1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

"There's more to Linux than Ubuntu"

Discussão em 'Novidades GNU/Linux & *nix World' iniciada por esquiso, 27 de Dezembro de 2007. (Respostas: 61; Visualizações: 4402)

  1. esquiso

    esquiso Power Member

    Encontrei um artigo que acho que pode gerar uma discussão -saudável- em torno deste tema.

    Fonte

    E isto levanta perguntas que estão (ou deviam estar) na moda: Até que ponto é que a influencia do Ubuntu é benefica para o GNU/Linux? Até que ponto é que se deve seguir a máxima "Linux for human beigns", até que ponto se deve facilitar a entrada de novos users que vêm imensamente habituados à filosofia do Windows? Até que ponto é benefica ou prejudicial a entrada destes mesmo users? Deverá haver alguma especie de reacção ou adaptação por parte das outras distros, por parte dos kernel devs, por parte dos programadores?

    Nunca é demais relembrar: discussão saudavel, senão há chatices :D
     
  2. petersaints

    petersaints Power Member

    Tipo o problema disto tudo é o conceito distribuição... quando falo com os meus amigos (tirando um que também está em Eng. Informática) e falo em Linux eles não compreendem como é que Ubuntu pode ser Linux e ao mesmo tempo Fedora, openSUSE, Debian, etc. Faz-lhes confusão porque Windows é Windows (tem várias versões mas é tudo Windows), o mesmo se aplica a Mac OS. Custa-lhes compreender o conceito que cada distribuição não passa de empacotamentos personalizados de várias apps e ferramentas, algumas exclusivas de cada distro (que às vezes acabam sendo levadas para outras). O problema disto tudo é o nome Distribuição... os leigos têm que interiorizar isso.

    Mas por um lado acho que a ideia de uma Distro de Linux base para noobs era bom... só assim poderemos ver webcams, ratos, teclados, impressoras, scanners, etc... a dizer Designed for Ubuntu ou Compatible with Ubuntu. Porque se formos tentar fazer compativel com todas as distros dá porcaria porque já não é assim tão simples de instalar como no Windows. Logo Ubuntu é bom para leigos mas há que lhes fazer interiozar que há mais Linux. Os mais espevitados irão um dia experimentar outras e possivelmente migrar (ou não). Para a malta das IT penso que não haja problema visto que cada distro é melhor numa cena ou outra e aí conta a aplicação que uma determinada máquina vai ter para a escolha da distro.
     
  3. El_UnO

    El_UnO 1st Folding then Sex

    Não me faz grande comichão o Ubuntu ser o mais popular do momento. Empresas de hardware desenvolvem drivers para GNU/Linux e não para uma distribuição específica, mesmo que só dêem suporte a uma ou duas não é difícil por a funcionar em outras (ou encontrar documentação que explique como o fazer). Neste aspecto o Ubuntu faz imenso pela comunidade de Linux em geral pois a sua popularidade dá mais motivação ás empresas para continuarem a apostar...

    De resto competição há sempre, as restantes distribuições não vão deixar de existir nem de ser usadas só porque uma pegou moda. A Red Hat e a Novell continuam a apostar nas suas distribuições e a fazer documentação, o Gentoo é uma distribuição de nicho e no entanto é das melhores documentadas que por aí andam, o Debian continua espalhado por milhares de servidores e com uma estabilidade quase imbatível e por aí fora.

    Para o público em geral que só usa aquilo que vem com o pc, esses provavelmente pensarão sempre que o Ubuntu é "o Linux", but who cares? Hoje só conhecem o windows, ao menos ficam a conhecer algo melhorzinho :D
     
  4. CR_

    CR_ Power Member

    Não me faz impressão nenhuma a não ser para picar o pessoal :D

    Se Ubuntu tomasse o lugar monopolizador do windows não faria grande diferença para as outras distros pois era compactiveís na mesma com os programas que dessem em Ubuntu (o kernel é o mesmo). A concorrência mantia-se ;)
     
  5. _Kenshin_

    _Kenshin_ I'm cool cuz I Fold

    na minha opiniao de utilizador de ubuntu acho k é a melhor distribuição de Linux k experimentei até agora..apesar de so ter experimentado o caixa magica ,alinex e algumas distros de linux do tipo vixta..

