1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. A secção Microsoft/Windows encontra-se actualmente em processo de reestruturação.
    Remover anúncio

Programa anti-pirataria da Microsoft oferece software

Discussão em 'Windows Desktop e Surface' iniciada por RavenMaster, 28 de Outubro de 2004. (Respostas: 0; Visualizações: 738)

  1. RavenMaster

    RavenMaster Power Member

    "A Microsoft está a oferecer versões gratuitas do seu software Photo Story 3 que permite preparar apresentações em slide, aos clientes que aceitem participar no programa Windows Genuine Advantage. Este programa foi lançado pela empresa no mês passado e tem como objectivo verificar se os utilizadores estão a utilizar versões legais do Windows, através da utilização de uma ferramenta disponibilizada online.

    Quando arrancou o programa não previa qualquer compensação para os participantes, da mesma forma não impõe qualquer penalização para os utilizadores de versões ilegais, pelo menos por enquanto.

    A iniciativa é explicada pela Microsoft como mais uma forma de tentar avaliar a dimensão da pirataria de software e combater os seus níveis actuais que segundo dados da Business Software Alliance penaliza a indústria em 29 mil milhões de dólares anuais.

    O programa está a ter uma adesão acima das expectativas tendo sido já utilizado por 800 mil utilizadores num mês, quando as expectativas da empresa apontavam para 20 mil aderentes em três meses. Face ao interesse dos utilizadores a Microsoft decidiu avançar com um conjunto de ofertas, onde se incluem a versão gratuita do Photo Story 3, anteriormente diustribuido com o pacote Microsoft Plus Digital Media Edition que custava cerca de 20 dólares. Fazem também parte das ofertas um total de 390 dólares em serviços e descontos de software.

    As preocupações da Microsoft com a pirataria têm-se traduzido em várias acções dirigidas sobretudo aos mercados que levantam maiores preocupações à empresa, como os países asiáticos, do leste europeu e da América do Sul com a empresa a admitir que a prazo o programa poderá introduzir penalizações para os utilizadores de versões ilegais do Windows, um número que se desconhece mas que poderá corresponder ao número de PCs vendidos sem software instalado, admite a Microsoft em declarações citadas pela .

    A prazo o programa ficará disponível em mais quatro línguas: checo, norueguês, chinês simplificado e chinês tradicional. A escolha das línguas tem a ver com a sua diversidade geográfica e com o facto de as zonas onde são faladas terem elevados níveis de pirataria. "


    fonte
     

Partilhar esta Página