1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Receivers - Performance vs Funcionalidades

Discussão em 'Home Cinema' iniciada por vacalouca, 3 de Junho de 2009. (Respostas: 2; Visualizações: 541)

  1. vacalouca

    vacalouca Muuuuderador
    Staff Member

    Muito se tem falado nos últimos tempos sobre a Alta Definição, tanto em termos visuais (Full HD, HD Ready, etc), como em termos sonoros (Dolby True HD e DTS Master Audio).

    Ora se há um elemento que pode ser considerado como o coração de um Home-Cinema, esse elemento será provavelmente o receiver. É por ele que passa (na maioria dos casos) tudo quando é conteúdo, e nesta era da HD, o número de funcionalidades que é exigido a um receiver, mesmo de entrada de gama, roça o surreal.
    Desde upconversion (passagem de sinais de vídeo analógicos para digitais), upscaling (aumento da resolução de um sinal não HD para HD), switching de sinais de vídeo/áudio, descodificadores para formatos HD e não HD, inúmeros modos de DSP, amplificação de 5 a 7 canais, entre muitas outras coisas. Se pensarmos em gamas superiores, então as exigências são ainda maiores.
    E todos os anos, funcionalidades que apenas estavam presentes em receivers de gamas superiores, acabam por vir parar a gamas inferiores, e os preços mantêm-se ou descem.
    Seria bom que a única justificação para isso fosse a massificação das novas tecnologias e a consequente redução dos custos de fabrico, mas a verdade parece-me que não é assim tão simples...
    E se pensarmos na velha máxima que ninguém dá nada a ninguém, então não é difícil começarmos a pensar que para nos darem algo de novo (e com mais funcionalidades) pelo mesmo preço, acabam por nos tirar outras coisas, sendo que a qualidade de construção e a qualidade da amplificação, são normalmente as primeiras a sofrer. E para quem, como eu, considera a qualidade de amplificação como sendo a característica de um receiver, acaba por dar que pensar, e evitar upgrades desnecessários.

    Afinal de contas, que serve ter acesso a faixas de som HD (que mais não são que faixas sem perdas devido a compressão), se depois a unidade de amplificação não consegue estar à altura do que lhe é fornecido? Não será melhor uma faixa DTS a 1.5Mbps convenientemente amplificada, por exemplo?

    Este artigo alerta para isso mesmo, e aconselho a leitura atenta do mesmo antes da escolha de um receiver qualquer novo. Tentem comparar as características do modelo actual com as do modelo do ano anterior, e pode ser que tenham uma surpresa ;)

    E já sabem, estão à vontade para opinar ;)


    Cumps
     
  2. neo2008

    neo2008 Power Member

    Concordo plenamente com o que foi escrito.

    Ainda mais levando em conta que existe muitas pessoas que usam o receiver em conjunto com HTPC's ou players do tipo WD, popcorn, etc, ou seja, a descodificação de audio HD não é necessária.

    Nesse sentido, receptores como :

    Denon, AVR-1509
    Cambridge Audio 340R
    etc

    não serão melhores (em termos de qualidade de som, qualidade de construção, etc) que os modelos recentes como :

    Yamaha RX-V465
    Onkyo 507
    etc

    A propósito, aproveito para pedir sugestões de receivers mais antigos, para uso com HTPC ou WD, a preços acessiveis, que superem em termos de som e qualidade de construção os modelos mais recentes.
     
    Última edição: 3 de Junho de 2009
  3. ForgotMyNick

    ForgotMyNick Power Member

    Claro que o artigo tem todo o sentido, espera aí que já troco o meu A/V Onkyo Integra TX-DS 989 :004:
     

Partilhar esta Página