1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Vou passar a vida a programar e ficar todo frito?

Discussão em 'Programação' iniciada por HecKel, 6 de Agosto de 2007. (Respostas: 117; Visualizações: 16789)

  1. HecKel

    HecKel The WORM

    Boas!

    Esta é uma questão que algumas pessoas fazem quando já andam há uns anos na Programação, seja em estudo seja já numa fase laboral. Porque raio ninguém se lembra de perguntar isto antes de apanhar o vicio? :P

    Recentemente conclui o primeiro ciclo (licenciatura de Bolonha) do meu curso, e vou começar o segundo ciclo em Erasmus, em Dresden (Alemanha), optei por tirar o Mestrado em Engenharia Informática, no entanto tinha oportunidade de optar por algo que me sinto mais atraído (é agora que me vão chamar de frito), Mestrado em Lógica Computacional.

    Os meus objectivos para o futuro seria passar pela Investigação na área da Inteligência Artificial, e depois terminar o resto dos meus dias a ser escravo em alguma empresa a programar feito um totó e ser actor porno em horário pós-laboral :x Também coloquei em aberto a opção de passar pelo ensino, mas acho que os meus alunos não iriam achar muita piada a um Professor que gagueja com alguma facilidade, basta estar ligeiramente nervoso :x

    Visto que pretendo passar pela Inteligência Artificial, tenho a certeza que mais dia menos dia vou ficar uma beca frito, agora gostava de vos colocar uma questão, alguma vez pensaram se é mesmo isso que querem? Passar o resto da vida atrás de um pc?

    É capaz de ser uma pergunta banal, mas julgo que algumas respostas poderão ser bastante interessantes ;)

    HecKel
     
  2. xtr3me

    xtr3me Power Member

    Não vou passar a minha vida atrás de um pc. A minha vida profissional vai estar ligada ás tecnologias, mas para além de achar que é demasiado cedo para saber como será o meu percurso profissional, duvido que passe por ficar a programar uma vida inteira.

    Eu gosto de desenvolver, mas não espero passar uma vida inteira a fazê-lo.

    Para além disso, uma das coisas das quais fujo a sete pés é precisamente aquilo que tu consideras. Tanto o ensino como a investigação (se for académica) são um "no go" para mim.
     
  3. esquiso

    esquiso Power Member

    Resposta curta, mas no entanto extremamente satisfatória para o energúmeno que a fez, e que deve esclarecer bastantes duvidas que por ai rodam: Não.

    Resposta elaborada: O meu futuro a médio prazo (proximos 8/10 anos) será atras dos livros e não atras de um computador a programar até queimar as pestanas. Primeiro, não gosto de programar. E era um bocadinho estupido fazer disso o meu futuro. Depois, o meu futuro profissional não passará por nenhum ramo da Informática, nem das Engenharias.
    Sinceramente, nem acho que uma pessoa normal com um curso no ramo da Informática passe a vida a programar. Nem acho que devam, senão Programador passava a ser uma profissão ao nível de bailarino (que comparação, hem?), de alto desgaste, e aos 40 anos estavam cheios de dores, não nos joelhos mas sim nos pulsos e mãos.

    Quanto ao ensino, sinceramente só compensa para rapazes e raparigas de tenra idade (quando não sabem insultar-nos nem ser mal-criados) ou só do secundário para cima (quando as notas dependem). Lá no meio é tudo uma cambada de gentes putos convencidos que sabem muito (especialmente na área da Informática, em que eles são todos uns hackaros e apagam o C:\ do 127.0.0.1), bastante insulentes e com tendencias para serem rudes. Claro que há raras excepções, eu sou uma delas (excepto na parte de saber mais que o prof [Obrigado Techzone :D]).
    Relativamente à Investigação, bem, do pouco que sei, gosto. É uma área onde podes ajudar, inovar e ganhar uma pipa de massa se fores realmente bom. Vantagens, vantagens. Se fores realmente mal, resta-te uma vida de pedante ou arranjar PC's.

