1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  2. Encontrem os preços mais baratos dos componentes no Comparador ZWAME. Partilhem o link nas sugestões que apresentam.
    Remover anúncio

Tópico Oficial de Monitores

Discussão em 'Aquisições/Upgrades PC' iniciada por miguelbazil, 5 de Fevereiro de 2015. (Respostas: 13333; Visualizações: 788909)

  1. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Tópico oficial de Monitores

    Este tópico serve para todos os assuntos relacionados com monitores, de modo a ter toda a informação reunida num só local.
    São permitidos posts sobre novidades, dúvidas, aconselhamento, etc... sempre dentro das regras gerais e da secção.
    Não é permitido offtopic, picardias e conteúdo não relacionado com o tema.


    Para obtenção de informação mais aprofundada sobre a teoria por trás de tudo o que são monitores, a tft central e PC Monitors têm artigos aprofundados. Outra fonte de informação interessante (especialmente sobre arrastamentos) são os Blur Buster, responsáveis pela criação da técnica de Lightboost.

    !! IMPORTANTE !!

    1) Dúvidas e compras são para ser feitas neste tópico, não devem abrir outro.

    2) A informação contida aqui tem um pré-ponto que é necessário interiorizar: não somos todos iguais nem percepcionamos tudo da mesma maneira. O facto de um monitor ter melhores especificações que outro não implica automaticamente que é melhor para todos. Isto é especialmente visível na questão da performance vs cor, escolhas de painel e frequência do monitor. Devem ter em conta que a experiência de cada um é única, e que devem ver toda esta informação com a devida pitada de sal.

    3) Antes de preencherem o questionário, é recomendável lerem as recomendações de monitores.

    Questionário (preencher e criar post nesta thread)



    =============================================
    Inicio do Questionário
    =============================================

    1) Qual o orçamento?


    2) Quando vais comprar o material?


    3) Qual a utilização a que se destinam esses componentes?
    a) Gaming
    b) Trabalho geral (escrever, programar, office...)
    c) Filmes/Séries
    d) Edição de imagem/vídeo
    e) All around (mistura de todos os anteriores, especificar peso de cada um)


    4) Gráfica actual? Gráfica Planeada?


    5) Tamanho do monitor (polegadas)?


    6) Resolução pretendida?


    7) Que painel preferes?
    a) IPS/PLS/AHVA
    b) TN
    c) VA


    8) Opções de monitor pretendidas
    a) Ajuste de altura / Tilt
    b) Portas USB
    c) Portas HDMI
    d) Portas DVI
    e) Portas DisplayPort
    f) Colunas de Som integradas
    g) Outros (especificar)


    =============================================
    Fim do Questionário
    =============================================


    Este indíce dá-vos uma ideia de toda a informação que está associada a um monitor. Na minha opinião, pode-se analisar um monitor em 3 grandes partes: o painel, a performance, e a qualidade visual. Cada uma delas influencia à sua maneira a parte final. O painel também tem impacto nas outras duas partes, mas isso é revisto mais à frente. Se querem informação mais directa e simples, a secção de tecnologias de matriz contém um pequeno resumo do que esperar de cada monitor de um determinado tipo. Secções como o coating, o overdrive, os Pixel response time, as densidades de pixels, e os contrastes, creio serem particularmente importantes de forma geral.

    Onde possível, a introdução de cada tema tem uma espécie de resumo desse tema. Pensem nisso como um tl ; dr.

    Painel

    Performance


    Qualidade Visual


    Extras

    Explicação dos nomes de modelos Samsung
    Explicação dos nomes de modelos LG
    Análise de problemas AOC G2460PF


    Recomendações (estas estão sempre actualizadas)
     
    Última edição pelo moderador: 20 de Novembro de 2018
  2. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Tecnologia de painel

    Aqui contém-se informações sobre a parte do monitor responsável por mostrar a imagem final.

    CRT (Cathode Ray Tube)

    [​IMG]
    imagem original, deste artigo, aspecto de um CRT

    Monitores com base em tecnologia de tubo de raios catódicos e um ecrã fluorescente. Este é feito com um canhão de electrões, que os dispara contra o ecrã, que vai emitir luz com o embate do electrão. A luz emitida decai rapidamente em comparação a outras tecnologias. Isto implica que o ecrã passa a maior parte do tempo desligado. Para compensar, o ecrã tem de disparar electrões vezes suficientes por segundo para que este pareça sempre ligado.

    A tecnologia Lightboost actualmente usada nos TFTs da BenQ simula, no fundo, este pormenor do monitor se desligar tantas vezes por segundo, por forma a evitar ghosting.

    Este tipo de painel tem melhores contrastes e menos arrastamentos, mas tem componentes mais perigosos electricamente (os transístores contêm cargas eléctricas muito perigosas), e é extremamente pesado.

    LCD / TFT (Liquid Crystal Display)

    [​IMG]
    imagem original, deste artigo, aspecto de um LCD

    Paineis mais comuns hoje em dia, são compostos por 2 tecnologias: o LCD que emite luz colorida através de um cristal líquido entre 2 camadas polarizadoras, e o TFT que permite o controlo correcto de cada pixel (ganhou popularidade pois permite o controlo individual de cada pixel através de um transistor, e ainda melhora a qualidade de imagem).

    Tem piores contrastes mas é mais leve e fino que a tecnologia CRT.

