1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Tabela preços para sites

Discussão em 'Web Development' iniciada por saraivix, 22 de Setembro de 2006. (Respostas: 582; Visualizações: 190501)

  1. saraivix

    saraivix Power Member

    Nao sei se esta é a secçao correcta ou nao para postar isto, mas gostaria de saber como andam os preços para sites

    • Site "presença" - Apenas informativo, sem backoffice
    • Site "presença" - com backoffice para alteraçao de Eventos e noticias
    Se me puderem dizer a "gama" de preços em que variam agradecia
     
  2. keoshi

    keoshi Power Member

    Depende muito de muita coisa mas:

    1) 400-2000 euros;
    2) 1000-???

    Isto preços bons, depois há empresas chupistas :P
     
  3. saraivix

    saraivix Power Member

    De facto parece-me que é essa a gama de valores que por aí anda.

    obrigado
     
  4. Ricardo Vidal

    Ricardo Vidal Power Member

    Esta questão tem muito que se lhe diga e até poderá criar uns eventuais flames.
    Anyhow, e se te colocasse uma pergunta do mesmo estilo mas doutra forma:

    Como andam os preços de casas?

    Casa "presença" - paredes, tecto, quartos e tal
    Casa "plus" - paredes, tecto, quartos, garagem, piscina

    Que tal?

    Como podes ver, nenhum construtor te irá dar um preço certo, nem mais ou menos.
    Porque depois depende de MUITA coisa. Tijolo a usar, tipo de telhado, tamanho do terreno, tamanho e material da piscina, formato das coisas, tinta com que se pinta, etc.

    Mas o que é certo é que encontras gente a "fazer sites" por preços tão baixos como 30 euros. Depois não se admirem que o teu vizinho tenha um site igual ao teu, comprado ontem pelo mesmo preço à mesma pessoa.
    E claro, há aqueles que também recorrem a sites pre-feitos e cobram valores parvos sem trabalho. Infelizmente (ou felizmente!?) a populaçãõ em geral não sabe nada sobre internet e pagam sem saber sequer o que vão ter.
     
  5. keoshi

    keoshi Power Member

    Eu diria infelizmente. Principalmente porque as empresas Portuguesas ainda não perceberam que a net - e ter uma presença forte na internet - é a melhor e mais barata forma de publicidade que podem arranjar.
     
  6. saraivix

    saraivix Power Member

    Obviamente sao cenas complicadas de "enumerar" mas falo nomeadamente de sites de presença (quem somos,onde estamos, o que fazemos e contactos) sendo que a principal diferença é que o que tem backoffice terá supostamente tb que ter maior largura de banda visto que vai ter documentos para visualizaçao/download
     
  7. claudiof

    claudiof Power Member

    Os preços dependem sempre de também quem faz como é óbvio.

    Se não vejamos um freelancer que: Trabalhe em casa e/ou faça sites como 2º emprego. Não passa facturas/recibos e desconta o minimo para a Seg Social.

    VS

    Empresa: Paga renda de escritório, Seg Social a empregados, passa facturas (IVA), IRC, etc

    É óbvio que alguém que como freelancer (2º emprego) peça por um site "simples" 400€ é um bom negócio para ambos. Primeiro porque é barato e para o Freelancer (em 2º emprego) é 80 contos a mais por umas noites de treta.

    Já uma empresa 400€ é impensavel. Descontando logo o IVA, IRC e o ordenado do empregado em questão não sobra nada (isto se chegar a tapar a despesa).

    Em relação à Internet ser o melhor sitio para ter publicidade... depende. Se tiveres muita informação a mostrar sim é. Ainda assim tens que investir em muitos casos em campanhas.

    Ex: Experiencia Optimus. Não bastava o site existir, tiveram que gastar rios de dinheiro em anúncios para as pessoas chegarem lá.
     
  8. Fuadass

    Fuadass I'm cool cuz I Fold

    epa minimo 500€ o que podes fazer e criar alguns precos como, 5 paginas estaticas x € mais que isso so com orcamento depois de se organizar mais ou menos quantas paginas vai usar, se tem flash, php ou asp etc.
    porque é impossivel cobrares igual a todos :) e claro nao deves pedir so no final deves dividir o preco do site em 3 partes ;) que ja deves saber, e claro boa sorte :) e se for preciso vai a bares perguntar se querem sites porque ha sempre algum bar novo sem site que ate pode querer :P
     
  9. Kandalf

    Kandalf Power Member

    Pois as empresas pedem dinheiro a mais para criar um site no meu entender tudo bem que tem que descontar e esses problemas todos mas existem muitas empresas pequenas que querem um site mas que nunca podem estar a dar 1000€ ou mais por um site.

