1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Consulta o Portal de Jogos da ZWAME. Notícias, Artwork, Vídeos, Análises e muito mais.

    Remover anúncio

Quantos de vocês têm( ou tiveram) uma gamecube

Discussão em 'Jogos - Discussão Geral' iniciada por tiagoTZ, 14 de Junho de 2007. (Respostas: 45; Visualizações: 2380)

?

Quantos de vocês têm( ou tiveram) gc

  1. sim

    45,8%
  2. nao

    54,2%
  1. tiagoTZ

    tiagoTZ Power Member

    Achei interessante criar este tópico, pois reparei num comentário do ygdrasil num outro tópico em que ele dizia com ironia o seguinte: " obrigadão portugueses por terem comprado tantas gamecubes"
    E agora, com este tópico, eu pretendo fazer um apanhado em que vocês poderiam comentar os prós e os contras da consola 128 bits da Nintendo.
    Á medida que postam podiam dizer se têm ou nao uma gamecube.:)

    A grande pergunta: " O porquê do fracasso de um cubo com tanto potêncial"
     
  2. raVemjr

    raVemjr I'm cool cuz I Fold

    Veio tarde...pela altura em que chegou, já tinha tudo ido para a PS2, à espera dos grandes exclusivos...

    E quem sabe a dificuldade em copiar jogos cá em portugal afecta muito as vendas...
     
  3. Chopstick

    Chopstick I fold therefore I AM

    Pouco marketing, jogos é super mario, zelda, mais super mario.......ainda mais supermario, faltavam-lhe jogos que nos deixassem, tipo, fenomenal, "tenho de o acabar outra vez!!!", como half-life 2, call of duty... e jogos assim e o pessoal nem lhe tocou, ha, e mais supermario, jogos muito infantis, falta seriedade nos jogos, mais um supermario:D
     
    Última edição: 14 de Junho de 2007
  4. jp_45

    jp_45 Power Member

    eu tive uma e achei grande consola, muito divertida! tive o waverace, virtua striker 3, luigis mansion. sonic, nba, burnout,iss, etc.. eu gostei da consola mas acho que para competir com a ps2 e mais tarde a xbox faltavam-lhe jogos mais maturos, e que as 3rd parties apostassem mais nela..

    infelizmente acabei por vendê-la..( como quase todas as consolas que tive :-D)
     
  5. tiagoTZ

    tiagoTZ Power Member

    Acho que não deves ir por esse caminho, se assim fosse a wii também estaria a ser um fracasso.
    Essa é a mentalidade de muitas pessoas, na minha opinião rídicula.
    Eu só tenho uma coisa a dizer: " Resident Evil", e não digo mais porque se não estaria aqui a noite inteira.
     
  6. raVemjr

    raVemjr I'm cool cuz I Fold

    A Wii já vendia bem só com Wii Sports...

    Lembrei-me agora de outra razao: a Concentra...
     
  7. Yggdrasil

    Yggdrasil Power Member

    Porquê o fracasso de um Cubo com tanta potência?

    Vou falar apenas de Portugal - má imagem da Nintendo, ausência de Pro Evolution Soccer e pseudo-culto da marca PlayStation - aos olhos do "chico-esperto" português, quem não comprasse uma PlayStation não valia nada, isto porque no caso da GameCube, não iria conseguir jogos pirateados com facilidade, enquanto que na PS2 bastava-lhe instalar um chip e podia comprar 50 jogos em catadupa (mesmo que só saiba o nome de dois ou três).

    Basicamente foi isto...não foi pelo preço (€200 no lançamento, €100 no ano seguinte), não foi pela mediocridade dos jogos - Super Smash Bros. Melee, Metroid Prime, Luigi's Mansion, Wave Race Blue Storm, F-Zero GX, Mario Kart Double Dash, Super Mario Sunshine, Wind Waker, Animal Crossing, Pikmin, Rogue Squadron II, Battalion Wars, Fire Emblem, Baten Kaitos, Viewtiful Joe, Soul Calibur II, Ikaruga, Tales of Symphonia...phew!

    Em parte, a Concentra também é responsável por isto...não conseguiu criar uma imagem suficientemente boa que convencesse o público e os estabelecimentos comerciais de que a GameCube era uma excelente máquina com excelentes jogos. Mas acho que acima disso tudo estava a ideia fixa na mente da maioria dos portugueses "PlayStation é a rainha, Nintendo não presta/não existe/é para putos/whatever".

