1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Consulta o Portal de Jogos da ZWAME. Notícias, Artwork, Vídeos, Análises e muito mais.

    Remover anúncio

PSP/PSV Ponto de situação da psp?

Discussão em 'PlayStation' iniciada por slivercord, 14 de Fevereiro de 2009. (Respostas: 15; Visualizações: 1100)

  1. Estou a perguntar isto, porque acabei de ver a lista de jogos para 2009, e nao vejo nada de especial tirando o resistance e o final fantasy...eu nao tenho a minha psp "chipada" mas conheco quem tenha...e pelo que li a venda de jogos da psp tem estado a cair...opinioes?
     
  2. manipulo

    manipulo Banido


    Decerto que essa lista não está muito completa muitos mais jogos interessantes chegaram .

    Assim dessa lista apenas esses 2 te interessam é uma coisa outra é vir a sair novas séries e titulos nesta consola .

    A pirataria pode desencorajar as editoras a investir na psp sim ..
    Penso que o caso tem mais a ver com os ports se temos uma ps2 para quê gastar dinheiro quase no mesmo jogo na psp .

    O bom da psp é o homebrew .. muitas consolas são desfirmadas para esse propósito outras para pirataria .
    Eu próprio tenho uma fat desfirmada onde corro tudo quanto é emuladores .

    E recentemente adquiri uma slim e lite com a placa maldita .. assim que puder será desfirmada tambem .. comprei-a devido a uma feature das novas psp tv out .. acho um espectáculo jogar todos os meus umds no meu lcd .. e imagino quando puder correr o emulador da genesis /gba/n64 .. a propria ds ... a qual tambem possuo uma lite .

    A psp sempre vendeu bem hardware .. no softw tem atingido os seus picos de vendas é como tudo se os jogos forem bons as massas compram e catapultam esses titulos para o top temporáriamente .

    Quanto ao homebrew existem consolas que foram fabricadas apenas em regime aberto .. e essas estão embora num campeonato mais underground a ter boa aceitação e aumento de vendas .

    Penso que se a sony na proxima geração criar a consola portatil deveria apostar na visão das editoras tal como hoje e tambem no homebrew .. numa visão inovadora e perfeitamente possivel.

    O ex que vou dar era excelente .. a consola viria com firmware oficial tal como hoje .. mas permetiria correr homebrew através de licenças vendidas através da store .
    Assim se quisesse correr um determinado programa independentemente de que se tratasse apenas teriamos de comprar uma licensa e associala ao dito .
    Quanto ao preço algo não mais que 1 euro ou menos pois por parte da sony apenas teriam de automatizar um gerador de seriais de cedencia de codigo .

    A sony até certo ponto já usa este sistema nos classics ps/psone/psp

    Uma licensa um programa duas licensas dois programas ..
    Um sistema simples e eficaz a sony ganharia das duas maneiras .

    Não não acabou .. a consola ainda vende bem e continuarão a sair titulos bons quando se der realmente o declinio a sony começará a anunciar a sucessora .
     
  3. Soldier#cs.ns

    Soldier#cs.ns Power Member

    So digo isto: se nao fosse a pirataria, as vendas da PSP nao tinham atingido valores tao altos.

    Mas como nao podemos falar de pirataria neste forum , mais vale fechar o topico.
     
  4. Pure_Water

    Pure_Water Power Member

    mas dps a nivel de jogos provavelmente n vende... n conheço uma unica pessoa que compre jogos para a PSP (em portugal ja se sabe como é)... eu até apoio os custom firmwares mais numa dos emuladores, agora nos jogos, original é original.

    na 360 acontece o mesmo...tudo com as consolas modificadas.
     
  5. The Outsider

    The Outsider Power Member

    Pois, eu conheço 5 pessoas com PSP e nenhuma delas alterou a consola. Acho que pensam como eu, original é original. Eu nunca pirateei uma consola, prefiro ter os jogos a sério, guardar para o futuro e tal.
    Mas é como disseram antes, se a consola não desse para piratear, não venderia o que vende. Agora acho que a consola não está acabada e a SCE deu um passo em frente na luta contra a pirataria na sua consola portátil com a versão 3000 e no entanto continua a vender.
     
  6. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    A PSP tem um conjunto de factores, esse é um deles sim, mas um de muitos.

