Ordem dos engenheiros

Alguém inscrito na ordem dos engenheiros? Eng. informática ou semelhantes.


  • Total voters
    25

dcspinho

Membro
Terminei o mestrado há cerca de 2 anos e gostava de saber opinião sobre a ordem dos engenheiros.
Do que procurei, para engenharia informática não há assim tantas vantagens que compense os 80€ de inscrição + 10€/mês.

Os meus pais estão me a tentar convencer-me, mas... Segundo eles, é bom para formações, convívios e procura de trabalho. Parece-me ser mais um estatuto para dar "orgulho" do que tirar mesmo partido disso.

Opiniões?
 
se algum dos eng.informáticos que conheço está inscrito na ordem é um mistério para mim.
do meu círculo mais próximo nenhum está.
Suponho que alguns projectos possam precisar que pessoas acreditadas os assinem (como acontece com outras profissões) mas deve ser um nicho. (quem conhecer melhor esta realidade que se pronuncie pf, tenho curiosidade sobre isso)


é bom para formações, convívios e procura de trabalho.

O que vou dizer é a minha opinião apenas (e que dou sem conhecer a realidade da OE para eng.informáticos) mas....
não. a não ser que "procura de trabalho" via OE seja algum sinónimo de "arranjar trabalho e/ou tacho via cunha".


Concordo contigo que deve ser mais pelo "estatuto". coloco entre aspas porque não percebo de todo o estatuto que um Eng.Inf. ganha por estar inscrito na OE...

"Ah e tal o que é que fazes?"
"sou programador"
"ah..."
"mas sou Engenheiro inscrito na Ordem"
"oh Sr. Eng., peço imensa desculpa. venha daí comer umas bifanas."
 
Terminei o mestrado há cerca de 2 anos e gostava de saber opinião sobre a ordem dos engenheiros.
Do que procurei, para engenharia informática não há assim tantas vantagens que compense os 80€ de inscrição + 10€/mês.

Os meus pais estão me a tentar convencer-me, mas... Segundo eles, é bom para formações, convívios e procura de trabalho. Parece-me ser mais um estatuto para dar "orgulho" do que tirar mesmo partido disso.

Opiniões?
Se fosse só a questão do dinheiro ainda pensava em inscrever-me mas isso é o menos... Houve uma altura em que não pediam provas de admissão a quem tirasse o curso em escolas acreditadas pela OE mas depois passaram a pedir novamente a toda a gente, indepentemente de ter tirado o curso numa escola acreditada ou não... Suponho que hoje em dia ainda é assim ou já voltou a mudar?
Eu falo por mim, não tenho pachorra para andar a fazer testes para ingressar na ordem.
 
Há profissões reguladas por ordens profissionais. Enfermeiros, Médicos, Advogados, Técnicos Oficiais de Contas, Veterinários e mais algumas.

A Engenharia também é uma profissão regulada. O título de Engenheiro é um título profissional atribuído pela Ordem dos Engenheiros. Para seres Engenheiro tens de pagar. Na realidade portuguesa, diria que para quem trabalhe mesmo na área, os Engenheiros Civis precisam de estar inscritos na Ordem para assinar projectos. Para redes e instalações eléctricas, um electrotécnico também precisa de estar inscrito na ordem para assinar projectos deste tipo, mas visto que eu também tenho um Mestrado em Engenharia Electrotécnica, garanto que estar a fazer projectos de instalações eléctricas ou de iluminação é 0,0001% das hipóteses profissionais existentes.

Conclusão. A não ser que tenhas uma profissão que de facto tenha como requisito estares inscrito na Ordem, mais vale estares quieto porque vais só gastar dinheiro sem qualquer proveito profissional disso.
 
Só deves precisar de estar na Ordem para abertura de empresas / sociedades em alguns países. De resto para o mercado de trabalho diria que não acrescenta nada.
 
Também não conheço ninguém de Engenharia Informática inscrito na ordem. Parece que realmente não traz qualquer vantagem, a não ser a quem se queira candidatar a alguma função em que seja requisito (estado talvez). No entanto, não estando eu inscrito porque na verdade nem frequentei qualquer curso de engenharia, já participei numa formação promovida pela delegação distrital da Ordem dos Engenheiros da minha zona e fiquei com a ideia de que há muitos inscritos que aproveitam estas formações (muitas vezes gratuitas ou com preços simbólicos). A formação foi excelente e fora da ordem teria custado certamente umas boas centenas de euros.

Posto isto, pelo baixo custo, eu faria a inscrição principalmente para poder usufruir dessas formações, do seguro de responsabilidade civil e do apoio/informação jurídica no âmbito profissional que eles também oferecem aos inscritos.

Ah, e claro, se fores vaidoso, é supostamente a única forma legítima de poder adicionar o Eng. ao teu nome :D. Há malta que até no cartão multibanco tem. :) Em teoria, em Portugal, quem estudou engenharia não é engenheiro. Quem trabalha em engenharia não é engenheiro. É engenheiro quem está inscrito na ordem. Na empresa onde trabalho (estrangeira, claro), existe a profissão de "engineer" e as pessoas não vêm isso como algo superior. Parece-me que é equivalente a alguém em Portugal dizer que o fulano X é técnico especialista disto ou daquilo.
 
