1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

O valor do trabalho fotografico

Discussão em 'Fotografia e Vídeo' iniciada por edumad, 10 de Junho de 2009. (Respostas: 8; Visualizações: 1530)

  1. edumad

    edumad I fold therefore I AM

    Tenho visto em muitos posts em que se envolvem fotografos profissionais as perspectivas do mercado, as queixas com clientes e competidores, a inundacao de novos fotografos, etc.

    Parece-me ha sectores da fotografia que e paga que estao mais isolados da ameaca da baixa de precos e da inundacao de entusiastas.
    Trabalhos para revistas, casamentos de alta gama e em geral fotografos bem conhecidos com contactos fortes nao vao ser afectados tanto quanto o pessoal do meio/fim da tabela.

    O problema maior parece que se passa/passara nos fotografos que servem directamente o publico e em sectores com producao muit vasta (stock photog.).

    Com mais e mais entusiastas ou simples P&S, a oferta de servicos a baixo preco vai ser enorme. Quem tiver um baptismo/casamento ou evento social vai estar muito tentado a usar os servicos baratos ou de borla dum primo ou conhecido.

    Por outro lado, a vasta maioria destes servicos vai ser de baixa qualidade, e com cada vez mais pessoas com uma P&S, DSLR ou mesmo tlm a produzir imagens, o trabalho de baixa qualidade vai ser ainda mais desvalorizado. Com isto quero dizer que mesmo oferecendo servicos de borla para ganhar experiencia, a competicao e baixo valor atribuido a esse servico vai tornar a actividade mt dificil.

    Aleado a isto ha outro problema, somos bombardeados com imagens constantemente, e cada vez mais produzimos nos as imagens. Fotografia deixou de ser algo especial e passou a ser algo ao alcance de todos. Enquanto ha alguns anos uma foto impressionava mais facilmente, agora tem de ter cada vez mais impacto para ser valorizada.

    Acho que vamos ver um ponto de desvalorizacao seguido por uma reconcilidacao do mercado.

    Como vos parece que o mercado sera? Havera uma queda de amadores a oferecer servicos? Que tipos de classes havera em termos de fotografos, ha quem diga que o pessoal do meio ou sobe ou desaparece....
     
  2. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    Há uns pontos que acho que te faltou abordar, que é a falta de conhecimento e desleixo das pessoas. Vivemos na geração Hi5, em que, desculpem-me a expressão, qualquer ***** serve. Ao longo do meu percurso na fotografia, quer enquanto amador, quer enquanto profissional, já vi imensas vezes pessoas a dispensar qualidade, tanto à borla como a pagar.
    Para dar alguns exemplos reais, no início do mês fiz um trabalho em que o cliente me dispensou. Expliquei-lhe que para ficar realmente bom, precisava tirar mais umas fotos, para conseguir apanhar as pessoas com expressões melhores. A resposta que obtive foi "Não faz mal. Está bom assim.", mesmo não havendo qualquer encargo adicional caso eu tirasse mais fotos.
    Outro exemplo, já foi há uns anos (e creio que até já o tinha contado aqui), foi de umas miúdas que foram pedir para imprimir uma foto de telemóvel na loja de um amigo. Oferecemos-nos para lhes tirar uma foto em condições, dado que aquela, além de estar cheia de ruído, tremida e verde, nem sequer tinha resolução para o tamanho que elas queriam. Isto de forma gratuita, como cortesia, mas nem assim.
    Por fim tenho o exemplo da minha namorada, que namora com um fotógrafo, mas ainda paga 5-7€ por 4 fotos tiradas com uma compacta e flashada na cara, ou naquelas máquinas do Metro/Loja do Cidadão/etc. :rolleyes: Mas pior ainda, consegue afirmar que gosta da foto.

    Outra coisa que temos que ter em conta também, é que estamos a atravessar uma crise mundial. Não há nenhum negócio próspero, muito menos um tão desvalorizado como o da fotografia. As únicas pessoas que ainda conseguem bons lucros, não são tanto os bons profissionais, pois esses normalmente trabalham para quem conhece bem o mercado, mas sim aqueles que se fazem passar por tal, que normalmente dão a cantiga a quem está por fora e acredita que qualquer um com uma bri... SLR é um profissional e dos bons. Alguns criam mesmo esquemas para gerar lucro, através de certas comunidades e associações, publicitando workshops e trabalhos a preço de ouro, que as pessoas pagam porque o que conhecem são esses "universos" e não o mercado propriamente dito.