    Se alguma coisa até metia o próprio comportamento da Sony para com a plataforma à frente nessa questão de "falta de suporte", é que todo o suporte preferencial actual da Sony vai para a PS3 e para a PSP ficamos com... promessas, de um jogo da polyphony digital, um dia/ano destes; jogos outsourced porque a Sony está muito ocupada (exemplo: God of War: Chains of the Olympus, Ratchet and Clank: Size matters), spin-off's de jogos feitos por via de outsource (Daxter, spin-off the Jak and Daxter)... e claro a questão de que mesmo que fossem feitos pelo mesmo estudio o esforço neles é simplesmente várias vezes inferior ao de um jogo para as consolas principais (Killzone: Liberation).

    Com um suporte first/second party destes que obrigação e garantias têm as developers para se comprometerem com a plataforma? Quando a própria Sony porta os ratchet and clank, wipeout, syphon filter, twisted metal da PSP para a PS2 ao mesmo tempo que admitem entre dentes "podemos fazer mais dinheiro na PS2"? Se alguma coisa é surpreendente que coisas como o Crisis Core Final Fantasy 7 tenham permanecido exclusivas, eu se fosse à Square-Enix teria feito como a Sony faz.

    Outra asneira colossal é a politica anti-port da SCEA (que, sendo a América o maior mercado, sobra para nós e influencia de forma directa todas as third party's ocidentais e a sua abordagem. Em resumo: "um jogo optimo como o Breath of Fire III? não queremos é port! O Devil summoner da Saturn? PORT! chumbado, versão Saturn não saiu do Japão? mas vocês não leram as nossas REGRAS? (isto vindo de quem faz ports da PSP para a PS2, irónico no minimo) só aceitamos ports muito expandidas. Ah olhem, lá vem a EA com mais uma port ranhosa do Need For Speed deste ano, façam favor, nós aplaudimos bodegas dessas!" E assim se anda, aos zige zages, a condenar ports de jogos bons, a incentivar o multiplataforma que prejudica a PSP (sendo uma plataforma com menos potencia e mercado) e 30 por uma linha no que toca a tiros nos pés.

    A PSP sempre foi tratada como uma plataforma que para a Sony levou restos e projectos feitos em cima do joelho, isso claro reflete-se. O que veio primeiro, os propectos de falta de suporte do fabricante ou a falta de suporte? não sei, mas não me parece algo que ainda possa mudar da noite para o dia considerando que a PSP mesmo enquanto consola portátil não tem liderança de mercado nem é a mais barata de desenvolver jogos. ainda assim é uma consola que é um sucesso moderado, vende, dá lucro ao fabricante e vai continuar a ter os seus jogos bons ciclicamente.

    Bom, acho que disse tudo o que me vem à cabeça (não tornem esta thread numa discussão de pirataria completa com os defensores da dita cuja, sff; para isso leiam as regras deste forum antes)
     
  7. Soldier#cs.ns

    Soldier#cs.ns Power Member

    So com o post do I_Eat_All, penso que o assunto ficou bem discutido :D
    Penso que podem fechar a thread, n ha necessidade de falar em pirataria.
     
  8. LBFANSTi

    LBFANSTi Power Member

    És mentiroso, eu nao tenho a minha psp modificada, e compro jogos pra ela no ebay :D
     
  9. skybastos

    skybastos Power Member

    Não vejo o problema dos jogos serem outsourced, desde que venham com qualidade por ex. o God of War tá com MetaCritic de 91 e que me recorde não me lembro de o ver nos top's embora tenha chegado a estatudo de platinum... embora nem tudo possa ser atribuido a pirataria ela tem a sua cota parte de culpa.

    Quanto a jogos a sair eu para o proximo mes em teoria até tenho 3 que queria comprar dai que para mim até não tá mal servida claro que tambem para mim a psp nunca é a consola "primária" embora o jogo com mais horas que joguei esta geração deve pertencer ao Monster Hunter Freedom 2 xD
     
  10. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Arrisco-me a ser polémico no que vou dizer (e há uma boa razão para nunca o ter ido dizer à thread dele ^^') mas... Não acho o God of War da PSP um bom exemplo de como um jogo portátil deve ser feito. Sim, é para os lados de um GoW numa consola portátil, que foi o que eles prometeram, mas não tão bom e não tem a mesma ambição, a ambição dele é ser o mais perto possivel de um GoW na PSP, isso e apenas isso, e como tal acaba por saber a oco... E muito mais curto. Mais que uma versão portátil de God of War é uma versão que faz compromissos para tentar ser como os seus congeneres em consolas caseiras mas que em ultima análise falha em sê-lo. (coisa que por exemplo, o Monster Hunter que tu referiste não falha, excepto talvez em trazer o modo online)

    Porque é que falha? porque é uma experiencia menos refinada que em ultima análise prova porque é que a PS2 era uma melhor plataforma para ele... E no entanto foi feito de raiz para a PSP, com o erro de apenas querer recriar aquilo que há partida já estava bem mais afinado noutro sitio. Uma das razões é, sem duvida, ter sido outsourced, outra... é a própria premissa do projecto. Se resulta pior o mesmo genero... porque não variar um bocadinho a formula?