    Acho que um preço que vá ate 500€ ainda é razoavel mas mais que isso é demais ate porque fazer um site é trabalhoso mas não é assim tao trabalhoso para valer mais de 1000€
     
  10. keoshi

    keoshi Power Member

    claudiof: não é bem assim. Um designer freelance pode muito bem passar facturas e recibos. Aliás, para fazer o que faz de uma forma legal é bom que passe facturas.

    Depois, quer queiras quer não, ter um site é a melhor forma de publicidade. Eu não disse melhor forma de exposição, disse publicidade:
    O site fala por si, tem custos anuais ridículos e é uma coisa feita à medida, pode ser uma experiência para o utilizador e poupa MUITO trabalho aos empregados dessa empresa (vem-me agora à cabeça estar uma secretária estar a fazer orçamentos uma tarde toda quando podem muito bem ser gerados automaticamente online).

    E sim, há mesmo muitas empresas chupistas.
     
  11. claudiof

    claudiof Power Member

    mas e como as pessoas chegam ao site? não tens que fazer primeiro publicidade? elas adivinham o endereço?

    Em relação aos Freelancers: Sim eu sei que passam (eu próprio quando o era passava facturas), mas lá está nesse caso ficas a meio termo (provavelmente) entre o Freelancer sem "papeis" e a Empresa.

    Mas ainda assim a tal "diferença" brutal de preços não me assusta.
    Sou da opinião que venham os chupistas e/ou os que pedem meia dúzia de trocos para instalar um Mambo&Template os realmente bons vão ter sempre clientes.

    Eu pelo menos não me queixo, hell no.. até tamos a pensar em contratar mais 2 pessoas.
     
  12. keoshi

    keoshi Power Member

    Não percebeste, refiro-me ao site como forma de divulgação, é isso que é publicidade. Publicidade não é andar a distribuir panfletos, é o panfleto.
     
  13. spastikman

    spastikman Banido

    tudo depende das tecnologias que quiseres usar ...


    html é uma coisa ...
    html + css + flash + php + mysql/gre/oracle/ms + ajax + javascript + etc etc etc é outra completamente diferente ...

    depois ... inclui design de logotipos ? estudo de mercado sobre cores a usar ? etc etc etc

    Tudo tem o seu peso no preço final.
     
  14. saraivix

    saraivix Power Member

    Assim por alto sao 2 sites

    • 1 é um re-styling com basicamente 4 ou 5 paginas estáticas com eventuais updates semestrais
    • O outro é um site de raiz que tende a ter no minimo umas 20 paginas estáticas e uma outra zona de Eventos que se pretende actualizavel com a criaçao do tal backoffice
     
  15. spastikman

    spastikman Banido

    continuas sem dizer que tecnologias vais usar ...
     
  16. saraivix

    saraivix Power Member


    php no que exige "programaçao" e html simples no outro
     
  17. HugguH

    HugguH Banido

    Boas tenho uma pergunta.

    Não é ilegal ser um designer freelancer?
    tipo, não passa recibos/facturas , isso não é ilegal?
    a cair dinheiro na conta sem declarar nada?

    Abraços!
     
  18. CoolMaster

    CoolMaster Power Member

    Se es freelancer passas recibos...
     
  19. DavidSalgueiro

    DavidSalgueiro Power Member

    Ideia Geral
    A ideia geral para efectuar um orçamento é bastante simples, bastando atribuir um valor por hora e multiplicar esse valor pelo número de horas que o projecto fechado, ou seja, chave-na-mão demora a fazer. O mesmo principio é aplicável a um projecto que não é fechado.
    Para encontrar o número de horas que se vão usar há que fazer um planeamento ou, no mínimo, uma estimativa.

    Orçamento
    De forma simples, um orçamento costuma fazer-se da seguinte forma:
    1. Planeamento ou estimativa de tempo (normalmente esta inclui uma margem de segurança, por exemplo, mais 10% do que o tempo estimado originalmente) dos tipos e números de recursos, tarefas e tempo de participação de cada recuros nas tarefas.
    2. Cada tipo de recurso possui um valor por hora.
    3. Para cada tipo de recurso multiplica-se as horas de participação no projecto pelo seu valor por hora.

