Orçamento para site

Olá, caros Membros

Eu tenho uma ideia para um negocio, mas como conhecimentos em programação são um muito limitados, venho aqui a este forum, perdi-vos vossa ajuda
Gostaria de saber quanto cutsaria, construir um site do estilo de youtube, com algumas alterações nada de especial. Sendo provavelmente alteração mais significativa,
a cobrança de uma mensalidade para ter acesso ao site (no estilo da netflix).

Cumprimentos
 

Kayvlim

Moderating From /home
Staff
O site é a parte mais barata. Se não tens muitos conhecimentos de programação, não tens noção das dificuldades que é fazer streaming de vídeo.

Aquilo que realmente sai caro, para além da equipa de pessoas que é necessária para fazer esse projecto, é a infraestrutura (servidores, espaço de armazenamento, capacidade da rede e quantidade de tráfego).

Por outro lado, se for um site pequeno com poucos vídeos, podes fazer apenas um site estático, e não estou a ver ninguém a pagar uma mensalidade por isso.
 
-Essa infraestrutura não pode ser alugada? Nos servidores da Amazon ou da Microsoft?

- o site não iria ser estático, iria ser um estilo de um marketplace, ou seja os criadores de conteudo seriam independentes
 

Kayvlim

Moderating From /home
Staff
-Essa infraestrutura não pode ser alugada? Nos servidores da Amazon ou da Microsoft?
Claro que pode. Mas já viste os preços?
A Netflix está quase integralmente assente na AWS. Se estiveres interessado, espreita o tech blog deles.

- o site não iria ser estático, iria ser um estilo de um marketplace, ou seja os criadores de conteudo seriam independentes
Vou colocar de parte a parte mais importante de um site como o YouTube - o efeito de rede, que é o motivo pelo qual o Vimeo e o Dailymotion são apenas notas de rodapé.
Vou colocar também de parte um dos factores mais importantes de um marketplace - a segurança - porque é um tópico inteiro por si só. O Grupo Impresa também estava alojado na AWS, e se tens estado atento às notícias deves estar consciente do reverso da medalha de ter tudo na AWS sem plano B.

Vamos pegar apenas na dificuldade de fazer um site desse género:
- De onde vêm os vídeos? Os users têm autonomia para submeter vídeos?
- Quem pode ver os vídeos? Qualquer pessoa na Internet? Só quem paga? Tencionas cobrar por visualização? Por upload? Por publicidade? Por mês?
- Vais fazer transcode dos vídeos para os armazenar no servidor? Quem paga a computação? Que codecs vais suportar?
- Por outro lado, preferes armazenar os vídeos sem transcode? O que te garante que não te vão enviar um vídeo de 15 segundos mas que ocupa 100 GB? O que te garante que ele é compatível com os teus clientes?
- Em qualquer uma destas situações: Quem paga pelo espaço que os vídeos ocupam, e o tráfego que é consumido quando são visualizados?

Para um site "a sério", isto são perguntas básicas, que não mostram nem um milésimo do trabalho que isto dá.

Se quiseres números, tens a https://calculator.aws/ para a AWS.
Imagina vídeos de 10 minutos a 720p, com um bitrate de 5 Mbps.
5 Mbps * 10*60 segundos = 3000 Mb = 375 MB por vídeo.

Depois fazes as contas, para saber quanto custa armazenar X vídeos e fazer stream Y vezes por mês. Por exemplo, se falarmos em 1000 vídeos desses, ao longo de um mês, custa 8€ por mês para armazenar (S3), mas se forem vistos 100 vídeos todos os dias (375 MB * 100 vídeos/dia * 30 dias = 1.1 TB/mês) custa 100€/mês em tráfego.

Por outro lado, podes fazer vídeos como o TikTok, 15 segundos, mas mantemos os 720p. São apenas 10 MB por vídeo. Mas costumam ser muito mais vídeos (e muito maiores). Já tens tudo o que precisas para fazer as contas.

edit - encontrei este site, que me parece MUITO interessante para ajudar a fazer as contas: https://toolstud.io/video/filesize.php

Para além disto tudo, precisas de contratar alguém que saiba fazer isto - tanto o site como a infraestrutura. E os bons têm tendência para ser contratados ... para o YouTube e o Netflix :)

Portanto, se quiseres fazer um projecto com pés e cabeça, podes começar por definir qual é o caso de uso que estás realmente à espera de ter, e projectar de acordo. Mas se o objectivo for ganhar dinheiro com isso, tenho sérias dúvidas que encontres um modelo de negócio que as pessoas estejam dispostas a pagar.

edit 2 - devia referir uma coisa: estou a falar apenas dos custos operacionais de um site com actividade. Se o site tiver pouca actividade e poucos vídeos, os custos operacionais serão menores (mas a receita também, naturalmente).
No entanto, o preço de contratar pessoas que saibam fazer isso é elevado. E aí sim, o custo inicial para começar um projecto destes é muito alto.
Os custos operacionais de plataformas como o YouTube são tão altos que o preço do desenvolvimento é baixo em comparação. Mas por si só, é muito alto - o salário médio de um programador do YouTube ronda os 150000€/ano.
 
Última edição:
Desde já queria te agradecer pelo teu know-how e disponibilidade tempo para com o meu tópico.

se vires que estou a dizer alguma baridade corrige-me!!!

se estiveres interessado gostaria de te explicar a ideia mais premonorizadamente por mensagem privada.

- dizes que os servidores da AWS são caros, mas há alguma solução melhor, no teu ponto de vista?

-estive a dar uma olhadela por alto no blog da netflix,
- eles realçam permonores de segurança, e dificuldade que teem detetar ameaças tendo conta que
o processo no seu todo é muito automatizado, contudo deseonvolverem uma ferramenta. Percebo essa preocupação na segurança
principalmente pormenores como exemplo que destes de individuo inserir um video de 100gb com apenas 5 min, podendo trazer até virus para a plataforma.
Contudo acho que alguns desses problemas podem vir solucionados no futuro caso a plataforma venha ter sucesso, não de imediato.

