1. Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.

Why KDE rules

Discussão em 'Novidades GNU/Linux & *nix World' iniciada por Metro, 29 de Dezembro de 2005. (Respostas: 20; Visualizações: 1243)

  1. Metro

    Metro Benevolent Dictator For Life
    Staff Member

    É o título deste artigo que está muito interessante e para quem não tem acompanhado o KDE é um bom update.

    Tem algumas pics à mistura.

    É um pouco longo mas vale a pena na minha opinião.

    http://www.terra.es/personal/diegocg/kde/

    Vejam o que o amaroK pode fazer por vós:)
     
    Última edição: 29 de Dezembro de 2005
  2. God_Lx

    God_Lx Folding Member

    É pesado, é feio, e trás muita tralha k nunca ninguém usa (K se pode n instalar...)
     
  3. APLinhares

    APLinhares OpenSource Moderator
    Staff Member

    tb é 1 verdade...
    mas pra mim é o único que tem tdo o k preciso e smp á mao :)
     
  4. God_Lx

    God_Lx Folding Member

    AndreAPL penso k assim de repente a unica app k uso de KDE será o K3b... De resto bem k podia ir à vida... Gosto muito dos meus Aterms no meu Fluxbox :) É uma questão de hábito mesmo...
     
  5. DarTaKaum

    DarTaKaum Power Member

    do kde só uso o konqueror o k3b talvez vá usar, mas ainda n tive necessidad d keimar nada.

    mas ando a procura dum substituto do konqueror!! :\
     
  6. kanguru

    kanguru [email protected] Member

    So não uso o kde pq aquilo é feio à minha vista. Bolachudo, má utilização do espaço disponivel do ecran. Claro que deve haver temas em com outro aspecto, mas pelo menos os que vêm em default são feinhos.
     
  7. timber

    timber Zwame Advisor

    Eu também não gosto muito do KDE devido à organização, estética e outros parâmetros esotéricos. Aliás nunca gostei desde a versão 1... qq coisa que foi a primeira que usei
    Mas em funcionalidade é muito bom e é até o preferido do Linus
     
  8. QuickFire

    QuickFire What is folding?

    Eu por mim prefiro MUITO mais o Gnome :)
     
  9. Dragoneye

    Dragoneye Power Member

    O primeiro contacto que tive com Linux foi usando o KDE, mas assim que experimentei o Gnome disse " É mesmo isto que eu queria!!!". :009:
    Acho o KDE feio e com demasiadas opções e programas desnecessarios. :004: :004: :004:
    O unico programa que gosto é o K3B, mas até agora tenho conseguido viver com Gnomebaker, Graveman e gravador do Nautilus (só para não ter de instalar as libs do KDE).
    O Linus não só diz para a pessoas usarem o KDE, como fartou-se de mandar abaixo o Gnome. 8o
    Desceu muito na minha consideração! :rcarton:
     
  10. falco

    falco Power Member

    Para além de achar a artwork do KDE geralmente feia, o KDE é uma Konfusão, há opções, butões e barras a mais por omissão, pior ainda o GUI é geralmente mal organizado, tem falta de coerência, e não foi desenhado para usabilidade, foi apenas para incluir maior numero de features possível, tem uma usabilidade e uma acessibilidade inferior à do Gnome (em termos de acessibilidade o Gnome é talvez o melhor batendo de longe o window$, porque a infraestrutura do window$ para acessbilidade é incompleta e no minímo primitiva). Alias a malta do KDE admite isto, é por isso que lançou um projecto para corrigir estes defeitos do KDE, espero que tenham sucesso, mas não me estou a ver a mudar de Gnome para KDE.
     
  11. shello

    shello Moderador
    Staff Member

    Hey!
    Bem, eu digo que prefiro o KDe, mas acho que me habituei ao Gnome... Voltei ao KDE ha dois dias (kubuntu) e sinceramente achei aquela barra estranha... Mesmo depois de a tentar reduzir um pouco vi que estava ali qq coisa mal... Epa não sei, mas acho que estou a gostar mais do gnome...

