Tópico Oficial Vodafone TV

@Mega tem séries completas.

@Mega tem séries completas.
Todos conseguem ter acesso às séries completas no AXN Now disponibilizado pela Vodafone?
Eu detetei lacunas em algumas séries... Será que só acontece comigo? Falta a temporada 6 na série Chicago Fire, por exemplo, a temporada 1 na série Rookie e as 7 primeiras temporadas na série Candice Renoir... (não sei se haverá outras falhas)... Mais ninguém tem este problema? Agradeço a partilha da vossa experiência.
 

nipnip

Power Member
Todos conseguem ter acesso às séries completas no AXN Now disponibilizado pela Vodafone?
Eu detetei lacunas em algumas séries... Será que só acontece comigo? Falta a temporada 6 na série Chicago Fire, por exemplo, a temporada 1 na série Rookie e as 7 primeiras temporadas na série Candice Renoir... (não sei se haverá outras falhas)... Mais ninguém tem este problema? Agradeço a partilha da vossa experiência.

Confirmo essas falhas, se são propositadas (por questão de direitos por exemplo ou porque só ficam disponíveis um determinado tempo) ou não, isso já não sei.

Julgo que o melhor será colocar a questão junto da Vodafone ou mesmo do AXN.
 
Confirmo essas falhas, se são propositadas (por questão de direitos por exemplo ou porque só ficam disponíveis um determinado tempo) ou não, isso já não sei.

Julgo que o melhor será colocar a questão junto da Vodafone ou mesmo do AXN.
Há cerca de 10 dias, enviei mensagem para a Vodafone, que respondeu que a responsabilidade do serviço é do canal AXN. Portanto, enviei também mensagem ao AXN, que respondeu que iriam encaminhar o assunto para a equipa responsável. Estou a aguardar. Mas, agradeço o seu feedback. Pelo menos, agora tenho a certeza que a falha não acontece só comigo.

 

Blue Zee

Power Member
Para quem se lembra da minha queixa no TAC contra a Vodafone pela inserção de publicidade forçada nas gravações, passados cerca de 17 meses sobre a audiência recebi a sentença.

A decisão foi favorável à Vodafone, tendo o tribunal aceite integralmente a contestação da Vodafone, copiando até, textualmente, partes dessa contestação.
No essencial, as gravações são funcionalidades da TV box, sem suporte contratual. A Vodafone, para não incumprir, apenas tem que disponibilizar o acesso à emissão linear dos canais, i.e., em direto.

Abaixo transcrevo o essencial da sentença, sem corrigir os erros ortográficos e gramaticais do texto original.

3. Fundamentação

3.1. Dos Factos

3.1.1. Dos Factos Provados

Resultam provados os seguintes factos, com interesse para a demanda arbitral:

1. O Requerente é cliente da Requerida titular da conta no XXXXXXXXX com serviço TVNETVOZ;

2. A 13/05/2020 Requerente aceitou a proposta da Requerida 3P 000/000 24m €34,90 com desconto de €2,00;

3. Desde Agosto 2020 os principais operadores que prestam o serviço de distribuição de televisão em articulação com canais de televisão aderentes introduziram mensagens publicitárias limitadas a 1 anúncio com máximo de 30 segundos de duração apresentado ocasional e previamente ao início da visualização de alguns programas;

4. Também para visualização de gravações o utente poderá optar por publicidade personalizada ou genérica não tendo para o efeito de partilhar os respetivos dados pessoais por forma a ter acesso aos conteúdos gravados;



3.1.2. Dos Factos não Provados

Não resultam não provados quaisquer factos com interesse para a demanda arbitral.



3.2. Motivação

A fixação da matéria dada como provada resultou da conjugação das declarações do Requerente e expressa confissão da Requerida em sede de contestação, conjuntamente com os documentos juntos aos autos.

O Requerente nas suas declarações, e apesar de parte interessada na presente demanda, demonstrou-se coerente, corroborando na íntegra a versão apresentada em sede de reclamação inicial, demonstrando-se um consumidor informado.

Assim, e relativamente à matéria dada por provada, a mesma resulta essencialmente da prova documental junta aos autos, mormente contrato de prestação de serviço de telecomunicações celebrado entre Requerente e Requerida.



3.3. Do Direito

Ora, resulta pois da relação material controvertida apresentada pelo Requerente que os factos em causa se cingem no âmbito de um eventual quadro contratual da prestação de serviços celebrado entre Requerente e Requerida de serviço televisivo, mais concretamente, ao nível dos seus deveres laterias de conduta como o sejam o dever tutela de dados pessoais.

Verdade seja dita, vem o Requerente assentar a presente demanda arbitral no invocado incumprimento, pela Requerida.

Não obstante o serviço de distribuição de televisão contratado pelo Reclamante e que a Reclamada se comprometeu a prestar consiste na disponibilização de acesso à emissão linear (em direto) de um conjunto de canais televisivos. A possibilidade de efetuar e aceder a gravações dos canais constitui apenas uma das várias funcionalidades extra ao serviço de televisão a qual sempre foi prestada de forma gratuita a todos os clientes que disponham de uma Tv Box. Esta funcionalidade não está aliás disponível para todos os conteúdos não sendo em momento algum prestada qualquer garantia no cotrato quanto aos moldes de acesso e utilização da mesma. Decaindo, assim, por inexistência de qualquer incumprimento, ou, até, cumprimento defeituoso, contratual por banda da Requerida, sem mais considerações.



4. Do Dispositivo

Nestes termos, com base nos fundamentos expostos, julgo a ação totalmente improcedente, absolvendo a Requerida do pedido.