    TI
    A forma de encontrar o valor por hora numa TI costuma ser bastante simples. Cada tipo de recurso possui um ordenado base, que dividido por 22 e depois por 8 permite encontrar o valor por hora. Esse valor por hora é quanto a empresa paga, por hora, a esse recurso. De forma a ganhar lucro com o projecto, a empresa tem de vender a hora esse recurso por um valor superior.Essas contas permitem construir uma tabela de preços da empresa que passa a ser a referência para os orçamentos.
    Por exemplo, em outsourcing é normal um recurso ser vendido a uma empresa por três vezes mais do que custa à empresa. Isto quer dizer que: se na empresa em que trabalham vocês estiverem num projecto com alguém que não pertence à vossa empresa mas que ganha o mesmo ordenado como vocês, a vossa empresa está a pagar à outra empresa três vezes o vosso ordenado.

    Dado que durante o processo de negociação é normal o cliente negociar o preço, é necessário possui alguma flexibilidade de forma a conseguir baixar o preço final do projecto sem nunca comprometer o planeamento nem o lucro da empresa. Este tipo de "ginástica" é facilmente conseguido usando truques simples como cobrar o valor de um junior por um sénior ou reduzir o factor de multiplicação do valor por hora. Seja qual for a estratégia, o valor a cobrar por recurso nunca pode ser inferior ao valor que o mesmo custa à empresa, pois caso contrário a empresa perderá dinheiro. Normalmente não se cobra menos e uma vez e meia o valor do recuro, caso contrário corre-se o risco do projecto não ser lucrativo para a empresa. É que existem outros factores como o facto de, por exemplo, as pessoas que efectuam trabalho como o caso dos recursos humanos, não poderem ser vendidas a projectos, mas a empresa continua a ter de lhes pagar o ordenado e a única forma de isso acontecer é usando o dinheiro ganho nos projectos. Assim, o valor cobrado por cada recurso tem de pagar, não só o valor desse recurso, mas também uma pequena parte dos recursos da empresa que não podem ser vendidos. Só assim é possível pagar o ordenado a todas as pessoas e a empresa gerar lucro.
    Ainda no capitulo negocial, por vezes a administração da empresa assume o prejuizo de um projecto, onde assumida e conscientemente o preço de venda do projecto é mais baixo do que o custo do mesmo. Este tipo de negócio prende-se com estratégias empresariais, por exemplo a empresa quer mesmo entrar numa determinada área de negócio ou quer pôr um pé num determinado cliente e então esta opção é vista como uma estratégia e um investimento, recuperando o dinheiro investido ao longo do tempo, através de outros futuros projectos ou através da manutenção e suporte do projecto em causa.


    Freelance
    Tudo o que foi dito para as TI é verdade para os freelancers. Só que neste caso é esperado que o preço seja mais baixo do que se o projecto fosse efectuado por uma TI. Isto deve-se a um conjunto de razões, umas mais válidas que outras, mas de onde se destaca um dos maiores receios: o de um freelancer "desaparecer" de um momento para o outro ou não ter interesse, ou disponibilidade, de fazer manutenção e suporte. Como tal, o cliente não está disposto a pagar a um freelancer o mesmo valor que leva uma empresa.
    Por outro lado, um freelancer não tem a seu cargo coisas como um departamento de recursos humanos, o que lhe permite apresentar um orçamento mais baixo mas mesmo assim muito interessante para o seu lado.

    É muito provavel que o trabalho não possa ser totalmente executado pelo freelancer e que este tenha de recorrer a serviços de terceiros, por exemplo fazer tuning a uma BD ou encomendar o design de um site.
    Pode também acontecer que existam algumas coisas no projecto para as quais o freelancer não possui conhecimento ou competência necessária e vai ter de optar por comprar esse conhecimento a terceiros ou então adquirir esse conhecimento. Se optar por comprar o conhecimento, então está a recorrer a um serviço de terceiros e estamos perante o caso acima, já se optar por adquirir esse conhecimento, então é justo que a aquisição do conhecimento seja paga pelo freelancer, dado que é um investimento, e que haja um ajuste no preço por hora para as tarefas que envolvam aquisição de conhecimento. É também justo que o cliente não tenha de pagar esse investimento com tempo, ou seja, o investimento é do freelancer e não deve penalizar o projecto com mais carga relativa ao tempo que ele vai necessitar para aprender essa nova competência.
    Outro factor que tem influencia no orçamento é a possibilidade do preço por hora variar consoante a especialização, ou o grau de conhecimento.
    Tudo isto são custos que o freelancer deve ter em conta quando efectua um orçamento.