    Quanto a isso do Linus Trovalds tar a falar mal do Gnome, epa, sendo neutro, acho que ele está a ser parvo. Sim. Ele desenvolveu um projecto que mudou o mundo da informática (ok, em parte...) e que era um projecto com o objectivo dos utilizadores contribuirem e melhorarem, desenvolverem... Cada um faz à sua maneira... Acho que ele "mandar abaixo" essas pessoas é mesmo das piores coisas que ele fez....
    Tal como o Dragoneye, o sr. Trovalds desceu muito mesmo na minha consideração...
     
  12. Tuaregue

    Tuaregue Power Member

    Neste momento voltei ao KDE, e noto que este é mais rápido que o Gnome, na mesma máquina.
    Continuo a não saber porquê é que as themes tem de ser compiladas, no Gnome isso só acontece quando se tem um novo motor de theme - algo do género clearlook -, apesar que no KDE existe agora um motor novo deKorator, em que as themes já não são precisas de se compilar. O KDE não é tão linear do que o Gnome isto é um facto, mas é aqui que reside todo o poder do KDE, como diz no texto do primeiro post (link) reutilização, e isto é simplesmente fabuloso não temos de andar a rescrever/escrever todo o código basta pegar no que já está feito e acrescentar o nosso, no Gnome ainda não vi nada do género, para que não dúvidas eu estou a falar de coisas tipo o Quanta usar o Kate como editor de texto, ou seja, não foi preciso desenvolver o motor o processamento de texto, apenas utilizar o kate. Isto no Gnome era algo do género o gedit ser utilizado pelo Anjuta.

    Quanto à questão do Linus, é preciso contextualizar, o Linus nasceu onde? O KDE é desenvolvido onde? Não era por nada que o Linux usava SUSE, que era desenvolvida onde? O Linus está habituado ao sistema de desenvolvimento do KDE que é algo do género nós propomos algo para o KDE e se os developers estiverem com tempo e acharem graça desenvolvem, dai advem muitos dos males do KDE, no Gnome não, é que o diz o Linus. Se ele foi longe de mais por chamara idiotas aos utilizadores do Gnome, talvez, mas para ele é a questão de que no KDE o pessoal tem mais liberdade, é quase como no inicio do linux, no Gnome já é mais estilo empresa, um/grupo decide por todos.

    Eu gosto do Gnome, assim como gosto do KDE, mas o meu favorito neste momento é o Gnome pela simplecidade em tudo, mas reconheço o poder do KDE e os seus pontos fortes.
     
  13. PDI

    PDI Power Member

    Mas as bibliotecas do KDE não são proprietarias, acho que isso e mais contra a ideia de liberdade ou independencia do Linux.

    Desculpem se disse alguma bacurada mas e a ideia que tenho.
     
  14. Tuaregue

    Tuaregue Power Member

    Não, as bibliotecas do KDE são GPL assim como as do Gnome. O antigo mal do KDE é que usava/usa o QT e o QT tinha uma politica de licenciamento um tanto quanto esquesita, mas neste momento o QT tem licenças GPL e licenças pagas para se poder utilizar, as licenças GPL são para desenvolver software GPL e as licenças pagas para desenvolver software proprietario. Esse era o grande do KDE e do QT, as grandes empresas deram apoio ao GTK devido a este motivo, o licenciamento do QT.
     
  15. falco

    falco Power Member

    O Linus não é neutro, nunca o disse ser, nem estou a ver onde é que foste buscar essa ideia.


    Se o artigo diz que não há reutilização então diz uma barbaridade. Se tu achas que não há reutilização estás enganado. Lá por não ser feito da mesma forma e talvez na mesma escala não quer dizer que não seja feito.

    Dou o exemplo do Totem:
    O Totem é o media player oficial do projecto Gnome, e ele pode utilizar diferentes back-ends, pode utilizar o Gstreamer que é o back-end que foi adoptado pelo projecto Gnome, como o back-end default do ambiente de desktop, e por exemplo também pode utilizar o Xine (que até é uma aplicação que apareceu inicialmente no projecto KDE).


    Para o KDE é optimo que aconteça esse tipo de reutilização, mas esse tipo de reutilização tem um problema, que é quando essas aplicações são utilizadas fora do contexto do KDE, o que acontece é que se tornam dependentes umas das outras, sim é possível escrever outros modulos, para outros ambientes, mas também isso significa não poder re-aproveitar o código...