    EDIT: a imagem infantil é algo ridícula...a consola (doméstica) de eleição dos miúdos é a PS2, nunca foi a GameCube, pelo contrário, a GameCube até foi preferida por uma faixa etária mais velha.

    Eu nunca me arrependi de ter comprado a minha e ainda invsito nela, graças ao mercado de 2ª mão e às lojas estrangeiras onde posso comprar jogos novos por metade ou um terço dos €60 que as lojas portuguesas ainda cobram pelos poucos jogos de GameCube que têm nas prateleiras.
     
  8. rafsantos

    rafsantos Power Member

    Tambem é das poucas coisas que podes dizer, pois o resto é .....SuperMário
     
  9. tiagoTZ

    tiagoTZ Power Member

    Isso já é outra história, concordo plenamente, muito pouco fez a Concentra para evitar o fracasso da consola.
     
  10. Yggdrasil

    Yggdrasil Power Member

    Em relação a Super Mario...só existe um jogo original da série Super Mario na GameCube - Super Mario Sunshine. Em relação aos outros títulos do Cubo que têm o nome "Mario" - Mario Smash Football, Mario Golf, Mario Power Tennis, Mario Kart Double Dash - isso é apenas por marketing e porque Mario é o rosto mais conhecido da Nintendo, é possível jogá-los durante muito tempo sem nunca escolher o dito cujo.

    Zeldas existem três - Wind Waker, Four Swords e Twilight Princess - este só saiu em Dezembro de 2006 e em quantidades reduzidas.

    Num universo de cerca de 900 jogos, Mario e Zelda são uma pequena fracção do catálogo do Cubo.
     
  11. Chopstick

    Chopstick I fold therefore I AM

    A única vantagem que eu lhe dou é o facto de ela na altura já estar a 99euros quando a PS2 e a XBOX andavam prái a preços exorbitantes. No outro dia vi uma gamecube nova por 29!!!!! euros.....

    outo problema..900jogos? já viste quantos têm a ps2 e a xbox? e também desde há muito os jogos para a gamecube andavam a sair a conta-gotas, tipo, 2-3 jogos por mês, enquanto as ps e xbox jorravam jogos para o mercado.
     
    Última edição pelo moderador: 15 de Junho de 2007
  12. Yggdrasil

    Yggdrasil Power Member

    A Xbox tem um catálogo em número semelhante, simplesmente como foi praticamente ignorada no Japão, o software foi todo canalizado a pensar nos americanos e, em parte, nos europeus.

    A PS2 não sei ao certo quantos jogos tem, na Europa deve ter tido cerca de 2500 - só precisam de separar os que são lixo e os que são medíocres. No caso da GameCube, existem cerca de 50/70 jogos que são ou excelentes ou muito bons, seguidos de dezenas de títulos bons - tal como na PS2 e na Xbox existirão numa proporção semelhante.
     
  13. rafsantos

    rafsantos Power Member

    O problema da Nintendo principalmente em Portugal é da má representação que tem. Se a representante da Nintendo fosse unica e exclusivamente dedicada á venda de videojogos e produtos Nintendo aí a conversa seria outra, agora uma empresa que se interessa mais por Barbies e ActionMan...sucks. É por isto e não só que a Nintendo é associada a uma marca para putos.
     
  14. Yggdrasil

    Yggdrasil Power Member

    É mesmo...:( mas enfim, quem passou ao lado da GameCube por achar que a Nintendo era para putos, perdeu uma série de jogos fantásticos e nessas situações eu costumo dizer "your problem". Se eu algum dia ganhar o Euro Milhões, garanto que estabeleço uma empresa com o propósito de ser a representante oficial da Nintendo em Portugal, haviam de ver se a Big N não receberia o respeito que merece por cá :D

    A Concentra fez um trabalho mesmo muito mau com a GameCube - em França, o Cubo vendeu mais de um milhão de unidades, por exemplo. Aliás, na Europa a GameCube, embora não tenha sido a máquina mais vendida, ainda conseguiu vender quase 5 milhões - em Portugal é que não contribuímos quase nada para a estatística e pior ainda...o mercado português foi totalmente entregue de mão beijada à Sony...
     