- Também dei uma vista de olhos, nos topicos relacionados com migração do data center deles para o AWS, tendo em conta o meu nivel de conhecimentos de informatica ser limitado,
percebo que eles tiveram grandes desafios em mudar os dados, devido aos diferentes paises, informação que podia ou nao ser perdida, informação alterar-se constatemente, ectc, ectc.
Mas uma coisa tem de ser ter conta, eles quando migraram ja eram uma empresa fundada com alguns anos, e ja operavam em diversos países, não sei se tem comparação possivel com projeto de inicio.


-De onde vêm os vídeos? Os users têm autonomia para submeter vídeos?
tal como referi os videos vem de criadores independentes (autodidatas) como em qualquer marketplace, e os users terão independencia para inserir contudo, embora a plataforma será focada numa area em especifico.

-Quem pode ver os vídeos? Qualquer pessoa na Internet? Só quem paga? Tencionas cobrar por visualização? Por upload? Por publicidade? Por mês?
os videos serão vistos por todas as pessoas que paguem, mas é aqui é começa um dos meus problemas, como sabemos o youtube só é hoje o qué devido á grande quantidade de criadores
de conteudo, trazendo assim mais pessoas para plataforma, por si fazendo um efeito bola de neve, mais criadores, mais pessoas a ver, mais visualizações, mais criadores se sentem motivados com
as visualizações, o que traz mais clientes, por ai idiante, facto que já não deve ser nada novo para ti. Problema é que como eu quero cobrar uma mensalidade, as pessoas não vão pagar se ainda não
tem conteudo, então provavelmente terá periodo de experimentação de tipo um ano ou mais até ter conteudo suficiente conseguido assim cobrar aos clientes a mensalidade.
Para mim este é um dos maiores problemas, primeiro eu nunca vi uma plataforma a fazer isto, de passar de uma plataforma gratuita para uma paga, gerando outros problemas, como os clientes da plataforma
irão reagir ao pagar por algo que lhes foi dado de borla inicialmente? E agora o outro lado, os criadores de conteudo, estaram dispostos ficar este tempo sem receber nada?

-Vais fazer transcode dos vídeos para os armazenar no servidor? Quem paga a computação? Que codecs vais suportar?
Pois outro problema!! a computação quem vai pagar sou eu. Os transcodecs pelo que percebi no teu ponto a seguir terem que os ter.E por fim os codec é conceito novo para mim e mesmo que tenha
ido pesquisar o que eles significam, não seria capaz de te dizer qual é que vou usar!!!

-Em qualquer uma destas situações: Quem paga pelo espaço que os vídeos ocupam, e o tráfego que é consumido quando são visualizados?
Tal como referi os custos terão de ser suportados por mim não há outra hipotese...

- em relação á hospedagem!! o meu budget mensal, pago por mim será de uns 400€ por mês, que será retirado do meu ordenado. Tendo em conta que acertaste +- nos videos serão de dez minutos ou mais, em relação qualidade
dos videos deverá ser entre 720p e 1080p, mas não sei se não ocuparão mais memoria. Baseado-me nas tuas contas derá para entre 200 a 400 visualizações por dia.
Se chegar a esse patamar provavelmete terei de começar em pensar levantar ao algum dinheiro de alguma venture capital, familiar ou algo do genero.

-edit 2 e 3
Em relação ao pessoal também me surge algumas duvida. Se o valor for um valor muito alto é totalmente impossivel realizar isto ou senão tenho de fazer isto com alguem que perceba disto, uma vez que
sou apenas um jovem com 24 anos com 15k poupados, não faço milagres. Achas que alguem consegue montar isto sozinho? ou irá ser preciso uma equipa de pessoas?
 

thendless

Power Member
Para mim este é um dos maiores problemas, primeiro eu nunca vi uma plataforma a fazer isto, de passar de uma plataforma gratuita para uma paga, gerando outros problemas, como os clientes da plataforma irão reagir ao pagar por algo que lhes foi dado de borla inicialmente? E agora o outro lado, os criadores de conteudo, estaram dispostos ficar este tempo sem receber nada?
Do ponto de vista do utilizador/criador de conteúdo, terias que apresentar condições excepcionais aos criadores para optarem pelo teu projecto em detrimento do Youtube, Vimeo, Twitch, etc. Ou seja, a plataforma teria que ser inovadora (e não mais uma) e os benefícios extraordinários.

Eu não tenho experiência nesta área, mas creio que de uma forma geral antes demais o que a boa prática recomenda é que tu precisas de desenhar o projecto ou pagar a alguém que te desenhe (teorize) o projecto se não tiveres formação na área. Só a partir desse passo é que podes começar a ponderar a executabilidade da ideia.
 
Do ponto de vista do utilizador/criador de conteúdo, terias que apresentar condições excepcionais aos criadores para optarem pelo teu projecto em detrimento do Youtube, Vimeo, Twitch, etc. Ou seja, a plataforma teria que ser inovadora (e não mais uma) e os benefícios extraordinários.

Eu não tenho experiência nesta área, mas creio que de uma forma geral antes demais o que a boa prática recomenda é que tu precisas de desenhar o projecto ou pagar a alguém que te desenhe (teorize) o projecto se não tiveres formação na área. Só a partir desse passo é que podes começar a ponderar a executabilidade da ideia.
Desde já obrigado pelo teu feedback

-Creio que com esta plataforma os criadores receberão mais dinheiro do que no youtube, vimeo, twitch, daí a mensalidade mas isto só a medio longo prazo, esta é umas razões de achar que projeto tem pernas para andar a longo prazo. Porque a curto prazo, o youtube será melhor, uma vez que podem monetizar videos apartir da publicidade, quase apartir do dia 1.
À que salientar que este projeto tem foco num grupo de especifico, um nicho, nicho esse que já existe (há muito tempo), mas uma vez que não são recompensamos devidamente (na minha opinião) não são incentivados a criar conteúdo.