    Exemplo
    Vou apresentar um exemplo de forma a clarificar e a consolidar o que expliquei acima. É de referir que os valores são totalmente aleatórios e servem o único propósito de ilustração.
    Imaginemos que o projecto em causa é uma loja virtual simples. Para construir a loja virtual vai ser necessário, de forma simples:
    - levantamento de requisitos
    - modelação e arquitectura
    - design da base de dados
    - design do site
    - programação
    - testes

    Após o planeamento, ou estimativa, conclui-se que:

    • Levantamento de requisitos: 56 horas
    • Modelação e arquitectura: 120 horas
    • Design gráfico: 40 horas
    • Programação: 160 horas
    • Design da Base de Dados: 32 horas
    • Testes: 40 horas
    • Gestão, Controlo e Reporting: 40 horas

    Se for uma TI a fazer o projecto,a mesma identificaria os papeis necessários para cada tarefa e, consultando a sua tabela de preços, faz as seguintes contas:

    • Consultor de negócio (56 horas de levantamento de requisitos): 56 horas x 14€ = 784€
    • Analista Programador Junior (70 horas de modelação e arquitectura e 100 horas de programação): 17 horas x 12€ = 204€
    • Lider Técnico Sénior (50 horas de modelação e arquitectura, 60 horas de programação, 12 horas de design de base de dados, 15 horas de gestão, controlo e reporting): 137 horas x 15€ = 2055€
    • Web designer (40 horas de design gráfico): 40 horas x 11€ = 440€
    • DBA (20 horas de base de dados): 20 horas x 15€ = 300€
    • QA (40 horas de testes): 40 horas x 12.5€ = 500€
    • Gestor de projecto: (25 horas de gestão, controlo e reporting) 25 horas x 15€ = 375€
    Somando tudo dá: 4658€

    Se for um freelancer, dado que ele faz todos os papeis, excepto os que compra a terceiros, e partindo do principio de tem um preço fixo por hora de 6€, poderá fazer as seguintes contas:

    • Design Gráfico (comprado a uma empresa de web design por preço fixo): 300€
    • DBA (dado que tem de aprender a mexer em MySQL, vai efectuar um desconto de 50% no preço por hora): 32 horas x 3€ = 96€
    • Gestão, Controlo e Reporting (concluiu que necessita apenas de 25 horas uma vez que só faz gestão, controlo e reporting para o cliente e não necessita de controlar as equipas envolvidas por estas não existirem): 25 horas x 6€ = 150€
    • Tudo o resto (dado que já tem competências nas áreas envolvidas): 433 horas * 6€ = 2598€
    Ora somando tudo dá: 3144€

    Conclusão
    A nível de orçamento, a opção freelancer sai 1514€ mais barato.
    Mas há que ter em conta que certas tarefas podem ocorrer em paralelo quando feitas por uma TI, por exemplo, a parte da arquitectura do sistema pode ocorrer em paralelo com a parte de design da base de dados, o que faz com que a TI possua um tempo de resposta mais rápido. No entanto, o freelancer pode também fazer este jogo: recorrendo ao outsourcing, pode efectuar apenas a gestão do projecto, ficando liberto para fazer a gestão de vários projectos ao mesmo tempo. Por outro lado, a TI também pode recorrer a outsourcing.
    Em conclusão, a diferença entre TI e freelancer é que o freelancer é uma empresa de uma pessoa só que consegue fazer preços mais competitivos embora possa ter um tempo de resposta mais lento.


    Informação Relacionada:
    - The Mythical Man-Month, um livro de referência para a gestão que infelizmente muito pouca gente leu.
    - Wikipedia: The Mythical Man-Month, pequeno resumo do livro.
    - Eric Sink on the Business of Softwar, um bom livro para iniciados nestas andanças com exemplos práticos de ISVs, micro ISVs e shareware.
    - Joel on Software, site com ensaios e artigos de opinião de um dos fundadores de uma ISV e que aborda várias temáticas desde problemas e escolhas técnicas até gestão e recrutamento.
    - Joel on Software, livro com a compilação de alguns dos melhores artigos do site e que aborda temas como a gestão e o preço dos produtos.



    Fonte: http://www.portugal-a-programar.org/forum/index.php/topic,5393.0.html
     

Partilhar esta Página