    OLED

    [​IMG]
    imagem original, deste artigo, aspecto de um OLED

    Acrónimo de Organic LED, é uma tecnologia que usa LEDs de base de carbono para emitir luz. Permite ecrãs ultrafinos, mais flexíveis, e contrastes e cores muito superiores aos LCD/TFT, mas ainda tem problemas de durabilidade associados, e custos de produção algo elevados.

    Actualmente, a maior limitação prende-se com os LEDs azuis possuirem metade do tempo de vida útil dos LEDs verdes e vermelhos. Ou seja, a imagem perde as cores vibrantes e reais mais depressa que o desejável.
     
  3. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Tecnologias de matriz

    A informação aqui contida relaciona-se com a tecnologia que dá a qualidade de imagem e as características de performance principais. As mais populares e discutidas são TN, VA e IPS/PLS/AHVA. O objectivo desta secção não é discutir a implementação da tecnologia, mas sim as suas vantagens e desvantagens.

    Para uma descrição mais completa de todas as tecnologias mais comuns, a tft central tem um artigo bastante compreensivo sobre o assunto.


    TN
    A tecnologia mais popular durante bastante tempo, dominou completamente os tamanhos até 19''.

    (+) Tempo de resposta de pixels, frequência mais elevadas
    Caracterizada principalmente pela capacidade de resposta dos pixels (melhores transições em 1-2ms), é uma tecnologia de resposta rápida do painel. Frequências de 120Hz e acima estão implmentadas de raíz devido a isto. É também devido a estas frequências maiores que algumas tecnologias extra estão já preparadas e implementadas nestes paineis, como os modos lightboost (zero ghosting, simulação do que os CRT faziam antigamente). Outro ponto importante é que o custo de produção dos paineis é comparativamente mais baixa, levando a monitores com valores mais baixos rapidamente.

    (-) Cores, ângulos, contrastes
    Devido à maneira como os paineis são implementados, as cores finais são classificadas como fracas e pouco realistas ou vivas. Outro problema que surge são os ângulos mais limitados de visualização. Uma forma simples de ver isto é começar a olhar para o monitor mais de cima ou lado, as cores começarão a parecer estranhas, e a ficarem mesmo alteradas. Enquanto que para jogar estas questões podem passar ao lado, ver um filme ou fazer edição de vídeo/imagem é uma experiência menos conseguida, especialmente com as alternativas actuais.
    Outro ponto importante são os contrastes que são fracos. Os paineis não conseguem mais que 1100:1 de contraste, o que é baixo considerando que um plasma consegue valores acima dos 10000:1.

    VA
    Painel menos popular voltado para os contrastes. Pouca adesão e expansão no mercado por terem alguns problemas conhecidos.

    (+) Contrastes
    Os contrastes destes monitores estão entre os 2000:1 e 3000:1, as escalas de cinzentos são mais variadas nestes paineis. Conseguem bons tempos de resposta de pixel como os TN. Há relativamente pouco tempo conseguiram estabilizar os tempos de resposta e as variações de qualidade do painel.

    (-) Cores, ângulos

    As cores e os ângulos são novamente o ponto fraco deste tipo de painel. Os tempos de resposta nem sempre são interessantes, ainda que ligeiramente mais baixos que IPS.

    IPS / PLS / AHVA
    Paineis em clara expansão no mercado, virados para cores mais vibrantes / reais. IPS são os paineis produzidos pela LG, PLS são a resposta da Samsung, mais recentemente apareceram os AHVA, uma espécie de "offspring" de VA que foi virado para as cores.

    (+) Cores, ângulos
    Este tipo de painel apresenta uma capacidade de representar as cores de uma forma mais realista, e em alguns casos mesmo mais vibrantes e apelativas. A adicionar a isto, o problema anterior dos ângulos é em grande parte resolvido, sendo que os ângulos de visualização sem cores alteradas são consideravelmente melhores. Não só é útil em gaming com múltiplos monitores, como os paineis maiores não sofrem alterações de cor nos pontos mais afastados. Edição de imagem beneficia principalmente com estes paineis, visto que a representação mais realista evita alguns problemas como as cores de uma imagem, ao ser impressa, não sairem diferentes do esperado.

    (-) Tempos de resposta de pixels, frequências, glow

    O custo de ter estas cores mais bonitas é uma quebra na performance em relação a TN. Os melhores tempos de resposta dos pixels são mais elevados (5ms mínimo) e, consequentemente, tem sido bastante difícil de colocar frequências mais elevadas que 60Hz nativamente nestes monitores devido às necessidades de performance associadas. Alguns paineis PLS conseguem ser overclocked até 120Hz, mas depende muito da sorte e qualidade do painel, e não é uma prática comum na Europa.
    Os EUA, devido ao fácil acesso aos mercados Asiáticos atráves do Ebay têm acesso a alguns destes paineis. Um ponto a ter em conta é que existe uma espécie de brilho neste tipo de tecnologia, que poderá ser ligeiramente confundido com light bleed (iluminação mais intensa numa zona do monitor que nas outras, causa ligeiras diferenças nas cores nessa zona). Não afecta toda a gente, mas algumas pessoas podem ser sensíveis a isto.
     
  4. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Resoluções

    A resolução indica no fundo o espaço efectivo disponível no ecrã em termos de software. Quanto maior a resolução, mais informação visual é possível disponibilizar num ecrã. As resoluções mais populares ou em desenvolvimento são 1920x1080 (Full HD) , 2560x1440 (WQHD) e 3840 × 2160 (UHD). A wikipedia tem uma lista compreensiva da maioria das resoluções no mercado.