-em relação ao teu segundo paragrafo: esta ainda é parte dificil para mim, uma vez que é primeira vez que estou fazer isto, como tal vim para este forum, de forma conseguir alguma informação, para perceber se é se quer minimamente executavel...
 

tugafcp

Power Member
Do ponto de vista do utilizador/criador de conteúdo, terias que apresentar condições excepcionais aos criadores para optarem pelo teu projecto em detrimento do Youtube, Vimeo, Twitch, etc. Ou seja, a plataforma teria que ser inovadora (e não mais uma) e os benefícios extraordinários.

Eu não tenho experiência nesta área, mas creio que de uma forma geral antes demais o que a boa prática recomenda é que tu precisas de desenhar o projecto ou pagar a alguém que te desenhe (teorize) o projecto se não tiveres formação na área. Só a partir desse passo é que podes começar a ponderar a executabilidade da ideia.
Do pouco que o user comentou, parece-me que será um site de cursos. Tipo Udemy. Mas posso estar completamente errado.
 

Kayvlim

Moderating From /home
Staff
Viva,

Fui escrevendo este post ao longo do dia, portanto também vou estar a repetir coisas que já foram ditas.

Desde já queria te agradecer pelo teu know-how e disponibilidade tempo para com o meu tópico.
:)

- dizes que os servidores da AWS são caros, mas há alguma solução melhor, no teu ponto de vista?
Tens várias alternativas.

1. Ir para a cloud. Tens de escolher uma cloud. Tens inúmeras alternativas, e os preços e as features variam entre elas. São todas relativamente caras para um projecto pequeno.

2. Ir para servidores dedicados. É a solução mais barata, especialmente para começar. Requer muito mais conhecimentos técnicos, e tendo em conta que os servidores normalmente estão limitados a 100 Mbps ou 1 Gbps, tens de fazer muito bem contas ao tráfego, à quantidade de vídeos, ao load balancing ... enfim, a cloud surgiu para libertar as pessoas deste tipo de complexidade. Tens de fazer tudo.

3. Construir um datacenter físico. Isto é impraticável para ti - para não dizer que é um overkill brutal. Já é suficientemente difícil para uma equipa de profissionais com anos de experiência. E tendo em conta que tens de pagar tudo - espaço, climatização, electricidade, servidores, routers, switches, contratos de rede, seguros, etc etc etc, é impraticável para quase todos os casos.

4. Podes sempre ter um computador velho por baixo da secretária (a bem ver, foi assim que a ZWAME se suportou durante uns anos :P ). Mas basta teres meia dúzia de pessoas a ver vídeos, e ficas com o teu acesso à Internet entupido. E se for mais de meia dúzia, o streaming vai ser super lento para todas. Quem é que gosta de pagar por um serviço lento?

Para começar, a minha sugestão é começares pelo 4, porque o exercício de fazer um projecto destes tem potencial para te ensinar muita coisa. Depois passas para o 2. Se tiveres muito sucesso e começares a ganhar dinheiro, passas para o 1. E se atingires uma escala brutal, passas para o 3. Para teres ideia, o Instagram estava na AWS até ser comprado pelo Facebook, e nessa altura foi movido para os datacenters do Facebook.

-estive a dar uma olhadela por alto no blog da netflix,
- eles realçam permonores de segurança, e dificuldade que teem detetar ameaças tendo conta que
o processo no seu todo é muito automatizado, contudo deseonvolverem uma ferramenta. Percebo essa preocupação na segurança
principalmente pormenores como exemplo que destes de individuo inserir um video de 100gb com apenas 5 min, podendo trazer até virus para a plataforma.
Contudo acho que alguns desses problemas podem vir solucionados no futuro caso a plataforma venha ter sucesso, não de imediato.

- Também dei uma vista de olhos, nos topicos relacionados com migração do data center deles para o AWS, tendo em conta o meu nivel de conhecimentos de informatica ser limitado,
percebo que eles tiveram grandes desafios em mudar os dados, devido aos diferentes paises, informação que podia ou nao ser perdida, informação alterar-se constatemente, ectc, ectc.
Mas uma coisa tem de ser ter conta, eles quando migraram ja eram uma empresa fundada com alguns anos, e ja operavam em diversos países, não sei se tem comparação possivel com projeto de inicio.
Se a plataforma for de acesso público, vai ser abusada. Hoje em dia, isto é inquestionável.

O tech blog da Netflix aborda imensos temas. Tendo em conta que nenhum servidor é imune a ir abaixo - não interessa se é o teu computador por baixo da mesa ou se é uma infraestrutura montada em apenas uma região da AWS - e eles precisam de garantir o serviço mesmo quando isso acontece, espreita este post. Não precisas de saber isto, apenas quero mostrar o tipo de problemas - e o tipo de soluções - que uma plataforma destas traz.

No teu caso, podemos assumir que não faz mal se os servidores forem abaixo por uns minutos (horas?) e depois tens de ir lá tentar perceber o que se passou e resolver. Não precisas de resolver os mesmos problemas que o Netflix.

-De onde vêm os vídeos? Os users têm autonomia para submeter vídeos?
tal como referi os videos vem de criadores independentes (autodidatas) como em qualquer marketplace, e os users terão independencia para inserir contudo, embora a plataforma será focada numa area em especifico.
Essa descrição lembra-me plataformas como a Domestika, o Udemy ou o Pluralsight. O valor destas plataformas não está nos vídeos, está nas aulas, e os vídeos são a forma como as aulas são dadas. Aqui tens potencial para ter compradores - desde que consigas garantir uma qualidade superior à concorrência (que inclui malta a dar aulas grátis no YouTube) - mas entras noutro conjunto de problemas: como é que estás a pensar evitar que façam download dos vídeos e os redistribuam sem autorização?

