1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Consulta o Portal de Jogos da ZWAME. Notícias, Artwork, Vídeos, Análises e muito mais.

    Remover anúncio

Organização Mundial de Saúde classifica vício de videojogos como doença mental

Discussão em 'Jogos - Discussão Geral' iniciada por gif, 27 de Dezembro de 2017. (Respostas: 83; Visualizações: 6003)

  1. Mirime

    Mirime Power Member

    Muitos de vocês podem achar que não mas isto é um problema bem real. A larga maioria nem tem noção do comportamento compulsivo e desviante que tem e deixa-se arrastar anos a fio até que acaba por destruir qualquer tipo de vida social. Basta dar uma olhadela nos perfis de alguns amigos vossos que joguem CS (por exemplo), não é nada incomum apanhar pessoas com mais de 2000h de jogo, alguns até têm +3000h.

    Se extrapolar essas horas para um dia de trabalho dá mais de 250 dias, ou seja, praticamente um ano inteiro de trabalho. Será isto um hobby?
     
  2. Zesks

    Zesks Power Member

    Por um lado concordo que um jogo possa ser viciante ao ponto de desorientar e desvirtuar a vida pessoal e social de uma pessoa, independentemente da sua faixa etária, mas também é verdade que viciante pode ser qualquer coisa que estimule o seu consumo e nos ofereça algo em troca, neste caso em concreto, diversão ou escape, mas noutros casos pode ser dinheiro, adrenalina, sensações fora do comum e por aí fora.

    Acho errado, como aconteceu com alguns canais de TV, passarem imagens de jogadores profissionais a jogar em torneios oficiais de larga escala demonstrando que ali estavam vários "viciados" algo que não é de todo verdade. Ali estão, como o nome indica, jogadores profissionais, que fazem daqueles jogos a sua vida, a sua profissão. Como qualquer outra.

    Acho errado estar-se constantemente na comunicação social a misturar vários temas ou a generalizar nas notícias porque uma coisa são problemas realmente graves de pessoas que se deixam levar pelo vicio de jogar seja porque motivo, sem controlo, sem perceber as consequências que isso lhes trará seja social, seja pessoalmente. Outra coisa é querer fazer mostrar que os jogadores profissionais também são viciados querendo meter tudo no mesmo saco.

    E depois dentro deste tema ainda há várias sub-divisões porque uma pessoa viciada no FIFA não terá exatamente o mesmo comportamento que uma pessoa viciada em Poker, quer seja porque o vicio de um não está a arruinar, também, financeiramente essa pessoa enquanto que o outro está. (se bem que com as microtransações já se pode assemelhar mais, mas é sempre diferente)
     
  3. Kuchiki Byakuya

    Kuchiki Byakuya Power Member

    Faz as contas todas... 250 dias de trabalho, mas se jogar à 5 anos são 50 "dias de trabalho", que são o quê, 300 horas anuais? jogar 1h30 por dia dá mais do que essas horas...
     
  4. Mirime

    Mirime Power Member

    Realmente, jogar todos os dias em média 1h30 dá bem mais do que 300 horas anuais, a conta até é bem simples. Mais uma vez eu pergunto, dedicar em média 1h30 da nossa vida, todos os dias, durante um ano inteiro (pressupondo que jogam todos os dias sem excepção, caso contrário essa 1h30/por sessão irá subir significativamente) é um Hobby?

    Se acham que sim e se acham que conseguem definir e delimitar o vosso tempo de jogo dentro de um determinado limite temporal (digamos 1h dia) e se conseguem trocar esse tempo de jogo por compromissos sociais, então, talvez não tenham qualquer problema. Caso contrário, só estão em negação.

    Conheço alguns casos assim, daí estar a tocar neste tema. Infelizmente, nenhum deles reconhece que tem um problema. (e não, as 2000h de jogo não são dispersas em 5 anos!)
     
  5. Zesks

    Zesks Power Member

    Quanto tempo dispendeste a ver TV nos últimos 5 anos? Ou quantos maços de tabaco fumaste? (não sei se fumas, mas é um exemplo que serve para quem fuma) Ou quantas horas passaste a enviar sms's, em chats de redes sociais, a navegar nas redes sociais ou a fazer chamadas? Ou quantas horas passas a fazer jogging? Preocupante é quando começas a deixar de socializar, de sair de casa, a deixar de estudar, a ter más notas, a faltar ao trabalho para jogar.
     