    Mas voltando aos pontos que abordaste, então e se o amador/entusiasta tirar boas fotos? Não é isso que separa um amador de um profissional. É o grau de responsabilidade e logística, assim como a capacidade de trabalho. Há amadores a tirarem muito boas fotos, mas se fosse um trabalho poderiam não servir, por N razões (dependência de outros, submissão à vontade do cliente, organização e prazos, etc).
    No mercado profissional, mais o mercado high-end, quem paga não está apenas a pagar boas fotos, está a pagar também garantias e o "tempo" de quem já tem provas dadas. Daí também não se virarem facilmente para outros, mesmo que tenham orçamentos mais baixos.

    O pior no meio de toda esta situação é, como dizes, o mercado médio-baixo, em que o iniciante se mistura com o mau, acabando por ficar tudo no mesmo saco. Todos praticam preços baixos, com trabalhos pouco conhecidos e muitas vezes medíocres (uns porque são maus, outros por falta de experiência), isto se já tiverem algum trabalho para mostrar. Não será fácil para um fotógrafo iniciante se destacar dos demais. Ou consegue uma oportunidade e agarra, nem que tenha que praticamente pagar para trabalhar, ou então é mesmo um golpe de sorte conseguir fazer o seu trabalho chegar aos olhos de quem interessa (e estes verem, porque o que não falta é malta todos os dias a bombardear essas pessoas com portfólios e CVs).
     
    Última edição: 10 de Junho de 2009
  3. edumad

    edumad I fold therefore I AM

    Se nao pagas nada ou pagas pouco por um trabalho, tambem nao esperas as mesmas garantias. Portanto parece-me perfeitamente provavel o pessoal tolerar certas falhas.
    E uma questao interessante, sera que o pessoal se vai cansar de trabalhos feitos mais ou menos e voltara a queres trabalho pro, ou havera mercados que estao perdidos definitivamente?

    Vejo agora profissionais a advogar que todos, mesmo o amador que tenta vender a sua primeira foto exija um bom preco. Por um lado e perfeitamente justo, no caso de uma peca so, nao ha consistencia ou garantias em jogo. Claro que nao e altruismo, e egoismo. Nao querem ver o fundo a desaparecer na gama de precos.
     
  4. Rui Marto

    Rui Marto Power Member

    E quanto é que é pouco? Muitas vezes nem avaliar as pessoas sabem, quanto mais esperar ou deixar de esperar garantias. A tolerância a certas falhas vem do grau de exigência das pessoas, é algo pessoal e intrínseco. Uma pessoa que seja exigente, não vai deixar de o ser só porque pagou menos. Isto porque o fotógrafo (à partida) sabia qual era o trabalho, se deu um orçamento baixo o problema não é do cliente.
    Se formos a analisar, há imensos casos de maus profissionais a cobrar muito mais que bons profissionais. Porquê? Porque uma pessoa que seja bom profissional, seja em que área for, com ética e bom senso, faz orçamentos realistas. Os maus profissionais é que por norma "atiram o barro à parede a ver se pega", porque também sabem que há uma grande probabilidade de só lá irem uma vez. Acabam por não conseguir criar uma carteira de clientes e mais tarde ou mais cedo apercebem-se que estão "queimados" no mercado.
    Por isso é que também é na fotografia de casamento que se apanham os piores casos. Porque são clientes que dê por onde der, só são clientes uma vez.

    Já agora, deixando mais alguns exemplos reais, existem actualmente agências a cobrar 800€ por um book com menos de 20 fotos. E se a pessoa quiser ficar agenciada, tem que fazer o book ali, porque os outros "não prestam". Isto sem qualquer garantia de que venham a receber trabalhos por parte da agência. Isto porque se for preciso nem a agência tem clientes. Os lucros vêm obviamente dos books e como devem imaginar, com uma margem absurdamente grande.
    Mas as pessoas pagam, porque são iludidas no sentido de pensarem que estão a ser fotografadas para uma grande agência, ou por um grande fotógrafo.