-Quem pode ver os vídeos? Qualquer pessoa na Internet? Só quem paga? Tencionas cobrar por visualização? Por upload? Por publicidade? Por mês?
os videos serão vistos por todas as pessoas que paguem, mas é aqui é começa um dos meus problemas, como sabemos o youtube só é hoje o qué devido á grande quantidade de criadores
de conteudo, trazendo assim mais pessoas para plataforma, por si fazendo um efeito bola de neve, mais criadores, mais pessoas a ver, mais visualizações, mais criadores se sentem motivados com
as visualizações, o que traz mais clientes, por ai idiante, facto que já não deve ser nada novo para ti.
Isso é o efeito de rede que referi acima.

Problema é que como eu quero cobrar uma mensalidade, as pessoas não vão pagar se ainda não
tem conteudo, então provavelmente terá periodo de experimentação de tipo um ano ou mais até ter conteudo suficiente conseguido assim cobrar aos clientes a mensalidade.
Isso é um modelo muito normal, mas é difícil de conseguir. Pouca gente aceita passar de um modelo gratuito para um modelo pago. O YouTube que o diga.

Para mim este é um dos maiores problemas, primeiro eu nunca vi uma plataforma a fazer isto, de passar de uma plataforma gratuita para uma paga, gerando outros problemas, como os clientes da plataforma
irão reagir ao pagar por algo que lhes foi dado de borla inicialmente? E agora o outro lado, os criadores de conteudo, estaram dispostos ficar este tempo sem receber nada?
Estás a referir todos os problemas do YouTube.
O YouTube começou por ser gratuito para todos (mas também não pagava nada a ninguém).
Agora quer progressivamente passar a ser uma plataforma paga. Começou por colocar publicidade, e agora está a tornar a publicidade agressiva para forçar por exaustão as pessoas a começar a pagar.
Se o YouTube já tem dificuldades em fazer isto, imagina um projecto mais pequeno ;)

-Vais fazer transcode dos vídeos para os armazenar no servidor? Quem paga a computação? Que codecs vais suportar?
Pois outro problema!! a computação quem vai pagar sou eu. Os transcodecs pelo que percebi no teu ponto a seguir terem que os ter.E por fim os codec é conceito novo para mim e mesmo que tenha
ido pesquisar o que eles significam, não seria capaz de te dizer qual é que vou usar!!!
Há várias formas diferentes de representar um vídeo. Os codecs são formas de codificar e descodificar um vídeo (é literalmente esse o significado - coder-decoder).
As vantagens, desvantagens e casos de uso para cada codec são assuntos que escrevem livros e nem eu percebo o suficiente para explicar. O que posso dizer é que, há uns anos, colocar vídeos num browser era uma tarefa difícil - tanto que normalmente era tudo feito em Flash - mas hoje em dia com o HTML5 já existem standards em que te podes apoiar.

Dito isto, os standards definem o que tu podes enviar aos teus clientes. Mas se os teus utilizadores podem submeter vídeos, os codecs dos vídeos que eles usam serão diferentes daqueles que precisas de usar - ou seja, não podes pegar num vídeo que sai de um iPhone ou de uma GoPro e colocá-lo directamente no teu site.

Portanto, precisas de converter o vídeo que sai de um iPhone ou GoPro para o poderes apresentar num site. É isso que é o transcoding - é converter entre codecs. E é um processo computacionalmente intensivo.

-Em qualquer uma destas situações: Quem paga pelo espaço que os vídeos ocupam, e o tráfego que é consumido quando são visualizados?
Tal como referi os custos terão de ser suportados por mim não há outra hipotese...
No início é normal (e num evento de empreendedorismo falaram-me nos três Fs - Family, Friends and other Fools, que são quem te patrocina um projecto no início :P ).

- em relação á hospedagem!! o meu budget mensal, pago por mim será de uns 400€ por mês, que será retirado do meu ordenado. Tendo em conta que acertaste +- nos videos serão de dez minutos ou mais, em relação qualidade
dos videos deverá ser entre 720p e 1080p, mas não sei se não ocuparão mais memoria. Baseado-me nas tuas contas derá para entre 200 a 400 visualizações por dia.
Se chegar a esse patamar provavelmete terei de começar em pensar levantar ao algum dinheiro de alguma venture capital, familiar ou algo do genero.

-edit 2 e 3
Em relação ao pessoal também me surge algumas duvida. Se o valor for um valor muito alto é totalmente impossivel realizar isto ou senão tenho de fazer isto com alguem que perceba disto, uma vez que
sou apenas um jovem com 24 anos com 15k poupados, não faço milagres. Achas que alguem consegue montar isto sozinho? ou irá ser preciso uma equipa de pessoas?
O problema principal que vejo aqui para o teu lado é: o que é que tens para oferecer a alguém que saiba fazer isto sozinho?

O teu projecto é ambicioso, e acho que tens muito a aprender com ele, mas é principalmente se quiseres programar ou administrar sistemas. Pessoas com ideias à procura de programadores há muitas, é importante saber o que é que podes trazer para esse projecto.
 
Do pouco que o user comentou, parece-me que será um site de cursos. Tipo Udemy. Mas posso estar completamente errado.
Ahah, ainda não me descobriste a careca, pá

O problema principal que vejo aqui para o teu lado é: o que é que tens para oferecer a alguém que saiba fazer isto sozinho?

O teu projecto é ambicioso, e acho que tens muito a aprender com ele, mas é principalmente se quiseres programar ou administrar sistemas. Pessoas com ideias à procura de programadores há muitas, é importante saber o que é que podes trazer para esse projecto.
Achei muito importante aquilo que disseste nestes dois paragrafos.

Eu quando acabei a minha licenciatura foi estagiar uma empresa de transportes, e tinha alguma proximidade com diretor financeiro, atenção senhor era otima pessoa, e a certo ponto estavamos discutir sobre startups, nomeadamente a uber, e ele disse-me na altura qualquer coisa do genero " quem me dera ter tido uma ideia dessas? " como quem diz que bastava ideia, que automaticamente tinha uma empresa de sucesso. Eu com pouco tempo de vida que tenho, considero que ideia de negocio é que vale menos, o que realmente vale é capacidade que tu tens em tornar algo em realidade.


