nome indica, se dedica a criar tecnologias relacionadas com chips de memória.

    - O ex-arquitecto da unidade de cálculos de vírgula flutuante dos Opteron/Athlon 64 foi um dos principais contribuintes de patentes e tecnologias da GPU G80 (8800 GTX e todos os derivados que usamos hoje).

    - O próprio David Kirk nem sequer era engenheiro de hardware antes de ir para a Nvidia criar os desenhos das GPU's Geforce, era programador numa produtora de jogos de vídeo...

    - A equipa que está a criar o suposto "colosso" que é o Intel "Larrabee" foi a mesma que criou esse outro "colosso" chamado Pentium 4, e contém ex-engenheiros da quasi-falida 3DLabs, uma empresa que sempre foi conhecida por desenhar arquitecturas x86 "many-core" (not !).
    O Pentium 4 foi tão bom que todas as arquitecturas desde então são derivados do Pentium III, maioritariamente desenvolvidos por uma outra equipa sediada em Israel...



    Aquilo que o Charlie não entende, o que é de difícil compreensão para quem se limita a inventar rumores em tablóides digitais e que possui pouco ou nenhum conhecimento de causa, é que a evolução natural do software é para a abstracção da arquitectura subjacente.
    Coisas como o OpenCL tornam largamente irrelevante o desenho de um chip, desde que o software funcione em cima de uma fina camada de software intermédio que comunique de forma mais directa com o hardware por baixo.
    Outras formas de abstracção são o DirectX HAL, o OpenGL ou o OpenAL, as máquinas virtuais JAVA, a virtualização e a para-virtualização (VMware, o Hypervisor da Microsoft, o Parallels, etc), para citar apenas alguns exemplos.
    É nesse sentido que caminhamos, e não para um mundo "x86 everywhere" como a Intel desejaria.
    Vendem-se muito mais chips ARM do que x86 todos os anos, e a diferença está a aumentar, por exemplo. E a Nvidia já produz chips ARM...
    A performance por watt dos chips ARM é muito superior à dos chips x86. O chip ARM da Nvidia (com a ajuda da equipa da antiga PortalPlayer, desenhadora de chips ARM dos anteriores iPod) é já uma mescla de CPU com GPU.


    É nos ARM e no mercado handheld/smartphone/embedded que a Nvidia está a apostar no futuro, não nos x86.
    Aliás, não me admirava nada que a Nvidia começasse a juntar features de CPU's ARM até às suas GPU's para desktops futuras...
     
    Última edição: 7 de Fevereiro de 2009
  3. DJ_PAPA

    DJ_PAPA Power Member

    Vende mais no mercado dos telemoveis. Netbooks, notebooks, desktop e mesmo servidores é tudo dominado por X86.
     
  4. jjmaia

    jjmaia What is folding?

    Quanto mais marcas melhor, mais concorrência. Que venham eles.
     
  5. blastarr

    blastarr Power Member

    Estou a falar de unidades vendidas em bruto relativamente ao total de CPU's, não de mercados específicos.
    Também podia dizer que a IBM e os PowerPC/POWER dominam nos supercomputadores e estava certo... :rolleyes:

    Neste momento, o único mercado que continua em expansão é aquele onde as arquitecturas ARM e MIPS, e os seus numerosos fabricantes licenciados dominam (onde já não se contam nem a Intel -vendeu a divisão à Marvell-, nem a AMD -vendeu a divisão ARM à Qualcomm e a MIPS à Broadcom-, é curioso...), ao passo que o mercado de PC's estagnou por completo.
     
  6. Nemesis11

    Nemesis11 Power Member

    Já vi o Inquirer errar muitas vezes e acertar em cheio noutras, quando houve desmentidos.
    Não percebo como aquela noticia é anti-nVidia. A meu ver até é pro-nVidia.
    Quanto ao Larrabee na PS4, não sei se é verdade ou não. É uma questão de esperar para ver.

    Verdadeira ou falsa, a notícia fala em que eles estão a formar uma equipa para o mercado x86 e não contratar engenheiros com experiência x86 para outros fins.