  15. raVemjr

    raVemjr I'm cool cuz I Fold

    Paper Mario?
    E os outros não se escapam, ias ver se o Sonic tmabém não cansava se tivessem saído 15 jogos com o seu nome lá...
     
    Última edição: 14 de Junho de 2007
  16. Atheron

    Atheron Power Member

    Ele disse da série Super Mario. Paper Mario é da série "Paper" se assim se pode dizer :p
     
  17. Yggdrasil

    Yggdrasil Power Member

    Paper Mario - The Thousand Year Door é um RPG da série "Paper Mario" cujo primeiro título foi lançado para a N64 em 1999, se não me engano. O Paper Mario original, por sua vez, é um "sucessor espiritual afastado" do Super Mario RPG de 1996 para o SNES (que infelizmente nunca saiu na Europa porque depois do seu lançamento nos EUA, a Square assinou um contrato de exclusividade com a Sony para desenvolver jogos para a PS1 e abandonou a colaboração com a Nintendo - quando soube disso fiquei furioso há onze anos, fiquei furioso e amaldiçoei a Square vezes sem conta).

    Para regressar ao tema, é um RPG cuja jogabilidade (e aspecto gráfico) não tem a ver com a série de plataformas Super Mario. Aliás, existem relativamente poucos jogos da série Super Mario:

    - Super Mario Bros. - NES - 1985
    - Super Mario Bros. 2 (Japão) - NES - 1986
    - Super Mario Bros. 3 - NES - 1988
    - Super Mario Bros. 2 (EUA e Europa) - NES - 1988 (é uma longa história...)
    - Super Mario World - SNES - 1990
    - Super Mario World 2, Yoshi's Island - SNES - 1995
    - Super Mario 64 - N64 - 1996
    - Super Mario Sunshine - GameCube - 2002

    Ou seja, em 22 anos, no ocidente vimos sete títulos da série Super Mario nas consolas domésticas da Nintendo. Nas portáteis houve dois Super Mario Land para Game Boy e o New Super Mario Bros. para a DS, o resto foi à base de reedições em formato portátil.

    No final deste ano, será lançado Super Mario Galaxy para a Wii, cinco anos depois do último Super Mario original para uma consola doméstica. Não se pode dizer que abusem da série. Houve mais jogos da série Final Fantasy nos últimos anos do que Super Marios nos últimos 22...
     
  18. Rexobias

    Rexobias Power Member

    Está a apetecer-me escrever, lol.

    Tenho que começar por dizer que nada tenho contra a Sony e a PlayStation, a não ser a sua politica de exclusivos, pois penso que todos têm o direito de jogar um título independentemente de ter a consola A B ou C, desde que esta tenha capacidades para correr o título em questão. Só defendo os esclusivos quando estes são criados pelas empresas donas da consola (Zelda e Mario na Nintendo, Halo na Xbox, e God Of War na PlayStation, por exemplo...). Não sou fanboy disto ou daquilo e se fôr fanboy de algo só pode ser de PC, os mais injustiçados nestas guerras de eclusividades.

    Eu tenho uma GameCube, a minha 1ª consola. Tenho um primo que é fanboy da Nintendo e graças a isso posso jogar actualmente Wii e Ds, e no passado pude exprementar a Nintendo64, e a GameCube. A GameCube era e é uma consola poderosa que nunca foi aproveitada como devia ter sido, assim como todas as outras rivais da Sony nos ultimos anos (Dreamcast e Nintendo64).

    Um dia entrei na ***** e eles tinham á venda a consola em promoção. Consola+jogo (Pokémon Colliseum)+cartão de memória+comando, tudo a 49€. Comprei de imediato, pois não tinha nenhuma consola para levar quando fosse passar férias, e principalmente pelo preço. Haviam jogos á venda e comandos em separado tudo a 9€, aproveitei e levei um 2º comando e mais 1 jogo (Final Fantasy Crystal Chronicles).

    Fiquei bastante agradado com a consola, muito portátil, bonita e com grandes capacidades gráficas. Como queria jogar mais jogos e dar mais uso á consola coloquei-lhe um chip, e a partir daí tive acesso a toda a colecção de jogos da GameCube.