-"o que é que tens para oferecer a alguém que saiba fazer isto sozinho?"
pois!! boa pergunta! Para qual ainda não tenho resposta...
 

Kayvlim

Moderating From /home
Staff
Achei muito importante aquilo que disseste nestes dois paragrafos.

Eu quando acabei a minha licenciatura foi estagiar uma empresa de transportes, e tinha alguma proximidade com diretor financeiro, atenção senhor era otima pessoa, e a certo ponto estavamos discutir sobre startups, nomeadamente a uber, e ele disse-me na altura qualquer coisa do genero " quem me dera ter tido uma ideia dessas? " como quem diz que bastava ideia, que automaticamente tinha uma empresa de sucesso. Eu com pouco tempo de vida que tenho, considero que ideia de negocio é que vale menos, o que realmente vale é capacidade que tu tens em tornar algo em realidade.
Ok, vou pegar no exemplo da Uber e "pensar alto" por um pouco. Ressalvo que eu não sou developer, praticamente parei de programar quando entrei para a faculdade, e a minha carreira seguiu um caminho diferente desse.

Eu nunca tinha pensado em chamar um táxi a partir de uma app no telemóvel.
Imagina que a ideia me tinha ocorrido. Será que eu acreditaria que ela daria um bom negócio? Não sei.
Mas vamos assumir que sim, eu tinha a ideia certa na cabeça. Será que eu conseguiria criar a app?
Tendo em conta os meus conhecimentos na altura, é improvável. Mas se eu acreditasse muito na ideia e tivesse ido a fundo investigar, sim, provavelmente teria conseguido fazer uma app que permitia mostrar um mapa com os carros à minha volta e comunicar com eles.

Onde eu sei que teria dificuldades e provavelmente não conseguiria ultrapassar sozinho era nos algoritmos e na economia:
- É preciso fazer o match entre um cliente, um motorista, uma origem, e talvez (mas não necessariamente) um destino.
- É preciso ter como factor de ponderação a pontuação dos motoristas (se bem que no início de um projecto isso também não é importante, e quando o resto estiver feito já dá para pensar nisto).
- É preciso saber construir caminhos num mapa. Hoje em dia há ferramentas que facilitam isso, mas em ~2010 quando tive o meu primeiro Android não havia nada fácil para isso, acho que toda a gente puxava o Google Maps.
- É preciso saber como calcular o preço da viagem. Isto inclui (1) o custo da viagem (tempo + distância), (2) o valor que as pessoas estão dispostas a pagar, (3) o pagamento do motorista, (4) custos operacionais, (5) margem de lucro. E isto deve ser uma versão simplista da coisa.

Para além disto tudo, houve as questões legais e de negócio - onde actuar, onde arranjar autorizações, como conseguir arranjar motoristas, como passar a palavra, como lidar com os problemas, etc.
Sei que naquela altura nem sequer previa o comportamento que os taxistas tiveram. Talvez me ocorresse que iam protestar ou ficar chateados com a concorrência, mas nunca me teria ocorrido a violência que por vezes existiu.

Alguém com experiência em negócios deve conseguir lidar bem com as partes não-técnicas que referi, e sabe como percorrer aquela linha do "pedir desculpa em vez de pedir licença" (como a Uber tanto fez). Eu nunca tive os conhecimentos ou a experiência certa para ser empreendedor. Mas mesmo nas partes técnicas, os meus conhecimentos na altura (e agora) não eram suficientes.

Portanto, se eu tivesse tido a ideia de fazer o Uber, será que tinha conseguido fazê-lo? Provavelmente não. E mesmo que conseguisse, não conseguiria ser mais rápido do que a Uber a chegar ao mercado, que se bem me lembro chegou a Portugal em 2013.

E se tivesse uma equipa a trabalhar comigo? Eu não conhecia muitas pessoas com smartphone, quanto mais que soubessem programar para smartphones. Nem sequer havia muita coisa para programar simultaneamente para Android e iOS (havia o PhoneGap, mas era muito novo, tal como tudo o resto na altura), portanto era preciso saber Java e Objective C (o Swift só surgiu mais tarde) e construir duas apps diferentes. Definitivamente não tinha forma de pagar a ninguém.
Mas se tivesse arranjado um grupo de pessoas com capacidades para fazer esta aplicação e que estivesse disposto a não receber nada durante muito tempo, talvez até tivesse tido algum sucesso. E aí, o meu valor não estava na ideia, estava em fazer a app com eles (ou provavelmente gerir a infraestrutura por trás da app, que é onde tenho mais experiência).

A intenção desta conversa não é dissuadir-te de avançar com o projecto, é tentar mostrar-te alguma realidade. Se queres fazer um projecto destes, começa por aprender a programar, segue um tutorial como este para construir um frontend (ou experimenta o Scrimba, que é brutal e não é demasiado caro), aprende os básicos, e depois de ganhares alguma perspectiva, sabes que tipo de problemas vais enfrentar e que tipo de pessoas precisas de procurar para te ajudar.
 
já me enganaste...

-"Eu nunca tive os conhecimentos ou a experiência certa para ser empreendedor."
Não é isso que tua maneira pensar diz..

-De forma resumida, eu nao sei se tinha ideia, e mesmo se tivesse, tal como tu referes, grandes dificuldades iriam ser presentes durante caminho , para mim as principais, seria falta de programadores em portugal que
sobessem programar para android e ios, principalmente em portugal. E em questôes legais também, coisa não ia ser nada famosa.... Já para não falar velocidade que empresa cresce EUA comparativamente a Portugal.