    Se um amador deve pedir um bom preço pelas suas fotos? Nim. Eu defendo que fotos nunca devem ser dadas, especialmente casos sejam para uso comercial. Agora o valor a pedir deve ser um tanto ou quanto realista, em ambos os sentidos. Por um lado, se querem especificamente a nossa foto, certamente que há uma razão para isso, porque o que não faltam são bancos de imagens, nem fotógrafos dispostos a tentar recriar essa mesma foto. Por outro lado, não fazendo disto vida, não sendo uma obra com valor artístico reconhecido, ou mesmo parte um trabalho ou colecção com objectivos comerciais (fotografia de autor com objectivo de venda em galerias), não seria de bom senso cobrar tanto como fotografias "encomendadas".

    Uma coisa é certa, os bons profissionais podem não prosperar, até porque não estamos em época para isso, mas por norma têm uma carteira de clientes que não os abandona, porque já estão habituados a um nível e/ou estilo. E há de haver sempre clientes a arriscar em fotógrafos mais baratos, é normal devido às políticas de contenção, mas muitos arrependem-se e voltam atrás. Ou pelo menos os trabalhos maiores continuam a entregar aos fotógrafos em quem confiam.
    Portanto também não acho que, como muitos dizem à boca cheia, sejam os amadores "gratuitos", biscateiros, etc, a estragar o mercado.
     
    Última edição: 11 de Junho de 2009
  5. proenca

    proenca Power Member

    ora bem, questão curiosa.

    primeiro, peço desculpa mas faz-me urticária o termo amador e fotografo profissional.

    ha muito chamado amador que tira fotos muito melhores que milhoes de pseudo-profissionais.

    para mim, e alias, para a generalidade das pessoas, fotografos somos todos. o que difere um fotografo profissional de mim, hoje em dia, é que os fotografos profissionais VIVEM da fotografia, ou seja, o seu rendimento provem dai. mais nada.

    o equipamento tem pevides com a categoria - felizmente tenho hipotese de comprar bom equipamento fotografico e é apenas um hobby meu - no entanto, a 90% de casamentos que vou, para não dizer 99%, qualquer das minhas maquinas é melhor que as maquinas dos fotografos dos casamentos. no entanto, eles são profissionais e eu não. mas somos todos fotografos.

    com isto não quer dizer que sou bom ou alguem é bom fotografo : fotografo é aquele que tira fotografias, não aquele que tira BOAS fotografias. isso é outra musica.

    quanto ao mercado, ha varias vertentes :

    - é veradade que qualquer entusiasta mais entusiasmado como eu costumo dizer, tem acesso a equipamento que tira fotos de topo por ninharias -por cerca de 1000 euros já se compra uma Canon 50D, que já tem resoluções que são aceites por agencias de imagem stock, tem ISO's muito limpos e altos.. enfim... eu lembro-me de ha uns anos atras o minimo dos minimos era uma Canon 1Ds MKI e acima de 320 esquecam... mas hoje em dia muda tudo
    - nem tudo e nem toda a gente ( clientes ) necessita de fotos mais artisticas, trabalhadas ou cuidadas. eu ao ler o post do Rui Marto, ri-me porque sei o que ele escreve : a minha namorada prefere muitas vezes fotos tiradas por ela, flashadas, tortas, mal enquadradas, desfocadas... do que as minhas ( considero-me um fotografo razoavel ) , porque aquelas fotos fazem-lhe lembrar um momento, uma altura, uma situação. e para ela, e para MUITA GENTE que não percebe de fotografia, isso é que conta. mesma coisa com a musica : toda a gente sabe que ha colunas xpto, com um prato yz e em vinil é que se obtem a qualidade maxima, mas por vezes, um mp3 manhoso num ipod chega e sobra.
    - com isto, ha muita gente que por vezes, "bacalhau basta" e qualquer coisa serve
    - outra coisa é que como dizia, hoje me dia ha equipamentos muito bons a preços razoaveis : pessoas com gosto pela fotografia conseguem tirar boas fotos e isso , para muita gente, serve e não vem a justificação de pagar extra
    - ha o problema dos fotografos não terem muita visão e acharem que a concorrencia faz-se exclusivamente pelo preço - se der preço mais baixo que o vizinho é negocio ganho - até hoje estou para conhecer um fotografo de casamentos em Portugal que tenha um estilo. em Inglaterra, ha dezenas de fotografos cada um com o seu estilo próprio : uns tipo reportagem, outros só p/b, outros só isto ou aquilo... e as pessoas escolhem pelo estilo e não exclusivamente pelo preço
    - por exemplo, por acaso vi nos ultimos dias 3 livros de casamentos de amigas da minha namorada que se casaram e tiveram a mostrar-nos as fotos - sinceramente, eu não percebo como é que alguem cobrou dinheiro por aquilo... havia um, pelo menos, que sinceramente... mais valia ter tirado com um telemovel...