    Uau, que post longo. Fará se fosse uma área que eu quissesse seguir :D
    Já agora, quanto ao p0rn... acho que ganhavas mais € com a pesca. :205:
     
  4. S.T.E.E.L.

    S.T.E.E.L. Power Member

    Tenho a ideia que o que frita os miolos não é o acto de programar em si, mas as constantes mudanças (linguagem/estrutura/síntaxe) a que um programador está sujeito.

    Adquirir um método de trabalho baseado numa linguagem que a qualquer momento pode mudar e invalidar esse método é extremamente frustrante.
     
  5. ensiferum

    ensiferum Power Member

    assim que começar a torrar um pouco demais para o meu gosto, vou para a patagónia fazer criação de camarões (estou a falar a sério :p, sempre quis ir para a patagónia)
     
  6. CoolMaster

    CoolMaster Power Member

    Eu só me vejo a programar até profissionalmente até aos 35-40 anos no máximo! Existem areas da informática que se ganha mais e possivelmente se trabalha menos. Claro que a solução é sempre sair do pais porque aqui os programadores (e tambem o resto dos empregados diga-se de passagem) são escravos... e eu não gosto muito da escravatura.
     
  7. AragTey

    AragTey Power Member

    Ora ai esta...isso sim é uma ganda pain... ;)....

    Claro que não penso ficar a vida atras de um PC...eventualmente penso em subir os patamares de uma carreira profissional e um dia gerir um projecto\empresa com uma vasta equipa de putos recem-licencidados a bater tecla ;)....mas até lá....la vamos comecar mais uma semana de bater tecla.

    Enfim uma coisa é certa na sociedade como está agora e neste ramo profissional cada vez se querem pessoas mais versateis e com um conhecimento mais vasto de tecnologias em vez de um conhecimento profundo de algo. Por isso a meu ver se houver uma grande especializacao como queres em AI, bem ou vais mesmo dar aulas ou se fores um grande expert es contratado como consultor onde mandas uns bitaites de vez em quando e ganhas montes de papel ;).
     
  8. El_UnO

    El_UnO 1st Folding then Sex

    Definitivamente já, até te digo que o que me faz continuar a fazer o curso é um amor enorme pela informática e a ideia que no futuro a vida de trabalho vai ser mais "levezinha" (as in, ao menos há fins-de-semana :D ). Se me dissessem que a vida que levo durante um semestre normal de LEIC (estudo no IST) seria para levar até à reforma e não só durante os 5 anos que leva a fazer a licenciatura+mestrado, eu considerava seriamente fazer outra coisa, embora não imagine qual :P

    Ainda não sei que área é que hei-de seguir, e acho que só vou saber mesmo quando tiver exposto a mais cadeiras do curso. :)
     
  9. Quad

    Quad [email protected] Member

  10. Feiticeiro

    Feiticeiro Power Member

    Desejo-te muito sucesso na área da inteligência artificial, e espero que depois apliques os teus conhecimentos no caganamata, pois ele bem precisa.
     
  11. HecKel

    HecKel The WORM

    Aí sim..., ficaria mesmo todo frito, é impossível aplicar qualquer tipo de inteligência na coisa :205:

    HecKel
     
  12. Inoculado

    Inoculado Power Member

    eu vejo um futuro muito promissor pela frente ,para ti .
    eu ja coloquei essa questao a mim mesmo ,e sinceramente nao ..nao quero dedicar a minha vida a um computador ,passar a vida toda a frente dele ,teria q ter varios substitutos para poder libertar a minha ira por x ,mas este é o meu caso ,porque tenho outras paixoes , literatura e arte.
    nao acredito q um dia ,nao consigas ir mais longe ,nao existem essas barreiras
     
  13. HecKel

    HecKel The WORM

    Atenção que a pergunta que coloquei, não era sobre mim, mas sobre o que vocês pensam da situação, o vosso lado da coisa.

    A ideia é mais debater este assunto, será que o fritanço é algum efeito secundário garantido?

    HecKel
     
  14. AragTey

    AragTey Power Member

    Eu acho que só a malta que faz investigação inserida em algum doutoramento ou que seja essa via profissional (o tipico "prof. pardal") é que corre risco de fritar os neuronios....porque acordar e dormir a pensar sempre na mesma cena dá cabo de qualquer gajo....enfim o viver num deadline todos os dias da nossa vida.