    Em teoria, qualquer resolução pode ser aplicada num monitor (com mais ou menos desafios), mas a indústria rege-se por um conjunto de standards. Existem 3 terminologias usadas de forma regular para descrever a resolução de um monitor:

    • formato (xx:yy) - mínimo divisor comum entre comprimento e altura do monitor, sendo 4:3 e 16:9 os mais conhecidos, e recentemente os 21:9 começaram a aparecer no mercado
    • altura (...p) - como as resoluções se encontram bastante standartizadas, pode-se usar de forma geral apenas a altura para falar de uma dada resolução. As mais conhecidos são 720p, 1080p, 1440p e mais recentemente 2160p com a chegada das resoluções 4k. Existem outras resoluções menos conhecidas como 1200p e 1600p que existem de forma pouco disseminada no mercado.
    • nome do formato (FHD, HD, 4k) - algumas resoluções são tão importantes para a indústria que recebem um nome específico para as identificar. As mais conhecidas são as HD Ready para 720p, Full HD para 1080p, Ultra HD para 4k.
    Actualmente o standart mais conhecido e disseminado do mercado é o Full HD (1920x1080 16:9), sendo que as resoluções de crescimento até ao Ultra HD estão em crescimento no mercado, num esforço conjunto da Microsoft com os produtores de paineis. Este esforço foi anunciado em 2014, e já na CES 2015 foram mostrados novos monitores derivados deste anúncio.
     
    Última edição: 5 de Fevereiro de 2015
  5. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Cobertura (Coating)

    A cobertura determina 2 pontos num monitor: intensidade das cores e resistência aos reflexos no monitor. Existem 3 coberturas populares: Matte (sem brilho), Semi-Glossy (semi brilhante) e Glossy (brilhante).

    Matte
    É uma cobertura tipicamente forte, e consoante a sua "dureza", distorce mais ou menos as cores, mas aplica uma resistência elevada aos reflexos de luz devido a ter-se uma fonte de luz intensa por perto. Tornou-se popular devido às queixas de utilizadores de PCs em ambientes muito luminosos. Neste tipo de ambientes, o monitor apresenta muitos reflexos que podem ser distractivos e desconfortáveis para o uso.

    Claro que para se obter tamanha protecção, as cores vão ficar menos vibrantes, e no pior dos casos (coberturas demasiado fortes), pode ocorrer uma espécie de efeito de pixelização desagradável para algumas pessoas.

    Glossy

    O exacto oposto ao Matte, é quase uma não cobertura. O ecrã apresenta-se completamente natural, com as cores originais do painel, mais vibrantes, mais bonitas. O problema é o que deu origem às coberturas matte: reflexos. Muitos... Reflexos... Numa sala completamente (ou quase) escura, consegue ser uma experiência muito interessante, mas aumentem a luminosidade e começa a ser desagradável. E como é desaconselhável o uso de monitores em ambientes sem luz, é uma cobertura em muito pouco uso no mercado actualmente.

    Alguns utilizadores ainda assim preferem coberturas deste género para obter cores o mais vibrantes possível. A maneira mais simples de reduzir os riscos é preparar adequadamente o "cantinho" de uso do PC, reduzindo ao máximo os focos de luz que podem apontar para lá.

    Semy Glossy
    Uma espécie de equilíbrio entre as coberturas anteriores, permite obter cores mais vibrantes que as coberturas Matte, mas ainda manter um certo grau de protecção contra os reflexos. É particularmente interessante em ambientes onde é possível não ter focos de luz directamente atrás do monitor (exemplo simples: uma janela mais longe, e o monitor não exposto à mesma; se a parede atrás do monitor não for muito reflexiva, não deverá causa problemas ao monitor). Ainda assim, suporta pequenos focos de luz por perto sem ser demasiado penalizante para a vista.
     
  6. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Overdrive e Artefactos (ghosting / overshoot)

    Muito se fala das diferenças entre TN ser mais rápido que IPS em pixels, e associado vem sempre a tecnologia de overdrive e os típicos arrastamentos. Mas que significa tudo isto? Em poucas palavras, o overdrive é a tecnologia que permite acelerar os pixels para que mudem de cor em tempo útil. Isto pode ser ou não ajustável, mas sê-lo pode ser um bónus quando não sabemos se somos sensíveis ou não. Ghosting é um arrastamento de imagem tipicamente mais claro, e overshoot um tipicamente mais escuro.


    Para compreender estes artefactos que tanta gente fala, é necessário primeiro falar de overdrive. O overdrive é uma técnica que foi desenvolvida para melhorar os tempos de resposta de pixels dos monitores. Envolve dar mais voltagem que a necessária a um pixel, por forma a acelerar a transição de cor, e alterar a voltagem para o valor correcto antes do ponto desejado ser atingido. Se a tecnologia for bem implementada, não serão vistos artefactos.

    [​IMG]
    imagem original de xbitlabs, neste artigo, exemplo de overdrive bem aplicado

    ghosting - arrastamento de imagem criado por transições de cor lentas. Caracterizado por uma imagem fantasma mais clara e esbatida.

    overshoot
    - arrastamento criado por voltagens exageradas quando se tenta acelerar a transição de cor entre pixels. Caracterizado por uma imagem fantasma forte e escura.