    Aqui discordo. Acho que estamos a caminhar para um mundo x86 anywhere.
    Vejo dois problemas para as outras arquitecturas:

    1º Os x86 conseguem entrar em quase todos os segmentos, tanto em super computadores (ver gráficos das arquitecturas usadas nos ultimos 10 anos no Top 500), como agora, em pequenos dispositivos. O Atom pode ser um falhanço neste aspecto, mas percebe-se onde a intel quer chegar.
    Mesmo assim, anda para aí muito equipamento de rede que lá dentro tem um x86.
    Por outro lado as outras arquitecturas não conseguem entrar nos mercados onde o x86 é dominante. Isto é, tornam-se arquitecturas que se ficam por mercados especializados, por muito que vendam actualmente.

    2º Esta guerra Cpu / Gpu faz-me lembrar a guerra CISC / RISC, que teve importância até ao momento em que os processadores x86 "por dentro" passaram a funcionar como os RISC.
    Esta guerra Cpu / Gpu vai ter importância até ao dia em que um deles passe a funcionar como o outro e acho que é esse o objectivo final do Larrabee e é essa visão que levou a Amd comprar a Ati.
    A meu ver a única coisa que a nVidia pode fazer é fazer o processo inverso. Os Gpu podem-se tornar super importantes num sistema, mas precisam sempre de um processador (normalmente x86). O que eles podem fazer é lançar um processador x86 que funcione como um gpu.
    O Cell com o PPE + SPE pode servir de "exemplo" tanto para a Intel como para a nVidia.
     
    Última edição: 7 de Fevereiro de 2009
  7. DJ_PAPA

    DJ_PAPA Power Member

    Isso é um numero irrelevante. Vender chips a 5$ (telemoveis) ou a 500$ (cpus de PC) faz uma grande diferença. Mais que numeros é preciso saber em que mercado esses numeros estão inseridos. Sem contar que o X86 consegue preencher todo o mercados dos supercomputadores aos servidores de empresas, desktops, portateis ou netbook. Outro factor a considerar é que o Arm é licenciado a "n" empresas a concorrer no sector dos chips telemoveis e pequenos dispositivos tornando mais dificil conseguir ter uma posição relevante no mercado. Afinal de contas ja faz 1 ano que a Nvidia lançou um chip Arm com GPU e ainda nao conseguiu fazer nada com ele (+ rapidamente ganhou dinheiro com um ***** para Intel, 9400M). Fala-se em 1 contracto com a htc daqui a meio ano talvez e com a crise o mercado de telemoveis sofreu tanto quanto o dos PC´s.

    Obviamente o X86 não chega a todo o lado actualmente, mas é uma questão de tempo ate chegar cada vez a mais lados e ja toda a gente viu que aos mercados que chega arrasta uma grande popularidade.
     
    Última edição: 7 de Fevereiro de 2009
  8. blastarr

    blastarr Power Member

    Por amor de deus, basta olhar para o tom de ódio/ironia presente no texto (algo que é comum a todas as histórias recentes do Charlie Demerjian, todas elas curiosamente relacionadas com a Nvidia, vai ao site deles conferir...)


    Não, até aí ele se fica pelas suposições:


    Não passa de um monte de suposições coladas à pressa, que só fazem sentido na cabeça de quem não percebe nada disto e tem de vender algum "peixe".
    Quantas e quantas vezes já esteve ele enganado e depois a realidade acabou por ser completamente diferente ? Ainda se lembram disto...?
    Ou disto ?
    O gajo tem de vender sensacionalismo e mentiras, é tudo o que ele sabe fazer.


    Há muito mais (nem sequer é uma competição...) equipamento de rede que tem CPU's PowerPC e ARM do que x86.
    O Linux é o elemento que torna irrelevante essa questão.


    Desculpa, mas quando CPU's ARM11 single-core gastam menos de 200 MiliWatts de energia a fazer decoding de video H.264 em HD e a velocidades abaixo dos 500MHz, ao passo que o x86 mais poupado gasta entre 2 e 11 Watts para fazer o mesmo (mal, porque não evita dropped-frames), então nem sequer há competição, amigo...