    Sem contar que essa média do metacritic é bem inferior à cotação dos caseiros e já lhe estão a dar o desconto de "oh, é só um jogo de uma consola portátil" gostava de ver se lançassem esse GoW na PS2 e com 4 horas de jogo/como está. Arrisco-me a dizer que mais de 8.0 pelo jogo em questão era muito.

    Então o que é um boa abordagem a um franchise estabalecido na conversão para uma portátil? um dos melhores exemplos de todos que posso dar seria o Zelda: Link's Awakening... de 1993. Anos e anos depois, com a re-edição do jogo para o GB color, podias vir do Ocarina of Time (pós-passagem para 3D) e encontrar ali um jogo feito de raiz numa consola de 8 bits mas que em escala rivalizava e surpreendia, ganhando o direito de ser um Zelda, e arrisco-me a dizer... não inferior ao Ocarina of Time, o que, se alguma coisa, prova que o medium é uma coisa totalmente secundária, quando bem entendido. Os outros Zeldas portáteis continuaram a fazer as coisas de forma diferente dos caseiros, mas esse é sem duvida um exemplo de topo de como as coisas devem ser feitas. Outro exemplo é o Monster Hunter Freedom 2 que já referimos acima, outro é o Dragon Quest IX que aí vem e o facto como os tipos pegaram na série depois da PS2 e foram expandi-lo em todas as direcções possiveis e imaginárias para uma consola bem mais fraca. (online quests/DLC, primeira revisão de classes em muitos anos, sistema de batalha modificado/evoluido quando não era mexido há muitos anos, etc) quando isso acontece numa consola portátil, e quando não é esse a tendencia actual do mercado... Há muita ambição por detrás... Muito mais do que simplesmente tentar recriar a experiencia de um franchise caseiro como o conhecemos numa consola portátil... e enquanto projecto outsourced. Que é um erro que os dois fabricantes já cometeram, atenção, assim exemplos flagrantes... o God of War: Chains of the Olympus numa e o Metroid Prime Hunters noutra. (sim, meto o Metroid Prime bastardo e outsourced na mesma linha do God of War bastardo e outsourced)

    Ponto que pretendo passar... o ponto real de fazer um jogo para uma plataforma portátil não é encolher o outro até caber sofra o que sofrer, não é dar um cheirinho e fazer um jogo mais curto porque "é portátil, só o facto de isto existir já gozam" e 30 por uma linha... O ponto real é fazer algo tão bom, ou com qualidades que o suportem ao face à versão caseira. Não é fazer um jogo inferior ou um jogo que se tem de desculpar por estar no hardware em que está, é fazer exactamente o contrario, um jogo que se pode orgulhar de estar onde está e como está, e há várias formas de fazer isso; embora às vezes seja admitidamente dificil de ver como.

    Também há bons exemplos de adaptações/abordagens da SCE... nomeadamente aquela adaptação algo livre Ape Escape para a PSP... O Ape Quest (RPG) que trás alguma frescura à coisa sem ter de ir de ser comparado em mecanica/controlos ao Ape Escape 3 da PS2... porque se tivesse... coitadinho.
     
  11. skybastos

    skybastos Power Member

    Tu tás a falar de decimas nada mais quem le o teu post até parece que um levou 10/9 e outro 7/6 :P, mas não interessa como já disse o GoW foi só um ex. podia ter escolhido outro qualquer que o resultado é o mesmo fora raras excepções não chega ao top, também posso dizer que o MH tem tanto de portátil como o GoW, jogando sozinho tens missões para durar mais de meia hora ou mais dependendo da arma que tiveres a usar sem poder salvar, nem falo dos últimos "bixitos"...

    O que quero dizer com isto é que a meu ver não interessa a qualidade ou a portabilidade dos jogos, a consola tem mais userbase que a 360/Ps3 juntas é que nem que fosse só pela força da userbase tinha que haver nem digo sempre, mas de vez enquando algum jogo no top... mas ok neste momento os jogos digamos bons na psp são raros, mas por ex. para o próximo mês sai nos states o Monster Hunter 2G e o Phantasy Star Portable e quase que aposto que ambos não chegam ao top20.
     