    [​IMG]
    Original de tftcentral, da review do BL3200PT, ghosting e overshoot

    Nesta imagem vê-se o ghosting (imagem em cima) e overshoot (imagem em baixo).

    A maioria dos users não nota os arrastamentos num painel até 10-12ms se este estiver a 60Hz. Existem alguns casos menos comuns de pessoas que sentem arrastamentos a mais que 2-3ms, mas cada pessoa tem de experimentar e perceber qual a sua sensibilidade.
     
  7. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Frequência, Tearing e *Sync

    A frequência de um monitor é também conhecida como a taxa de actualização do mesmo, e representa o número de vezes por segundo que um monitor consegue mostrar uma nova imagem. As frequências mais comuns são 60Hz, 120Hz e 144Hz. Tearing é uma espécie de corte na imagem, em que uma segunda imagem começa a ser desenhada antes da primeira terminar. O G-Sync e Freesync propõem-se a minimizar esse efeito. Maior frequência traz imagens mais precisas em movimentos rápidos.



    Um ponto importante é que maior frequência traz maior percepção de fluidez e nitidez da imagem em movimento, e em gaming isto tem um impacto forte.
    Vamos fazer contas simples para compreender a sua importância:

    frequência = 1 / tempo

    A 60Hz, o que nos diz isto? Usando regras algébricas simples, temos que 1/60 = 16,(6)ms é o tempo que transição entre imagens. Ou seja, um monitor de 60Hz espera ter uma nova imagem vinda da gráfica a cada ~16ms. Já a 120Hz temos 8.(3)ms e a 144Hz temos 6.9(4)ms. Ou seja, maiores frequências têm maiores necessidades de paineis mais rápidos, ou com overdrive mais agressivo.

    Também é importante para perceber o fenómeno de screen tearing, e o porquê de as tecnologias de G-Sync e FreeSync estarem a ser tão badaladas de momento.

    [​IMG]
    original de tweakguides, neste artigo, exemplo de screen tearing abaixo do centro da imagem

    O que acontece quando temos uma imagem disponível antes do tempo? E depois do tempo? Como deve um monitor gerir isso? Esta é a questão de base para o screen tearing. Se o monitor estiver a mostrar uma nova imagem, e antes de terminar receber uma nova imagem para display, e o fizer do mesmo ponto onde se encontra actualmente, vai-se gerar uma imagem com 2 zonas díspares, o que resulta em algo "estranho" à vista. Isto acontece com imagens que chegam tarde e cedo, basta que o ponto em que são recebidas não esteja de acordo com o monitor.

    O G-Sync e FreeSync propõem-se a permitir que o monitor mude a frequência consoante a velocidade a que uma gráfica está a debitar imagens, reduzindo/eliminando efectivamente estes artefactos com muito menor input lag (caso de VSync actualmente disponível por software, que tranca os frames de um jogo a 60, para estar de acordo com os 60Hz típicos).

    Freesync é uma tecnologia livre de royalties, G-Sync é pago (o valor é elevado). A diferença típica ronda os ~200€. Importante notar que, actualmente (2019), a Nvidia já suporta também a tecnologia base do Freesync, o Adaptative Sync. Como tal, vários monitores que têm freesync, também podem ter a tecnologia usada pela Nvidia. Detalhes e configurações podem encontrar-se aqui.

    Um último ponto a ter, a frequência influencia também a nitidez da imagem, mais que Pixel Response Time muitas vezes. Ao termos frequências maiores, temos também mais imagens a serem enviadas, o que traz menos "blur", e torna as imagens mais precisas mesmo em movimentos rápidos.

    EDIT:
    Nota sobre a frequência e porque é que "60 fps em 144Hz são melhores que 60fps em 60Hz":
    Explicação simples:
    Avançada:
    Explicação em vídeo dos syncs e testes:
     
    Última edição: 16 de Janeiro de 2019
  8. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Pixel Response Time (PRT)

    Nota: um bom artigo sobre performance dos monitores pode ser encontrado aqui.

    O Pixel Response Time (PRT) é o tempo que um conjunto de pixels demoram a transitar de uma dada cor e luminosidade para outra. Não é o mesmo que o "lag" associado ao monitor, mas é uma medida de interesse devido aos efeitos de arrastamento que podem ser causados por performance insuficiente. Valores abaixo dos 10-12ms ajudam a reduzir o blur causado pelos pixels a um ponto onde o blur é mais forte devido aos 60Hz que os arrastamentos causados. Claro que a sensibilidade de cada um pode alterar esta percepção, isto é uma regra geral apenas.


    O Pixel response time pode ser visualizado de uma forma simples:

    [​IMG]
    Pixel Response Time Comparison, deste artigo, efeito de diferentes pixel response times com tecnologia sample and hold

    Cada transição de uma cor, intensidade, brilho, etc, tem um tempo de transição que varia de caso para caso. Os tempos dados pelos fabricantes são normalmente os melhores valores que o monitor faz (quem não quer valores bonitos e rápidos na descrição do monitor?), daí que o valor intrínseco das características de fabricante seja muito reduzido, pois o que tem maior interesse são os valores médios e piores.

    Outro ponto importante é perceber se o valor vem em G2G (gray to gray) ou B2W / BW (black to white). Transições gray to gray são mais fáceis de realizar que black to white. Como tal, um valor de 5ms G2G num IPS é apenas padrão, mas 5ms BW é mais valioso. Mas regra geral, os valores virão em G2G, com os melhores casos a serem o valor mostrado.