Na minha forma de ver as coisas, em Portugal deveria ser reconhecido como Engenheiro quem concluiu um Mestrado em Engenharia acreditado pela Ordem dos Engenheiros. O facto da pessoa pagar ou não as quotas à OE não afeta o que já fez na sua vida académica...

Concordo, no entanto, que quem tirou um curso numa instituição não acreditada pela OE, não deva ser reconhecido como Engenheiro. Há por aí muitas instituições (algumas delas até reputadas por incrível que seja) a ministrar supostos cursos de "engenharia" sem Física! A Física é a base da Engenharia, não existe Engenharia sem Física e não existem cursos de Engenharia sem cadeiras de Física Aplicada.

Nem 8 nem 80... nem é Engenheiro quem não fez nenhum curso de Engenharia, nem deixa de ser Engenheiro quem não quer pagar as quotas da OE.
 
Na minha forma de ver as coisas, em Portugal deveria ser reconhecido como Engenheiro quem concluiu um Mestrado em Engenharia acreditado pela Ordem dos Engenheiros. O facto da pessoa pagar ou não as quotas à OE não afeta o que já fez na sua vida académica...

Concordo, no entanto, que quem tirou um curso numa instituição não acreditada pela OE, não deva ser reconhecido como Engenheiro. Há por aí muitas instituições (algumas delas até reputadas por incrível que seja) a ministrar supostos cursos de "engenharia" sem Física! A Física é a base da Engenharia, não existe Engenharia sem Física e não existem cursos de Engenharia sem cadeiras de Física Aplicada.

Nem 8 nem 80... nem é Engenheiro quem não fez nenhum curso de Engenharia, nem deixa de ser Engenheiro quem não quer pagar as quotas da OE.
Porque estás a desprezar quem tirou licenciatura?
 
Porque estás a desprezar quem tirou licenciatura?
Tanto quanto sei, o grau máximo que se pode obter com Licenciatura pós-Bolonha é o de Engenheiro Técnico, corrijam-me se estiver enganado...
Existem duas Ordens, a Ordem dos Engenheiros (OE) e a Ordem dos Engenheiros Técnicos (OET).

A minha Licenciatura é acreditada pela OET e o meu Mestrado é acreditado pela OE. Por isso, a minha Licenciatura confere-me o grau de Engenheiro Técnico e o meu Mestrado confere-me o grau de Engenheiro. Mas nem todas as Licenciaturas são acreditadas pela OET, nem todos os Mestrados são acreditados pela OE.
 
A minha licenciatura pós-bolonha, é acreditada tanto pela OET como pela OE. Estou inscrito na OET pelo simples facto que a OET só me pediu a declaração de conclusão de curso, enquanto a OE pedia o diploma, que eu não tenho porque não me apeteceu largar uns 100€ para obter isso :joker:
 
A minha licenciatura pós-bolonha, é acreditada tanto pela OET como pela OE. Estou inscrito na OET pelo simples facto que a OET só me pediu a declaração de conclusão de curso, enquanto a OE pedia o diploma, que eu não tenho porque não me apeteceu largar uns 100€ para obter isso :joker:
A minha, também. Mas estou como efectivo na OE. Mas cada um sabe de si.
 
Tanto quanto sei, o grau máximo que se pode obter com Licenciatura pós-Bolonha é o de Engenheiro Técnico, corrijam-me se estiver enganado...
Existem duas Ordens, a Ordem dos Engenheiros (OE) e a Ordem dos Engenheiros Técnicos (OET).

A minha Licenciatura é acreditada pela OET e o meu Mestrado é acreditado pela OE. Por isso, a minha Licenciatura confere-me o grau de Engenheiro Técnico e o meu Mestrado confere-me o grau de Engenheiro. Mas nem todas as Licenciaturas são acreditadas pela OET, nem todos os Mestrados são acreditados pela OE.
O que se quis talvez dizer é que pode haver pessoas pré-Bolonha.

Sim, é horrível mas existem.
 
A nível profissional, dependendo se assinas projetos ou não, no final do dia, que interessa é se és competente ou não.
Não interessa se trabalhas mal e estás na OE... assim como não interessa se trabalhas bem e estás na OE... Como disse o nonioblock, vantagens, zero!
A grande questão é, o que é que precisas da OE? respondendo a isto tens a tua resposta.
E no fundo é fácil, trabalhas para o estado (onde podes ter de pedir um parecer da OE (mais custos, mais problemas que não existem))? poderá haver problemas de ética com clientes onde possas ter um desconto no advogado?
Esta é a missão da OE - Informática, que podia ser bem diferete..., mas enfim:
  • Representação institucional da engenharia informática a nível nacional e internacional
  • Representar e defender a profissão perante o Governo e Administração Pública, Instituições, Tribunais, Entidades e particulares. Assim como promover a articulação Saudável entre Ensino Superior, Instituições de Investigação e Inovação e Empresas de Engenharia Informática.
  • Ordenar no âmbito das suas competências a atividade profissional dos seus membros, zelando pela ética e dignidade profissional e pelos seus direitos, assim como exercer o seu poder disciplinar.
  • Garantir a aplicação de um código deontológico atual para a profissão.
  • Promover formação profissional e atualização de conhecimento, assim como a discussão de temas atuais.
  • Promover o progresso da sociedade do conhecimento em Portugal e contribuir para as matérias de interesse público e da profissão.
 
Back
Topo