1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Thread do E17

Discussão em 'Novidades GNU/Linux & *nix World' iniciada por neonl, 9 de Novembro de 2007. (Respostas: 122; Visualizações: 15788)

?

Já usaram Enlightenment? Se sim gostaram?

  1. Não ainda não experimentei

    60,0%
  2. Sim, já usei. Gostei. Uso

    7,6%
  3. Sim, já usei. Não gostei

    15,9%
  4. Sim, já usei. Gostei mas só uso quando estiver estável.

    16,5%
  1. neonl

    neonl Banido

    Boas a todos os Linuxers.

    Crio este tópico porque - em primeiro lugar - não existe (pelo menos pela minha procura) nenhum tópico específico sobre ela, e acho que é importante divulgar este Desktop para X que tem tanto de bonito como de rápido e estável (embora ainda esteja em release alpha :cool:).

    Em primeiro lugar, passo a explicar, o que é o enlightenment?

    O enlightenment é um desktop environment completamente open-source e independente que tem vindo a ser desenvolvido desde há mais de 10 anos.

    Embora seja à partida só um "gestor de janelas" por ter um vasto leque de aplicações, bibliotecas e serviços pode ser considerado, de facto, um DE independente.

    A última versão "estável" do enlightenment (também às vezes chamado só de E) é a 0.16 (E16).

    Depois de finalizado o desenvolvimento dessa versão, os autores do enlightenment começaram a trabalhar no actual E17. Este é actualizado todos os dias.

    Por ser totalmente independente de distribuição e por não usar nem bibliotecas do QT (KDE) ou GTK (Gnome, Xfce) tem utilizadores em qualquer distro.

    Estas comunidades geralmente mantêm um repositório de binários para este desktop mas é preferível, devido ao grau de periodicidade de actualização deste, instalar e actualizar sempre a partir da source no CVS oficial.

    Voltando ao E propriamente dito, este desktop tem uma estrutura de composição do ambiente de trabalho feita por modules (módulos) e shelves (barras). Depois de ser instalado ele corre uma série de módulos e de serviços considerados básicos como o módulo pager (desktops virtuais), o ibar (uma espécie de quick launch bar) ou a ibox (aplicações minimizadas). Todos estes módulos são inseridos como gadgets nas shelves.

    Como está em desenvolvimento constante do código-fonte há muitas aplicações / módulos / bibliotecas que deixam de ser desenvolvidas e algumas que são adicionadas.

    Para manter a sua independência de qualquer outro sistema de desktop à partida o E17 faz virtualmente tudo, entre as suas próprias aplicações e as do X11 (xterm, xmms, etc); no entanto, a experiência prova que as eapps (aplicações do sistema E) ainda têm muitos erros e são extremamente difíceis de domesticar, de modo que muitas coisas são substituidas, na maior parte dos casos, por aplicações de sistemas GTK. Pessoalmente acho mais prático e ágil usar aplicações do xfce. Por exemplo, como gestor de ficheiros o enlightenment tem o entropy mas eu recomendo o Thunar. Para terminal, recomendo também o xfce4-terminal.

    O E além de ter o seu completo sistema de bibliotecas gráficas (ETK) tem o chamado entrance, que é uma alternativa ao GDM (Gnome, Xfce) ou KDM (KDE).

    Para saber mais visitem:Espero que este tópico vos seja útil. Visto que ele foi totalmente escrito por mim deve ter precisar de ser corrigido (:P): façam sugestões e críticas, pedidos...

    Em resposta vou postar um guia para instalar em sistemas Debian / Ubuntu a partir da CVS, com informação de actualização, vantagens e desvantagens, etc.

    Um desktop com E17 pode ter um aspecto do tipo:

    [​IMG] [​IMG] [​IMG]
    Tenho muitos mais screens postados (inclusivé neste tópico, na galeria de software moding geral e no de "como é o vosso desktop").

    Cumpz
     
    Última edição: 17 de Julho de 2008
  2. neonl

    neonl Banido

    Instalar a partir da CVS em Ubuntu (guia para outras distros no método antigo)

    Ok. Então, em sequência do post original deixo aqui um pequeno tutorial. Peço a users de outras distros (que não sejam debian based) que ajudem a adaptar o guia.