    por isso, as coisas estão a mudar como mudaram, ha uns anos, no webdesign : houve ha uns anos programas que facilitaram acesso a muita gente a fazer paginas.. depois ouve putos que aprenderam a fazer paginas, algumas delas até engraçadas... e esta conversa era exactamente a mesma que isto... o que aconteceu ? as empresas inventaram-se.. as empresas de carolice foram à vida... e ha muita gente hoje em dia que faz uma pagina em casa para o restaurante / pequena empresa e isso servem-lhes perfeitamente. quem quer qualidade, paga qualidade.

    assim sendo, acho que a oferta tem de se reinventar e a procura vai mudar tambem : ha gente que provavelmente agora para muita coisa não vai contratar um fotografo profissional e o manel jaquim que tem uma SLR jeitosa e até tira umas fotos de jeito serve perfeitamente.. mas quem procura qualidade, tem qualidade e não se importa de pagar qualidade.

    um exemplo que me deixa orgulhoso : eu sempre fui conhecido como quem tira fotografias giras e tinha uma amiga minha em Inglaterra que sempre adorou as minhas fotos... uma vez fez um evento de caridade e pediu-me para se eu podia, na minha folga, tirar fotos ao evento.. eu aceitei e até fiz um DVD etc etc.. toda a gente adorou e o namorado na altura, director financeiro de um grande banco, disse-me que quando eles se casassem, que eu seria o fotografo deles.. e eu ri-me.
    ha um ano atras, ele casaram-se e ele convidou-me para ir jantar a casa deles e perguntou se eu podia tirar fotos ao casamento deles... eu expliquei que não era fotografo profissional, que em casamentos da sempre jeito ter pelo menos duas pessoas para apanhar angulos diferentes, organizar-se, etc. e ele deu-me 2000 euros para a mão e disse "arranja 3 então e depois eu pago-to a ti o que mereces".

    e isto não eram pessoas que tinham propriamente falta de dinheiro...

    mas gostavam da minha maneira de tirar fotos, de como trato as fotos, de como ficam as coisas.

    e no fim, tirei fotos a preto e branco exclusivamente e duas pessoas tiravam a cores.


    portanto as coisas auto regulam-se, para os dois lados.
     
  6. Almeida100

    Almeida100 What is folding?

    Para sites de stock até compactas dão, desde que se aproveite bem as suas capacidades (ISO base, abertura 1-2 stops abaixo do máximo, etc...).

    Em termos de fotógrafos de casamento discordo. Existem por aí bons profissionais, com estilo próprio e grandes equipamentos. Num casamento que fui no Funchal estava lá o **** ****** (para não dizerem que estou a fazer publicidade), que eu não conhecia de lado nenhum, mas ele lá andava com duas Canon 1Ds Mark III só para não ter de trocar de lente e tinha um gajo ao lado e que não fazia mais do que segurar na outra máquina ou pontualmente num flash.

    Se não me engano paguei 3 euros por cada foto, o mais barato que me lembro de ter pago ultimamente e as fotos estão muito boas. Obviamente tinha as fotos da praxe, mas houve preocupação também em fazer reportagem. Apanharam-me de compacta na mão e tiraram-me uma foto a P&B que gosto muito e acabei por comprar também.

    Nem imagino quanto pagaram os noivos para compensar ao fotógrafo vir do Continente...
     