    Devemos considerar também que o PRT tem uma ligação directa com a frequência de um monitor. Se um monitor de 60Hz tem de actualizar a imagem a cada 16.(6)ms (demonstrado na secção de frequência) e a transição mais lenta for abaixo deste valor (12-15ms por exempo), esta fica completa e a imagem não deve sofrer artefactos estranhos. No entanto, no caso de 120Hz em que o valor é metade, transições acima de 9ms arriscam-se a não ficarem completas, e podem originar artefactos estranhos associados a côr.

    O artefacto mais expectável é o ghosting portanto. Se a côr nova for a mesma, a transição deverá acontecer sem problemas (o valor final será o mesmo). Se for diferente (normalmente acontece nos limites de 2 objectos diferentes, como a zona onde se diferencia o céu de um muro, por exemplo) então surge o tal ghosting ou mesmo outro artefacto diferente.
     
    Última edição: 5 de Fevereiro de 2015
  9. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Input Lag

    Nota: um bom artigo sobre performance dos monitores pode ser encontrado aqui.

    O Input Lag é o tempo entre gráfica enviar uma dada frame ao monitor até que ela seja apresentada pelo monitor. No fundo, é o tempo de processamento dos dados. Isto importa particularmente pois um input lag baixo ajuda a dar uma sensação de resposta rápida do monitor. Este poderá estar também associado ao PRT, mas nos casos de lag mais elevado, este costuma dever-se mais ao tratamento de imagem que ao PRT. Um PRT mais elevado não implica um mau input lag no fim de contas. As reviews são a melhor maneira de verificar isto.


    Um sistema completo de baixo input lag traduz-se em algo como vocês mexerem o rato, e terem a sensação que o vosso personagem/imagem se movem ao mesmo tempo. Idealmente, isto aconteceria assim, mas claro que existem tratamentos a fazer em cada parte do sistema que dão atraso a isto. No caso do monitor, prende-se com o tratamento que a imagem recebe antes de ser mostrada, e o próprio pixel response time.

    Em suma, isto implica que o PRT tem impacto no próprio input lag do monitor, mas está mais focado no lag visual do que aquele que se "sente". Podem então pensar que um PRT baixo é essencial e que TN será sempre melhor que IPS para jogar, o que não é verdade. O PRT é apenas uma parte deste total, e em boa parte dos casos, será até uma parcela menor. No outro limite, até pode ser a única parcela no Input Lag do monitor, o que tornaria esse monitor em algo super responsivo. De forma geral, abaixo de 4ms é sentido como não tendo qualquer input lag, e a resposta é instantânea.

    Não podemos descurar também os tratamentos dados à imagem. Isto é especialmente importante no caso das TVs e LCDs com mais electrónica por dentro. Este tipo de circuitos de tratamento e correcção da imagem introduzem algum Input Lag (mais visível nas TVs sem gaming modes) que pode reflectir-se numa sensação de lentida entre uma acção e a devida reacção do monitor. De forma geral, os gaming modes de muitas TVs implicam simplesmente ignorar estes circuitos de tratamento de imagem. Sem eles, a resposta do monitor será mais rápida, ainda que menos tratada. Isto num PC não é problemático pois a gráfica já dá o tratamento necessário. No caso de um sinal de TV, a imagem poderá ficar bastante mais degradada, pois o sinal tem consideravelmente menos qualidade e quantidade de informação.
     
  10. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Representação de cor, bits e derivados

    Um monitor não consegue representar todas as cores possíveis, está limitado na quantidade de informação que pode representar visualmente. Há vários factores que podem limitar esta questão, e normalmente estão associados a 2 pontos: tipo de painel, e número de bits. De forma geral, 6 bits permitem 260 mil cores diferentes, 8 bits permite 16 milhões de cores e 10 bits permitem 1 milhar de milhão de cores. A diferença maior com tantas cores prende-se com a saturação, ou intensidade das cores. A partir de um certo ponto poderá ser difícil distinguir tantas cores, sendo que 8 bits já permite cores muito apelativas.


    A questão dos bits prende-se com a quantidade de cores diferentes que se pode representar. Este artigo da wikipedia explica bem o conceito de "Color Depth", ou seja, a variedade de cor que se consegue representar com um determinado número de bits.

    Quando se fala do "Número de Bits" de um monitor, fala-se do número de bits por canal. Isto implica que monitores de 6 bits têm na realidade uma profundidade de 3x6 bits, ou seja, 18 bits (3 canais por serem RGB). Com os monitores de 8 obtém-se os 24 bits e com os 10 temos 30 bits.

    "E para que importa tudo isto?" Com 8 bits, temos 2^8 "variedades" de cor, ou sejam, 256 "shades" de cada canal. Multiplicando os canais todos, obtemos aproximadamente 16 Milhões de cores diferentes. Isto é o considerado True Color, pois já ultrapassa o considerado como standart para o olho humano.

    Os 10 bits já suportam um total de 1 milhar de milhão de cores, o que é considerado Deep Color, e este número de bits já permite algumas técnicas extra de imagem e representação de cores ainda mais realista. As cores deste espaço podem ser mais saturadas que as de 8 bits, mas nem toda a gente as conseguirá distinguir. De forma geral, tem menor impacto em monitores de consumidor, e tem maior impacto em trabalho profissional que requer que as cores estejam perfeitas aquando da impressão.