    agora a questao do ubuntu ser benefico para o linux..é assim acho k é uma distro benefica para o Linux pelos seguintes motivos..esta a ser implementado em varias escolas pc's com o Ubuntu,dando assim oportidade as pessoas de conhecer outro S.O. alem do windows,e perceberem k o Linux nao é assim tao complicado.

    tal como referiste petersaints a maioria das pessoas nao consegue comprender o conceito de Distro do Linux pk vivemos num mundo informatico em k a partir do momento k se compra um pc ele vem logo com o windows..e as pessoas pensam k so existe windows e nao existe mais nenhum S.O. e que ainda por cima k cada pessoa pode muda-lo
     
  6. Nomearod

    Nomearod Power Member

    Dizer que o Ubuntu caso se massifique seja uma coisa mã, IMHO, é um enorme erro.

    Ubuntu tem feito mais ao longo destes (muito poucos) anos do que grande parte das distribuições. Sim, eu sei que a base já estava lá toda no debian com o seu APT, mas a verdade é que foi o Ubuntu o grande impulsionador de tudo. Foi graças à sua facilidade de utilização e a campanha de markting (se é que pudemos dizer isto) que o mundo conheceu Linux.

    Eu desde muito pequeno que fiquei fascinado por Linux. Desde os tempos do Red Hat 9 que comecei a mexer em Linux e naquela altura seria impensável chegar à escola e dizer aos meus colegas de turma (todos com idades à volta de 13) para instalarem aquilo. Agora Ubuntu? Até um leigo desde que não tenha hardware complicado consegue instalar.

    A massificação seria excelente. Tentar "combater" Windows com tantas distribuições é complicado. Nunca nenhuma conseguiria ter uma percentagem de mercado suficientemente grade. Mas com Ubuntu isso pode mudar. É de longe a distribuição mais usada e está a crescer a um ritmo fantástico. A continuar assim e as grandes produtoras de hardware irão ver-se obrigadas a suportar Ubuntu (e consequentemente Linux).

    Claro que isto pode levar a que muita gente não faça ideia de tudo o que está por traz. Provavlemente algumas pessoas que usam Ubuntu nem sabem que é baseado em Debian e que há muitas outras distros. Mas o que será melhor? Alguem conehcer e usar Ubuntu e desconhecer tudo o que está por traz ou apenas conhecer Windows e ignorar tudo isto?

    Além disso, com o tempo as pessoas aprendem =)
     
  7. ruivilela

    ruivilela Power Member

    O Ubuntu parece-me uma daquelas distros em que puseram a consola no canto do fundo com um chapéu em cima :)
     
  8. astrisko

    astrisko 1st Folding then Sex

    O Ubuntu teve o grande merito de trazer o Linux às massas, isto porque é bastante user friendly, tem uma enorme comunidade por trás e claro pelo excelente markting que foi feito, com o ship it por exemplo, para mim isto é sem dúvida alguma benefico para o Linux e para os seus users.

    O 1º contacto que tive com Linux foi acerca de 7 anos e pelo que me lembro era impraticavel utiliza-lo como SO principal, para um user comum, depois andei um bocado afastado e peguei novamente no Linux, muito por causa do hype que existia à volta do Ubuntu, na altura era a versão 6.06 e adorei-o, e depois veio a vontade de conhecer outras distros, experimentei quase tudo e dá-me um gozo enorme conhecer e explorar várias distros, descobrir novos WM, novos programas e novas formas de fazer as coisas, aprendi imenso neste ultimo ano e pouco.

    Tudo isto para dizer que apenas estou no mundo GNU/Linux, por causa do Ubuntu e como eu há muitos outros casos, claro que existirão utilizadores, que testarão o Ubuntu e ficarão por ai, nada contra, existem diversos perfis de utilizadores, há quem goste de explorar e descobrir coisas novas e há quem simplesmente quer ter um SO que não dê chatices e faça tudo o que querem, a esses pouco lhes interessa se estão a usar Windows, MAC ou uma qualquer distro Linux e é este último público que o Ubuntu mais tem ajudado.

    Resumindo, quem é Geek por natureza sempre usou Linux, e irá continuar a usar e a testar milhentas distros diferentes, quem é normalzinho :P e sempre usou Windows, está agora a migrar para Linux, apesar de nem sequer saberem o conceito de distro.

