1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. A secção Microsoft/Windows encontra-se actualmente em processo de reestruturação.
    Remover anúncio

Software "inteligente" perguntou se era humano

Discussão em 'Windows Desktop e Surface' iniciada por Caspanatola, 24 de Julho de 2002. (Respostas: 0; Visualizações: 1169)

  1. Caspanatola

    Caspanatola Power Member

    Ditando mensagens em CycL, uma linguagem de programação criada especialmente para o Cyc, a equipe de Lenat começou a ensinar a ele que existem coisas no mundo e que algumas delas são individuais e outras são coleções.

    O objetivo não era apenas alimentar o Cyc com dados puros e simples, mas também "generalizar ao máximo", afirma Lenat.

    O resultado é que, se você pergunta ao Cyc se (a cadela) Lassie tem um focinho, ele vai raciocinar que Lassie é um collie, que collie é uma raça de cão, que os cães são animais vertebrados macroscópicos e que os animais macroscópicos vertebrados têm focinhos ou narizes —logo, a resposta é "sim".

    Os pesquisadores também "mandaram" que o Cyc formule perguntas quando achar que precisa esclarecer um conceito.

    Em 1986, o Cyc perguntou se era humano. No mesmo ano, indagou se existia outro computador engajado em projeto semelhante.

    A equipe de Lenat ensinou o Cyc a assegurar-se de que tudo o que lhe é dito esteja de acordo com tudo o que ele já sabe. É uma medida de proteção contra informações erradas que será adotada durante sua fase de educação pública. Por enquanto, o programa disponível na internet só funciona com o sistema operacional Linux.

    Os conhecimentos do Cyc já são amplos. Pergunte a ele se é possível que a rede Al Qaeda possua antraz, e ele responderá que presume que você não esteja se referindo à banda de heavy metal Anthrax.

    O trabalho na Lycos proporcionou ao Cyc uma adolescência, já que, nessa época, ele aprendeu sobre termos ligados a sexo, que os usuários procuravam na ferramenta de busca.


    Fonte: Folha de S. Paulo
     

Partilhar esta Página