    Por fim, é de referir o CIE 1931 XYZ color space. Durante os estudos feitos ao olho humano, foi compreendido que o olho detecta a cor através de 3 cones RGB. Mediante a nossa sensibilidade expectável e a frequência associada a cada cor, foi criada uma representação de cor que é bastante usada hoje em dia para determinar as cores que se conseguem ver/representar, em forma de uma ferradura.

    [​IMG]
    Retirado da wikimedia sobre CIE 1931, do artigo CIE referido acima.

    De notar que isto são cores puras, e existem mais cores que podemos ver baseadas na luminância, etc. Mas esta base é importante pois permite representar graficamente que áreas de cor um dado monitor consegue representar.
     
    Última edição: 5 de Fevereiro de 2015
  11. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Densidade de Pixels

    A densidade de pixels é dada como o espaço existente entre 2 pixels, na ordem de grandeza inferior a 1mm. É um valor muito importante para a nitidez de imagem, pois quanto menos espaço houver, mais juntos estão os pixels, e consequentemente, mais nítida é a imagem. É devido a isto que 1080p num monitor de 5'' (pensem nos vossos telemóveis) parece ter uma imagem extremamente perceptível, porque o espaço entre pixels tem de ser muito pequeno.

    [​IMG]
    imagem original, retirada deste artigo
     
  12. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Contraste (> A < dôr de cabeça)

    O contraste é a medida que permite identificar a variedade de tons de cinzento identificáveis entre um branco puro e um preto puro. Quanto maior o contraste, mais cinzentos diferentes é possível identificar, o que fornece maior variedade a uma dada imagem (não esquecer que mais cinzentos implicam mais tons de outras cores em consequência, pois o cinzento no ecrã não é mais que variações de luminosidade). Pelo menos em teoria...

    A minha conclusão é que a única coisa que se pode fazer de forma consistente é comparar valores de contraste em testes do mesmo reviewer feitos nas mesmas condições, como uma medida comparativa entre os monitores testados por ele. O meu maior conselho é não andarem demasiado concentrados nos valores de contraste, e verem o monitor ao vivo. E compreendam que provavelmente um painel IPS e TN terá um contraste 400:1 até 1100:1 e um painel VA terá um contraste 2500:1 a 3000:1. Os paineis com OLED terão valores mais elevados.



    Existem 2 problemas grandes relativamente aos contrastes, e a razão pela qual se assume que não são diferentes que cheguem fora de um tipo de painel: falta de standards e dificuldade de medição. No fim de contas, estes 2 problemas estão juntos de certa forma.

    • Como deverá ser feita a medição? Com um padrão xadrez com pretos e brancos simultâneos, e medem-se as diferenças de luminância? Mede-se a luminância de um ecrã todo preto vs um todo branco? E que tal desligar o ecrã todo desligado para se obter o valor de luminância negra, e depois usa-se um único pixel branco com toda a capacidade energética focada nele, a um nível de luminância impossível obter de forma normal?

    • E as condições do ambiente? Deve-se testar numa sala escura ou iluminada? Que tipo de iluminação? Em que posição? Não esquecer que a luz ambiente influencia fortemente os níveis de contraste. Basta usarem um telemóvel no exterior e verão a dificuldade maior que têm a ver algo num monitor.

    • Podemos considerar ainda outro ponto que influência a pureza dos pretos e a intensidade dos brancos: backlight (a luz que ilumina o monitor por dentro). Esta é a essência da tecnologia de Dynamic Contrast Ratio (DCR). Quando a TV detecta uma imagem mais escura, o backlight da TV é reduzido para intensificar os pretos e cores escuras, enquanto que uma imagem muito clara levará um aumento da intensidade do backlight, resultando numa imagem bastante mais clara. Parece boa ideia? Não é a melhor, basta considerar que não existem imagens de cores puramente brancas, nem puramente pretas. Isto também implica que a cor preta no meio de uma imagem muito clara será menos intensa que numa imagem escura. Esta variação resulta em que um monitor não pareça ter consistência sequer nas cores.

    Como podem ver, existem muitas maneiras possíveis de formatar o teste de contraste para dar os valores pretendidos. Depois, com que material é feito essa medição? Em que condições? Nada disto está standardizado, e existem muitas formas de alterar o teste por forma a dar valores largamente diferentes. Esta é também a razão pela qual é preciso algum cuidado até a ler contrastes dados por uma review. Se o teste não fôr especificado decentemente, não se podem tirar muitas conclusões. Mesmo um teste bem especificado pode ter falhas que alteram os valores verdadeiros.
     
  13. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Extras

    IPS a 120 e 144Hz
    Um outro ponto interessante, devido à frequência dos monitores, é como vão ser implementados os novos paineis IPS anunciados na CES 2015. Foram anunciados vários modelos IPS a 120 e 144Hz, com suporte às novas tecnologias (Gsync, 4K, etc). No entanto, isto traz um desafio novo: sabendo que as piores transições IPS facilmente fazem mais de 10ms, e que a taxa de actualização de 120Hz impõe uma nova imagem a cada 8,(3)ms, como poderá o monitor evitar estas piores transições? Isto dará origem a novos artefactos?

    Só quando estes monitores estiverem no mercado se poderá chegar a conclusões, mas é possível que estas novas tecnologias originalmente tenham alguns problemas iniciais. No entanto é bom ver que existe um movimento nesta direcção.