    E claro, no fundo Linux é Linux :D
     
  9. souto

    souto To fold or to FOLD?

    O kernel está lá. Escondidinho mas está. Portanto...

    Cada um usa o Linux como quer. Para quem usa Ubuntu, é ligeiramente diferente: usa o Linux como pode/sabe. Foi isso que o Ubuntu permitiu (e outras distros claro): ter-se um sistema open source usável.
     
  10. Nomearod

    Nomearod Power Member


    Para o user comum que só quer usar e que assusta-se todo ao ver uma linha de comandos é isso que se quer. Para o outros, será assim tão dificil ir lá tirar o chapéu? É que são só 2 cliques e tens a consola aberta. :P
     
  11. heeven

    heeven Power Member

    Ubuntu deve ser com Suse e PCLinuxsOS as distros mais fáceis por onde se começar. é um bom sistema operativo..simples..eficaz..relativamente rápido...não me admira que tenha "virado moda". Não é a distro que uso, mas quando me perguntam qual a mais fácil e por onde devem começar eu recomendo ubuntu ou suse. Porque quem começa e vem do mundo windows, acho que até o conceito de "consola" lhes faz confusão -.-
     
  12. xtr3me

    xtr3me Power Member

    Também não me faz muita espécie que o Ubuntu esteja massificado. Acho é importante que as pessoas saibam que ubuntu é apenas uma distro. Quanto ao resto, como já houve de resto uma discussão sobre o assunto, isso é precisamente (para mim) uma das vantagens do linux: a diversidade.

    Cada pessoa pode escolher o "modelo" que melhor se adapta ao que pretende e pode mesmo evoluír de forma sustentada, começando por distros mais user-friendly e evoluíndo para coisas mais complicadas. Caso sinta necessidade.

    Claro que "evoluír" não tem necessariamente que ser para algo mais complicado, mas sim apenas mudar para algo melhor (conceito que é subjectivo).
     
  13. Transmontano

    Transmontano I folded Myself

    Na minha humilde opinião, o Ubuntu trouxe muita gente para o mundo Linux, que não viria se uma distribuição como esta não existisse. Ora, acho que é bastante bom para a comunidade, mas por outro lado, acho muito mau, que muitas dessas pessoas, não saibam que "Ubuntu é Linux" e não "Linux é Ubuntu". Essas mesmas pessoas, mais tarde ou mais cedo, vão desistir do Ubuntu ou de outra distribuição user friendly, porque vai haver alguma dificuldade que não vão conseguir ultrapassar, quer por não terem paciência ou conhecimentos ou mesmo capacidade.
     
  14. petersaints

    petersaints Power Member

    Depende se Ubuntu se tornar tão user-friendly como Windows (e já não falta muito se as empresas apoiarem) acredito que Ubuntu se vai tornar o Linux... É aquilo que eu sempre disse para o Linux vencer o Windows tinha que haver um (distro) Linux de consumo havendo um mercado paralelo (as restantes distros) para os Power Users, Programadores e que alimentasse essa distro de consumo. Eu sei que vai contra a filosofia Open Source mas agarrando-se a esta filosofia nenhuma distro (ou o Linux em geral) poderá sequer abalar a Microsoft.
     
  15. Transmontano

    Transmontano I folded Myself

    Claro, eu concordo.
    É benéfico para a comunidade Linux, porque começa a haver mais suporte para hardware.
    Mas há muita gente que está habituada ao "menu iniciar" e à politica Windows. Quer queiramos, quer não, é complicado fazer uma mudança radical.
    :)
     
  16. esquiso

    esquiso Power Member

    Bingo!

    Eu não vejo o texto como um ataque ao Ubuntu. Seria estupido faze-lo, depois de tudo o que Ubuntu deu ao GNU/Linux: deu o relevo que ele precisava, deu a userbase para começar a significar algo, deu a voz, deu o poder, mostrou a muito boa gente que existe mundo para além de Windows e MacOS. Claro que também trouxe problemas, mas não chega nem de perto nem de longe para fazer comichão às vantagens.

