1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Para onde caminha a programação?

Discussão em 'Programação' iniciada por HecKel, 21 de Maio de 2007. (Respostas: 85; Visualizações: 6705)

  1. HecKel

    HecKel The WORM

    Boas!

    Tenho notado que cada vez mais aparecem novidades na programação destinada ao desenvolvimento web, novas novidades..., novas funcionalidades, mais mariquices..., tudo para agradar ao utilizador final.

    Em contra-partida no que respeita às linguagens mais destinadas à máquina estes melhoramentos não são tão visíveis. É certo que o java tem melhorado bastante, mas é das poucas linguagens mais voltadas à máquina (e mesmo assim temos os applets) que mostram novos updates.

    Que anda a acontecer à programação e aos programadores? O desenvolvimento web é moda ou é tendência? Em que deve investir um jovem programador? Começar logo pelo desenvolvimento web ou ir pelo modo tradicional das linguagens para a máquina?

    Tenho andado bastante curioso com estas questões, cada vez mais vejo pessoal a responder aos iniciantes para aprenderem PHP em vez das alternativas mais tradicionais...

    Existe mesmo esta tendência do desenvolvimento web?

    abraços, HecKel
     
  2. Favas

    Favas Power Member

    Podes querer, hoje em dia é tudo web based, para os lovers do low level, e para aqueles que gostam de ter o controlo da máquina, esta geração é uma chatisse.
    Eu já detesto programar em cima de libs e mais libs, dá aquela sensação que "posso fazer isto porque alguem melhor que eu, já me fez a papinha toda" quanto mais codar para Javas e .Net's..

    Já vi Quake 3 e Unreal a correr em Shockwave, qualquer dia compras-se um jogo e este vem em *.htm, abre com o browser, maximiza-se e ta-se a jogar.

    Não me venham com coisas, para aprender a programar é C e depois sim, C++, ASP&PHP&Java my 4ss.

    Puff! >(
     
  3. Kayvlim

    Kayvlim Undefined Moderator
    Staff Member

    Não sei se interessa :P mas vou contar a "minha história".
    Basicamente, comecei aos 6/7 anos a aprender a programar no velhinho QBasic, que veio com o MS-DOS 6.20.
    Desde aí, passei para o VBDOS, e daí foi um saltinho para o VB4 e agora a minha linguagem preferencial é VB6.
    Neste tempo todo, passei pelo Pascal (e a seguir Delphi), e recentemente tenho aprendido C/C++.

    Até aqui, tenho programado aplicações. No entanto, sempre me disseram para aprender HTML (e aprendi), JavaScript (e aprendi), PHP e SQL (ainda não aprendi) e linguagens Micro$oft, como o ASP(.NET).... e sempre que pergunto "porquê", respondem que "é o futuro".
    Parece-me que é tendência, a de desenvolver para a web. Dizem-me que se ganha mais; não sei, não tenho experiência profissional absolutamente nenhuma. Dizem que a programação de aplicações está a ficar obsoleta, e isto, na minha opinião, é no mínimo ridículo. Afinal, isso quase implica que o mundo informático PÁRE para dar lugar única e exclusivamente ao web development.

    Até o meu tio, que trabalha(va) na Sun Microsystems me disse (e chegou a gravar um CD com tudo, IDEs, tutoriais, ...) para programar para a Internet, e especialmente em linguagens Microsoft. Deu-me tutoriais de ASP e Access. Até de C#. J# e VB.NET (para máquina). Disse-me que "o futuro está aí" (como todos me dizem). E só não comecei a aprender por dois motivos - falta de tempo e paciência - porque quero aprender o máximo possível.

    A minha opinião é a de que os "jovens programadores" estão mais virados para o web development por ser mais fácil programar, por ser mais fácil exibir, por ser BARATO (grátis no caso do PHP) e por render bem, tanto profissionalmente como a nível amador com publicidade no site.
    No entanto, para existirem as linguagens web, têm de assentar sobre algo. Afinal, o compilador do PHP, os browsers, os servidores ... é tudo programado por alguém. E vejo que esta área da programação está a ficar cada vez mais virada para os profissionais, e cada vez menos para os amadores. E toda a minha vida, tenho tido "vozes" a dirigirem-me para a programação web. "Porque é o futuro", "porque é aí que vais ganhar a vida", "porque é a evolução" (???).... só tenho pena de não ter professores de informática com quem pudesse discutir este tema :P

    O que vejo mais, é os programadores caseiros (ou amadores, como preferirem) terem tendência para começar a programar pelo mais simples (como foi o meu caso com o QBasic). Só que hoje em dia, o simples está em HTML, e consequentemente, PHP. "É fácil, é barato e dá milhões (quanto muito)".