    O Gnome utiliza umas coisas chamadas Bonobo e CORBA.
    O Bonobo, é a aquitectura do Gnome que permite criar componentes reutilizáveis quer de software quer de documentos. Este modelo não é técnicamente igual ao que é utilizado no KDE, mas tem o mesmo objectivo de criar componentes reutilizáveis e é mais utilizado do que a maior parte das pessoas pensa (embora talvez menos do que devia) e mais coisa menos coisa tem também o mesmo efeito. O Bonobo é utilizado em aplicações como: Gnumeric, ggv, xpdf, nautilus e evolution.
    O CORBA é a forma pela qual são definidas as interfaces de comunicação entre os componentes Bonobo, sendo que elas estão dentro de objectos GTK+ e por isso são transparentes para o utilizador/developer. Mais ainda o ORBit (a implementação de CORBA do Gnome), chega a permitir coisas como utilizar componentes que estão noutros sistemas de outros computadores.


    Como vez as capacidades do Gnome são frequêntemente subestimadas, até porque são muito pouco conhecidas pela maioria.


    As razões pelas quais os dois desktops são diferentes no que toca a arquitectura é porque apesár de ambos serem ambientes de desktop, eles prentendem ser ambientes de desktop de forma diferentes e não há mal nenhum nisso, ambos têm coisas excelentes.



    O KDE é de facto fantástico, mas o Gnome apesár de um sistema diferente com uma filosofia diferente também é fantástico e mais do que muitos pensam...
     
    Última edição: 2 de Janeiro de 2006
  16. El_UnO

    El_UnO 1st Folding then Sex

    Por acaso agora tambem ando numa de KDE, mas isso e algo que eu volta e meia troco. O GNOME tambem e fantastico e tem uma interface mais simples que o KDE o que facilita para quem esta a dar os primeiros passos em GNU/Linux (metade das aplicações começarem por "K" torna-se um pouco confuso :p )

    Por seu lado o KDE tem um pouco mais de "eye-candy" e com os themes certos fica com muito bom aspecto. O KDE control center tambem e muito bom e permite configurar quase tudo facilmente, para alem de ter varios programas uteis como o K3b e o Kopete (sei k da para usar tambem no gnome mas e preciso levar uma data de libraries atras :P )

    E se o pc for mais fraquito, fluxbox tambem domina. No fundo e tudo uma questao de gosto e o bom do linux e podermos escolher aquilo que mais gostamos ;)
     
  17. falco

    falco Power Member

    O Gnome também tem um control center:
    O gnome tem equivalentes para essas aplicações (gnomebaker e Gaim) e para outras que também são capazes de fazer o trabalho, alias o Gimp não tem nada que se compare ao Gimp por exemplo, e o gnumeric e abyword são muito superiores aos seus equivalentes do KDE.



    Não é só! O gosto também tem o seu papel, mas eles têm básicamente tecnologias e filosofias de funcionamento diferentes, por isso é também uma escolha tecnica.
     
  18. ExxoSoul

    ExxoSoul Folding Member

    O Gnome é o mais "limpo" e "simples" ;)
     
  19. Metro

    Metro Benevolent Dictator For Life
    Staff Member

  20. Tuaregue

    Tuaregue Power Member

    falco por acaso não estás a confundir aplicações GTK com aplicações Gnome. olha que é bem diferente, o Gaim não é Gnome é GTK assim como o abyword, porque não usam a API do gnome, embora ambos usam o GTK. Assim como o CORBA é um sistema standard independente do Gnome. O Gaim e o Abyword estão para o Gnome como o Opera para Linux e o Skype estão para o KDE, são aplicações QT mas que não partilham código com a API do KDE.

    Ah, e quando dizes que o Totem é um front-end para vários back-end, só me vens dar mais razão, é que o exemplo que dou e que é sugerido pelos developers do KDE é o contrário, é usares o back-end de programas KDE tipo o Kate e fazeres tu a tua aplicação, neste caso o front-end.

    Guerras à parte o importante é utilizar o melhor do 2 mundo, usar e abusar.
     

Partilhar esta Página