1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Portátil enviado para a Asus / Ename - Ajuda

Discussão em 'Dúvidas e Suporte Técnico Portáteis' iniciada por Lemos1990, 3 de Maio de 2012. (Respostas: 9; Visualizações: 2070)

  1. Boas!

    Eu recentemente tive um problema com o meu portátil Asus N53SN, não ligava, nenhuma luz ligava, tentei várias tomadas eléctricas e apenas o carregador (transformador) mostrava a luz verde, o portátil em si nada, sopûs que era a motherboard, como está na garantia, contactei a Asus, combinei tudo com eles e foram buscar a minha casa o portátil pela ChronoPost, mas foi para uma empresa chamada Ename, situada em Viseu que pelos vistos trata de muitos problemas com a marca Asus entre outras.
    Ora até aqui tudo bem, o portátil foi recolhido no dia 27 e eu hoje decidi ligar pra saber o estado do portátil.
    Eu troquei o teclado uns tempos atrás por um chiclet (Asus) compatível com o portátil porque o que veio de origem saltou-lhe umas teclas.

    Disseram-me o seguinte e passo a citar o diálogo o melhor que me lembre:

    "O portátil está à espera de uma peça"
    "Qual peça?"
    "Pela informação que tenho aqui disponível, vai ser substítuido o teclado"
    "Mas o teclado não tem qualquer tipo de problema, eu apenas o substituí porque o original sofreu danos, o que tem problema é a motherboard penso eu"
    "Sim, mas a nossa equipa está a tratar do seu portátil para que fique tudo arranjado, o teclado que o portátil tem agora não está a funcionar"
    "Mas antes de o portátil ter o problema cujo motivo é responsável por eu mandar para aí para arranjo, o teclado funcionava perfeitamente"
    "Para o melhor funcionamento, a nossa equipa está a arranjar o seu portátil todo, todos os problemas que encontre vão ser corrijidos"
    "Ok pronto, então tudo bem" (Não me importo nada que me arranjem enventuais problemas que possa ter)
    ...
    Contiuando eu as perguntas
    "Há mais peças que irão ser substítuidas no portátil sem ser o problema que reportei para vocês?"
    "Peço desculpa, mas não tenho essa informação disponível de momento"
    "Então é possível saber uma previsão para a data de entrega do portátil?"
    "Não, peço desculpa, mas o portátil como disse está à espera de uma peça e não temos previsão para quando o portátil pode estar pronto"
    "Ok obrigado"

    Como disse, eu pus-lhe um teclado chiclet da Asus compatível com o portátil, desloquei-me à loja onde comprei o portátil e eles disseram-me que podia fazer isso sem problema sem afectar a garantia e que podia ser um teclado à minha escolha e gosto desde de que fosse compatível com o portátil e fosse da Asus.
    Fiquei a gostar mais do teclado que comprei do que o original que o portátil trazia.
    Ora a minha pergunta é se eles podem modificar e arranjar coisas, mais concretamente hardware posto pelo dono e utilizador do portátil sem o consentimento do mesmo? Isso pode atrasar o arranjo do portátil? Podem também formatar o disco apagando tudo o que lá tenho sem o meu consentimento?

    Obrigado a todos pela ajuda!
     
  2. Cajumjoe

    Cajumjoe Suspenso

    Se o portátil estava na garantia devias ter entregue na loja. Enviando para o fabricante perdes o direito ao reembolso passado o prazo de 30 dias para reparação. Também devias ter guardado todos os dados do disco que querias, porque eles podem de facto apagar tudo o que lá tens. Até podem argumentar que o problema era do disco (apesar de, pela tua descrição, não o ser). Também me parece preocupante que eles queiram substituir um teclado que foste tu a instalar, e que supostamente está bom. É melhor voltares a contactá-los e tentar explicar bem a situação.
     
  3. Na loja disseram-me exactamente o contrário! Disseram-me que o processo seria mais rápido se fosse eu a entregar à Asus directamente e que passado os 30 dias se não o devolvessem eu teria direito a ser reembolsado.
    Quanto ao teclado, também me preocupa, não sei porque que é que o vão substituir, tenho de falar com eles amanhã e apertar com eles.
     