    Para terminar, digo que para se começar a programar, devia ser sempre em C++ ou Delphi/VB. E se possível, pelo mais básico, como C, Pascal ou (Q)Basic. É assim que se fica com uma verdadeira ideia do que está por detrás de tudo. Mas o que se quer é facilidade, e é por isso que a programação para a web é tão atractiva.

    Enfim ... foi mais um desabafo do que qualquer outra coisa :x espero ter dito alguma coisa de jeito com este post. É que estou como tu - vejo cada vez mais a programação "tradicional" cair, para dar lugar à programação para a web. E tenho pena que comecem por algo tão high-level, que pode acabar por ser inútil mais tarde, e nem sempre traz grandes bases.

    Anyway, my big 2 cents :x
     
  4. jatbas

    jatbas Power Member

    Quer se queria quer não, com a evolução que se tem registado, existe cada vez uma grande margem de manobra em relação à performance que se consegue obter com um pedaço de código mal optimizado/programado do que à uns anos atrás e, tirando para cenários muito específicos, esta tendência mantém-se. Dantes tinha-se a preocupação de optimizar ao máximo a utilização de memória, agora até se pode perguntar "memória, qué isso carago :P"

    Quanto à web, vai ser e estar a ser uma grande base e acredito que vá abranger muitas áreas da computação, mas nunca todas, pelo menos durante os próximos tempos.

    Eu por exemplo adoro programar em Open Laszlo, para interfaces é do melhor que por ai anda :)
     
    Última edição: 21 de Maio de 2007
  5. S.T.E.E.L.

    S.T.E.E.L. Power Member

    Eu gosto mesmo é de Assembly... :'(
     
  6. HecKel

    HecKel The WORM

    Salvo erro, já existe algures aqui pelo fórum uma discussão análoga, mas com Sistemas Operativos e o Google.

    Parece que tudo o que diz respeito à Computer Science está cada vez mais voltado para o Web Development.

    Aplicações financeiras, uma rede é imprescindível..., sempre foi. Mas cada vez mais se vêm aplicações para o operador trabalhar num browser do que uma aplicaçãozita que necessita de instalação. Vantagem de ser mais rápida, requer menos recursos do computador e cumpre a sua função.

    Quem diz aplicações financeiras, também fala de bancos, comércio, blablabla

    Até nos jogos, já andam a ficar na moda os jogos em browsers, travians, ogames e afins.

    Falando da programação em específico, linguagens. A vantagem que existia nas linguagens mais fixas (aplicações no computador) até há pouco tempo atrás era os objectos, uma fácil organização do código, pouco confuso e bastante mais prático. Pelo que tenho conhecimento, agora o PHP já trabalha com objectos, o PHP está a evoluir de uma simples linguagem serverbased para uma linguagem bastante robusta, quase equiparável a linguagens mais aplicacionais, caso do java.

    O próprio java, C#, plataforma .NET, cada vez se nota mais uma tendência para largar as aplicações no PC e começar a criar aplicações para o browser.

    Isto será uma mais valia? As outras linguagens vão simplesmente deixar de serem usadas, como o latim :D

    Voltando a equiparar com a Google, estamos a aproximarmo-nos cada vez mais de uma nova era da computação em que basta ao cliente ter uma máquina simples com um sistema operativo básico e com fácil acesso à internet?

    Esta última ideia até me agrada..., o que não me agrada mesmo nada é ver que as linguagens que eu tanto adoro estão a perder terreno no mundo dos programadores e das aplicações...

    abraços, HecKel
     
  7. TuxBoss

    TuxBoss Power Member

    Na minha opinião alguém aqui já mencionou um ponto chave da discussão:
    Colocando o ego de parte, a verdade é que as evoluções (ou melhor, as revoluções) no mundo das ciências são e foram feitas ao longo da história por uns quantos génios iluminados. Aquilo que o comum dos mortais faz é aperfeiçoar uma ideia já "descoberta" ou pegar nela e arranjar maneiras óptimas de a usar como ferramenta em processos de criação de objectivos finais.

    Assim sendo, a verdade é que esta mudança é o melhor que pode haver para o desenvolvimento de aplicações. Tirar do programador o fardo de se preocupar com pormenores externos deixando-o somente preocupado com a resolução do problema em si é totalmente positivo.
    Deixar para as mãos de quem sabe as optimizações mais profundas, quase ao nível máquina, é positivo, porque quer se queira, quer não, a maioria dos programadores faz "caca" quando se arma em guru, e acaba por desenvolver aplicações fracamente optimizadas, e muitas vezes com fraco nível em geral.

    Assim, no meu ponto de vista, o que acontece agora é que simplesmente, com a facilidade advinda do aumento das linguagens de muito alto nível, o desenvolvimento de software abriu-se a muito mais pessoas, o que dá a falsa impressão de que há cada vez menos pessoas a desenvolver linguagens de baixo nível, sendo que na realidade sempre foram poucas, e continuam a ser.
     