    Só um parêntesis, este tutorial é baseado (na verdade é quase só uma tradução, créditos pelo post original a Rui Pais) num HOWTO neste tópico do fórum oficial de Ubuntu.

    Então, quais são as vantagens de instalar o E17 pelo código a partir da CVS? A resposta é:
    • Podes estar tão actualizado quanto queiras.
    • Podes estar tão desactualizado (não, não estou a brincar :)) podes voltar a uma versão mais antiga do código (inteiro ou só parte dele) conforme queiras (boas razões para fazer isto nas desvantagens).
    • Fica tudo instalado na directoria de beta-testing o que é bom porque evita misturar código "partido" com o resto sistema.
    • Podes definir as tuas próprias definições de compilação o que permite escolher graus de optimização (ou "piorização" ;)) ao gerar os binários. (espero que esteja mais a gosto do Rui :P)
    Quais são os inconvenientes?
    • Como qualquer coisa que está em release alpha que é actualizado todos os dias há o risco de o código estar "estragado" e não conseguires actualizar qualquer coisa. Isto não é grave (geralmente) porque, primeiro passadas umas horas é possível o código estar reparado, segundo porque enquanto não está é simples voltar a uma versão legacy mesmo que seja só de umas horas.
    • As aplicações e módulos não funcionam todos, o enlightenment não está suficientemente desenvolvido para funcionar tão independentemente como os seus autores queriam.
    Instalação do E17 a partir da CVS

    Ok, vamos deitar as mãos à massa :009:.

    O autor original, fez um novo método: criou um pacote .deb que instala todas as dependências e basicamente faz todo o trabalho sujo por nós :D. O efeito continua a ser o mesmo. Agora, em sequência do novo Oz-os, é possível instalar a partir de repositórios, o que facilita ainda mais o sistema e o estar actualizado.

    1. Adicionar o repositório. Fazer
    Código:
    sudo sh -c "echo 'deb http://cafelinux.org/Downloads/oz-os tinwoodman main contrib' >> /etc/apt/sources.list"
    2. Instalar. Correr
    Código:
    sudo apt-get update && sudo apt-get install e17-cvs e17-themes # o themes é para ter uns temas fixes já instlados
    O processo de instalação fica assim concretizado (com dois simples passos, e há quem diga que é um processo complicado :)). Fazer logout e no GDM seleccionar a sessão "Enlightenment".

    NOTA: Para mais controlo, criar um ficheiro que o script dentro do .deb de instalação interpretará que salta o processo de compilação aquando do apt-get install e17-cvs,
    Código:
    touch $HOME/_skip_easy_e17_install
    e permite depois editar os ficheiros de config à mão e finalmente fazer
    Código:
    sudo easy_e17 -i
    No fim remover o ficheiro de skip criado:
    Código:
    rm -f $HOME/_skip_easy_e17_install
    ___________________
    Actualizar
    Código:
    sudo easy_e17.sh -u
    Configurar o GTK

    É pelo método antigo:

    criar na raiz da home um ficheiro chamado .gtkrc-2.0 para o enlightenment usar um tema do Gnome (ou Xfce) para as aplicações não terem aquele ar manhoso de Windows 95 e o Thunar ou o Nautilus usarem uns ícones decentes.
    Código:
    sudo nano ~/.gtkrc-2.0
    e escrever
    Código:
     gtk-theme-name = "Human"
     gtk-icon-theme-name = "Tango"
     gtk-font-name = "Bitstream Vera Sans 12"
    sair do nano salvando as alterações.
    Podem substituir o icon theme "Tango" pelo nome exacto daquele que usam em Gnome ou Xfce e o "Human" pelo tema que usam.
    ----------------------------------------

    Método antigo (agora o novo método é preferível)