Se queres fazer um projecto destes, começa por aprender a programar, segue um tutorial como este para construir um frontend (ou experimenta o Scrimba, que é brutal e não é demasiado caro), aprende os básicos, e depois de ganhares alguma perspectiva, sabes que tipo de problemas vais enfrentar e que tipo de pessoas precisas de procurar para te ajudar.
Pois compreendo, já desenvolvi sites basicos estaticos, mas isto é outro nivel completamente diferente, vou ter de arranjar uma solução...
 
Para começar, a minha sugestão é começares pelo 4, porque o exercício de fazer um projecto destes tem potencial para te ensinar muita coisa. Depois passas para o 2. Se tiveres muito sucesso e começares a ganhar dinheiro, passas para o 1. E se atingires uma escala brutal, passas para o 3. Para teres ideia, o Instagram estava na AWS até ser comprado pelo Facebook, e nessa altura foi movido para os datacenters do Facebook.
Em termos deste problema, sou capaz de ter uma solução, tenho servidor, não é top linha, mas mexe-se bem, e tenho 21 tb em discos externos. Sabes de alguma ferramenta que dê para testar quantos pessoas é que podem estar ligadas ao mesmo tempo até ficar todo lento

Essa descrição lembra-me plataformas como a Domestika, o Udemy ou o Pluralsight. O valor destas plataformas não está nos vídeos, está nas aulas, e os vídeos são a forma como as aulas são dadas. Aqui tens potencial para ter compradores - desde que consigas garantir uma qualidade superior à concorrência (que inclui malta a dar aulas grátis no YouTube) - mas entras noutro conjunto de problemas: como é que estás a pensar evitar que façam download dos vídeos e os redistribuam sem autorização?

-O meu projeto anda mais proximo do Pluralsight uma vez que também têm uma anuidade/mensalidade
 

ric7

Power Member
já me enganaste...

-"Eu nunca tive os conhecimentos ou a experiência certa para ser empreendedor."
Não é isso que tua maneira pensar diz..

-De forma resumida, eu nao sei se tinha ideia, e mesmo se tivesse, tal como tu referes, grandes dificuldades iriam ser presentes durante caminho , para mim as principais, seria falta de programadores em portugal que
sobessem programar para android e ios, principalmente em portugal. E em questôes legais também, coisa não ia ser nada famosa.... Já para não falar velocidade que empresa cresce EUA comparativamente a Portugal.


Pois compreendo, já desenvolvi sites basicos estaticos, mas isto é outro nivel completamente diferente, vou ter de arranjar uma solução...
Se achas esse projeto do youtube complicado, ainda tens mesmo muito que aprender. Eu segui esse tutorial, mudei certas coisas que a meu ver tornam mais simples a leitura e navegação no código, acrescentei coisas como adição de posts, edição e remoção, editar o perfil, etc... E ainda estou longe de conseguir fazer algo complexo e de modo a que escale bem, portanto sim precisarias de te rodear de pessoas que realmente percebem, e essas pessoas são caras, já para não falar que já terias muita concorrência logo desde o inicio (que iria o teu site oferecer a mais que um pluralsight? Eu sou daqueles que prefere pagar mais um pouco e ter um produto de qualidade, e não sou de andar a meter o meu dinheiro em sitos sem feedback, portanto também irias que investir bem em marketing).
 
Se achas esse projeto do youtube complicado, ainda tens mesmo muito que aprender. Eu segui esse tutorial, mudei certas coisas que a meu ver tornam mais simples a leitura e navegação no código, acrescentei coisas como adição de posts, edição e remoção, editar o perfil, etc... E ainda estou longe de conseguir fazer algo complexo e de modo a que escale bem, portanto sim precisarias de te rodear de pessoas que realmente percebem, e essas pessoas são caras, já para não falar que já terias muita concorrência logo desde o inicio (que iria o teu site oferecer a mais que um pluralsight? Eu sou daqueles que prefere pagar mais um pouco e ter um produto de qualidade, e não sou de andar a meter o meu dinheiro em sitos sem feedback, portanto também irias que investir bem em marketing).
obrigado pelo teu feedback,

- se vistes todas mensagens do post, neste mometo saberias que eu não sou programador de forma nehuma

- talvez eu tenha me expressado mal, quando digo que projeto é parecido com pluralsight. Quando digo que parecido não é em questão de conteudo, mas sim em termos de monetização do site.
 

ric7

Power Member
obrigado pelo teu feedback,

- se vistes todas mensagens do post, neste mometo saberias que eu não sou programador de forma nehuma

- talvez eu tenha me expressado mal, quando digo que projeto é parecido com pluralsight. Quando digo que parecido não é em questão de conteudo, mas sim em termos de monetização do site.

Pensei que também irias participar no desenvolvimento, mas se assim é, terias que pagar aos programadores (que se forem competentes não fica barato), alojamento e não terias lucro logo no inicio, se calhar até demorarias até ter um fluxo de dinheiro a entrar.

E outra coisa, dava jeito teres algum tipo de conhecimento de programação, porque estarias a depender de pessoas que não conheces para levar o projeto para frente, que podem não ter em conta boas práticas, num mercado muito volátil a mudanças.

Mas boa sorte com o projeto se for para a frente.
 

Kayvlim

Moderating From /home
Staff
já me enganaste...

-"Eu nunca tive os conhecimentos ou a experiência certa para ser empreendedor."
Não é isso que tua maneira pensar diz..
Refiro-me ao padrão que vejo na malta mais empreendedora, de ignorar os obstáculos e tentar fazer tudo na mesma com a esperança de poder "ir resolvendo os problemas um a um quando surgirem" e ver se dá resultado.
Eu não tenho este tipo de atitude. E a verdade é que às vezes até funciona mesmo.

-De forma resumida, eu nao sei se tinha ideia, e mesmo se tivesse, tal como tu referes, grandes dificuldades iriam ser presentes durante caminho , para mim as principais, seria falta de programadores em portugal que
sobessem programar para android e ios, principalmente em portugal.
O desafio não é a falta de programadores - existem muitos - é o que te custa contratá-los. É por isso que normalmente as startups têm tendência para ir buscar estudantes ou recém-licenciados.

