Tensão trifásica e carregadores de VE

Bom dia!

Coloquei a seguinte dúvida ao @timber por mensagem privada. Uma vez que não consigo enviar mais do que uma mensagem privada, decidi abrir o tópico aqui, uma vez que, apesar da resposta ser muito esclarecedora, fiquei ainda com algumas questões.


A potência que contratei para o escritório é trifásica, último escalão, 41,4kVA. Precisei desta potência porque vamos instalar duas máquinas de ar condicionada trifásicas com potência nominal de aprox 14,7 kW.
A minha questão tem haver com o seguinte:
1 - para mim a potência contratada era indiferente da forma como eu a consumo (via tensão monofásica ou trifásica). Vamos imaginar que, por absurdo, eu só usava uma fase, no limite eu podia "puxar" dessa fase 180A.
2 - acontece que o homem que esteve lá a instalar o quadro disse-me (mas posso ter percebido mal) que eu podia retirar 41,4kVA por fase, ou seja, se no limite eu só tivesse equipamentos monofásicos, se os distribuísse correctamente por fase, eu podia consumir 3x a potência que estava a contratar.

Percebi mal ou isto pode ter alguma razão de ser?

---------------------------------------------------------

Conceptualmente de facto é indiferente para o consumo se é monofásico ou trifásico. O quadro tem disponível a potência contratada.
A questão também só é relevante para situações de pequenas instalações onde vais alimentar cargas monofásicas a partir de um quadro trifásico.

Ora para BTN o controlo de potência vai às fases individualmente (nesse caso 60 A) e se uma fase pedir mais que os 60 A, dispara, bem abaixo da potência contratada. Por isso é que é preciso alguma arte a distribuir as três fases e mesmo assim não há milagres. Se estivermos a falar de uma habitação não há distribuição milagre, a cozinha é o local que requer mais potência. Só com uma obra em que se metam as três fases a ir a partes diferentes da cozinha mas isso além de ser caro, seria uma salganhada de cabos. Duvido que alguém faça isto.
No vosso caso é indiferente, primeiro porque nessa potência não há monofásico e segundo, os ACs são trifásicos e portanto vai consumir equilibrado.
Além disso um motor trifásico (a parte essencial do compressor do AC) é ao mesmo tempo mais simples, mais robusto e melhor que um monofásico.
Respondendo às tuas questões não vais ter nem uma coisa nem outra, tens o máximo de 60 A por fase (13,8) o que dá os 41,4.

Aliás se reparares acabaste por apontar o mesmo nas duas questões, se pudesses tirar 41,4 de qualquer fase em termos de dimensionamento da instalação é o mesmo que tirar 41,4 nas três ao mesmo tempo.

----------------------------------------------------------

Pelo que percebo da resposta, sendo o controlo de potência por fase e baseado na corrente da linha (os tais 60A para o caso em apreço), se eu tiver uma carga equilibrada, conseguirei retirar mais potência do que os 41,4 kVA contratados?

Esta pergunta é meramente teórica, ou seja, no fundo estou a tentar perceber como é que funciona o controlo que a a EDP (E-Redes) faz da potência que contratamos.
  • Estava convencido que controlavam potência cedida à instalação, mas já percebi que, caso tenhamos uma instalação mal equilibrada podemos estar limitados 1/3 da potência que contratamos.
  • Se é a corrente na linha que controlam, num sistema trifásico equilibrado, os 60A darão bem mais do que os 41,5 kWA (na verdade aprox 47,8 kVA)
Será assim?

Obrigado!
 
Topo