    Cada vez se vendem mais smarthphones com ARM11 e os futuros ARM A8 e A9, até os telemóveis descartáveis usam CPU's com arquitectura ARM7 ou ARM9, cada vez existem mais fontes diferentes da mesma arquitectura básica (Texas Instruments, Freescale, Marvell, Qualcomm, Broadcom, Nvidia, Apple, Samsung, etc, etc), tudo isto são sinais de que o x86 está várias ordens de grandeza atrás dos ARM, com tendência para piorar.
    A performance por Watt do Intel Atom é ridícula, as pessoas pensam o contrário porque apenas olham para o TDP em bruto e se esquecem da performance real do chip.


    Pelo menos nos handhelds, não vejo vantagens económicas ou práticas nos x86, pois o seu principal argumento teórico é poder correr o mesmo Windows dos desktops e notebooks, e este nunca será um sistema ideal para dispositivos como os smartphones, os padrões de uso, interfaces, etc, são completamente diferentes.
    Caso contrário, a Apple continuava a usar o mesmo OSX dos Mac's no iPhone (não usa, apesar de a Apple tentar "peneirar" a verdade), a Microsoft usava o Windows 7 em vez do Windows Mobile 6.x, os Android e Symbian S60 competiriam também nos desktops, etc, etc.
     
  9. Nemesis11

    Nemesis11 Power Member

    O não estar a contratar oficialmente quer dizer que os postos não estão publicados no site.
    Verdade ou não, não sei.

    Acabei de comprar uma firewall que tem um freescale PowerQUICC MPC8349E a 533 Mhz, que tem um security engine, etc etc.
    O modelo de topo dessa mesma gama de firewalls tem um Pentium M 1.8 Ghz.
    Linux abstrai, mas nem todos usam Linux e no fim, tudo tem a haver com performance/custo.
    Já há quem fabrique servidores com Atoms (que para minha surpresa, têm boa performance em alguns workloads) e estão a aparecer NAS também com Atom.
    Sim, o Atom não é o sucesso no mercado que a Intel queria, mas é só a primeira tentativa.

    Nunca se deve dizer nunca. À 15 anos quem diria que a maior parte dos supercomputadores corre x86?
    Estas só a falar no presente. No futuro veremos o que vai acontecer.

    E porque é que a ARM, com esse consumo tão baixo a fazer decoding, não entra no mercado de netbooks (estou a falar em grandes quantidades), um mercado completamente x86?
    Acho que é fácil perceber porquê.

    Enquanto x86 come mercado a outras arquitecturas, o contrário raramente acontece.
     
    Última edição: 7 de Fevereiro de 2009
  10. blastarr

    blastarr Power Member

    Há 15 anos não havia netbooks.
    E os netbooks, por definição, servem para usar com a net e conteúdos multimedia ligeiros, num formato mais portátil do que os laptops convencionais.

    Ora, diz-me, o que é que um netbook típico pode fazer e um smartphone já não pode ?

    Browsers universais ? check
    Instant Messaging ? check
    Documentos do MS Office ? check
    Organizador pessoal ? check
    Playback de música e vídeo ? check
    Fotos ? check
    Jogos ? check

    A isto acresce a maior portabilidade do formato, maior autonomia, capacidades de telemóvel com acesso WiFi e 3G, GPS, Bluetooth, etc, num chipset com um footprint extremamente pequeno.


    A Intel já tentou entrar no mercado dos smartphones (com o Nokia Communicator original, usando uma versão modificada do 386), e falhou.
    Já tentou usar a sua capacidade de produção para afastar os outros concorrentes ARM -sobretudo a TI- e falhou (vendeu à Marvell).


    Prova de que o Atom é power-hungry foi a decisão de cortar o suporte para Windows de desktops dos Atom LV para dispositivos handheld, limitando-os a Linux.
     
    Última edição: 7 de Fevereiro de 2009
  11. Nemesis11

    Nemesis11 Power Member

    Pessoalmente tenho um netbook e não tenho um smartphone, mas admito que para a maior parte das pessoas, um smartphone pode substituir um netbook.
    É por essa mesma razão que apareceu o Atom, para no futuro a Intel quer atacar esse mercado.
    Actualmente está muito longe, mas isso não quer dizer que não venha a ter sucesso no futuro.
    A intel também já falhou no mercado das gráficas no passado com o 740. Isso não quer dizer que o Larrabee seja um falhanço, pela simples razão que nada têm a haver um com o outro.