    Joguei e jogo grandes jogos como Resident Evil 4 (a versão mais bonita de todas elas embora não ter os extras das outras), The Legend Of Zelda (qualquer um deles são jogos fantásticos), Tales Of Symphonia (enorme jogaço, com uma longevidade fora do normal, onde arrebentei com o ygdrasil - já passei o jogo 3 vezes e ainda estou a passar para arranjar grade suficiente para poder obter o ExpX10 para atingir o nível 200), entre muitos outros...

    Para explicar o não sucesso da GameCube temos que voltar ao passado. Dreamcast e Nintendo 64 foram derrotadas pela 32 bits PlayStation (a estreia da Sony neste mercado), consola muito mais fraca que as suas concorrentes. A PlayStation 2 dominou quase por completo (no nosso país) as poderosas rivais GameCube e Xbox (outra estreia neste mercado agora por parte da Microsoft). A verdade é que 70% do sucesso da PlayStation deve-se á politica da Sony, criticável eticamente.

    A Sony com o poder financeiro que tinha conseguiu roubar para a PlayStation titulos que estavam a ser previstos para a Dreamcast (foi isto que matou a poderosa consola da Sega) e Nintendo64, e além de roubar, comprou exclusividades dos melhores jogos (aqui foi muito esperta tendo bom olho para as melhores séries). A verdade é que o sucesso da PlayStation tem-se devido aos exclusivos que a Sony conseguia garantir, privando assim os seus rivais dos melhores titulos. Os outros 30% do sucesso deve-se á boa imagem que a marca Sony tem, as boas campanhas de publicidade em volta da mesma (esmigalham por completo as campanhas das outras), a presença que a Sony tem em Portugal ( a Nintendo teve a Concentra como inimiga), e as capacidades extra-videojogos que ambas as consolas tinham.

    A Nintendo tem cometido erros que não consigo compreender de forma alguma quando tinha tudo para ter sucesso. Quando todas as consolas já usavam os 700 Mb que um CD permite, a Nintendo decidiu adoptar o sistema de cassetes para a Nintendo 64, limitando o espaço a uns miseros 250 Mb (por muito que digam que não, o espaço ocupado por um jogo cresce de acordo com a qualidade do mesmo). Além de limitar o espaço de manobra aos programadores, eliminou desde logo a possibilidade de funcionalidades extra como por exemplo a leitura de CD's de música que na altura era um mercado em crescimento, enquanto que a Playstation e a Dreamcast tinham essa opção.

    Com o aparecimento do DVD, a PlayStation 2 já vinha equipada com um leitor dos mesmos e os seus jogos vinham neste formato disponibilizando uns fantásticos 4.7 Gb ás editoras, ou até mais com os jogos de dois DVD's. A Nintendo volta a cometer um erro com a sua teimosia agora com a GameCube. Incialmente om o medo da pirataria perdeu imenso tempo com sistemas anti-cópia dos seus jogos, e depois acabou por limitar o espaço a uns simples 1.3 GB contra os 4.7 das outras duas consolas. Com isto voltou a matar funcionalidades extra á sua consola como a leitura de DVD's, quando na verdade poderia continuar com os jogos em miniDVD, pois a GameCube tinha espaço mais que suficiente para ler discos de 12 cm e não tinha que alterar a estética da consola (existem mods - caixas - para a consola ler estes discos). Um erro incompreensivel por parte da Nintendo que perdeu logo um dos argumentos muitas vezes usado para comprar a PlayStation 2 na altura (jogos para os filhos e filmes para os pais - era um "brinquedo" para todos e não só para a pequenada). Nunca percebi este medo enorme da pirataria por parte da Nintendo, basta olhar para a PlayStation 2 que em 10 consolas 9 usam sistemas para correr jogos copiados e não é por isso que a consola tem menos sucesso - para piratear a consola é sempre preciso comprar a mesma.