Pois compreendo, já desenvolvi sites basicos estaticos, mas isto é outro nivel completamente diferente, vou ter de arranjar uma solução...
Sim, isto é um site com "peças móveis" (ainda que no final o frontend seja um site estático). O vídeo explica bem muitos passos, mas não é fácil, não.

Em termos deste problema, sou capaz de ter uma solução, tenho servidor, não é top linha, mas mexe-se bem, e tenho 21 tb em discos externos. Sabes de alguma ferramenta que dê para testar quantos pessoas é que podem estar ligadas ao mesmo tempo até ficar todo lento
Sim, precisas de um profissional. O que procuras depende do workload do teu site, não depende das tecnologias.
Por outras palavras:
- se o servidor apenas serve para autenticação, podes ter milhares (ou até mesmo milhões) de pessoas ao mesmo tempo.
- se o servidor apenas servir o frontend, podes ter centenas ou milhares de pessoas ao mesmo tempo.

Agora, se o servidor servir para fazer streaming?

- se os vídeos já foram transcoded, estás limitado pela rede ou pelo(s) disco(s)
- se os vídeos ainda não foram transcoded, estás limitado pelo CPU, mas fazer transcode para cada cliente é um desperdício tão grande de recursos que nem vou considerar isto.

Se os vídeos já foram transcoded:
- se toda a gente está a ver o mesmo vídeo ao mesmo tempo, podes beneficiar da cache do sistema operativo e estás limitado apenas pela rede: se os vídeos são de 5 Mbps, nunca terás mais de 20 pessoas numa rede de 100 Mbps, nem 200 pessoas numa rede de 1 Gbps a não ser que entres por outras vias tipo clientes a transferir o vídeo entre eles (P2P) via WebRTC, e aí tens uma pilha de problemas diferentes para resolver.

Se as pessoas estão a ver vídeos diferentes:
- se tens discos rotacionais, é possível ficar tudo lento com apenas 3 ou 4 pessoas. Depende muito da tua estratégia para usar vários discos: RAID? ZFS? Tanto podes ficar com a soma das velocidades dos discos todos, como podes ficar limitado à velocidade do disco mais lento. Depende completamente de como fizeres as coisas (e dos tradeoffs entre espaço/velocidade/resiliência que te vão surgir).
- se tens SSDs, depende da performance dos SSDs que escolheres, mas deve dar para mais que isso
- podes sempre comprar montes de RAM e tentar optimizar o que deixas em cache usando ferramentas apropriadas para isso (sem certezas, mas talvez algo como Redis ou Varnish).

Ortogonalmente a esta discussão, tens o problema dos backups. Se um dos discos for à vida, perdeste tudo? Perdeste apenas uma parte? Fazes cópias de segurança? Ou os teus utilizadores podem vir a perder algo pelo qual pagaram porque perdeste um disco?

E se os utilizadores submetem os seus próprios vídeos, se apenas tens um servidor ele vai ficar lento a servir vídeos enquanto está a receber um vídeo e a fazer transcode dele. Provavelmente queres servidores dedicados a receber vídeos e servidores dedicados a fazer stream de vídeos. Esta é a abordagem do YouTube - primeiro envias os vídeos e eles ficam lá "parados" à espera, depois quando chega a tua vez os servidores deles "processam" o vídeo (i.e. fazem transcode para um formato adequado) e só depois ficam disponíveis para visualização.

Tudo isto são problemas difíceis de resolver numa infraestrutura própria. E a maioria dos problemas - principalmente os de performance - são muito facilitados se fores para a cloud.

Portanto, a ideia de teres um servidor para trabalhar serve numa fase de prototipagem. Não serve em produção, a não ser numa fase muito inicial. E isto só se aplica porque estamos a falar de vídeo - se o teu projecto fosse menos ambicioso (por exemplo, alojar imagens ou texto), um servidor dava para muito mais.

-O meu projeto anda mais proximo do Pluralsight uma vez que também têm uma anuidade/mensalidade
- talvez eu tenha me expressado mal, quando digo que projeto é parecido com pluralsight. Quando digo que parecido não é em questão de conteudo, mas sim em termos de monetização do site.
Acho que ninguém está a falar sobre como monetizar o site - isso é tão difícil que normalmente as coisas são oferecidas primeiro e só depois de existirem utilizadores activos é que passam a ser pagas.
Estamos a falar sobre "o que é que o site tem de especial que me faça querer usá-lo, e talvez considerar pagar por ele?". É que até podes ter um projecto completamente gratuito e nem assim as pessoas se interessam por ele, quanto mais a pagar.

Eu, pessoalmente, tenho um projecto em mente que gostava de conseguir fazer, e não é muito mais complexo que armazenar imagens. O meu problema é que o frontend é relativamente complexo, e eu não vou arranjar ninguém para fazer isto por mim à borla. Portanto, também tenho andado a obrigar-me a explorar tutoriais de MERN (MongoDB, Express.js, React.js e Node.js) para ver se consigo prototipar a minha ideia. Qualquer monetização que fizer será ou tipo Dropbox (X GB grátis e depois paga-se por escalões), ou tipo AWS (pagar por cada GB), mas numa fase inicial não há monetização nenhuma, se tiver utilizadores já vou com sorte.
 
Última edição:
O desafio não é a falta de programadores - existem muitos - é o que te custa contratá-los. É por isso que normalmente as startups têm tendência para ir buscar estudantes ou recém-licenciados.
Estava referir se estivesse2010 e não hoje tal como referiste no teu post original...


Sim, precisas de um profissional. O que procuras depende do workload do teu site, não depende das tecnologias.
Por outras palavras:
- se o servidor apenas serve para autenticação, podes ter milhares (ou até mesmo milhões) de pessoas ao mesmo tempo.
- se o servidor apenas servir o frontend, podes ter centenas ou milhares de pessoas ao mesmo tempo.