  8. jatbas

    jatbas Power Member

    TuBoss tás lá :P foi o que quis dizer, ainda a uns anitos andava tudo preocupado com o uso de variáveis, a separar o programa em livrarias por pura necessidade, a falta de memória, e não por mera organização como agora se faz porque os pcs de hoje simplesmente permitem isso e esta tendência cada vez mais se vai evidenciar.

    Se já existe algo programável, que ao longo dos anos tem vindo a ser cada vez mais optimizados por aqueles que realmente sabem o que fazem, muito bem, não existe a necessidade de se andar a inventar a roda, eu para andar de carro não tive de ser eu a construir o mesmo. embora goste muito de saber o porque e o como de quase todas as peças do mesmo.
     
  9. Datwo

    Datwo I'm cool cuz I Fold

    Sim, a programação caminha cada vez mais para as linguagens web-based, mas não é por isso que a programação tradicional vai deixar de existir... Para todos os efeitos, as linguagens tradicionais continuam a ser mais poderosas e eficazes, o que num futuro próximo vai ser algo a ter em conta pois acredito que a programação tem de caminhar para a optimização de código...
     
  10. Preatorian

    Preatorian Power Member

    A tendencia das Interfaces sim está a tender para a web. Mas a programação nao é so isso.

    Vejam os exemplos dos routers. É hardware e vêm com interface web porque é portavel para todos os computadores...

    O mesmo vai acontecer com o resto. Sistemas de gestao e facturaçao... antes era num ambiente desktop e agora é web, mas a base de dados continua a ser a mesma....

    Interfaces web são muito expansíveis (com activeX sao mesmo ilimitadas) correm em todos os pcs (se souberem como o fazer :P) e o utilizador gosta.

    Acho que iremos ainda chegar a outro modelo em que o programador fornece apenas um "mapa" da aplicação, e o utilizador e que sabe se vai ver no browser, em desktop ou no telemovel/pda.

    Alias, acho que a microsoft ja anda nestas bandas com o WPF/E ou la como é..


    AH e para quem disse que aprender a programar, é em C. Isso é parvo. Pode-se aprender em qualquer uma. Alias eu sugiro aprender python, e nao é preciso mais nenhuma para se dominar todas as areas da informática. C está a morrer... Admitam :P
     
    Última edição: 22 de Maio de 2007
  11. El_UnO

    El_UnO 1st Folding then Sex

    C a morrer? Longe disso, mas mesmo muito longe :)

    Queres uma linguagem rápida para aplicações em que a performance é mesmo importante e que seja ao mesmo tempo portável? C. Queres uma linguagem cujo standard se mantém absolutamente sólido desde há muito e cujas funções de biblioteca estão fortemente optimizadas? C :P
     
  12. dark_splinter

    dark_splinter Power Member

    Não concordo em nada contigo, C foi a primeira linguagem que aprendi e sinceramente fico contente por isso, perceber bem como manipular os pointers e entre outras coisas não é coisa que encontras na maior parte dessas linguagens de maior nivel ou mesmo em todas (pelo menos nas que aprendi até agora não existe)...

    Se C está assim tanto a morrer podes-me me dizer porque o linux, windows e muitos outros tem grande parte ou mesmo quase toda em C, e muitos desses compiladores e intrepretadores que usas para programares em outras linguagens são feitos em C como por exemplo o intrepetador de MySQL.........

    E até te digo mais ..... o C anda por estás bandas a mais de 30 anos e até lá já muitos linguagens ficaram na moda e depois acabaram por morrer ....

    Quanto ao resto do topico, sinceramente acho que as linguagens de mais baixo nivel nunca vão morrer, no maximo evoluir um pouco, quanto a linguagens WEB também me dá a ideia que está cada vez mais na moda, mas não acredito que aplicações para desktop acabem por quase desaparecer um dia....
     
  13. raVemjr

    raVemjr I'm cool cuz I Fold

    De facto, toda a gente que perguntei por onde é que devia pegar na programação disse-me C: comecei por Scheme, na faculdade, e percebi a meio. Agora que já aprendi C acho muito melhor, pralem da questão da portabilidade, também dá um bom grau de flexibilidade sem comprometer muito o high-level...
     
  14. Morrighan

    Morrighan Power Member

    Scheme é bom para perceber o básico de métodos de programação, mas não é uma linguagem muito versátil.. Da para fazer umas coisas engraças mas......... É limitada..

    Agora C é consistente, versátil, e acho que bastante intuitiva.
     
  15. S.T.E.E.L.

    S.T.E.E.L. Power Member

    Só por curiosidade, porque é que (os que acham) pensam que o C está a morrer?
     