    Foram enormes erros cometidos pela Nintendo as o grande trunfo da Sony e da sua PlayStation sempre foram as exclusividades e direitos de jogos. A saga GTA que nasceu no PC foi roubada aos PC gamers tendo estes que actualmente esperar meses pela versão PC das suas sequelas depois desta sair para a PlayStation. Uma consola sem jogos é como um carro sem gasolina, e infelizmente para Nintendo, Sega e Microsoft os melhores titulos estavam todos com a poderosa rival. Além disso aninda roubou tecnologias criadas por outros como o sistema de vibração (já não existente na PS3 por essa mesma razão), e agora na PS3 temos o motor sensivel a movimentos quando eu em 1994 já tinha um comando com essas mesmas capacidades curiosamente criado por uma das rivais actuais da Sony (O comando era o Microsoft FreeStyle Pro).

    Não fugindo do assunto, mas falando do mercado actual, a PS3 só veio salientar e muito o poder da marca PlayStation neste nosso país. A marca PlayStation é o que a Sony tem de mais poderoso economicamente e todo o mundo e no nosso país essa marca ganha uma importância ainda maior, Portugal é um país PlayStation. Qualquer jovem na geralidade quando fala de consolas só fala de PlayStation, aliás é o 1º nome que vem á cabeça das pessoas até pessoas que não são Gamers (muito longe disso). As vendas da PS3 na sua saída ficaram muito aquém das expectativas, mas curiosamente em Portugal teve um bom resultado, aliás foi onde a consola melhor vendeu na Europa (em França estava tudo ás moscas) tendo em conta o número da população e não se pode esquecer que Portugal é dos países mais pobres desta nossa Europa.

    A PlayStation 3 não está a render o que muitos esperavam devido a vários factores mas principalmente porque está a provar do seu próprio veneno, está a sofrer com as exclusividades conquistadas por outros e a perca de algumas exclusividades, o mesmo que as derrotadas Dreamcast, Nintendo 64 e GameCube sofreram. A Microsoft não é pobre e com todo o poder financeiro que tem pode fazer a Sony beber o seu próprio veneno (é o que já está a fazer).

    Não me arrependo de maneira nenhuma ter comprado a GameCube. Só o facto de ter jogado o melhor Resident Evil 4 de todos (o da Wii talvez seja melhor, mas nunca o joguei) valeu a pena, e já que falo em pena, é de facto muita pena que as editoras não tenham tirado o máximo que o cubo tinha para oferecer.
     
    Última edição: 14 de Junho de 2007
  19. Yggdrasil

    Yggdrasil Power Member

    Por acaso acabei de me lembrar de um factor que contribuiu para o "não sucesso" da GameCube, desta vez a nível mundial.

    A GameCube pretendia fazer o mesmo que a PS2 e que a Xbox em termos de jogos, basicamente elas tinham os mesmos objectivos e nos jogos que existem para as três consolas, existem poucas diferenças - o Soul Calibur II tem diferenças elogiáveis, uma vez que na GameCube temos o Link :D

    O que acontece é que a GameCube não tinha nada de original que a distinguisse das outras além do software da Nintendo - isto foi razão suficiente para eu a comprar, mas devido a um lançamento tardio - Setembro de 2001 no Japão, Outubro de 2001 nos EUA, Maio de 2002 na Europa - a máquina não se conseguiu instalar. Mesmo assim, os seus primeiros meses foram bastante bons, em França, no Reino Unido e na Alemanha a GameCube registou excelentes vendas por exemplo. Simplesmente, isto aconteceu num mercado específico - o das pessoas que estavam interessadas na GC por causa dos jogos da Nintendo.

    Ninguém comprou um Cubo para jogar FIFA, Need for Speed ou qualquer outro multiplataforma. Quem comprou a GameCube, comprou-a por causa dos jogos exclusivos, sobretudo feitos pela própria Nintendo - enquanto a PS2 e a Xbox disputavam, essencialmente, o mesmo mercado.

    Talvez tenha sido por isto que a GameCube vendeu melhor entre as faixas etárias mais velhas (acima dos 20) do que entre as crianças (que foram em massa para a PS2), cativou as pessoas que já antes tinham tido NES, SNES e N64. Olhando para o software, é isso que parece.
     
  20. newcabaret

    newcabaret Power Member

    Comprei numa promo a edição especial Resident Evil 4 :D
    Pena que só encontro poucos jogos e os que encontro não são os exclusivos...
    Tenho que arranjar um Zelda :winknu: !
    Já agora, são todos do genero do que saiu com a Wii? Qual aconselham?
     

Partilhar esta Página