  6. VelhoDoRestelo

    VelhoDoRestelo Power Member

    Um vicio e apenas uma doenca quando se sobrepoe a tudo o resto (vida social, tarefas
    Permite-me discordar... Se formos classificar tudo da mesma forma, entao temos uma sociedade doente mentalmente na sua grande maioria...

    Ate te dou um exemplo! Eu todos os dias, sem excepcao, reservo 30/45min para ler/ver/ouvir as noticas nacionais e internacionais. Faco-o via internet pois e a forma mais rapida e facil que tenho de acesso a essas mesmas noticias (vivo no UK). Vou considerar isso como uma doenca mental (addiction se assim quiseres chamar?!)... Apenas podemos considerar isso se essa accoes contribuem de forma negativa para a vida da pessoa em questao... Gaming (como outra actividade qualquer) pode ate ser bastante saudavel hoje em dia tendo em conta o nivel de stress que a vida de cada um impoe! Sera um escape/forma de libertar esse mesmo stress...
     
  7. Zesks

    Zesks Power Member

    Até pode ser vantajoso a nível do desenvolvimento cognitivo porque estimula o nosso cérebro a fazer determinadas ações e decisões que no dia-a-dia normalmente não temos possibilidade de realizar
     
  8. VelhoDoRestelo

    VelhoDoRestelo Power Member

    E como tudo na vida... Ha que saber moderar as coisas... Nao vejo mal em 1/2h de jogo diario, se o mesmo nao interfere negativamente com a vida normal de cada um... Preocupa-me mais algum que passa a vida nas redes sociais (na escola, no trabalho, em casa, quando esta com os amigos, quando esta com a familia, quando vai ao cinema, etc...) do que aqueles que cumprem um ritual a risca sem prejuizo de outras actividades... Ao menos esta compartimentado!
     
  9. Mirime

    Mirime Power Member

    Concordo e foi exactamente isso que escrevi, se o hobby não tem influência na nossa vida social e não condiciona os nossos relacionamentos e bem estar físico e mental não vejo qualquer mal.

    Mas estamos mais uma vez a centrar a conversa no comportamento normal e o que é identificado na noticia são os comportamentos desviantes. E eles existem, talvez até em números mais elevados do que poderemos pensar.
     
  10. Worst News

    Worst News Power Member

    Yah, o shroud e o summit também devem ter essa doença mental...Eu cá gostava de ter essa doença mental então...
     
  11. Mirime

    Mirime Power Member

    Muitos gostam vocês de ir buscar as vedetas de cada área quando se fala em assuntos deste tipo. Primeiro, esses senhores fazem dinheiro a jogar o que torna o próprio jogo num trabalho. A profissão deles é essa mesmo, como é óbvio, dedicam as horas necessárias a desenvolverem e melhorarem os seus skills no jogo.

    Não é disso que a noticia fala.

    É a mesma coisa quando se fala de bola e vêm com referências ao Ronaldo e Messi, quantos jogadores de futebol existem? E quantos Ronaldos?
     
  12. Zesks

    Zesks Power Member

    Não dúvides que alguns desses jogadores já estejam saturados de gaming em geral e apenas o fazem porque é o rendimento deles. Jogar 1 ou 2 jogos todos os dias, mais de 8h por dia, durante anos deve ser massacrante, eu vejo por mim, que às vezes farto-me de um jogo após um mês e não jogo a quantidade de horas que eles jogam.

    Mas pronto, o income deve ser brutal, isso é verdade...
     
  13. Worst News

    Worst News Power Member

    E achas que para chegarem onde estão, não tiveram que passar ali muita hora?

    Pah yah, mas ja viste o que é 100k por mês? É dinheiro mais que suficiente para alguem fazer isso durante uns 5 anos e ficares podre de rico.

    Mas pronto 95% do pessoal nunca vai ter aqueles viewers. Alias nem eu sei como o pessoal dá tanta donação e paga subscrições a estes gajos. É insane mesmo.
     