  4. Cajumjoe

    Cajumjoe Suspenso

    Posso-te garantir por experiência pessoal e repetidas leituras da lei do consumidor que não é assim.
    O direito ao reembolso após os 30 dias é aplicável à relação entre consumidor e vendedor. O fabricante pode ser responsabilizado pela reparação pelo que podes lidar directamente com ele, o que em teoria apressa o processo de reparação porque é menos um intermediário, porém do fabricante podes apenas exigir reparação ou substituição. Além disto, o fabricante não tem obrigação em efectuar a reparação em 30 dias. O fabricante não te vendeu nada. A loja é que te vendeu o portátil e é a loja que devia responder pelo produto. O fabricante responde perante a loja, porque a loja pode exigir do fabricante as despesas envolvidas na resolução do problema do consumidor. Assim, se a loja te devolver o valor da compra, a loja pode depois exigir ao fabricante o valor que dispendeu no teu portátil.

    Edit: isso não significa que um fabricante, se decidir, não te faça o reembolso. Mas é decisão do fabricante, pois não é obrigado a isso por lei.
     
    Última edição: 3 de Maio de 2012
  5. Então eles podem demorar o tempo que quiserem?! Dá-lhes jeito demorar mais de 30 dias se quiserem que é para depois se o portátil não tiver arranjo, não há reembolso, não há nada? É isso?
    Falaste aí também em substituição? Mas da parte do fabricante? Ou seja, após os 30 dias davam-me um portátil igual mas novo? E eu digo os 30 dias porque a loja (*****) disseram-me que não podiam demorar mais que isso, era o limite deles para arranjo de portáteis, conheço-os pessoalmente muito bem e é estranho eles enganarem-me nesse aspecto.

    Se isto der para o torto e eu exigir à loja um reembolso ou substituição do portátil eles também me podem dizer que não é com eles e que é com o fabricante e o fabricante pode dizer o mesmo quanto à loja! Acabando eu sem nada? Se for assim, a lei está muito mal pensada...
     
  6. Cajumjoe

    Cajumjoe Suspenso

    A lei tem sempre umas lacunas menos bem feitas...
    Quanto às tuas questões: o fabricante pode demorar o tempo que quiser. Eu sei que é estranho, mas a lei não explicita um prazo de reparação quando se lida directamente com o fabricante.
    O portátil tem de ter arranjo, afinal é feito de peças e as peças substituem-se. O que pode acontecer é ser-te devolvido sem estar reparado. Pode não te fazer sentido, mas é algo que acontece. Uma explicação para isso é que a ENAME factura da Asus por cada manutenção/serviço (+ custos de transporte) efectuado. Não estou a acusar a ENAME de nada, mas é algo que já vi acontecer noutras empresas de reparação.
    O fabricante pode optar por substituir o portátil ou efectuar a reparação. Não tem nada a ver com os 30 dias, porque como te disse, esse prazo só é aplicável à relação consumidor-vendedor.
    Se a ***** te disse que o fabricante não pode demorar mais de 30 dias, não te deram a informação correcta. Se a ***** tivesse enviado o teu portátil para reparação, então era de todo conveniente para a ***** que a ENAME efectuasse a reparação no prazo de 30 dias pois esse é o prazo máximo por lei para a loja te devolver o portátil reparado.

    "Se der para o torto" (o que quer que isso signifique), e pedires o reembolso ou substituição do portátil à *****, eles podem ou não decidir fazê-lo. Como te disse, se optaste por lidar com o fabricante, é o fabricante que é responsável pela reparação. A loja, por lei, não tem nada a ver neste momento com a reparação do teu portátil, nem pode ser responsabilizada por deficiências que ocorram no serviço de reparação. Quanto ao fabricante, como já te disse, não tem obrigação nenhuma de te devolver o dinheiro, mas tem de te devolver o portátil reparado.
    Tu não acabas sem nada... Tu tens provas de que o teu portátil foi entregue para reparação, e enquanto o teu portátil estiver na ENAME, a sua garantia está suspensa. Se ele lá ficar 2 meses (por exemplo), a garantia do teu portátil terminará 2 meses mais tarde.