Notifique-se,
 

nipnip

Power Member
@Blue Zee vai um bocadinho em linha daquilo que sempre foi "defendendo" em vários assuntos. Este tipo de funcionalidades (gravações, apps, etc...) não são parte do serviço contratado porquanto não fazem parte das condições dos mesmos (alguns até têm condições próprias). Basicamente no serviço de TV o que contratamos é o serviço linear.

Julgo que este tipo de acções, por mais que sejam um excelente acto de cidadania, têm sempre poucas hipóteses de sucesso.
 

mvil

Power Member
Sim sim, se antes de abrirmos as torneiras cá de casa tivermos 30 segundos de publicidade também faz parte do serviço de água?
 

nipnip

Power Member
Sim sim, se antes de abrirmos as torneiras cá de casa tivermos 30 segundos de publicidade também faz parte do serviço de água?
A questão é que tu contratas um serviço de água... Mas não contratas um serviço de gravações, o que contratas originalmente é um serviço de TV linear, as gravações é olhado (na minha opinião e pelo que esta decisão dá a entender) como um serviço à parte.
 

Blue Zee

Power Member
Não percam mais tempo com esta discussão.

Há opiniões fundamentadas em todos os sentidos, mas prevalecerá a decisão que publiquei.

Concorde-se ou não.
 

JPJDLV

Power Member
Não faz sentido a Vodafone estar a andar para trás na qualidade do serviço.

Sejam anúncios, seja limitar o n° de streams na app só faz a qualidade do serviço regredir.

O que vale é que podem reduzir tudo porque as outras operadoras vão atrás e/ou está protegido em contrato.
 

PWP

Power Member
Para quem se lembra da minha queixa no TAC contra a Vodafone pela inserção de publicidade forçada nas gravações, passados cerca de 17 meses sobre a audiência recebi a sentença.

A decisão foi favorável à Vodafone, tendo o tribunal aceite integralmente a contestação da Vodafone, copiando até, textualmente, partes dessa contestação.
No essencial, as gravações são funcionalidades da TV box, sem suporte contratual. A Vodafone, para não incumprir, apenas tem que disponibilizar o acesso à emissão linear dos canais, i.e., em direto.

Abaixo transcrevo o essencial da sentença, sem corrigir os erros ortográficos e gramaticais do texto original.

É tudo muito subjetivo e depende exclusivamente da interpretação. Quem procedeu a essa sentença baseou-se apenas no que está contratualizado. Também não sei que provas a parte acusatória levou a tribunal.

Mas é claro que as gravações automáticas estão anunciadas como fazendo parte do serviço que querem fazer o cliente contratar. Se depois essa funcionalidade não está contratualizada apesar de estar publicitada e associada ao serviço é um ponto inclusive de uma legalidade duvidosa.

Mas enfim, isto teria mais peso se fosse feito em grande número. Porque um só cliente contra uma multinacional é como o David e Golias. Mais uma vez dou-te os parabéns pela iniciativa.

Estes serviços ao tentarem lucrar mais prejudicando o serviço em si que por defeito já não é grande coisa só empurram os clientes novamente para a Pirataria. Que até tinha descido nos últimos anos, mas se estes sistemas de publicidade começarem a ficar cada vez mais agressivos muitos vão perder a paciência de ver TV e vão voltar ao "sacanço" ou às streams ilegais.
 

BruceW

Power Member
É tudo muito subjetivo e depende exclusivamente da interpretação. Quem procedeu a essa sentença baseou-se apenas no que está contratualizado. Também não sei que provas a parte acusatória levou a tribunal.

Mas é claro que as gravações automáticas estão anunciadas como fazendo parte do serviço que querem fazer o cliente contratar. Se depois essa funcionalidade não está contratualizada apesar de estar publicitada e associada ao serviço é um ponto inclusive de uma legalidade duvidosa.

Mas enfim, isto teria mais peso se fosse feito em grande número. Porque um só cliente contra uma multinacional é como o David e Golias. Mais uma vez dou-te os parabéns pela iniciativa.

Estes serviços ao tentarem lucrar mais prejudicando o serviço em si que por defeito já não é grande coisa só empurram os clientes novamente para a Pirataria. Que até tinha descido nos últimos anos, mas se estes sistemas de publicidade começarem a ficar cada vez mais agressivos muitos vão perder a paciência de ver TV e vão voltar ao "sacanço" ou às streams ilegais.
Estes abusos por parte dos ISPs, é em parte culpa dos clientes. Consentem que estes serviços funcionem desta forma no que toca à "oferta" por parte dos operadores. Esta é entre algumas das razões para não ter serviço TV com estas "funcionalidades".
As gravações são mencionadas nas condições do serviço, já a PUB... não...
 

Blue Zee

Power Member
Este processo também reflete as limitações do TAC, acrescidas com as limitações da pandemia.

A audiência foi online, via Zoom do meu smartphone, sem representante da Vodafone e diálogo difícil nas circunstâncias.
Como escreveu a Juíza, foi apenas análise documental.

Na análise de um amigo jurista, excluir as gravações pessoais ou automáticas do serviço contratado com TV box é discutível, embora a Vodafone alegue que essa funcionalidade é gratuita.

De qualquer modo, para mim é caso encerrado, até porque com a renovação dos contratos a inserção de publicidade está contemplada e é irrecusável para quem usa as gravações.
 

Sentineler

Power Member
Boas malta, alguém sabe indicar um splitter HDMI que funcione que a vBox Pro 4k?

O que tenho atualmente, apesar de suportar 4k, não funciona com a Box (sem problemas com a Switch ou PS4 Pro)
 
Topo