    1. Preparação. Eu não sei até que ponto é que esta preparação é precisa (pelo menos na sua totalidade em Debian - eu fiz em Etch, Lenny e Sid com isto e a verdade é que funcionou), mas em Ubuntu é estritamente necessário, se algum passo falhar: reportar o problema, NÃO CONTINUAR, é improvável que funcione.
    Código:
    sudo aptitude update && sudo aptitude install build-essential cvs libtool libltdl3-dev automake1.9 autotools-dev libpopt-dev libcurl3-dev libx11-dev x11proto-xext-dev libbz2-dev libid3tag0-dev libpng12-dev libtiff4-dev libungif4-dev libjpeg62-dev libssl-dev libfreetype6-dev bison flex gettext libimlib2-dev libxml2-dev libxcursor-dev libgtk1.2-dev autoconf pkg-config libpng3-dev libxine-dev libxkbfile-dev libsqlite3-dev giblib-dev libxmu-dev libxdamage-dev libxcomposite-dev libtag1-dev libtagc0-dev giblib-dev libasound2-dev libxslt-dev libpam0g-dev libdbus-1-dev
    Se tencionas usar o módulo de screenshots (não é necessário, o do Gnome funciona), precisas do scrot. É possível instalar pela CVS mas recomendo instalar pelo APT.

    2. Obter o script. Para instalar pela source, fazer actualizações e desactualizações - entre outras coisas - vamos usar um script (créditos a Morelenxus). Para isso, primeiro, ir para a /home e descarregar o script:
    Código:
    cd ~
    wget http://omicron.homeip.net/projects/easy_e17/easy_e17.sh
    e torna-o executável
    Código:
    chmod +x easy_e17.sh
    3. Configuração. Neste passo vamos definir num ficheiro de texto o que é que pretendemos que o script instale a partir da CVS. Para isso abrir com editor de texto (aqui no exemplo está o nano, é o mais universal):
    Código:
    nano -w .easy_e17.conf
    Agora, muito importante definir o que instalar (ou melhor, tecnicamente, aqui define-se o que NÃO se quer instalar):

    Copiar um dos dois.
    Para um sistema básico, sem eapps ou sem módulos extra inserir:
    Código:
    --skip=imlib2,edb,emotion,entrance,eclair,evfs,edje_viewer,edje_editor,elicit,evolve,e_dbus,elitaire,emphasis,empower,engycad,entrance_edit_gui,entropy,scrot,ephoto,estickies,exhibit,expedite,extrackt,engage,exml,enhance,enthrall,rage,scrot,alarm,bling,cpu,deskshow,emu,flame,forecasts,language,mail,mem,mixer,moon,net,news,photo,rain,screenshot,slideshow,screenshot,snow,taskbar,tclock,uptime,weather,winselector,wlan,mixer
    Para um sistema completo (recomendado):
    Código:
    --skip=imlib2,edb,emotion,entrance,eclair,evfs,edje_viewer,edje_editor,elicit,evolve,elitaire,emphasis,empower,engycad,scrot,entrance_edit_gui,entropy,ephoto,estickies,exhibit,expedite,extrackt,engage,exml,enhance,enthrall,rage,emu,flame,moon,rain,screenshot,snow,language,mixer
    4. Instalação do enlightenment. Não tem nada que saber: copy + paste :):
    Código:
    sudo ./easy_e17.sh -i
    Isto é demorado e pede CPU. Se tens PC pela bateria, bem, digamos que se calhar preferes ligá-lo à corrente :D.
    5. Definir o caminho do DE. Editar o ficheiro /etc/environment com o nano (ou outro):
    Código:
    sudo nano -w /etc/environment
    Adicionar isto :/opt/e17/bin no fim da linha que lá está.

    Agora, finalmente para instalar no GDM correr:
    Código:
    sudo ln -s /opt/e17/share/xsessions/enlightenment.desktop /usr/share/xsessions/enlightenment.desktop
    Deves estar apto a correr o teu novo sistema. Se estás em Gnome, recomendo que não faças logout, mas sim restart ao PC.

    Fazer as actualizações (updates)

    Correr isto:
    Código:
    sudo ./easy_e17.sh -u
    Depois posto uns screenshots e meto uns tips & tricks, mas hoje à noite já estou há mais de uma hora a teclar neste tópico, por tanto trato disso amanhã ou depois. Prometo :D

    Usar as bibliotecas gráficas GTK

    Como o E17 não consegue à partida interpretar as bibliotecas gráficas GTK e há muitos programas que de certeza vão usar que as requerem, criem na raiz da vossa home um ficheiro chamado .gtkrc-2.0 para o enlightenment usar um tema do Gnome (ou Xfce) para as aplicações não terem aquele ar manhoso de Windows 95 e o Thunar ou o Nautilus usarem uns ícones decentes.
    Código:
    sudo nano ~/.gtkrc-2.0
    e escrever
    Código:
     gtk-theme-name = "Human"
     gtk-icon-theme-name = "Tango"
     gtk-font-name = "Bitstream Vera Sans 12"
    sair do nano salvando as alterações.
    Podem substituir o icon theme "Tango" pelo nome exacto daquele que usam em Gnome ou Xfce e o "Human" pelo tema que usam.