  16. Rikazzold

    Rikazzold Power Member

    Lol também não acho nada que C esteja a morrer, antes pelo contrario.
    Nisto tudo há uma verdade, ( e agora vou falar sob a minha fraca experiência ) as linguagens direccionadas para Web estão a ganhar muito "terreno" mas mesmo assim, as outras linguagens não deixam de ter o seu mérito. Para quem deseja aprender C++, no meu ver deve ter noções de C primeiro e quem domina relativamente bem C++ acho que já pode dizer que e capaz de fazer um motor de um programa e ter orgulho nisso. E é bem provável que seja melhor que PHP's e outros que tais. Quem quer um bom desempenho geral, não opta por PHP, no meu ver. Posso estar bem enganado mas aqui fica a minha opinião... :-D
    Cump's a todos.

    P.S. -> Pascal e das melhores linguagens para se desenvolver o raciocínio a nível da programação. Depois, optem por uma que vos agrade :)
     
  17. dark_splinter

    dark_splinter Power Member

    Não concordo a tua ultima observação entre C++ e PHP, acho que tem fins diferentes por isso não podem ser comparadas dessa maneira.... utilizo as duas para programar e se for programar uma pagina para WEB quase de certeza que não vou usar C++.... agora também não me meto a fazer aplicações para desktop em PHP .....:-D
     
  18. Preatorian

    Preatorian Power Member

    Fui eu que disse que C estava a morrer. E de facto está (mas muito lentamente). Quanto a linux e Windows, se repararem o codigo novo está a ser feito em C++, o paradigma OOP é bastante forte e a nível gráfico faz muita falta.

    Quando falam em ponteiros e isso, é importante para programação mais 'hardcore' mas por esse sentido tinha mais logica começar por assembly e ir subindo. Agora eu posso saber programar sem tocar sequer em ponteiros e saber o que são. Quantos putos nao fazem scripts em PHP sem saber nada? Eu posso programar um robot sem saber ponteiros... Eu posso programar uma folha do excel sem saber ponteiros. Programar em si é só juntar comandos e isso de forma lógica para realizar uma função.

    Já agora, dark_splinter, há pessoas a fazer aplicaçoes desktop em PHP, mas nao é muito prático porque PHP foi feito para a WEB. Agora por exemplo Python, Perl ou Ruby: se usarem linux ou mac os x, vao ver muitos ficheiros do OS que são perl ou mesmo python. E também são bastante usadas na web. Eu faço aplicações desktop em Python e sites em Python e acho que é uma linguagem poderozissima!

    Hoje em dia o tempo que se demora a executar qualquer coisa conta bastante para as empresas, e é por isso que muitas estão a apostar em linguagens de scripting, que são bastante rápidas.

    Alguns exemplos extremos: Vigilancia por webcam em 7 linhas, Servidor web em 5 linhas, Wiki em 11 linhas... etc.. (nao se esqueçam que python e linguagem identada, por isso nao digam que em C se fazia numa :P)

    C é bom para coisas de baixo nivel, drivers e isso e penso terá sucesso nessa área, mas quanto toca a aplicações generalistas de momento o java é rei. ( Não vou contar com os milhares de POS que ainda funcionam em C ou mesmo pascal em MSDOS ).

    A minha opinião refere-se a programar no geral ( quer seja de informáticos, engenharias ou economia ) e nao programação mais hardcore
     
    Última edição: 23 de Maio de 2007
  19. dark_splinter

    dark_splinter Power Member

    Eu sei a pessoal a usar PHP para aplicações desktop .. também uso PHP ... mas n vou fazer uma aplicação em desktop em PHP sabendo C ou C++.....

    Quanto python, nunca programei (por emquanto :joker:)... mas tudo o que ouvi falar até agora dela resume-se basicamente a "muito poderosa e facilima de aprender"...

    mas acho que para o pessoal aprender a programar não deve começar por uma linguagem onde nem preciso de defenir o tipo de variavel por exemplo....da-me ideia que começar por linguagens demasiado automaticas pode fazer com que a pessoa que está aprender nunca perceba muito bem como se passam as coisas.... e quando digo isto acredito que se um dia que aprender assembly que depois diga "AHH!! por isso é que isto funciona assim... :joker:"

    O que não gosto em linguagens demasiado "automaticas" é as vezes ficarem demasiado limitadas....

    Agora acho que cada uma delas tem sua função :).... também adoro chegar ao PHP por exemplo e poder comparar directamente uma string .... sem ter que usar por exemplo a função strcmp() como em C ....
     
  20. Warrior

    Warrior Power Member

    Longe disso, cada vez mais o que importa é a rapidez com que o código é escrito, pouco importa a sua optimização.
    Basta ver frameworks atrás de frameworks, máquinas virtuais etc, o programa mais simples come-te 30MB de memória. O que importa é que seja rápido a desenvolver, e que dê poucos problemas (isto é relativo).
     

Partilhar esta Página