  14. Rubenzito

    Rubenzito Power Member

    O problema é que se vai fazer desta noticia de um comportamento desviante, uma generalização.
    Era apenas isso que estava a criticar.
     
  15. lpmacedo

    lpmacedo Power Member


    Para mim não são os jogos que são o problema, são as pessoas que têm problemas. Essas pessoas pelos vistos têm tempo a mais, certamente não trabalham, e dedicam demasiado tempo aos jogos. Mas provamelmente se não fosse os jogos seria outra coisa qualquer. Os comportamentos compulsivos são as pessoas depois manifestam-se de muitas formas. Por exemplo os casinos/jogo on-line etc, obviamente que tentam agarrar as pessoas, e algumas pessoas que nunca tiveram manifestação de comportamentos deste tipo podem ficar agarradas, mas em última análise é a pessoa que tem problemas.

    Aqui no fórum maioritáriamente estamos a falar de pessoas com trabalho/a estudar que dedica uma boa parte do seu tempo livre a jogar, sejam 2 horas por dia como no meu caso (no melhor dos casos) 365*2/8 = 91 dias de trabalho. É muito mas para mim o problema são os 250 dias que tenho que trabalhar :p
    O problema é que mesmo para quem tem isto como um hobby e jogar todas as horas as pessoas, pelo menos algumas, veêm isto como um hobby de criança e por consequência um problema. Se vires todas as noites as 3 novelas que dão de seguida perdes mais tempo e tens menos possibilidades de ser criticado. Passasses 2 horas por dia a ler e ninguém te criticava. Por exemplo, a minha sogra só vê as partes negativas da internet, jogos, etc. Quando digo que passo todos os dias umas 2 horas no computador (consola) ela diz logo : a trabalhar?, e eu: a jogar! :D

    Desde que por causa de um hobby não se abandone as responsabilidades/laços sociais, e não se gaste dinheiro essencial para bens mais importantes não existe qualquer problema. E esta generalização acaba por meter todas as pessoas no mesmo saco.
     
  16. gif

    gif Power Member

    http://pt.ign.com/games/53759/news/portugal-tera-consulta-especializada-em-vicio-com-videojogos

    (...) Em Portugal, as organizações de saúde optaram pela proatividade, sendo que vão ser montadas equipas especializadas em tratar casos graves de dependência com videojogos, especialmente direcionadas a adolescentes. Estas consultas especializadas serão criadas nos Centros de Respostas Integradas em Comportamentos Aditivos e Dependências ('SICAD') espalhados pelo país, acesso a elas será determinado pelos respetivos médicos de família, pediatras e pedopsiquiatras.

    A informação foi avançada por Graça Vilar, a Diretora do SICAD à Antena 1, acrescentando que a medida se deve a "uma tendência crescente para estas situações". (...)
     
  17. orator

    orator Power Member

    Espero que essa Graça Vilar também estude o problema das redes sociais, telenovelas e show's da vida real e afins que muito boa gente tem como rotina ver/utilizar à noite e não passam sem o mesmo.

    Seria no minimo um estudo interessante.
     
  18. lpmacedo

    lpmacedo Power Member

    Pois é o que eu disse antes. Parece que só é problema se jogares vídeo jogos. Perder horas a ver novelas e talk shows já é normal. Não concordo com esta individualização dos vídeo jogos. Tudo que for em exagero e interfira na vida social / obrigações das pessoas é mau, seja jogar, ler, redes sociais. Isto é um problema de certas pessoas não dos vídeo jogos.

    PS
    Aqui dia apareço num grupo para cumprimentar o pessoal. Ainda n me juntei porque não quero correr o risco de voltar ao warframe.
     
  19. gif

    gif Power Member

    Não confundam hobbys/passatempos/rotinas com distúrbios.
     
  20. lpmacedo

    lpmacedo Power Member

    Certo, o problema é que parece existir confusão, quem tem como o hobby vídeo jogos muitas vezes acaba por ser confundido com quem tem distúrbios. E distúrbios existem com variadíssimas coisas e não vejo darem a importância que daí a este em particular.
     

Partilhar esta Página