    240Hz da Eizo são 240Hz reais?
    Em uma palavra: não (pelo menos no que é considerado normal). Existem alguns monitores Eizo que clamam conseguir ir até 240Hz virtualmente e que a experiência é largamente melhor. Convém perceber o que são estes 240Hz e o que implicam na realidade.

    Em suma, a Eizo implementou uma espécie de lightboost que não depende inteiramente da frequência do monitor, e que introduz os mesmos frames negros entre frames de imagem. Ou seja, não sacrifica um frame completo do monitor para colocar uma imagem preta, mas coloca-o entre as frames nativas.
    A tftcentral fez um teste a estes 240Hz no monitor Foris FG2421, e este é o efeito gráfico da tecnologia:

    [​IMG]
    Imagem original da tftcentral, no artigo do Eizo Foris FG2421, efeito dos 240Hz da Eizo

    Para quem não percebe muito "da poda", aquele efeito de dente de serra não é normal, é o efeito das frames negras entre as normais, sendo que uma frame normal é o que está representado a vermelho. No fundo, está-se a remover a luminosidade completa do ecrã entre pontos da mesma frame.

    Eis o que está escrito pelo reviewer:
    Resoluções e Frequências Customizadas

    Actualmente, é possível fazer algo semelhante a overclock a um monitor. Neste caso, o objectivo é aumentar a frequência do monitor, permitindo que este mostre mais frames, aproveitando o framerate superior que se consegue em alguns jogos. Para quem o desejar fazer, esta é a aplicação indicada:
    http://www.monitortests.com/forum/Thread-Custom-Resolution-Utility-CRU
     
    Última edição: 22 de Novembro de 2017
  14. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Low Blur (a.k.a zero arrastamentos)

    Os modos Low Blur, como ULMB e Lightboost e derivados, emulam o efeito dos CRT por forma a reduzir todos os arrastamentos. Os CRT têm uma diferença crucial dos monitores LCD, que é a forma como apresentam uma imagem.

    Os LCD são sample and hold, coloca-se uma côr no pixel, e ele mantèm-na até lhes ser ordenado que mude de côr. Os CRT's, devido à tecnologia que têm por baixo, funcionam de forma completamente diferente.
    Basicamente, dispara-se um electrão da traseira do CRT até se atingir um pixel do ecrã. O que acontece é que, consoante a energia com que se atinge o pixel, ele emite fotões com uma dada côr (frequência). Só que o pixel do CRT, como não é auto alimentado como o do LCD, basicamente decai até ficar escuro.
    Resultado: 80-90% do tempo, os pixels dos CRT's estão... desligados. É este o segredo do no-blur deles.

    O que os as técnicas Low Blur fazem actualmente é pegar nos 120Hz e cortar para metade as imagens "úteis". Ou seja, em 120 imagens possíveis, metade são frames que a gráfica envia, e a outra metade são imagens todas pretas.
    Resultado: fica-se com um blur muito menos pronunciado, como nos CRT's. Agora, tem um problema, perde-se luminosidade (os CRT's emitiam fotões muito luminosos, o que compensava o tempo que passavam desligados, coisa que o LCD não consegue) e possivelmente fidelidade de côr. É um trade-off com o qual se tem de viver.


    IPS Glow e Backlight Bleed

    Existe uma grande confusão à volta disto. O que é cada um, e em que situações se vêm.

    IPS glow é uma espécie de brilho natural do painel (está associado mesmo à tecnologia do painel IPS, é inerente), e o efeito é uma espécie de "azular" dos pretos, e é algo que acontece de forma mais ou menos equivalente em todo o painel, mas tende a desaparecer se o ecrã for visto de frente.

    Já o backlight bleed é a luz que aparece nos cantos dos monitores, tipicamente, e são defeitos na forma como o que rodeia o painel é produzido/planeado. É mais visível ao se ter o quarto às escuras, numa imagem escura. Daí que seja testado sempre com os monitores nessas condições, e com uma câmara sem ajuste automático de luminosidade, para não acentuar os efeitos.

    O que interessa aqui é que o IPS glow tipicamente só se vê quando não se está sentado em frente ao ecrã. Neste caso, todo o brilho é, 95% das vezes, backlight bleed.
     
    Última edição: 17 de Novembro de 2015
  15. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Recomendações

    Esta secção é actualizada regularmente, todas as recomendações que faço são baseadas aqui. Qualquer monitor interessante que recomende, estará aqui.


    Até 100€:

    • LG 22MK400H-B - IPS, 21.5", 75Hz, Freesync e barato. Boa escolha para quem precisa de um monitor básico para uso geral ou para gaming com orçamento apertado.

    100-150€:
    • BenQ GW2480E - 24" e IPS, o monitor mais barato com estas características. Tem ainda o bónus de ter pequenos bezels. Excelente preço para o que oferece, mas não tem freesync.
    150-200€