    O problema que se afigura neste texto é o que o xtr3me muito bem sintetizou: o Ubuntu é apenas uma distro. Existem um mundo, literalmente, para alem dele. E muita gente não se apercebe disso. Não se apercebe que existem n distros que, se calhar, se adaptariam como uma luva à sua utilização diária, à sua maneira de pensar, de agir, se adaptariam melhor do que Windows ou Ubuntu se adaptam.
    De quem é a culpa? Pode dizer-se que é um pouco de muita gente. De quem não procura saber mais, de quem não incentiva a essa descoberta, de quem escreve artigos e refere-se ao GNU/Linux (outro common mistake deste genero, confundir Linux com GNU/Linux, mas isso também dava pano para mangas) como sendo sómente o Ubuntu, de quem vem de Windows e está habituado a apenas uma versão do mesmo SO em simultaneo.
    O que se pode fazer? A bem dizer, contra a vontade de os users querem saber mais nada. A ignorancia é repousante, não cria problemas e não cria necessidade de pensar. Mas pode-se pedir um esforço aos outros agente: quem aconselha, quem escreve artigos. Desmistificar.
     
  17. xtr3me

    xtr3me Power Member

    Só um aparte que nada tem a ver com o tópico que estamos a falar.

    Esquiso este pequeno quote é só para dizer que para mim é um "bocado de texto" brilhante. Sem qualquer tipo de exagero, no que a mim diz respeito.

    Desculpem o aparte, mas gostei mesmo destas frases que o esquiso escreveu.
     
  18. Tha1

    Tha1 Power Member

    Eu não tenho nada contra o Ubuntu.
    Como já disseram aqui, é preciso é que as pessoas compreendam que Linux não é só Ubuntu. Foi por esta distro que comecei no mundo do Linux.Depois parti para outra, e outra, até à actual (Arch).
    Se para as outras pessoas,servir de porta de entrada a este mundo,como serviu para mim,tanto melhor.À medida que forem usando mais a distro, apercebem-se também de que há outras distros que fazem o pretendido, uma melhor,outras pior... mas também tem de haver vontade das pessoas em aprenderem a usar outras distros, ou por outras palavras, a partirem para outra.
     
  19. Heron

    Heron Power Member

    Eu não acho que seja um problema. O que não falta na internet é informação sobre o mundo GNU/Linux e sobre distros, só alguém que não tenha interesse em saber é que pensa que Linux=Ubuntu, e para este tipo de pessoa (casual user: mail+browser+office) o Ubuntu serve muito bem.

    Eu não acho que conhecer o mundo GNU/Linux seja inerentemente bom. Óbviamente que nós (users do TZ), que somos curiosos sobre informática, achamos importante aprender este tipo de temática, mas a realidade é que existe um número enorme de pessoas (que são um do público alvo do Ubuntu) que simplesmente não se interessa por informática.

    Quanto aos artigos que falam do Ubuntu como se fosse Linux, são simplesmente maus artigos. Quando leio um artigo parto do príncipio que o autor tem um certo nível do conhecimento sobre a matéria, mas há sempre aqueles artigos que são escritos por nabos.
     
  20. madskaddie

    madskaddie Power Member

    É compreensível... eu cá digo que cada distro (ou família de distros) são SOs diferentes. Por exemplo a maneira de os configurar são completamente distintas assim como o arranque, etc... Por exemplo, no Debian tens vários kernel há disposição[1]. Isso é de tal forma notável que fazer um script para uns não é fazer para outros, o que torna o ambiente (geral) forte mas fragmentado. Isso tem prós e contras.

    Para mim o que torna o linux forte, não é a parte técnica mas sim ser o primeiro livre. Tal como a MS vingou por A primeira a conseguir massificar, um efeito semelhante se deu com o LINUX: é o kernel livre mais massificado (versus BSDs, SOLARIS e afins). O Ubuntu é um excelente ponto de entrada que ainda que "venha a ser o" LINUX, e como o ambiente é aberto, deixa espaço a todos os outros (já agora, por enquanto no Debian, no Ubuntu :P ). No mundo livre não haverá monopólios do tamanho do monopólio actual (eventualmente haverá um ou outro durante algum tempo tipo como as modas, mas nunca da dimensão do actual). No entanto julgo estar a haver uma convergência de distros, mas não acredito que alguma vez venha a haver uma unificação.



    [1] http://www.debian.org/ports/index
     

Partilhar esta Página