1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. A secção Microsoft/Windows encontra-se actualmente em processo de reestruturação.
    Remover anúncio

Reflexão sobre 2006

Discussão em 'Windows Desktop e Surface' iniciada por JPBImpe, 26 de Dezembro de 2006. (Respostas: 6; Visualizações: 872)

  1. JPBImpe

    JPBImpe What is folding?

    Última edição: 26 de Dezembro de 2006
  2. alph

    alph Power Member

  3. Nastase

    Nastase Power Member

    Interessante nos seus argumentos, lamentável na sua defesa da pirataria. Se tem toda a razão quando fala acerca dos métodos empregues pelas "grandes empresas" deste mundo, perde-a toda quando defende que a pirataria é a melhor solução.

    Na minha opinião (e atenção que não sou nenhum santinho também), não há argumento algum que defenda o roubo puro e duro através da pirataria como este senhor defende. Tenho a certeza que poderão existir outros métodos para se livrar desta "autocracia" imposta pelos fabricantes...

    :kfold:
     
  4. steelballzz

    steelballzz Folding Member


    podes designar alguns....que resultem

    eu tb nâo sou nem santo nem a favor do roubo puro e duro....mas temos que reconhecer que a industria fonográfica e cinematográfica se anda a esticar em histeria absoluta com receio que lhes tirem os milhões que eles estão habituados a ganhar vendendo material de segunda qualidade
    obviamente que cometer um crime nunca estará correcto.....mas o terrorismo que essas editoras usam actualmente tb me parece ....a mim...criminoso.....

    comparar quem faz um download ilegal de uma musica a um "shoplifter"...a mim...parece-me desajustado e exarcebado

    quanto a mim ja tomei a decisão há algum tempo
    enquanto estiverem armados em parvos não vai nem um tostão para discos ou filmes.....se mais gente fizer o mesmo pode ser k eles comecem a sentir na pele a insatisfação dos clientes
     
  5. JPBImpe

    JPBImpe What is folding?

    Pessoalmente creio que todo o artigo está escrito num tom irónico. Tenho a certeza que o autor não faz a apologia da pirataria (e mesmo aí é preciso definir com toda a certeza o que é pirataria e quem a pratica, porque o abuso de posição dominante no mercado também é crime, assim como os rootkits da Sony, mas se fossemos pegar por aí nunca mais daqui saíamos), mas sim do estado a que os senhores que dominam a indústria estão a levar as coisas. É um facto que hoje em dia optar pela ilegalidade é mais rápido e menos problemático que utilizar material original, mas o que se passa é que a indústria quer ver os lucros aumentarem proporcionalmente ao numero de utilizadores, não respeitando a lei da oferta e da procura.
    Estas conversas dão sempre pano para mangas, flame wars, etc e tal. De qq modo é como digo, tem de ser lido tendo em mente um tom irónico e algo cínico por parte do autor.

    Boas Festas :D
     
  6. Bionicman

    Bionicman Power Member

    Acabei de ler agora o artigo, e devo dizer k ja ha bastante tempo que não via um artigo do Enquirer, que tão bem espelhasse o actual estado das coisas.
    E reparem que o autor não esta a defender a pirataria, ele limita-se a constatar akilo ja toda a gente sabe, não se façam de "anginhos"!
    Mas cabe na cabeça de alguem que eu compre um filme (por exp), e estar estipulado onde, quantas vezes e em quantas "maquinas" o posso ver, dizerem-me quantos backups é que posso fazer... mas andamos a brincar ou quê!? Se eu o comprei tenho o direito de o ver onde, quando e quantas vezes quiser e enquanto não quebrar nenhuma lei da constituição não vão ser as editoras a mo dizerem... disso podem ter a certeza!
    Digital HandCufs, anyone!?
     
  7. ShadeX

    ShadeX Power Member

    Pois steelballzz. Eu fiz o mesmo, mas já lá vão uns anitos. De cinema que era caro como tudo por filmes com tudo menos qualidade a musica idem.

    Agora, o problema é que a atitude nunca vai ter "massa critica" para ir algum lado. Tens demasiados carneiros dispostos a comer e calar.

    O porblema atm creio que é as pessoas pensarem que morrem se deixarem de ter as coisas. Eu (por falta de $$$) passei muitos anos a TV/Radio, e não morri. Aliás, por esses tempos andava tudo a TV/Radio (cinema quando o rei fazia anos...) e ninguem morreu. Agora parece que se não comprares não vives. Reflexos da sociedade de consumo e da cultura que te impinge...

    Mas pronto, pelo menos a minha consciência está em paz pq não colaboro :D
     

Partilhar esta Página