    Não acho que a Intel tenha falhado no mercado ARM. Houve e ainda há muitos produtos bons com processadores ARM da Intel (conheço na área das controladoras).
    Acho que a Intel saiu desse mercado para se concentrar no x86.

    Mas voltando ao tópico.
    A Intel tem uma plataforma. A Amd tem uma plataforma. A nVidia não tem.
    Por exemplo, os chipsets da nVidia só ainda não são irrelevantes, como a Via, porque têm qualidade e porque agarram features (SLI) a eles.
    Mas estão dependentes da Intel e da Amd e estes dois não estão dependentes da nVidia.
     
  12. DJ_PAPA

    DJ_PAPA Power Member

    A vantagem do X86 não ta no hardware. Ta no software. Se um equipamento Arm executasse exactamente os mesmos programas que as pessoas executam no seu PC estas não iriam ligar ao fabricante ou arquitectura do CPU. Os netbooks ganharam popularidade por causa disto + preço baixo, isto é, a possibilidade para 90% das pessoas executarem as suas aplicações num portatil muito barato.
    O X86 nunca foi pensado para telemóveis. Os fabricantes de X86 é que estão a explorar novos mercados porque a tecnologia evoluiu imenso e é a predominante em tudo o que é computador.
     
  13. lohka_86

    lohka_86 Banido

    Realmente, já estava na altura de aderirmos em massa a uma arquitectura livre dos "senhores feudais"...

    O X86 é do milénio passado (:P), e está mais que provado que é bastante ineficiente... Parece a cena de mudarmos do petróleo para energias renováveis, mas é tão incómodo que mais vale andarmos todos presos a algo dispendioso e confortável...
     
  14. A nVidia colocou-se num beco sem saída.
    O futuro dos processadores será CPU+GPU juntos (Fusion e Larrabee).
    A nVidia neste momento só tem o GPU e chipset e um x86 emprestado pela
    VIA.
    Como tudo seria diferente se a AMD tivesse comprado a nVidia e não a ATI.
    A nVidia tinha chipsets excelentes para a arquitectura AMD e o melhor GPU.
    A Intel seria forçada??? a comprar a ATI!

    Mas a Nvidia não quis aceitar a proposta da AMD e esta viu-se forçada a comprar a ATI
    para proseguir a sua estratégia. E melhor concorrer com a Intel a nivel de chipsets e graficos
    integrados.
    Mas esta fusão não correu muito bem ou não correu não depressa como devia, e só agora
    é que se começa a ver alguns frutos dessa fusão. Também as coisas nos CPU não correram
    muito bem para a AMD (andava um pouco distraida e não reparou nos C2D).

    Voltando ao tópico, a Nvidia precisa necessáriamente de um x86. Nem que tenha de começar
    por baixo. Isto é a concorrer no mercado nos NetBook. Penso que será aqui o grande foco inicial.
    A Nvidia tem a plataforma para os Netbook (chipset e graficos) mas falta o essencial para
    poder concorrer com eficácia. Poderá ser por via da VIA, através do Cpu destes.
    Mas este processador terá de ser melhorado.

    Para mim a estratégia da nVida é os netBook, Chipset + Graficos + CPU (cpu da VIA melhorado??)
     
  15. blastarr

    blastarr Power Member

    Continuo a dizer: o futuro é CPU+GPU, mas quem está a fazer esse tipo de chips, e onde eles fazem verdadeiramente sentido, é nos ARM e nos Handhelds.
    A arquitectura ARM foi concebida para ser extensível por terceiros desde o início. A x86 não foi.


    Nvidia Tegra/Tegra II/Tegra III, Qualcomm "SnapDragon", Texas Instruments OMAP 3, todos esses futuros chips têm coisas em comum: cores ARM (ou mesmo multi-cores) de alta performance combinados com capacidades 3D e de audio avançadas, já bastante superiores às de uma Playstation Portable, por exemplo.
    Todos eles correm diversos sistemas operativos, desde o Windows Mobile 6.1 e 6.5/7, ao Google Android, passando pelo líder Symbian S60, Blackberry, iPhone OS, Palm OS, etc.
     
    Última edição: 8 de Fevereiro de 2009

Partilhar esta Página