    Nota: Já agora a entender que no meio disto tudo, tu nem estás a lidar realmente com a Asus. A ENAME é uma empresa, um "centro técnico autorizado" pela Asus.
     
  7. Não sei se entendo porque que é que o reembolso seja efectuado pela loja, mas o que não entendo mesmo é porque que é que a loja disse que não haveria diferença entre ser eu ou eles a entregar o portátil? Se me disseram que o prazo deles era 30 dias...
    Se o portátil voltar dentro de um prazo de 30 dias, tudo bem, depois disso penso que é razão para falar com a ***** porque me disseram que após 30 dias não podia passar...
    Além disso encontrei também outro post, não igual mas semelhante em que houve um user nessa thread que disse o seguinte e passo a citar:

    Isto foi pelo user CarlosL

    Na lei diz o seguinte:
    Tratando -se de um bem imóvel, a reparação ou asubstituição devem ser realizadas dentro de um prazo razoável,
    tendo em conta a natureza do defeito, e tratando -se
    de um bem móvel, num prazo máximo de 30 dias, em ambos
    os casos sem grave inconveniente para o consumidor.

    e

    Em caso de falta de conformidade do bem com ocontrato, o consumidor tem direito a que esta seja reposta
    sem encargos, por meio de reparação ou de substituição,
    à redução adequada do preço ou à resolução do contrato.

    Fonte:
    http://dre.pt/pdf1sdip/2008/05/09800/0288802894.PDF

    A loja pode decidir ou não reembolsar-me pelo portátil mas então se o que dizes é verdade, é responsável por me ter enganado, pois disse-me exactamente o contrário do que me informaste e sempre há diferença entre ter sido eu ou a loja a entregar o portátil à Asus e no entanto não me informaram disso.
     
    Última edição: 4 de Maio de 2012
  8. Cajumjoe

    Cajumjoe Suspenso

    Estares a ler só parte da legislação irá induzir-te em erro:

    http://www.pgdlisboa.pt/pgdl/leis/lei_mostra_articulado.php?nid=706&tabela=leis&ficha=1&pagina=1

    Artigo 3.º Entrega do bem


    1 - O vendedor responde perante o consumidor por qualquer falta de conformidade que exista no momento em que o bem lhe é entregue. 2 - As faltas de conformidade que se manifestem num prazo de dois ou de cinco anos a contar da data de entrega de coisa móvel corpórea ou de coisa imóvel, respectivamente, presumem-se existentes já nessa data, salvo quando tal for incompatível com a natureza da coisa ou com as características da falta de conformidade.



    Artigo 5.º-A
    Prazo para exercício de direitos

    2 - Para exercer os seus direitos,
    o consumidor deve denunciar ao vendedor a falta de conformidade num prazo de dois meses, caso se trate de bem móvel, ou de um ano, se se tratar de bem imóvel, a contar da data em que a tenha detectado.

    Artigo 6.º
    Responsabilidade directa do produtor

    1 - Sem prejuízo dos direitos que lhe assistem perante o vendedor, o consumidor que tenha adquirido coisa defeituosa
    pode optar por exigir do produtor a sua reparação ou substituição (...)
     
    Última edição: 4 de Maio de 2012
  9. Guilherme_gomes

    Guilherme_gomes Power Member

    Boas, sem queres deixar-te um pouco triste, mas pela situação toda que descreves-te, a primeira coisa má que aconteceu nessa história toda foi a loja tentar livrar-se de qualquer responsabilidade em termos de reparação ou devolução, e de facto conseguiu, já que os conheces bem tenta falar com ele e chegar a um acordo, mas que eles fizeram de proposito tenho quase a certeza.
     
  10. Cajumjoe

    Cajumjoe Suspenso

    A desresponsabilização das lojas é algo comum. A maioria das lojas opta por dirigir todos os clientes de portáteis para os contactos dos fabricantes, afirmando que a reparação não é com eles. Porém se o cliente assim quiser, eles são obrigados a aceitar, ainda que é claro, isso possa atrasar o processo de reparação devido aos tempos de transporte do produto.
     

Partilhar esta Página