    Cumpz e bons enlightenments ;)
     
    Última edição: 5 de Julho de 2008
  3. madskaddie

    madskaddie Power Member

    Só gostava de chamar a atenção para que a tradução de "library" é "biblioteca" e não "livraria" (apesar de ser demasiado fácil cair no erro... )
     
  4. neonl

    neonl Banido

    Cooool!!! até que enfim que alguém fez o que eu pedia, corrigir os meus erros (eu já tinha alertado para a existência destes) :D!

    Thx madskaddie, vou corrigir. Eu até sabia, mas ontem ao fim de uma semana de testes e estudo já nem sabia que 2 + 2 são 5, perdão 4 :P.

    Já agora, gostaste do tópico (exceptuando isto, claro)?

    EDIT: correcção já feita
     
    Última edição: 10 de Novembro de 2007
  5. slack_guy

    slack_guy Power Member

    Bom post!

    O Enlightenment pretende ser um Window Manager completo (integrando um conjunto próprio de aplicações, como referiste) e bonito (cheio de 'eyecandy'). O problema é que isto dá uma trabalheira diabólica e isso reflecte-se na velocidade com que o têm desenvolvido: o DR17 está 'a vestir-se' há anos e, a este ritmo, nem sei se algum dia vai estar concluido.

    Pessoalmente, tentei usá-lo, por mais de uma hora, por diversas vezes (tanto o DR16 como o 17). Infelizmente não tenho a paciência necessária para aturar bugs. Além do mais, sou um gajo complicado que gosta de coisas complicadas :-) o meu WM é há anos o FVWM, onde tudo se configura 'à pata'.
    Reconheço que o E tem algumas 'invenções' interessantes, mas os pontos fortes - integração de aplicações e eyecandy - não são os que mais aprecio num WM.
     
    Última edição: 10 de Novembro de 2007
  6. neonl

    neonl Banido

    Em primeiro lugar obrigado pelo elogio.

    Em segundo lugar, o enlightenment até nem tem muitos bugs (embora pareça que sim).

    As vantagens do E17 não são só eyecandy. São também a velocidade. Os bugs estão nas eapps mas também Who needs them?! Eu uso apps do Xfce thunar, xfce4-terminal (no DR17) e tenho um sistema muito mais rápido e estável que o Gnome.

    A composite extention dele é mais leve que o compiz o que é porreiro, embora eu não use nem uma nem outra.

    Admito que pareça assustador ao principio mas isto é só ao principio depois é ir actualizando e... um dia isto há de ter uma release definitiva (ou não :D).

    Cumpz.

    P.S.: Repito o pedido, users de outras distros que percebam do assunto, ajudem a adaptar o guia para essas distros. Basicamente o passo que muda é só o primeiro, o resto é Linux puro e duro.

    EDIT:
    então devias gostar disto :P
     
    Última edição: 10 de Novembro de 2007
  7. madskaddie

    madskaddie Power Member

    Sim, gostei do post :) Para mim, o grande problema do Enlightenment é mesmo o grande ciclo de produção (ainda falam do Debian ... lol). Já lhe dei 2 tentativas(ao 17): a primeira era tão verde, que rebentava por tudo e por nada mas já foi à uns anos. A última (~6meses atrás), como não tem alguns pormenores à mão, acabei por desistir. Em relação a versões anteriores, quando era o DM default do GNOME (long before metacity) "não havia outro remédio", mas nesse caso ainda não era um Full Feature Desktop Env.

    O E17 é mesmo bonito e LEVE (e de que forma!!!) mas...

    Já agora, sabes se existe integração com o HAL para automounts ou temos que lançar o ivman ou GNOME VOLUME MANAGER para fazer o serviço? E em termos de power resources (alteração de frequência, monitores, suspend e afins), já existem applets, ou "só" dá para safar na base da linha de comandos (ou lançando o GNOME POWER MANAGER/equivalente)?
     