  7. ewar

    ewar Power Member

    eu tambem acredito que quem é bom prospera sempre. nao só em fotografia. em tudo. em fotografia é diferente porque hoje em dia é uma arte mais acessivel às pessoas. obviamente que isso tem os dois lados da moeda. há mais consumo, há mais produção, o comercio de fotografia torna-se maior e mais barato, mas por outro lado há os ''egos frageis''. com 300€ ja se compra uma ''maquina preta grande que faz tshik''. quem souber estar no seu lugar, faz uso coerente das suas capacidades e do seu material. quem tiver esses tais egos frageis tira meia duzia de fotografias e acha-se capaz de estar lado a lado com um profissional. conheço uma pessoa que tem uma D60 e as duas lentes de kit, assume-se e afirma de uma forma convincente que é profissional. sem nunca ter tido um simples workshop para iniciados. conclusão, as fotografias que tira (que muito sinceramente) nao valem NADA, tenta vende-las a 7,5€ cada. que saiba ainda nao vendeu nenhuma, lol, mas é um dos casos que banaliza esta arte. vai abrir uma exposição... juro que vou ver e tirar umas fotos pa postar aqui.
    resumindo, todos que estao aqui a discutir isso sabem bem o prazer que dá fotografar. o que se tira disso pode ser alem desse prazer, uma vontade de aprender cada vez mais, com os pés assentes no nosso canto. ou viver à base de comentarios do olhares e deixar a fotografia perder a sua magia.
    como se costuma dizer, cada macaco no seu galho. lol
     
  8. Drackey

    Drackey Power Member

    Bem belo tópico e bastante pertinente.

    Vou começar pelo estilo dos fotografos, na minha zona Leiria ha um grupo "companhia" que o pessoal é todo maluco por as fotos deles, de tal modo que as pessoas se quiserem marcar um casamento num espaço de 1 ano não têm hipotese... no ano passado era preciso ser com mais de um ano de antecedencia devido a procura. Pagam o preço que eles pedem que é talvez um preço normal a nivel geral ou um pouco acima mas ganharam fama e têm procura.
    PS: ate eu tentei ir estagiar para lá mas nunca encontrei os patrões lá...lol

    A nível de as pessoas 90% não ligar a qualidade isso é verdade... o meu pai foi ao egipto e pensa que se tive-se levado a minha maquina tinha tirado grandes fotos...lol Levou a maquina da minha irma Point and Shoot e o balanço de brancos era para flurescente...lol lixou tudo... tive que andar a safar a corrigir o balanco de brancos e o geral.

    Outro bom exemplo, imprimir fotos A3, as pessoas pagam 1,5 euros e acham caro...lol e têm uma impressão a lazer (que muitas pessoas pensam que uma impressão a lazer tem melhor qualidade que a jacto de tinta)...lol
    Depois quando uma pessoa diz que por 10 euros tem-se uma foto A3 com um excelente papel e tinta, só pensam nos 10 euros...lol

    E agora um desabafo... e depois há os pseudo-fotografos que têm uma maquina xpto e pensam que fazem tudo, passando a explicar um rapaz de design a tirar fotos numa D60 em jpg para imprimir em tamanho A1...lol e eu perguntei-lhe porque não tirava em RAW? e ele disse que o jpg já não se usa...lol e que um amigo profissional de lisboa disse que o jpg é que era...lol
    Eu até andei a bater mal da carola...lol ;-P depois inventei esta frase: A ignorancia de uns mata o saber dos outros...
    algo deste genero...lol

    Ps: Só espero que esse rapaz profissional não seja um aqui do forum ;-P
     
  9. strobe

    strobe Moderador
    Staff Member

    E ainda dizem que a qualidade paga-se! :D

    Há uns meses andei a assessorar uma amiga a escolher o fotógrafo para o casamento. Como é uma pessoa exigente, ela fez aquilo que todo consumidor de serviços fotográficos pode fazer: olhou para os porfólios dos "candidatos".

    Nesse aspecto, a fotografia em geral, e a de casamentos em particular, é uma profissão impiedosa para com os medíocres: a não ser que "roube" o trabalho de outros, o desempenho do fotógrafo está completamente a nú no seu portfólio. O timing dos casamentos impossibilita outras formas de fuga (capturas em tempo limitado, muito pouco tempo para post-processamento).

    Fiquei espantado com o facto de haver fotógrafos "fracos" cobrarem mais do que fotógrafos "bons" (tipicamente da capital). E, além do aspecto qualitativo (alguns portfólios eram quase para rir), o produto era mais limitado (alguns só davam um CD com os JPEGs...).

    Como seria de esperar, estes fotógrafos "bons" tinham a agenda quase cheia para mais de um ano. Possivelmente os fotógrafos "fracos" teriam poucos clientes, e por isso tinham de espremer bens os tansos que apanhassem.

    Moral da história:
    - na fotografia só é enganado quem quer
    - há sempre um chico esperto disposto a vender gato por lebre
    - quem é competente nunca fica sem trabalho
    - um bom serviço não tem necessariamente que ser um serviço caro
     

Partilhar esta Página