    Agora acho que se a malta for trabalhar numa qualquer empresa que tenho um bom ambiente\colegas la dentro e que no final do dia consiga sair de la e ter outro tipo de conversa\convivio fora da empresa não corre qualquer risco de fritar.

    É engracado porque ainda se vem os analistas\programadores associados a geek\nerd, mas cada vez o mercado profissional está mais longe desse esteriotipo.

    Cumps
     
  15. APLinhares

    APLinhares OpenSource Moderator
    Staff Member

    Pá, quem lê o que há-de pensar...
    fritar já nao tens nada pra fritar, cabeça oca :D Por isso trabalha pr'á frente, malandro :D
    Nao tens de passar a vida em frente ao pc pra seres bom no que fazes, a inteligência nao está só na ponta dos dedos :P
    Eu, pessolmente, prefiro optar pelo que gosto (e ao qual estou habituado), a começar numa área tlvz a curto prazo mais rentável, mas que não me iria "realizar" pessoalmente ;)
     
  16. legerdemain

    legerdemain Power Member

    blah blah blah blah fritar blah blah blah


    fritar é uma história mal contada
    só ficas frito se trabalhares sob pressão durante um longo período de tempo

    o trabalho não frita quando é bem distribuído pelo tempo, basta meteres o graphplan a mexer e tens um esquema giro e leve
     
  17. blueomega

    blueomega Power Member

  18. eyeliner

    eyeliner Power Member

    Acho que nesta discussão (interessante, sim) há a ideia que para ser programador se vai passar uma série de horas seguidas
    a criar/depurar/ler código.
    As coisas não podem ser assim, pois há que existir um consenso entre a vida e o trabalho. Eu aprendi isso há pouco pois dedicava praticamente um dia inteiro ao trabalho (trabalho em casa) sem horário definido.

    Tens que encontrar o teu ritmo e saber o que fazer do teu tempo. Se vais ser "rato de laboratório", vais-te queimar
    depressa. É claro que um investigador terá que dedicar meses ou anos para os seus objectivos, mas isso apenas
    depende do que pretendes fazer.

    Se vais passar um dia inteiro "mergulhado no trabalho", vais sair um eremita, disso não tenhas dúvidas.
     
  19. epa... nem sei por onde começar sai do curso de tecnico de gestao de sistemas informaticos no inete segui para a ***** arranjar uns pcs por 3 meses, acabei nao renovei fui para a sonae.com era do apoio tecnico canseime e nao foi pouco... a nivel mental esgoutoume despedime... passado um mes e ja com 6 meses de helpdesk na testa fui para a PT mais apoio tecnico desta vez a nivel de inbound mesmo so pra empresa para as pessoas do edificio em entrecampos o ke cansou ainda mais andar nakeles elevadores a ajudar pessoas ke deviam ter uma caçadeira pra se suicidarem em vez de terem computadores. vim parar na clara.net pra ser gestor de redes e agora por fim paginador (designer) no correio da manha acabei no inicio deste mes agora inscrevime na BP, Galp, SHell etc... nao kero mais informatica kero algo k nao tenha nada a ver nem k seja num hotel tou com informatica pelos cabelos e ja nao aguento mais e tenho so 22 anos vou aproveitar pra investir em mim um bocadinho e acabar o segundo plano da cisco visto ja ter o CCNA kero o CCNP e o MCSE Talvez mais uns percursos em java a certificaçao da sun era fixe SCJD ... dps dixo continuar a carreira na camara municipal ... nem ke seja a varrer ruas e a ver pcs a noite tou completamente (mentalmente estourado de pcs) ... a minha medica dixe k tenho as costas d um velho de 40 anos ... e a cabeça a beira de um esgotamento ... workolyk over and out ! :) fikem bem
     
  20. xtr3me

    xtr3me Power Member

    Se não queres mais informática para que é que vais investir em mais certificações? 8|

    Quanto ao texto, mais um bocadinho de pontuação não fazia mal nenhum (parágrafos, menos reticências, etc). É que senão cansa para caraças ler aquilo tudo :(
     

Partilhar esta Página