  12. Arestides

    Arestides Power Member

    espero que se aposte mais na psp nas lojas há muita pouca oferta.
    já agora qu lojas fora das fnac's, *****, etc é que há grande quantidade e qualidade de jogos para a psp?
    cumps
     
  13. I_Eat_All

    I_Eat_All Plasma Beam!

    Sim, mas também expliquei que acho que lhe foi dado o desconto "ah e tal é gow numa portátil... incrivel" assim como muitas vezes quando começa uma geração se dá brutas notas a um jogo só por causa do blim blim gráfico, mas que tenho a convicção de que se o GoWCotO fosse um jogo de PS2 teria notas bem mais baixas, por ser o produto inferior que considero ser, face aos seus congeneres. E de resto acho que as médias do metacritic são de facto o que menos é relevante para a minha opinião nestas coisas, se me vier alguém dizer "mas para mim o GoW da psp é melhor que os da PS2" nem consigo imaginar tal coisa, mas concordarei em discordar. O mesmo com as vendas, o GoW da PSP podia vender mais que as versões caseiras e eu diria na mesma que acho a abordagem errada de fazer um jogo portátil.

    Monster Hunter... considero que o teu ponto não é sem razão... os jogos tipicos de portátil devem ser pick and play e desenhados à volta disso... que o monster hunter não é (e desse ponto de vista poderiamos dizer que um Dragon Quest IX que referi acima como um bom exemplo, era estapafurdio, mesmo que tenha muito mais save points e tenha sido minimamente adaptado); mas considero haver outro lado da moeda, a razão pela qual não avisto mais sucesso para versões caseiras do que portáteis no caso do MH3... E em particular, o caso Japonês. Isto era interessante de discutir nas threads do Monster Hunter da PSP mas aqui vai... O jogo teve a aderencia que teve no Japão por causa do modo ad-hoc; numa consola caseira, ad-hoc é completamente desprezável tanto que os monster hunter de consolas caseiras sempre se viram obrigados a ter um modo online; este modo online na PSP no japão... não faz falta, e fora dele faz porque... ninguém tem o jogo. No japão os tipos jogam Monster Hunter nos metros e transportes publicos; não em casa... é um jogo que se tornou portátil pela comunidade a que se empresta, não pela natureza do gameplay, mas pela natureza cooperativa do mesmo.

    Podemos dizer "ah mas o jogo é melhor com um dual shock", "as caçadas de 30 minutos não é algo que eu me veja a fazer fora de casa", talvez... Mas acho que nem a Capcom sabia o que tinha em mãos quando o meteu na PSP, e esse potencial que estava por descobrir está na portabilidade, não na versão caseira do jogo, IMO. Considero que eles terem metido o Monster Hunter portátil foi um daqueles golpes de génio que puxaram o envelope.
    Sim, mas e porque sucede isso? IMO, começa por serem mercados muito diferentes. Mesmo em generos mainstream vem-me à cabeça que as vendas tipicas de primeiro mês de RPG's na PS2 que não RPG's de renome, como Final Fantasy eram completamente ridiculas, estamos a falar de jogos Tales (que é só a terceira série mais popular no Japão) a sairem e venderem 30 mil unidades... Até o Valkyrie Profile 2 (square-enix, sem ser final fantasy branded) na altura saiu e vendeu 50 mil unidades, ou coisa que lhe valha.

    Não vão chegar ao top 20, certinho; questão é que esses dois também não chegariam se fossem lançados com o hype que têm, na PS3/X360. O mais que a Sega e Capcom podem fazer é... bom marketing e esperar que tenha pernas e ir crescendo as marcas... pouco a pouco; isso e ir tentando fazer um "splash" no mercado (que não acontecerá na PSP fora do Japão)
     
  14. Eu comprei a minha consola psp agora e so tenho a dizer bem, a consola tem um desempenho exelente....nunca pensei que fosse possivel ter graficos de ps2 numa portatil.
    Joguei GOW e fikei espantado, além disso le mp4 que é uma maravilha :D
     
  15. Lucien

    Lucien What is folding?

    Sim, e foi isso que me fez adquirir uma também. Claro que estava contente com a Nintendo DS (sempre foi fã das consolas da Nintendo - mas não fanboy, atenção), mas esta não tem nem o poderio gráfico nem a qualidade de imagem da PSP. É possível ver vídeos através do Moonshell para a DS (homebrew), mas como só da num ecrã...
     
  16. A DS é uma maquinha de jogos, a PSP é um centro multimedia, cada um tem que saber o que mais lhe interessa
     

Partilhar esta Página