Agora, se o servidor servir para fazer streaming?

- se os vídeos já foram transcoded, estás limitado pela rede ou pelo(s) disco(s)
- se os vídeos ainda não foram transcoded, estás limitado pelo CPU, mas fazer transcode para cada cliente é um desperdício tão grande de recursos que nem vou considerar isto.

eu estava referir a alojar tudo, mas ja percebi pelas tuas palavras que apenas o vou poder utilizar para uma fase muito inicial. Mas surge outro problema? se realmente vale pena estar gastar para por tudo servidor quando depois vais ter de mudar tudo outra vez?


Se os vídeos já foram transcoded:
- se toda a gente está a ver o mesmo vídeo ao mesmo tempo, podes beneficiar da cache do sistema operativo e estás limitado apenas pela rede: se os vídeos são de 5 Mbps, nunca terás mais de 20 pessoas numa rede de 100 Mbps, nem 200 pessoas numa rede de 1 Gbps a não ser que entres por outras vias tipo clientes a transferir o vídeo entre eles (P2P) via WebRTC, e aí tens uma pilha de problemas diferentes para resolver.
ok, pois neste momento só tenho 100Mbs de velocidade. É bom saber esta informação...


Se as pessoas estão a ver vídeos diferentes:
- se tens discos rotacionais, é possível ficar tudo lento com apenas 3 ou 4 pessoas. Depende muito da tua estratégia para usar vários discos: RAID? ZFS? Tanto podes ficar com a soma das velocidades dos discos todos, como podes ficar limitado à velocidade do disco mais lento. Depende completamente de como fizeres as coisas (e dos tradeoffs entre espaço/velocidade/resiliência que te vão surgir).
- se tens SSDs, depende da performance dos SSDs que escolheres, mas deve dar para mais que isso
- podes sempre comprar montes de RAM e tentar optimizar o que deixas em cache usando ferramentas apropriadas para isso (sem certezas, mas talvez algo como Redis ou Varnish).

-os discos que me estava referir são retacionais são uns hdd sata, e depois tenho nvme 1tb, tenho 500gb discos sas com raid daqueles que se um for baixo não perco tudo ( tem backup, cada disco faz backup automaticamente para outro) não sei agora qual numero da raid.

- Investimento emram acho que fica dispendioso mas o que não lhe falta são slots ( só analisado)


Ortogonalmente a esta discussão, tens o problema dos backups. Se um dos discos for à vida, perdeste tudo? Perdeste apenas uma parte? Fazes cópias de segurança? Ou os teus utilizadores podem vir a perder algo pelo qual pagaram porque perdeste um disco?
Este ponto para mim é muito importante, backup salva de muitos problemas...


E se os utilizadores submetem os seus próprios vídeos, se apenas tens um servidor ele vai ficar lento a servir vídeos enquanto está a receber um vídeo e a fazer transcode dele. Provavelmente queres servidores dedicados a receber vídeos e servidores dedicados a fazer stream de vídeos. Esta é a abordagem do YouTube - primeiro envias os vídeos e eles ficam lá "parados" à espera, depois quando chega a tua vez os servidores deles "processam" o vídeo (i.e. fazem transcode para um formato adequado) e só depois ficam disponíveis para visualização.
O objetivo é eles fazerem upload... pois la está mais uma vez salientas que servidor em casa provavelmente não é melhor opção, devido aos requisitos do projeto



Tudo isto são problemas difíceis de resolver numa infraestrutura própria. E a maioria dos problemas - principalmente os de performance - são muito facilitados se fores para a cloud.

Portanto, a ideia de teres um servidor para trabalhar serve numa fase de prototipagem. Não serve em produção, a não ser numa fase muito inicial. E isto só se aplica porque estamos a falar de vídeo - se o teu projecto fosse menos ambicioso (por exemplo, alojar imagens ou texto), um servidor dava para muito mais.
Completamente de acordo...


Acho que ninguém está a falar sobre como monetizar o site - isso é tão difícil que normalmente as coisas são oferecidas primeiro e só depois de existirem utilizadores activos é que passam a ser pagas.
Estamos a falar sobre "o que é que o site tem de especial que me faça querer usá-lo, e talvez considerar pagar por ele?". É que até podes ter um projecto completamente gratuito e nem assim as pessoas se interessam por ele, quanto mais a pagar.
termos de monetização: claro!! concordo contigo, até ja tinhamos falado sobre isso

Em relação ao segundo ponto. Como tu já reparaste neste momento isto é projeto demasiado grande para mim, de qualquer das maneiras eu provavelmente vou adicionar aqui um anexo mais tarde ou mais cedo a expor a ideia (um estilo de um Business Plan), e se alguem a quiser a aproveitar ideia tudo bem, se não também não se perde nada!!

Eu, pessoalmente, tenho um projecto em mente que gostava de conseguir fazer, e não é muito mais complexo que armazenar imagens. O meu problema é que o frontend é relativamente complexo, e eu não vou arranjar ninguém para fazer isto por mim à borla. Portanto, também tenho andado a obrigar-me a explorar tutoriais de MERN (MongoDB, Express.js, React.js e Node.js) para ver se consigo prototipar a minha ideia. Qualquer monetização que fizer será ou tipo Dropbox (X GB grátis e depois paga-se por escalões), ou tipo AWS (pagar por cada GB), mas numa fase inicial não há monetização nenhuma, se tiver utilizadores já vou com sorte.

Tal como já referi eu sou mais novo e tenho menos expiriencia que tu, mas se estivesse no teu caso eu tentava procurar alguém para fazer front-end, fizia o resto onde só bom. Por é tal coisa mais vale metade de uma tarte de maça na mão do que uma inteira no ar (eu sei que não é original). Dentro do que posso observar, acho que deves por tua idea o quanto mais cedo possivel no mercado (livro: Lean Startup).
Mas tal como referi isto apenas a minha opinião e vale o que vale..............
 
Topo