    • Dell S2419H - Bom monitor IPS de 24", porém não tem freesync. Mais vocacionado para trabalho, pois tem pequenos bezels e boa calibração de fábrica. (review)
    • AOC Q3279VWF > O monitor de 1440p decente mais barato de momento. Sendo painel VA, tem os defeitos inerentes: algum trailing nas transições dos pretos e contrastes mais fracos nas extremidades que no centro do monitor. Se isto não é um problema, é uma excelente porta de entrada no mundo de 1440p. É um monitor glossy. (review)
    • Asus VX248H > Para quem quer TN, é o monitor indicado nesta gama de preços. Contudo, um IPS/PLS nesta gama fará muito mais sentido.
    • LG 27MP59G-P - versão 27" do 24MP59.
    • AOC G1 C24G1 - Monitor 24", VA curvo, 144hertz e com Freesync. Neste momento é o monitor de 144hertz mais recomendável, pois para além de ser dos mais baratos com 144hertz, tem um painel VA com cores bem melhores do que os tradicionais/mais antigos monitores TN de 144 hertz nesta gama de preços, e o input lag é decente (review)
    • LG 24GM79 - Monitor TN de 144hertz, com boa reputação. Para quem quiser um monitor de 144hertz barato e não gostar da curvatura do AOC ou simplesmente preferir painel TN.
    200-250€
    • AOC Q3279VWFD8 - Inesperadamente, a AOC lançou um IPS de "gama" baixa com boas specs, e que consegue atingir boa performance, algo muito raramente visto nas gamas mais baixas deles. (review) - IPS, 1440p, 75Hz, medium matte
    • MSI Optix MAG241C - Um excelente Monitor VA de 144hertz com curvatura. (Análise pelo membro @Daniel_1110 )
    • Dell P2414H > IPS, monitor que permite uma calibração excelente, bom para trabalho.
    • Dell U2417H > IPS, das melhores calibrações de fábrica nestas gamas.
    • Dell S2415H > IPS, dos poucos monitores com cobertura glossy. Cores vibrantes, muito difícil de encontrar.
    • BenQ EW277HDR >VA, 27", 1080p, bastante recente e com boa performance. (review)
    • LG 29UM59-P - 29", IPS e ultrawide a bom preço.
    250-350€
    • Dell U2518D > IPS 1440p. Calibração de fábrica muito boa.
    • BenQ GW2765HE / GW2765HT > Para quem quer um monitor 27'' 1440p mais barato, seja para trabalhar, ou para jogar (se não forem muito sensíveis a ghosting), é difícil de fazer melhor pelo preço. (review ht)
    • LG 29UM68-P> Modelo Ultrawide 2560x1080, IPS e com Freesync. Na altura desta escrita, encontra-se a 300€ em alguns locais, a este preço, deve ser dos Freesync mais interessantes de momento.
    • Dell Alienware AW2518HF - Dos monitores 240Hz mais baratos. Indicado para os gamers que jogam maioritariamente e-sports e que querem máxima fluidez. Tem freesync
    • LG 27UD59-B - 4k, IPS e 27" com Freesync. Dos monitores mais interessantes para quem quer fazer edição de vídeo/imagem ou juntar a uma consola (ps4 pro/xbox X), sem querer gastar muito.

    De 350€ a 900€

    Com FreeSync

    • LG 34UM88-P > O ultrawide de 1440p 60Hz IPS com melhor relação preço/qualidade actualmente.
    • Dell U3415W > Outro ultrawide com as características base do 34UM88, mas com a calibração de fábrica e extras da Dell. Mais caro que o compatriota da LG.
    • Asus MG278Q (TN) / ACER XF270HUA (IPS)> 1440p, 27'', 1440p 144Hz.
    • Asus MG279Q > Versão IPS do Asus MG278Q

    Com Gsync
    Créditos:
    @estrangeiro14 por fornecer alguns links atualizados
    @mata-pombos por fornecer informação
     
    Última edição pelo moderador: 22 de Janeiro de 2019
  16. Olá @miguelbazil gostaria da tua opinião sobre monitores
    |
    V


    1) Qual o orçamento?
    MÁXIMO 150 €
    2) Quando vais comprar o material?
    FINAL DE FEVREIRO
    3) Qual a utilização a que se destinam esses componentes?
    e) All around (mistura de todos os anteriores, especificar peso de cada um) -» ???


    4) Tamanho do monitor (polegadas)?
    20" -21"
    5) Resolução pretendida?
    1024 OU +
    6) Que painel preferes?
    a) IPS/PLS/AHVA



    7) Opções de monitor pretendidas
    c) Portas HDMI



    8) Vais comprar numa loja física (em que zona) ou online (ter em conta que em lojas físicas a escolha não é tão abrangente)?
    FÍSICA
     
  17. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    Honestamente, 20-21'' é capaz de ser um pouco complicado de arranjar algo de jeito (pelo menos algo que te consiga ajudar). A 22'' polegadas há lá algo aconselhável, um LG 22MP55HQ-P. O meu problema em sugerir-te na *****, é que o monitor está 30€ mais caro que o que devia (arranjas por 120€, e talvez um pouco menos).

    De qualquer forma, esse LG é IPS, flicker free, e penso que tem controlo overdrive.
     
  18. Ainda bem que o preço não chede.
    MUITO OBRIGADO e desculpa não ter posto logo aqui o post.
    Fui...
     
  19. LordWest

    LordWest Power Member

    Boas,
    Acham que vale a pena esperar pelos Monitores com FreeSync em vez de Comprar um BenQ XL2411Z 144hz?
    Eu jogo CS GO, tf2 e ás vezes LoL.
     
  20. miguelbazil

    miguelbazil Moderador Ninja
    Staff Member

    O problema é que não se sabe ainda quando é que os de FreeSync chegam ao mercado. Nota que eles vão chegar um pouco caros certamente, pois penso que vêm praticamente todos com mais de 1080p de resolução, ou seja, 300€ para cima.
     

Partilhar esta Página