  8. neonl

    neonl Banido

    Em relação aos automounts, se tiveres o sistema definido previamente para auto-montar as unidades (por exemplo com o Gnome) ele sim respeita isso e as unidades são auto-montadas quando "pluged-in". (não sei se isto é resposta à pergunta que fizeste)

    Em relação às applets, como eu disse nos primeiros posts tens os módulos que sim, dum modo geral fazem tudo isso que referiste.
     
  9. slack_guy

    slack_guy Power Member

    Última edição: 10 de Novembro de 2007
  10. neonl

    neonl Banido

    Obrigado pela citação. O elive eu já conhecia. Tem o problema de, ao usar só o sistema E tem altas probabilidades de problemas. Eu pessoalmente não recomendo flavours de E (mesmo que depois se possa instala outro). Eu por acaso até estou a ver se crio um :P.

    Em relação à instalação em slackware que mandaste obrigado também mas essa é uma instalação por binários o que não é muito bom (como eu já disse no principio) era preferível tentar conciliar a compilação pela CVS.

    Cumpz
     
  11. slack_guy

    slack_guy Power Member

    nope. get the source -> configure -> make -> make install (the way I like)
     
  12. neonl

    neonl Banido

    Então mas é feito a partir da Concurrent Version System oficial?

    É que lá diz:
     
  13. slack_guy

    slack_guy Power Member

    A partir de onde se queira, desde que tenha o código-fonte.

    A diferença é que, provavelmente, a mais recente está no CVS, a menos que eles criem pacotes sempre que actualizam o repositório (alguns fazem isso, a maior parte não).

    EDIT:
    Também para Slackware: para criar um pacote .tgz (DR16), pode usar-se o script disponível no SlackBuilds

    RE-EDIT:
    agora é que vi a poll: falta lá a minha opção: Sim, já usei, gostei mas não uso :-)
     
    Última edição: 10 de Novembro de 2007
  14. neonl

    neonl Banido

    Pois... podes sempre votar na última opção.
     
  15. skorzen

    skorzen Power Member

    Bem, eu votei na seguinte opção:

    A verdade é que não se trata de não ter gostado mas sim de não ter percebido nada de como aquilo funciona, em que baseia e questões afins. Espero ler mais sobre o E e vir a perceber melhor a sua filosofia, de modo a poder vir a experimentar novamente e ter uma opinião mais esclarecedora.
     
  16. neonl

    neonl Banido

    Esta thread é para isso mesmo! Eu tenho que ir adicionando coisas, mas o melhor é irem-se postando questões.
     
  17. greatbunzinni

    greatbunzinni Power Member

    Eu já usei há uns tempos e, mesmo apesar das eapps, a experiência foi positiva. Estou agora a montar um pentium 3 1GHz com 256MB de RAM (sistema microATX por 8€ :wah:) e se não correr o XFCE então vou para o Enlightenment.
     
  18. neonl

    neonl Banido

    Recomendo ter um Xfce instalado. O enlightenment gosta muito de aplicações deste. Instala Xubuntu e depois segue o meu tutorial na primeira resposta. Vais ver como não te arrependes.
     
  19. greatbunzinni

    greatbunzinni Power Member


    O meu problema com o Xubuntu foi que na última vez que o testei ele dependia de algumas aplicações em Mono e que acabavam por ser bem pesadas. Logo, isso atirava por terra toda e qualquer ideia de ser uma distribuição leve, pelo menos para todo o uso.

    Não sei se continua assim com o 7.10. Quando acabar os testes eu vou ver como corre.
     
  20. madskaddie

    madskaddie Power Member

    Neste momento estou a usar XFCE com PIII a 500MHz, 384Mb RAM com satisfação. O problema por estas bandas não é o X, WM ou DE, mas sim sites "com 20 flash containers", ou sites com alta dependência de Javascript. Como tenho GeFroce4, é ridículo ao ponto de ter composite effects e o google reader demorar algum tempo a ler (a substituir por um leitor de rss decente) seja em Opera ou Firefox (dillo speed rocks!! Mas não suporta JS); De resto, trabalha-se MUITO bem (emacs, gcc, pdflatex,...). É claro que esta thread pos-me a pensar se vale a pena experimentar uma vez mais (nem que seja o 16).
     

Partilhar esta Página